A Revista do Lalau - Uma seleção de raridades, textos dispersos e inéditos de Sérgio Porto, o homem que inventou Stanislaw Ponte Preta e o país do Febeapá, organizada pelo jornalista e escritor Luís Pimentel, saiu do forno, pela editora Agir, em setembro próximo passado, mês que marca os 40 anos da morte de Sérgio Porto, ano do cinquentenário da bossa nova e o aniversário eterno do Festival de Besteira que Assola o País.


Segundo Luís Pimentel, Sérgio Porto não publicou, em vida, "A Revista do Lalau". Escreveu-a, no entanto, ao longo de toda sua vida, já que este volume reúne parte significativa da enorme produção que dispersou por jornais e revistas, palcos e estúdios de televisão, e que, por vários motivos, não chegou aos livros. Batizá-la "antologia" seria, no barato, empertigar um autor que conseguiu misturar, sempre com inteligência, mulheres e jazz, piadas e reflexões, samba e literatura. Tudo isso, sempre, com muita qualidade.


Sérgio Porto nasceu na cidade maravilhosa, em 1923, onde viveu plenamente seus 45 anos, atuando em várias frentes, como jornalista, radialista, televisista, publicitário e bancário. Criou personagens de ficção que ficaram registrados na história, como Tia Zulmira, Primo Altamirando e Rosamundo. Inventou as "Certinhas do Lalau" e registrou a ignorância nacional no "Festival de Besteira que Assola o País".

Em 1968 deu-se o corte prematuro em sua vida e nas páginas do romance "O transplante" que começara a escrever.

A Revista do Lalau é coisa séria. Para ser lida, quase sempre, às gargalhadas, nos diz Luís Pimentel.










Contra-capa do livro de Luís Pimentel, complementando as informações acima.



Vale a pena conferir, com certeza. Pretendo organizar alguns Posts, com o riquíssimo recheio da REVISTA DO LALAU.

Exibições: 186

Comentário de Gregório Macedo em 4 novembro 2008 às 0:05
Stanislaw transitou com desenvoltura por amplas vertentes da vida cultural carioca/brasileira.
Legítimo representante do jeito carioca de viver - inclusive pelo senso crítico sempre alerta, denunciando o festival de besteiras que assolava o país. Hoje, contaria com vários pratos feitos!
Comentário de Helô em 8 novembro 2008 às 20:31
Stanislaw é eterno, Laura!
Estou tentando descobrir se o Luís Pimentel que organizou o livro é o jornalista "novo" ou o "velho". Explico: ambos são escritores e jornalistas e o Luís Pimentel "velho" é um senhor talento! Está com 96 anos e ainda na ativa. Não que o outro, de 55 anos, não seja, mas admiro muito as pessoas mais velhas que ainda não penduraram as chuteiras! :)
Bjs.

P.S. Uma dica pra você usar nas tags. Ao usar nomes duplos, coloque-os entre aspas. Ex: "Laura Macedo", Luís Pimentel", etc e etc.
Comentário de Laura Macedo em 9 novembro 2008 às 3:00
Concordo com você que o Luiz Pimentel "velho" é um baita talento, mas quem organizou o livro foi o mais jovem.

Grata pela dica, eu realmente não estava sabendo usar as tags. Helô, você não imagina como sofro para fazer as postagens que tem muitas fotos, vídeos... Essa parte técnica ainda não domino bem. Mas acho que tenho melhorado um pouco quando comparo os primeiros posts com os mais recentes.

Recebi seu e-mail e cliquei na mensagem para responder e abriu-se aquela caixa na Comunidade que eu nunca tinha visto. Selecionei vc, escrevi o texto da mensagem e cliquei em "Send", mas ela não foi enviada. O que será que fiz de errado? Vc pode me dá uma luz nesse sentido?

Super beijo.

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço