Maria das Dores Santos Conceição - Vó Maria
* 05/05/1911 - Mendes, RJ

Você conhece esta simpática senhora, carinhosamente chamada de Vó Maria, que está completando 100 anos hoje, 5 de maio de 2011?

Pois ela é, hoje, uma das mais importantes testemunhas vivas da história do samba.

 

 

Nos 15 anos em que viveu com Donga (autor de “Pelo telefone”, em parceria com Mauro de Almeida), presenciou em sua casa, na Aldeia Campista, a criação de boa parte dos clássicos da MPB.

 

As rodas de samba e choro, alimentados pelas feijoadas e acarajés, caprichosamente preparados por ela, contavam com as participações de Pixinguinha, Xangô da Mangueira, Aniceto do Império, Walter Rosa, Jorginho Peçanha, Jacob do Bandolim, João da Baiana, Ney Lopes e os iniciantes Martinho da Vila, Clara Nunes, João Nogueira, entre outros.

 

 

  

 
Pixinguinha / Vó Maria / Donga

 

Imaginem o que ela presenciou, por mais de uma década, nestes encontros de rara beleza da Música Popular Brasileira...

Os maridos de Vó Maria (ela teve três; enviuvou do primeiro e desquitou-se do segundo) eram ciumentos com aquela negra bonita, não deixando que ela exibisse seus dotes de cantora, principalmente Donga.

 

Nas referidas rodas de samba e choro citadas acima ela até que se animava, mas o ciúme de Donga não dava trégua.

“Donga me olhava e dizia: você não tem que ver o feijão lá na cozinha?”

Os amigos perguntavam por que ele não deixava Vó Maria mostrar seu talento; mas ele encerrava o assunto categórico: "Enquanto for vivo, ela não canta."

 

O gosto pela música veio muito antes. Aos 18 anos ficava na sacada de casa ouvindo as músicas que eram tocadas em um clube próximo.

“Minha mãe de criação queria que eu fosse cantar no Ary Barroso. Vai Maria, você canta bem. Não vou não, o Ary Barroso é um bocadinho aborrecido, ele vai falar qualquer gracinha e vou responder pra ele”.

Muitas águas rolaram na vida de Vó Maria (vale a pena consultar seu site oficial, AQUI), para que ela soltasse a voz reprimida há tanto tempo. Isso só aconteceu, pasmem, aos 89 anos quando cantou para um público de mais de cem pessoas. E foi aplaudidíssima.

 

Em janeiro e fevereiro de 2003, Vó Maria, com 92 anos, grava o seu primeiro CD financiado pelo Fundo Nacional de Cultura. O CD foi editado pelo Instituto Cravo Albin, tendo como produtora artística Marília Barboza e direção musical de João de Aquino.

 

 
Em 22 de setembro de 2003, lançou oficialmente o CD "Maxixe Não é Samba" na Sala Cecília Meirelles, no Rio de Janeiro.

 

O show reuniu diversos convidados, entre eles Nelson Sargento, Xangô da Mangueira, Beth Carvalho, Diogo Nogueira, Dalmo Castelo, Wilson Moreira, Nei Lopes, Caio Márcio, Eliane Faria e Áurea Martins. O espetáculo contou com direção musical e arranjos de João de Aquinho, além de apresentação e direção de Ricardo Cravo Albin.

 

 

 

 

 

Nesta festa de 100 anos vamos curtir algumas faixas deste CD histórico.

 

Pelo telefone” (Donga / Mauro de Almeida).

 


Gosto que me enrosco” (Sinhô).

 

 

 

 

 “Cabide de molambo” (João da Baiana) # participação especial de Martinho da Vila.

 

 

 

 

 


"Jura" - Participação de Nelson Sargento

 

 

 

 

Meu amor vou te deixar” (Orlando Vieira) # participação de Beth Carvalho.

 

 

 

 

  

 

Disse me disse” (Pedro Caetano / Claudionor Cruz)

 

 

 

 

 

"- Este é o primeiro disco- e logo um CD! - que ela grava - pimpona, lépida e fagueira - aos 92 anos de idade. Logo ela que poderia (e deveria) ter registrado sua voz, a partir dos anos 20 (numa bolacha de cera, feita em gravação mecânica). Portanto, trata-se da mais antiga cantora do mundo a estrear em disco (recorde, quero crer, a ser registrado até no Guiness)... (Ricardo Cravo Albin).


Depois da sua “alforria artística” apresentou-se regularmente na Roda de Samba do MIS (Museu da Imagem e do Som do Rio de Janeiro). Fez diversos shows coletivos ao lado de Dona Ivone Lara e Tia Eulália.

 

Em 14 de janeiro de 2004, Vó Maria submeteu-se à prova da Ordem dos Músicos tendo sido aprovada com nota 10, por unanimidade. Neste mesmo dia sindicalizou-se no Sindicato dos Músicos Profissionais do Estado do Rio de Janeiro.


No dia 09 de maio de 2004, realizou o seu maior sonho, o de ser homenageada, em praça pública em sua cidade natal, Mendes.

Vó Maria apresentou-se com o Grupo Passagem de Nível, na Praça Dr. João Nery. Estavam na platéia filhos, netos e bisnetos, seus irmãos, sobrinhos e sobrinhos-netos, alguns dos quais não via havia mais de 15 anos.

 

Vó Maria participando de um autêntica feijoada carioca, dançando e cantando ao lado de Monarco e outros.

 

 

 

 

 

 

Aos 100, completados hoje (05/04/2011), Vó Maria canta em rodas de samba, viaja para shows e o que é melhor, não precisa dar satisfação aos maridos que, carinhosamente, dividem o espaço da aliança de ouro que ela mandou fazer com o nome dos três gravado.

 

"Essa aliança tem três maridos", diz, com um sorriso maroto.

 

Que o Brasil reconheça a importância de Vó Maria para a Música Popular Brasileira.

 

Atualização: Vó Maria faleceu em 16 de maio de 2015!

************
Fontes:

- Dicionário Cravo Albin da Música Popular Brasileira.
- Site Oficial de Vó Maria.
- “Tem mais samba – das raízes à eletrônica, de Tárik de Souza. - São Paulo: Ed. 34, 2003.
- “Quase centenária viúva de Donga ganha homenagem”, de Fernando Paulino Neto. – Jornal o Estado de São Paulo (edição 02/03/2011).

************

Exibições: 751

Comentário de Laura Macedo em 5 maio 2011 às 22:14

Oi Dalva,

Infelizmente a "fantástica história de Vó Maria" é desconhecida do grande público. Resgatar histórias como essa faz parte dos meus objetivos enquanto pesquisadora e apaixonada pelo universo musical brasileiro.

Grata pelo gentil comentário.

Abraços.

Comentário de Gregório Macedo em 6 maio 2011 às 5:19

Pimpona, lépida, fagueira e supimpa. Viva Vó Maria!

Mais um trabalho que enobrece a sua missão, querida Laurinha.

Beijos.

 

Comentário de lucianohortencio em 16 junho 2013 às 22:44

lucianohortencio esteve aqui, dando uma "marretada" básica...

Excelente Post, amiga Laura!

Comentário de Laura Macedo em 17 junho 2013 às 1:19

Você tem carta branca para marretar o que quiser.

Amigo, foi bom saber que você passou por aqui :)

Abraços

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço