23 abr. " A Revolta de São Jorge Contra os Invasores da Lua " com o grupo Tá na Rua nos Arcos da Lapa

O presidente do Sated, Jorge Coutinho, foi na tarde de sábado, 20 de abril, à Quinta da Boa Vista. Ali encontrou-se com dois amigos que têm trajetórias artísticas que os tornaram símbolos para a categoria. Coutinho bateu um papo com o ator e circense Marcos Frota, que comanda o Unicirco, e conversou com vários profissionais das artes cênicas que estavam no local.
No entorno do circo, localizado dentro da Quinta da Boa Vista, há vários quiosques. Num deles avistou e conversou com o diretor de teatro Amir Haddad, que o convidou para participar da festa em Homenagem a São Jorge, dia 23 de abril, a partir do meio-dia. " Teremos uma feijoada gratuita para quem chegar e a festa vai culminar com a apresentação do espetáculo A Revolta de São Jorge Contra os Invasores da Lua, com o grupo Tá na Rua", contou Amir, que dirige o grupo. A peça será encenada nos Arcos da Lapa.
O Tá Na Rua há trinta e três anos reflete sobre a realidade política, social e cultural da cidade do Rio de Janeiro e o papel do artista na sociedade. O grupo desenvolve uma arte que se faz e se produz para todos, sem distinção de classe e nenhuma forma de discriminação, podendo ocupar todo e qualquer espaço, com uma linguagem profundamente ligada ás raízes populares brasileiras, e mais especificamente à cultura carioca, com muito teatro e muita festa, levando um pouco das nossas crenças e da nossa ancestralidade.

Acompanhando o calendário litúrgico da cidade, estaremos apresentando no dia 23 de abril, o espetáculo “A Revolta de São Jorge Contra os invasores da Lua ou A Alegria de São Jorge com os Invasores da Rua”, cordel que narra a saga dos astronautas americanos e da fantástica viagem que fizeram pelo espaço infinito para chega na lua. Lá eles encontram com São Jorge, santo guerreiro, que resiste á invasão e luta com os astronautas, os expulsando de volta para a Terra.

São Jorge é o santo mais popular carioca. Em toda a cidade são muitas as procissões em sua homenagem. Neste dia, na Lapa, a Casa do Tá Na Rua, desde as 08:00h, estará com suas portas abertas, com uma intensa programação onde artistas e grupos de rua se apresentaram, celebrando e consagrando São Jorge como Padroeiro da Arte Pública.
OGUNHÊ!!!



Roteiro de apresentação dos grupos: 

Das 16:30h às 17:00h – Pascal e seu realejo (Abertura) 
Das 17:00h às 17:05h – Intervalo musical com Tá Na Rua
Das 17:05h às 17:20h – Teatro DioNizes
Das 17:20h às 17:25h – Intervalo musical com Tá Na Rua
Das 17:25h às 17:40h – Boa Praça
Das 17:40h às 17:45h – Intervalo musical com Tá Na Rua
Das 17:45h às 17:55h – Sabrina Ginga (Dança afro)
Das 17:55h às 18:00h – Intervalo musical com Tá Na Rua
Das 18:00h às 18:10h – Grupo Off-Sina
Das 18:10h às 18:20h – Intervalo musical com Tá Na Rua
Das 18:20h às 18:35h – Grupo AMC de samba e choro
Das 18:35h às 18:40h – Intervalo musical com Tá Na Rua
Das 18:40h às 18:50h – Wagner Seara (Palhaços)
Das 18:50h às 18:55h – Intervalo musical com Tá Na Rua
Das 18:55h às 19:05h – Edmilson Santini
Das 19:05h às 19:10h – Intervalo musical com Tá Na Rua
Das 19:10h às 19:25h – Gerusa Perna Seca
Das 19:25h às 20:30h – Grupo Tá Na Rua
Às 20:30h – Ordenação de São Jorge (Cortejo final – Todos participam)

Exibições: 456

Comentário de Delcio Marinho em 21 abril 2013 às 22:10

Você quer conhecer a História ?

http://saojorge.org/

Saiba a história do Santo Guerreiro

e acordo com a lenda de São Jorge, Jorge teria nascido na antiga Capadócia, que é uma região do centro da Anatólia que, atualmente, faz parte da Turquia. Quando criança, se mudou para a Palestina com sua mãe após seu pai morrer em batalha. Sua mãe, ela própria originária da Palestina, Lida, possuía muitos bens e o educou com esmero. Ao atingir a adolescência, Jorge entrou para a carreira das armas, por ser a que mais satisfazia à sua natural índole combativa. Logo foi promovido a capitão do exército romano devido a sua dedicação e habilidade — qualidades que levaram o imperador a lhe conferir o título de conde da Capadócia. Aos 23 anos passou a residir na corte imperial em Nicomédia, exercendo a função de Tribuno Militar.

Nesse tempo sua mãe faleceu e ele, tomando grande parte nas riquezas que lhe ficaram, foi-se para a corte do Imperador. Jorge, ao ver que urdia tanta crueldade contra os cristãos, parecendo-lhe ser aquele tempo conveniente para alcançar a verdadeira salvação, distribuiu com diligência toda a riqueza que tinha aos pobres.

O imperador Diocleciano tinha planos de matar todos os cristãos e no dia marcado para o senado confirmar o decreto imperial, Jorge levantou-se no meio da reunião declarando-se espantado com aquela decisão, e afirmou que os romanos deviam se converter ao cristianismo.

Todos ficaram atônitos ao ouvirem estas palavras de um membro da suprema corte romana, defendendo com grande ousadia a fé em Jesus Cristo. Indagado por um cônsul sobre a origem dessa ousadia, Jorge prontamente respondeu-lhe que era por causa da Verdade. O tal cônsul, não satisfeito, quis saber: “O que é a Verdade?”. Jorge respondeu-lhe: “A Verdade é meu Senhor Jesus Cristo, a quem vós perseguis, e eu sou servo de meu redentor Jesus Cristo, e Nele confiando me pus no meio de vós para dar testemunho da Verdade.”

Como Jorge mantinha-se fiel ao cristianismo, o imperador tentou fazê-lo desistir da fé torturando-o de vários modos. E, após cada tortura, era levado perante o imperador, que lhe perguntava se renegaria a Jesus para adorar os ídolos. Todavia, Jorge reafirmava sua fé, tendo seu martírio aos poucos ganhado notoriedade e muitos romanos tomado as dores daquele jovem soldado, inclusive a mulher do imperador, que se converteu ao cristianismo. Finalmente, Diocleciano, não tendo êxito, mandou degolá-lo no dia 23 de abril de 303, em Nicomédia (Ásia Menor).

Os restos mortais de São Jorge foram transportados para Lida (Antiga Dióspolis), cidade em que crescera com sua mãe. Lá ele foi sepultado, e mais tarde o imperador cristão Constantino mandou erguer suntuoso oratório aberto aos fiéis, para que a devoção ao santo fosse espalhada por todo o Oriente.

Pelo século V, já havia cinco igrejas em Constantinopla dedicadas somente a São Jorge. Apenas no Egito, nos primeiros séculos após sua morte, construíram-se mais quatro igrejas e quarenta conventos dedicados ao mártir. Na Armênia, em Bizâncio, no Estreito de Bósforo na Grécia, São Jorge era inscrito entre os maiores santos da Igreja Católica.

Video

http://youtu.be/gXa-jLFXYrg

Considerado o Santo com mais devotos no Brasil, São Jorge, para os católicos e sincretizado na Umbanda com Ogum, sua história mostra porque é considerado o protetor vencedor de demandas.

Comentário de Delcio Marinho em 21 abril 2013 às 22:12

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2020   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço