AS ENCHENTES NO SUDESTE E O DILÚVIO ANUNCIADO

     foto do site;jornaloexpresso.wordpress.com              
Mais uma vez, a exemplo dos últimos 03 anos, o governo do Brasil não planejou para enfrentar as chuvas de final e início de ano na região Sudeste. 

Desta vez os estados mais afetados foram Minas Gerais, Espírito Santo e Rio de Janeiro, municípios alagados, pontes arrastadas, famílias desabrigadas e o que o governo faz? É o de praxe, e como acontece em  todos os anos: autoridades visitam os estados afetados, prometem recursos etc.  mais as providências, precisam ir mais além. 

Enquanto esses estados padecem com o excesso de chuva, no Sul a tão esperada chuva não apareceu e o sol castiga a produção dos alimentos e mais uma vez se repete no Sul e Sudeste os efeitos climáticos que o governo do Brasil, parece subestimar e deixar que isso seja resolvido entre a união dos trabalhos entre três ou quatro ministérios. 

Será preciso mais do que isso, não adianta reclamar de recursos que foram para este ou aquele estado, em detrimento de outros que mais precisam.  Depois destas tragédias anunciadas, o importante é o Brasil se preparar para enfrentar esses efeitos climáticos.

Sobre isso, escrevi no ano passado a respeito das enchentes no Sudeste, Nordeste e Norte e a estiagem no Sul do País. Leia a seguir o que foi escrito há exatamente 01 ano atrás.

                               O DILÚVIO ANUNCIADO

Uma cena bastante significativa, que uma moradora fez em seu celular das chuvas que desabaram sobre São Paulo, foi a de um morador de rua que na hora da enxurrada das águas, que inundava uma rua, ele sem se preocupar com o perigo de ser arrastado pelas águas, procurava retirar o lixo que impedia a passagem das águas para os bueiros.

Se todos tivessem esta mesma consciência e fizesse isso antes das chuvas, como também algumas autoridades que nada fazem com relação a situações de riscos, como casas em cima de barrancos e encostas ou em áreas totalmente de riscos, que as intensas chuvas pode provocar o desmoronamentos de terras e provocar tragédias como a de Santa Catarina que ninguém mais lembra e o da região serrana do Rio de Janeiro no dia 12/01/2011, onde o desabamento de encostas de morros e enxurrada de lama e pedras que rolaram dos morros, vitimou mais de 700 pessoas que perderam a vida e milhares de desabrigados.

O pior de tudo isto é que as pessoas só se preocupam com essa situação de risco na qual vivem milhares de famílias brasileiras e quando o pior já aconteceu. Os governos, federal dos estados, municípios e também a população brasileira, precisam entender que toda ação que seja uma ameaça a natureza, tem uma conseqüência em todos os sentidos de nossas vidas, e poderão desembocar num cataclismo como este que provocou estas tragédias que poderiam ser evitadas caso todos tivessem consciência de que agredir e desafiar com a ocupação desordenada do solo e não cuidar do meio ambiente no qual vivemos, poderão pagar um preço muito alto em função da causa e efeito, ou seja, a reação da natureza a agressão que sofre todos os dias.

Sobrevoar as áreas atingidas pela forças das águas, como fazem as autoridades, depois da tragédia anunciada pelo crescimento desordenado da ocupação do solo nas encostas ou dos transbordamentos dos rios é muito pouco para resolver este problema e servirá apenas para matérias jornalísticas do dia seguinte.

A situação esta chegando a um determinado nível, que é preciso que o governo federal possa viabilizar a criação de uma Secretaria voltada exclusivamente para prestar apoio aos estados e municípios que estão sofrendo com problemas provocados pelos efeitos climáticos, como a estiagem no sul e nordeste que todos os anos causam grandes prejuízos na produção agrícola do país, as enchentes no sudeste e sul que causou a morte de centenas de seres humanos e muitos desabrigados e as enchentes e secas dos rios amazônicos que nos últimos anos, tem castigado as populações da floresta.

 Os efeitos climáticos no Brasil, já causaram a morte de centenas de brasileiros, e desabrigado milhares de famílias em vários estados do país, proporcionando grandes prejuízos aos governos, estes fatos já mereceria por parte do governo federal uma atenção especial em relação a este assunto, aos quais governos do mundo inteiro, tem tido uma grande preocupação e buscado tentar se preparar para enfrentar esta realidade que todos temem mais, que o Brasil parece estar indiferente. 

Exibições: 460

Comentário de Maria Cássia D'Ambrósio em 10 janeiro 2012 às 0:04

Parece que vivemos em uma letargia absurda. Coisas a serem ditas ... e não são!

coisas a serem feitas... e não são!

coisas a não sentidas... e não são!

Coisas a serem vividas... e não são!

Hora de acordar a responsabilidade de cada um, inclusive a minha.

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço