A NECESSIDADE DO DIA DA CONSCIÊNCIA NEGRA E DE OUTROS

Hoje, 20 de novembro, é comemorado em nosso calendário o Dia Nacional da Consciência Negra. Essa homenagem a Zumbi dos Palmares, se opõe à Lei Aurea, assinada pela Princesa Isabel, que, "libertou" os escravos de uma situação e colocou-os em outra praticamente igual, pois, sem terra, sem casa, sem alfabetização, sem nada, os escravos ficaram pelas ruas e favelas até hoje.

Quisera não fosse necessario uma data como essa, assim como o dia da mulher, da criança, do idoso, dentre tantas outras datas. Como se observa, existem essas homenagens porque faltam no dia à dia o respeito e a dignidade que todos merecem; daí ter o Dia da Consciência Negra e outros tantos necessários para que ecoem como gritos por um mundo melhor e mais justo.

A humanidade ainda caminha em passos lentos para um dia ser de fato algo, que poderiamos dizer, evoluída. Não somos nada evoluidos, especialmente em se tratando de respeito aos demais; por isso tanto preconceito, ignorância e absurdos diversos, com os quais ainda temos que conviver por muitos e muitos anos.

O resultado das últimas eleições presidenciais deixou um legado triste, mas talvez necessário para que nos déssemos conta da nossa pequenez como seres humanos: o preconceito, a discriminação e a intolerância se escancararam; ficou mais claro aquilo que já sabíamos existir desde o começo da colonização; é que somos preconceituosos sim e ainda intolerantes, mas a direita, extremamente conservadora se mostra ás claras com suas atitudes preconceituosas, vide Mayara Petruso, Mário Prates e os jovens homofóbicos de São Paulo que agrediram outros jovens.

Antes inventaram o mito das três raças, a farsa do branqueamento, a cordialidade como forma dissimulada de preconceito e falsidade; mas, hoje em dia já não dá mais para disfarçar o preconceito, a intolerancia e o ódio que a elite conservadora carrega por tantos anos contra esse povo tido como "ninguém".

Somo sim brasileiro, formados pelo cruzamento das três etnias e vivemos ainda em grandes desigualdades, fruto do processo de colonização pelo passamos. A cada dia que surge mais e mais a caixa de Pandora se abre e mostra o que ainda teremosmos pela frente.

São muitos os desafios e ainda temos muito que ralar. Desse modo, não dá prá ficar parado e simplesmente "olhando a banda passar"; é preciso lutar contra tudo aquilo que ainda nos impede de viver bem, de vivermos juntos.

Que num período bem próximo não precisemos mais de uma data para que alguém:(negro, branco, índio, mulher etc) seja visto como de fato deve ser; somos todos uma única raça, somos povo, somos gente, somos irmãos e isso está acima de qualquer coisa.

Exibições: 77

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço