José Barbosa da Silva (1888-1930), conhecido pelo apelido de Sinhô, é uma unanimidade quanto se trata de apontar o mais popular compositor de samba das primeiras décadas do século XX.

Frequentador assíduo dos principais redutos musicais da época – Festa da Penha, as sessões de capoeira, as batucadas da Praça Onze, as casas das tias baianas, inclusive tia Ciata -, foi gradativamente formatando seu estilo peculiar de criar melodias.

Teve amigos devotados e entusiastas, a exemplo de José do Patrocínio (conhecido como o boêmio Zé do Pato), Luiz Peixoto, Villa Lobos, Manuel Bandeira, Mário Reis, Augusto Vasseur e Álvaro Moreira, sem nunca ter abandonado as rodas da malandragem.

Foi o amigo José do Patrocínio o autor da ideia de fazer uma festa para coroar Sinhô o REI DO SAMBA. Tal festa não chegou a acontecer, mas a vaidade do compositor se apossou do título e a partir daí ele sempre se apresentou como se de fato ostentasse aquela fictícia coroa.

Que o samba é o ritmo emblemático do Brasil ninguém duvida, assim como que foi ouvindo as músicas de Sinhô que o Brasil aprendeu a gostar de samba. (Publicado originalmente AQUI).

Selecionamos algumas composições de Sinhô interpretadas por cantores contemporâneos ao homenageado e artistas da atualidade, a exemplo do Grupo Lira Carioca, Grupo Rumo, dos cantores/compositores Luiz Henrique e Clodo Ferreira, todos autenticando a modernidade da obra de Sinhô.

Amar a uma só mulher” (Sinhô [José Barbosa da Silva]) # Francisco Alves. Disco Odeon (10.119-B) / Matriz (146). Lançamento (fevereiro/1928).

Amar a uma só mulher” (Sinhô [José Barbosa da Silva]) # Lira Carioca. Álbum “É sim, Sinhô” / Volume 1 / 1999.

Amar a uma só mulher” (Sinhô [José Barbosa da Silva]) # Luiz Henrique. CD 2 - Um Sinhô Compositor – José Barbosa da Silva / Oito Décadas de Saudade, 2010. [Distribuição gratuita].

Gosto que me enrosco” (Sinhô [José Barbosa da Silva]) # Mário Reis. Disco Odeon (10.278-B) / Matriz (2003). Lançamento (novembro/1928).

Gosto que me enrosco” (Sinhô [José Barbosa da Silva]) # Lira Carioca. Álbum “É sim, Sinhô” / Volume 1 / 1999.

Gosto que me enrosco” / “Jura” (Sinhô [José Barbosa da Silva]) # Luiz Henrique. CD Um Sinhô Compositor – José Barbosa da Silva: Oito Décadas de Saudade / CD2- Sinhô Eu Canto Assim, 2010.

A favela vai abaixo” (Sinhô [José Barbosa da Silva]) # Francisco Alves. Disco Odeon (10.096-A) / Matriz (1441). Lançamento (janeiro/1928).

A favela vai abaixo" (Sinhô [José Barbosa da Silva]) # Lira Carioca. Álbum “É sim, Sinhô” / Volume 1 / 1999.

Jura” (Sinhô) # Mário Reis. Disco Odeon (10.278-A) / Matriz (2070). Lançamento (novembro/1928).

Jura” (Sinhô [José Barbosa da Silva]) # Lira Carioca. Álbum “É sim, Sinhô” / Volume 1 / 1999.

Não quero saber mais dela” (Sinhô [José Barbosa da Silva]) # Francisco Alves/Rosa Negra. Disco Odeon (10.100-A) / Matriz (1456). Lançamento (janeiro/1928).

Não quero saber mais dela” (Sinhô [José Barbosa da Silva]) # Lira Carioca. Álbum “É sim, Sinhô” / Volume 1 / 1999.

Ora vejam só” (Sinhô) # Francisco Alves. Disco Odeon (10.128-A) / Matriz (1506). Lançamento (fevereiro/1928).

Ora vejam só” (Sinhô) # Lira Carioca. Álbum “É sim, Sinhô” / Volume 2 / 2002.

Ora vejam só” (Sinhô [José Barbosa da Silva]) # Luiz Henrique. CD Um Sinhô Compositor – José Barbosa da Silva: Oito Décadas de Saudade / CD2- Sinhô Eu Canto Assim, 2010. [Distribuição gratuita].

Burro de carga” (Sinhô [José Barbosa da Silva]) # Mário Reis. Disco Odeon (10.387-B) / Matriz (218). Lançamento (maio/1929).

Burro de carga” (Sinhô [José Barbosa da Silva]) # Lira Carioca. Álbum “É sim, Sinhô” / Volume 1 / 1999.

O Grupo Rumo foi constituído em 1974 por um grupo de alunos da Escola de Comunicação e Artes da USP, liderados por Luiz Tatit. Com o surgimento da chamada "Vanguarda Paulista", consegue gravar seu primeiro LP em 1981. Em 1982 gravaram o LP “Rumo aos Antigos”, homenageando os compositores Noel Rosa, Lamartine Babo e Sinhô.

Não quero saber mais dela” (Sinhô [José Barbosa da Silva]) # Grupo Rumo: Akira Ueno (baixo elétrico), Gal Oppido (bateria), Geraldo Leite (afoxé), Hélio Ziskind (arranjo/xilofone), Na Ozzetti (voz), Paulo Tatit (arranjo/guitarra), Pedro Mourão (voz/coquinho). LP Rumo aos Antigos, 1982.

Deus nos livre do castigo da mulher” (Sinhô [José Barbosa da Silva]) # Grupo Rumo: Akira Ueno (cavaquinho), Gal Oppido (percussão), Geraldo Leite (voz), Hélio Ziskind (arranjo/sax alto), Na Ozzetti (claves), Paulo Tatit (arranjo/guitarra), Pedro Mourão (violão). LP Rumo aos Antigos, 1982.

Várias composições de Sinhô, em 2003, foram interpretadas pelo cantor/compositor piauiense Clodo Ferreira, radicado em Brasília, em show no Clube do Choro (capital da república).

Dois anos depois (2005) Clodo presta mais uma homenagem ao compositor Sinhô gravando o CD Clodo Ferreira interpreta Sinhô, em disco independente com arranjos da época que viveu o Rei do Samba. Infelizmente só encontrei um vídeo com qualidade técnica o qual compartilho com vocês.

Professor de violão” (Sinhô [José Barbosa da Silva]) # Clodo Ferreira (voz) / Alencar 7 Cordas (violão de 7 cordas) / João Ferreira (violão) / Duda Maia (bandolim), 2005.

Não é a primeira vez que abordo a trajetória do compositor José Barbosa da Silva, o Sinhô, nosso eterno Rei do Samba. Neste post nosso objetivo maior foi demonstrar a modernidade/perenidade da sua obra, nos dias atuais, onde jovens cantores e grupos interpretam suas composições.

Infinitas Vivas ao Nosso Eterno Rei do Samba!!

 

************

Fontes:

- Áudios SouldCloud/Montagem: Laura Macedo.

- CD Duplo “Um Sinhô Compositor / José Barbosa da Silva / Oito Décadas de Saudade”. Idealizado/gravado pelo cantor/compositor Luiz Henrique. Distribuição gratuita (2010).

- Dicionário Cravo Abin da MPB / Verbete Sinhô (AQUI).

- Fotomontagem: Laura Macedo.

- Nosso Senhor do Samba. Edigar de Alencar. Edição Ilustrada. Editora Civilização Brasileira. - Rio de Janeiro, 1968.

- Post de Laura Macedo: “Sinhô: 80 Anos sem o Rei do Samba” (AQUI).

- Site #Radinha - Áudios.

- Site YouTube /Vídeos/Canais: “Public Tutorials”, “Adilson Flávio Santos”, “LATO SENSU”, “luciano hortencio, “Canal de EstadodasCoisasCine”, “Canal de amigo1000”.

 

************

Exibições: 346

Comentário de José Carlos de Souza em 30 junho 2016 às 0:14

Sinhô foi o samba em "carne e osso" e muita inspiração. Parabéns, Laura!

Comentário de Laura Macedo em 30 junho 2016 às 21:47

José Carlos,

Grata pelo registro do seu comentário. Valeu!

Deixo pra você mais uma composição de Sinhô.

Abraços.

Fala meu louro” (Sinhô [José Barbosa da Silva]) # Mário Reis e Orquestra Radamés Gnattali. Disco Continental (16.455-A) / Matriz (2692). Gravação (22/08/1951) / Lançamento (outubro/1951).

Fala meu louro” (Sinhô [samba conhecido, também, como: “A Bahia não dá mais coco” / “Quem é bom já nasce feito” e “Papagaio louro”]) # Clara Sandroni/Marco Sacramento. Gravado no Álbum “É sim, Sinhô” – Vol. 1.

Comentário de José Carlos de Souza em 30 junho 2016 às 23:19

Sensacional! Obrigado, Laura! Abs

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço