Blog EntreMentes
Este peixe carnívoro (Serrasalmus rhombeus) de rios da bacia amazônica apresenta a mordida mais poderosa do reino animal. Outros animais, como o grande tubarão branco, a hiena e o jacaré podem ter mordidas mais fortes, porém menos poderosas quando consideradas o tamanho e o peso deles. Em relação a seu tamanho (20 a 37 cm), as mordidas da piranha negra podem superar até mesmo as mordidas de monstros pré-históricos como o Tyrannosauros rex e o megalodonte, o animal que precedeu o grande tubarão branco.
Músculos da mandíbula de tamanho extraordinária e um alavancamento modificado no fechamento da mandíbula permitem à piranha negra uma força de mordida equivalente a 30 vezes o seu peso corporal, o que é um feito inigualável no mundo natural.

How the black piranha has the most powerful bite of any animal in h..., MailOnline

Exibições: 754

Comentário de José Roberto Ferreira Militao em 28 setembro 2013 às 1:58

   Desculpe Dr. Paulo,

   Mas o link nos remete a ´black piranha´ portanto piranhas pretas que é a cor delas. A palavra ´negro´ aqui empregada não é sinônima de preto ´black´, pois é uma designação racialista, imputada aos pretos africanos para designar a ´raça inferior´. Seu emprego como sinônimo é uma involuntária adesão à liguagem racial desejada pelos ideais do racismo.

    A mesma objeção tenho feito em todas as traduções e versões de textos no Brasil quando em inglês está escrito ´black´ referindo aos afro-americanos ou africanos e no Brasil, a academia e os intelectuais sistematicamente traduzem como ´negro´, referindo-se à raça e não à cor das pessoas. Uma manipulação da linguagem visando naturalizar uma designação racial imprópria e lesiva à dignidade humana dos pretos e pardos.

Comentário de Paulo Gurgel Carlos da Silva em 28 setembro 2013 às 7:00

Obrigado pelo comentário, Sr. José Roberto.

Mas.

Piranha negra não é apenas um termo traduzido. É o nome pelo qual o peixe parece ser conhecido no Brasil.

http://www.cpt.com.br/cursos-criacaodepeixes/artigos/peixes-de-agua...

Aliás, <i>Serrasalmus rhombeus</i> tem como sinônimo científico <i>Serrasalmus niger</i>.

http://en.wikipedia.org/wiki/Redeye_piranha

E existe também a piranha branca.

Preta ou branca, ambas pertencem ao gênero <i>Serrasalmus</i> e não têm nada a ver com certo tucano (você não afirmou isto).

Um abraço.

Comentário de José Roberto Ferreira Militao em 29 setembro 2013 às 16:06

  Dr. Paulo,

  O senhor insiste e não compreende essa linguagem racista que emprega: Piranha preta está correto e piranha ´negra´ é uma linguagem racialista. Os próprios links que o senhor colocou se referem corretamente a piranha ´preta´. Preta ou branca é a cor dos pigmentos do peixo ou a cor da pele dos humanos. ´Negro´não é sinônimo de preto. ´Negro´ é definição de classificação racial outorgada pelos ideais do racismo. A ´raça negra´ seria a raça inferior, segundo o racismo.

   Enfim, ´negro´ não é sinônimo da cor preta.

Comentário de Paulo Gurgel Carlos da Silva em 29 setembro 2013 às 19:47

No dicionário do Aurélio:

Negro, adj. Que é de cor muito escura; preto; sombrio.

Negro, s.m. Pessoa da raça negra; preto.

Em "piranha negra", negra é adjetivo,significando que a piranha tem a cor muito escura, se comparada com a "piranha branca", que é de outra espécie.

A maior pigmentação da pele em nada inferioriza a piranha da primeira espécie com relação à da segunda.

A propósito, veja nos links abaixo o que eu acho do racismo:

Pandas contra o racismo

http://blogdopg.blogspot.com.br/2012/12/pandas-contra-o-racismo.html

Uma pessoa desagradável

http://blogdopg.blogspot.com.br/2013/08/uma-pessoa-desagradavel.html

Tributo a Charles Darwin (slide 9)

http://blogdopg.blogspot.com.br/2011/08/tributo-charles-darwin.html

Comentário de José Roberto Ferreira Militao em 1 outubro 2013 às 1:30

     Doutor Paulo,

     Inicialmente receba meus comentários com o devido respeito. Quem é estudioso como o senhor merece a minha atenção pois tuas opiniões e forma de expressão influenciará a muitos.

     Por isso, visando encerrar esse diálogo, teço mais esses comentários.

     De fato os dicionários em geral reproduzem também os vícios de linguagem. A realidade é que foram os ideais racistas que designaram as pessoas de cor ´preta´ como pertencentes à ´raça negra´ conforme diz o Aurélio.  Nós afro-brasileiros jamais nos identificamos com essa designação de ´raça negra´, aliás, nos EUA e África do Sul, por exemplo, chamar um preto de ´negro´ é altamente ofensivo.

      Portanto, no caso em debate, o emprego de piranha ´negra´ é um vício de linguagem que tem fulcro na cultura racialista dos séculos 18 e 19. Nenhum estudo científico sério chama as piranhas ´pretas´ (black) como sendo piranhas ´negras´ - que é uma nefasta definição de ´raça´ humana.

      No post dos ´Pandas´ o senhor utiliza a designação correta: " Nós somos brancos, pretos e asiáticos (amarelos).", pois isso significa apenas a cor da melanina na pele. E poderia também ser: nós humanos podemos ser europeus, africanos, americanos ou asiáticos uma reverência à origem continental sem nenhuma alusão à origem ´racial´.

      Parabéns pela homenagem a Charles Darwin. A propósito em sua passagem pela Bahia ficou horrorizado com o que viu do tráfico escravista. Ao sair da costa baiana escreveu em seu diário: "Nunca mais pisarei numa terra em que tanto se degradam a seres humanos." . Depois, recusou-se a retornar à Bahia preferindo hospedar-se em pensões no Rio de Janeiro onde ficou residindo sem o conforto do Beagle que retornou até a Bahia sem o ilustre passageiro.

http://www.lpp-buenosaires.net/olped/acoesafirmativas/exibir_opinia...

     De seu lado, a parábola dos passageiros amplamente divulgada, emprega a viciada linguagem racista: "Eu não posso sentar aqui ao lado deste homem negro".       
         A propósito, os milhões de escravos no Brasil, resistiram por séculos ao perverso regime e se organizam em milhares quilombos, associações, Igrejas, Clubes e Cemitérios: Eram Irmandades de Homes PRETOS ou PARDOS. A reverência cultural sempre foi para a MÃE PRETA e na liturgia religiosa ao PRETO VELHO e as terras ocupadas sempre foram e até hoje são conhecidas em todo o Brasil como TERRAS DE PRETOS. Veja, Doutor PAULO, em nenhum desses milhares de organizações sociais e políticas não há o registro de nenhuma. Disse NENHUMA associação de HOMENS ´NEGROS´, revelando com isso o repúdio e a recusa ao pertencimento racial da classificação racista de uma ´raça negra´.

         Pois bem, hoje o tal ´movimento negro´ a utiliza como designação racial e na defesa de direitos sociais segregados pela raça - cotas raciais - e o faz, por influência política da academia - e de milhões de dólares investidos pelas Foundacion´s norte-americanos visando criar uma elite de pretos/pardos defensores de critérios raciais que os americanos acreditam, sendo que nas academias pessoas cultas e intelectuais de renome insistem em designar os pretos e pardos como se fossem pertencentes à tal ´raça negra´, que nós, afro-brasileiros, repudiamos.

     Eis, pois, que estamos diante de uma grave manipulação antropológica e que tem sido também uma manipulação estatal. O estudioso investigador intelectual altera a voz do objeto de estudo: os pretos e pardos não se dizem ´negros´(conforme o IBGE) mas estão sendo contabilizados nos estudos acadêmicos como se pertencentes a uma classificação racial na condição de ´negros´.

      Enfim, é em respeito a importância de vossa voz e cultura é que faço tais observações. O senhor fica desobrigado de responder, podendo fazei-lo se o desejar, pois o objetivo não é travar uma polêmica na busca de um ganhador ou perdedor, mas o objetivo é de aprofundar a vossa preocupação com a linguagem racial que não deve ser alimentada.

abraços,

J.Roberto Militão,

ativista anti-racismo. E contra a ´raça´ estatal.


      

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço