O ano de 2013 marca a importante efeméride dos “90 anos de Rádio no Brasil”, pois, em abril de 1923, foi instalada a primeira emissora em nosso país, a Rádio Sociedade do Rio de Janeiro, pelo professor Roquette Pinto e o engenheiro Henrique Morize. Seus fundadores tinham como lema divulgar a cultura brasileira.

 

 

 

O livro “A Dinastia do Rádio Paulista” resgata a história dos concursos das eleições de rainhas e princesas, tão em moda, principalmente, durante os anos 1950. Um tema inédito na literatura sobre o rádio brasileiro.

 

 

 

Durante as décadas de 1930 a 1960 foram realizados inúmeros certames para a escolha de rainhas de diversos segmentos, tais como: do rádio, dos músicos, do carnaval e outros mais.  Os autores garimparam de maneira profunda informações para compor esta obra, trazendo para o público detalhes e curiosidades dos sete principais concursos realizados na Pauliceia e os perfis biográficos das 30 cantoras do rádio paulista que participaram destes eventos, algumas conseguindo excelente classificação.

 

 

 

O concurso para a escolha da “Rainha do Rádio Paulista” contou com três edições ocorridas entre 1935 a 1955. O certame da “Rainha dos Músicos de São Paulo”, também apresentou três edições, de 1957 a 1960. O “Jubileu de Prata da Rádio Record”, em 1956, contou com a participação com grandes “cartazes” do elenco da emissora. Tivemos ainda a escolha da “Rainha do Carnaval Paulista”, em 1957, sendo eleita uma das cantoras mais populares do “cast” da Rádio Record. O livro aborda também o “Festival da Canção Napolitana em São Paulo de 1957” e o concurso da “Rainha das Organizações Victor Costa de 1958”. Em 1963, mesmo com o rádio passando por grandes transformações, foi escolhida a “Rainha dos Radialistas”.

 

 

 

 

A “corte do rádio paulista” foi composta pelas cantoras: Agripina Duarte, Alzirinha Camargo, Isaura Garcia, Triana Romero, Elza Laranjeira, Neyde Fraga, Ceci Amarílis, Olinda Alves, Juanita Cavalcanti, Heleninha Silveira, Rosinha da Harmônica, Nice de Andrade, Luely Figueiró, Bianca Bellini, Dolores Barrios, Leila Silva, Cinderela, Norma Avian, Gessy Soares de Lima, Salomé Parísio e Edith Veiga; pelas locutoras: Vera Lúcia e Maria Lúcia; pelas apresentadoras: Sônia Ribeiro e Rosinha Lorcal, e, por fim, pelas radioatrizes: Gessy Fonseca, Maria Aparecida Alves, Aida Salerno, Sônia Greis e Tânia Castilho.

 

 

 

Uma obra indispensável para os amantes da “Era de Ouro do Rádio”, estudiosos, pesquisadores e curiosos. É o resultado do trabalho de uma pesquisa criteriosa e incansável da jornalista Thais Matarazzo e do historiador Valdir  Comegno, que não pouparam esforços para trazer de volta, nas páginas deste livro, essa história tão encantadora e tão pouco divulgada que é “A Dinastia do Rádio Paulista”.

 

 

 

 

Os autores: Thais Matarazzo e Valdir Comegno

 

 

Thais Matarazzo Cantero. Jornalista, pesquisadora musical e escritora. Membro da União  brasileira de Escritores. Colunista do jornal “Mundo Lusíada” (SP). Autora dos livros: “Irene Coelho, uma brasileira de coração português” (2011), “Salomé Parísio, o Rouxinol do Norte” (2012) e “A Música Popular no Rádio Paulista, 1928-1960” (2013).

 

 

Valdir Comegno. Historiador, escritor e pesquisador musical. Autor dos livros: “A Magia do Rádio” (2008) e “Nas Ondas da Magia do Rádio, 1970-2011” (2011).

 

 

 

Vejam, nos vídeos abaixo, as performances de algumas das cantoras homenageadas – Bianca Bellini, Cinderela, Norma Avian, Esterzinha e Neyde Fraga.

 

 

 

 

Bianca Bellini, cantora da Rádio Record, canta o fox-balada "Crepúsculo". Gravação de 1958.

 

 

 

 

 

 

 

 

Cinderela, cantora da Rádio Record nas décadas de 1950-60, cantando “A culpa foi da cobra”. Foi eleita "Rainha do Carnaval Paulista", em 1957.

 

 

 

 

 

 

 

 

Norma Avian se destacou no rádio paulista por interpretar perfeitamente o cancioneiro italiano. Também cantava músicas brasileiras. Foi a segunda colocada durante o "Festival da Canção Napolitana em São Paulo", em 1957. Ganhou o troféu Roquette Pinto em 1956. Aqui interpretando - “Você quer saber” (Júlio Nagib).

 

 

 

 

 

 

 

 

Esterzinha de Souza iniciou sua carreira em 1950 na Rádio Bandeirantes. Depois esteve na Cultura e na Record. Intérprete de temperamento romântico. Foi casada com o maestro Cyro Pereira. “Dia e noite” (Cole Porter/Alberto Ribeiro).

 

 

 

 

 

 

 

Neyde Fraga foi um dos grandes cartazes da Rádio Record. Tem um amplo repertório, sua especialidade são as músicas brejeiras. Foi casada com o cantor Roberto Amaral, também do elenco da PRB-9. Neste vídeo ela interpreta a música “Pé de jambo” (Mário Vieira/Luis Alexandre). Esta música ela dizia que foi feita para ela, no quintal da sua casa no Ipiranga, em São Paulo, onde tinham plantadas muitas árvores frutíferas.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Confiram (acima) outras datas de lançamento.

 

 

Parabenizo aos autores - Thais Matarazzo e Valdir Comegno - por mais este trabalho de resgate da memória musical brasileira, colocando, novamente, no centro do palco, as talentosas cantoras do rádio paulistano e por proporcionar subsídios aos pesquisadores da área musical e ao público em geral. Abraços e sucesso a dupla.

 

 

 

 

***********

Fontes:

- Blog Memórias da Música Portuguesa no Rádio Brasileiro.

- Blog Thais Matarazzo.

- Site YouTube

- Facebook de Thais Matarazzo

 

***********

Exibições: 378

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço