A INCERTEZA NA PROGRAMAÇÃO DO THEATRO MUNICIPAL DO RIO DE JANEIRO. ARTIGO DE ALI HASSAN AYACHE NO BLOG DE ÓPERA & BALLET.

 



     Abaixo segue a programação oficial anunciada pela gestão de João Guilherme Ripper. Com sua demissão e o anuncio de Milton Gonçalves como novo presidente da Fundação Theatro Municipal do Rio de Janeiro ninguém sabe se esta será confirmada ou alterada. Até o presente momento nenhuma declaração oficial foi feita a respeito gerando incertezas em todos os profissionais envolvidos, principalmente em cantores líricos.
   Acontece mais uma vez no Brasil e pelo andar da carruagem esse fato se repetirá. É nomeado um diretor por mera indicação política, fato afirmado pelo secretario da cultura, sem a menor capacidade de gerir um teatro de grande porte. Dizer que na adolescência queria ser "cantor de óperas" não é currículo para gestão teatral. A classe de músicos e cantores que trabalham no Theatro Municipal do Rio de Janeiro não se manifesta, não emite uma única nota seja ela concordando ou discordando da nomeação.  
   Nas redes sociais raros são aqueles que defendem a nomeação. A imprensa especializada e independente fez sua parte, botou a boca no trombone contra a indicação com diversos artigos publicados em blogs e em diversas mídias. Exceto a Revista Concerto, esta como sempre se isentou de emitir uma opinião, divulgou a notícia e nada mais. Não vi nenhum doscríticos independentes de tão conceituada revista se manifestarem.
Ali Hassan Ayache


Programação: primeiro semestre de 2017.


ÓPERAS
  • Abril: Dias 02 e 09, às 17h e dias 04 e 07, às 20h
JENŮFA – Ópera em três atos
Coprodução com a Companhia de Ópera Livre
Música: Leoš Janáček (1854-1928)
Libreto: Do compositor (Baseado na peça Její Pastorkyňa [Sua Enteada] de Gabriela Preissová)
Concepção e Direção cênica: André Heller-Lopes – Cenários: Daniela Taiana – Figurinos: Sofia di Nunzio – Desenho de Luz: Fábio RettiCoro e Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal – Direção musical e Regência: Marcelo de Jesus
Elenco
Jenůfa – Gabriella PaceKostelnička Buryjovka Eliane CoelhoLaca KlemeňEric HerreroŠteva BuryjaIvan JorgensenStarek e Prefeito– Vinícius AtiqueStarenka Buryjovka– Carolina Faria
Última ópera do compositor tcheco Leoš Janáček, que levou cerca de dez anos para concluí-la. Com libreto do próprio compositor, é baseada na dramática peça Její Pastorkyňa (Sua Enteada), da escritora Gabriela Preissová, que, em linguagem realista, trata do difícil tema do infanticídio. Será a estreia no Rio de Janeiro da versão original de Brno, de 1908, em coprodução com a Companhia Ópera Livre, na versão do diretor André Heller-Lopes.
  • Abril: dia 30, às 17h e Maio: dias 02 e 04, às 20h e dia 06, às 17h
UN BALLO IN MASCHERA – Ópera em três atos (1858)
Música: Giuseppe Verdi (1813-1901)
Libreto: Antonio Somma (1809-1864)
Direção de cena: Julianna SantosCenografia: Renato TheobaldoFigurinos: Elena ToscanoIluminação: Fábio RettiCoro e Orquestra Sinfônica do Theatro MunicipalParticipação: Coral Infantil da UFRJDireção musical e regência: Tobias Volkmann
Elenco
Gustavo (Ricardo) – Ricardo TamuraAmélia – Ângela MarambioUlrica – Ana Lúcia BenedettiRenato – Leonardo PáscoaOscar – Dafne BomsSamuel – Manuel ÁlvaresTom – Daniel Soren
Un Ballo in Maschera é baseada em libreto original de Eugène Scribe (1791-1861) intitulado Gustavo III ou Le Bal Masque. A história original se passa na Suécia em 1792, mas problemas com a censura italiana fizeram com que o libretista Antônio Somma (1809-1864) traspusesse a ação para a cidade de Boston, nos Estados Unidos, onde um fictício governador Ricardo, em meio a intrigas e conspirações, se apaixona pela esposa de seu fiel secretário Renato e é assassinado. Escrita em 1859, a ópera é uma das favoritas do público, onde Verdi nos oferece uma grande riqueza melódica, com árias apaixonadas e de grande poder dramático, em que não faltam imponentes cenas corais.
BALÉS
  • Abril: dia 13, quinta, às 20h
90 ANOS DA ESCOLA ESTADUAL DE DANÇA MARIA OLENEWA
LES SYLPHIDES– Balé em um ato (1909)
Música –Frédéric ChopinOrquestração – William McDermottCoreografia –Michel FokineAlunos da Escola Estadual de Dança Maria Olenewa
  • Junho: dias 08, 09, 15 e 16, às 20h e dias 10, 11, 17 e 18, às 17h
 O CORSÁRIO – Balé em três atos (1856)
Produção do Balett do Sodre de Montevidéu
Música:Adolphe Adam, com músicas adicionais de César Pugni, Léo Delibes e Ricardo Drigo.
Roteiro: Jules Henri Vernoy de Saint-Georges(1799-1875) e Joseph Mazilier (1797-1868), baseado em The Corsair [1814] de Lord Byron.
Coreografia:Anna-Marie Holmes (a partir de Konstantin Sergeyev e Marius Petipa).
Orquestração: Kevin GalieBallet e Orquestra Sinfônica do Theatro MunicipalRegência: Martin Garcia
Pela primeira vez no repertório do Ballet do Theatro MunicipalO Corsário inaugura a colaboração com o Ballet do Teatro Sodre de Montevidéu (Uruguai), envolvendo a troca de produções. A versão original estreou em 1856 na Ópera de Paris e, por seu alto nível de exigência artística, consta hoje no repertório de poucas companhias ao redor do mundo. O Ballet do Sodre, companhia sob a liderança artística do bailarino Julio Bocca, produziu a versão de 1998 da coreógrafa Anna-Marie Holmes para o American Ballet Theatre, que será remontada no Theatro Municipal. Ambientado em uma ilha, onde um navio pirata encalha após uma tempestade, o balé conta a fascinante história de amor entre o corsário Conrad e a escrava Medora e está repleto de ação, paixões e lutas, típicas das histórias de aventuras.
CONCERTOS E SÉRIES
  • Maio: dia 20, sábado, às 16h
Concerto Sinfônico
Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal do Rio de JaneiroSolista: Jean-Louis Steuerman (piano)
Regente: Neil Thomson
Programa:
  1. Sibelius (1865-1957) – Abertura Karelia op.10
  2. Rachmaninoff (1873-1943) – Concerto para piano no1
  • Junho: dia 04, domingo, às 17h
Série Villa-Lobos 130 Anos
Heitor Villa-Lobos é qualificado na literatura musical internacional como um dos mais importantes criadores do Século XX e o maior compositor brasileiro de todos os tempos. Para homenagear Villa-Lobos em seus 130 anos de nascimento, coros e orquestras do Rio de Janeiro se unirão em uma série especial de concertos ao longo do ano para oferecer ao público um grande panorama da imensa produção do compositor.
Orquestra CesgranrioRegência: Éder Paolozzi
Programa:
Bachianas Brasileiras no4;Bachianas Brasileiras no5;Choros 6.
  • Junho: dia 25, domingo, às 17h
Orquestra Sinfônica Nacional da UFFSolista: Sônia Rubinsky (piano)
Regência: Tobias Volkmann
Programa:
Bachianas Brasileiras no3 para piano e orquestra;
Naufrágio de Kleônicos (poema sinfônico);
Bachianas Brasileiras no7.
Julho: dia 09, domingo, às 11:30h
Coro e Orquestra Sinfônica do Theatro MunicipalSolista: Fábio Zanon (violão)
Regência: Tobias Volkmann
Programa:
Bachianas Brasileiras no2;
Introdução aos Choros;
Choros 10;
Mandu-Çarará (Cantata profana)
  • Julho: dia 15, sábado, às 16h
Orquestra Sinfônica da UFRJSolista: Nélson Freire (piano)
Regência: Roberto Tibiriçá
Programa:
Choros 9;
Momoprecoce para piano e orquestra
ÓPERA DE CÂMARA
  • Junho: dia 30, às 20h e Julho: dia 02, às 17h
O CAIXEIRO DA TAVERNA– Ópera em um ato (2006)
Música: Guilherme BernsteinLibreto: Adaptação do original de Martins Pena(1815-1848)
Solistas da Academia de Ópera Bidu Sayão
Foto Internet.

Exibições: 98

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço