A ÉTICA DE RAUL JUNGMANN ... ALVO DE UMA AÇÃO DE IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA ... FRAUDE EM LICITAÇÕES ...

 

A ÉTICA DE RAUL JUNGMANN

... ALVO DE AÇÃO DE IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA

POR FRAUDE EM LICITAÇÕES NO MINISTÉRIO

DO DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO, GOVERNO FHC.

terça-feira, 27 de setembro de 2011

A ética  de Raul Jungmann

 
14/01/2007
O que estão fazendo o       deputado RAUL JUNGMANN, o jornalista Ricardo NOBLAT
e o empresário       ROBERTO MEDINA na mesma notícia de escândalo?
BOMBA
Caiu como uma bomba a notícia de que o Deputado  Federal e ex-ministro do Desenvolvimento Agrário, RAUL JUNGMANN (PPS-PE) fora  alvo de uma ação de improbidade administrativa, por parte da procuradoria  Federal.Jungmann se notabilizou, como parlamentar, pela agressiva e contundente  defesa da ética e da moralidade pública. Favorável a cassação do Deputado José  Dirceu e de todos os Deputados que foram julgados culpados pelo conselho de  ética da Câmara, assim nos últimos anos, enquanto amealhava prestígio nacional,  agregava poderosos inimigos.
A acusação do Ministério Público Federal põe  Jungmann, quando Ministro, entre 1998 a 2000, encabeçando um esquema de desvio  de R$ 33 milhões de recursos públicos para o pagamento de contratos de  publicidade do Incra.
Acompanharia o deputado no delito mais oito  pessoas, entre elas, o publicitário Roberto Medina, proprietário da empresa  Artplan e organizador de todas as edições do Rock in Rio, e REBECA SCATRUT,  (foto ao lado), a esposa de NOBLAT, grife do maior blog político do país,  atualmente baseado na Globo.com.
Os procuradores da República José Alfredo de  Paula Silva e Raquel Branquinho afirmam na ação que "as provas colhidas revelam  de modo claro a existência de uma verdadeira estrutura ilícita, nos moldes de  uma quadrilha, destinada a dilapidar o patrimônio do Incra por meio de  sucessivos desvios nos contratos de publicidade”.
JUNGMANN disse-se surpreendido, pois figurava  na investigação como testemunha de uma das acusadas, nunca foi ouvido como  investigado, e afirma que as acusações contra ele são falsas, e está estudando o  processo para dar uma entrevista coletiva amahã, segunda-feira (15/01).
~o ~
26/09/2011
Investigação  contra ex-deputado Raul Jungmann volta para a 1ª instância
O STF (Supremo Tribunal Federal) enviou o  inquérito contra o ex-deputado federal Raul Jungmann (PPS-PE) e ex-ministro do  Desenvolvimento Agrário para a 1ª instância. Ele é investigado por supostas  fraudes à lei de licitações na época em que ocupava o cargo de ministro. Com a  decisão do ministro Luiz Fux, o processo irá para a 12ª Vara Federal do Distrito  Federal.
De acordo com os autos, o inquérito apura fatos  que configurariam crimes de fraudes a licitações, peculato e corrupção ativa e  passiva, em contratos de publicidade celebrados em 1998 e 2001 entre o Incra e  duas empresas de comunicação. Tais contratos seriam de responsabilidade do  ministro do Desenvolvimento Agrário, cargo ocupado por Jungmann à época dos  fatos.
O caso chegou ao STF depois que Jungmann foi  eleito deputado federal em 2006. Mas, com o fim do mandato em 2010, o Ministério  Público Federal manifestou-se pela cessação da competência do Supremo para  julgar o caso, pedido que foi acolhido pelo ministro Fux.
O ex-parlamentar ainda chegou a pedir o  arquivamento dos autos, uma vez que não teriam sido colhidos elementos  suficientes para instaurar ação penal. Esse pedido, contudo, explicou o  ministro, não pode ser apreciado pelo STF, uma vez que a Corte “não detém mais  jurisdição para este feito”.
Número do processo: Inquérito 2.531

Exibições: 166

Comentário de Ariston Álvares Cardoso em 30 setembro 2011 às 12:53
Eu em tempo algum acreditei na honestidade desse político inclusive durante a sua fase muitas vezes de arrogancia como é próprio dos chefões do PSDB/DEM, José Agripino e Cia

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço