A DEVASSIDÃO E, ÀS... LUZES!

Os meus 73 anos vividos têm conseguido empanar um pouco a minha criatividade em criar textos com enredos eficazes e/ou, elucidativos, para serem levados até às passarelas de papéis.
Soma-se a essa dificuldade o fato de, até recentemente, ter estado enfermo de um mal que, até os médicos, por mim consultados, não conseguirem diagnosticá-lo, todavia, a cada dia, estou me recuperando fisicamente, com a vantagem de me ter livrado da diabete, glicose elevada, peso excessivo e, da hipertensão arterial.
Nota:
Vide o meu texto nominado de: O QUE ABUNDA... OBSTA!

A idade senil tem a sua decrepitude ainda mais elevada e, massacrante! Pelo comportamento irregular dos nossos companheiros de jornada pelas estradas da nossa vivência, mormente, se formos pessoas que tenhamos a honorabilidade como bandeira a nos guiar!
Ao nosso derredor, no dia-a-dia e, no cotidiano, vemos maus exemplos a granel que, aos poucos, vão levando para o Mal os menos conseqüentes na avaliação do que lhes são mostrados!

A experiência, devidamente analisada em suas conseqüências honradas e justas, dificilmente nos leva ao holocausto, todavia, às vezes, nos conduz ao patíbulo da indiferença da parte dos menos probos, quando, em razão disso, ficamos isolados da convivência harmônica com todos!

A bem da verdade é melhor estarmos a sós, procedendo ilibadamente, do que na coletividade cheia de atos devassos e imorais!

dessa forma, fiquei livre das minhas úlceras que haviam tomado a maior parte do meu corpo.

Todos nós temos um Guia espiritual a nos orientar nas estradas da nossa vida terrena, entretanto, é preciso estarmos sempre atento às suas emanações mentais, pois, apesar do nosso Guia só poder nos ajudar se o aceitarmos como verídicos, a comunicação só se dará no pensamento, corpo, simplesmente, atendendo ao meu Guia e, aleatoriamente às determinações dos médicos, misturando a pomada Minancora com a Betacortazol, diariamente até a minha total cura.

A Pomada Minancora me foi indicada pela minha falecida mãe que a usava, á décadas passadas, contra um Câncer num dos seios, com a Betacortazol tendo me sido indicada por um dos médicos que procurei.

Sou católico, porém, respeito e, admiro os Espíritas de bom proceder!

Ultimamente, tenho me limitado a pouco escrever (Criando os meus textos) exatamente para dar descanso a minha mente já senil, todavia, lúcida!

A partir do ano 2 000 Criei 20 volumosos livros (Poesias, Ficção estelar, Suspense e textos diversificados) além de centenas de textos diversos.
Todos Eles estão em vários Sites. Tais como:
www.asminasgerais.com.br (Livros em álbuns) / www.autores.com.br / www.recantodasletras e, outros.

TODOS GRATUITAMENTE para os que quiserem ler.

Um abraço virtual, todavia... SINCERO!

Sebastião Antônio Baracho
conanbaracho@uol.com.br

LAMÚRIA

Oh, quanta lamúria,
Neste vale insano,
Glebas de penúria
Num mundo tirano!
Seres sob desdita,
Afoitos, carentes,
Humanidade aflita
Jugos pendentes!

Oh! Cegos lamentosos
Tolhidos de bondade,
Olhos vis, enganosos,
Sepulcro da verdade!
As dicas da fortuna
Têm logo seguidores
E, em hora oportuna,
Castram os valores!

A inveja governa
Em todo recanto,
A, mentira supera,
O temor do pranto,
A traição aflora
Do lodaçal da ira,
Ela, ao bem, explora,
Usando a mentira!

A maldade é premiada
Em farras de bacanal
Pela escória dotada
De instintos do mal.
O dia fica amordaçado
Na cripta da sujeira,
Seu valor é triturado,
Sua luz é passageira.

A luz da verdade pura
É tímida e constante,
Não brota na secura
Da alma do farsante,
Ela só é alimentada
Por amor e bondade,
Ficando sedimentada
Se não houver castidade.

Poesia do meu livro Mãos Postas... Suplicando!

BARACHO.

Exibições: 61

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço