Odete Amaral
* 28/4/1917 - Niterói (RJ)
+ 11/10/1984 - Rio de Janeiro (RJ)

 

Odete Amaral estreou, em 1935, na Rádio Guanabara, executando música de Assis Valente, muito bem acompanhada pelo violão de Pereira Filho. A partir daí passou por quase todas as emissoras de Rádio, atuando, também, no cinema, cassinos, teatros e discos.

 

 

Odete Amaral e o violonista Pereira Filho

 

Um ano após a estreia no Rádio, em 1936, gravou seus primeiros discos em 78 rpm com as músicas “Palhaço” / “Dengoso”, pelo selo Odeon e “Foi de madrugada” / “Colibri”, pela Victor.

 

 

 

 

 

 

Palhaço” (Milton Amaral/Roberto Cunha) # Odete Amaral. Disco Odeon (11346-A), 1936.

 

 

 

 

 

Colibri” (Ary Barroso) # Odete Amaral. Disco Victor (34120-B), 1936 (gravação) / 1937 (lançamento).

 

 

 

 

 

 

Na edição de 30/10/1937 da Revista Carioca, Odete Amaral falou de sua carreira:

 

 

 

"Nasci em Niterói. Comecei a cantar quando tinha três anos de idade. Estreei na Rádio Guanabara. Durante um ano conheci os microfones de todas as estações da cidade; durante outro ano, cantei exclusivamente para a  Rádio Cruzeiro do Sul. Contratada agora pela Nacional, pretendo que ela me prenda por muitos anos (...). O samba-canção é o gênero que prefiro. O cinema é grande, mas o rádio é maior. Alguma coisa mais?". 

 

 

 

 

Outras gravações da década de 1930

 

 

Ironia” (Ataulfo Alves/Alcebíades Barcelos) # Odete Amaral. Disco Victor (34262-A), 1937 (gravação) / 1938 (lançamento).

 

 

 

 

 

 

Não pago o bonde” (J.Cascata/Leonel Azevedo) # Odete Amaral. Disco Victor (34256-A), 1937 (gravação) / 1938 (lançamento).

 

 

 

 

 


Odete Amaral e o cantor Cyro Monteiro casaram-se em 1938 e fizeram história nos onze anos de duração do enlace que resultou em um filho que herdou o nome do pai.

 

 

 

Sucessos da década de 1940

 

Após o sucesso de "Ó seu Oscar", no carnaval de 1940, na voz de Cyro Monteiro, Ataulfo Alves e Wilson Batista compuseram este samba-resposta, na qual a mulher procura justificar a separação. Foi gravada justamente pela esposa de Cyro, Odete Amaral.

 

 

 

 

Mulher de Seu Oscar” (Ataulfo Alves/Wilson Batista) # Odete Amaral. Disco Victor (34602-A), 1940.

 

 

 

 

 

 

Sinhazinha” (Laurindo Almeida) # Odete Amaral. Disco Odeon (12343-A), 1943.

 

 

 

 

 

 

Destaques da década de 1950

 

 

Cachopa no frevo” (Waldir Azevedo) # Waldir Azevedo e Odete Amaral. Disco Continental (16472-B), 1951. (Obs: o nome de Odete Amaral não consta no selo do disco, mas nosso amigo/garimpeiro Luciano Hortencio descobriu que a voz é realmente da Odete Amaral).

 

 

 

 

 

 

Chiclete com banana” (Gordurinha/Almira Castilho/Jackson do Pandeiro) # Odete Amaral. Disco Polydor (258-B), 1958.

 

 

 

 

 

 

Mais interpretações de Odete Amaral na década de 1950.

 

 

 

 

 


 

Odete Amaral participou, em 1968, do antológico disco “Fala Mangueira”, com Cartola, Clementina de Jesus, Nelson Cavaquinho e Carlos Cachaça.

 

 

Sei lá Mangueira” (Hermínio Bello de Carvalho/Paulinho da Viola) # Odete Amaral (solo) 1968.

 

 

 

 

 

 

 

Em 1975, Odete Amaral participou da série “MPB ao vivo" irradiada pelo projeto Minerva, Rádio MEC, em cadeia nacional de emissoras, cantando os sucessos dos anos de 1930. A série de 30 programas deu origem a oito LPs criados por seu produtor Ricardo Cravo Albin.

 

 

Em 2011, foi lançado pelo selo Discobertas em convênio com o ICCA - Instituto Cultural Cravo Albin a caixa "100 Anos de Música Popular Brasileira" com a reedição em 4 CDs duplos dos oito LPs lançados com as gravações dos programas realizados pelo radialista e produtor Ricardo Cravo Albin, na Rádio MEC em 1974 e 1975.

 

 

Nesses CDs estão incluídas suas gravações para a marcha "Taí", de Joubert de Carvalho, o samba "Feitiço da Vila", de Noel Rosa e Vadico, e o samba-canção "Último desejo", de Noel Rosa. Confiram nos vídeos abaixo.

 

 

Taí” (Joubert de Carvalho) # Odete Amaral. Álbum: 100 anos de Música Popular Brasileira - volume 2. Gravação de 1974.

 

 

 

 

 

 

Feitiço da Vila” (Noel Rosa/Vadico) e “Último desejo” (Noel Rosa) # Odete Amaral. Álbum: 100 anos de Música Popular Brasileira - volume 2. Gravação de 1974.

 

 

 

 

 

 

 

Odete Amaral foi uma cantora de fundamental importância para a Música Popular Brasileira. Suas interpretações fortes e marcantes ajudaram a consolidar a obra de grandes compositores. Que a “Voz Tropical do Brasil” não seja esquecida e continue encantando as novas gerações.

 

 

 

************

Fontes:

 

- Dicionário Cravo Abin da MPB (Verbete Odete Amaral).

- Coleção 100 Anos de Música Popular Brasileira.

- Site YouTube (Vídeos).

- Site #Radinha (Áudios).

- Revista Carioca.

 

************

Exibições: 551

Comentário de lucianohortencio em 10 outubro 2014 às 19:16

A boa filha, depois de Europa, França e Bahia, à casa torna!!!

Comentário de lucianohortencio em 10 outubro 2014 às 19:19

Comentário de lucianohortencio em 10 outubro 2014 às 19:21

Comentário de Laura Macedo em 10 outubro 2014 às 21:03

Amigo Luciano,

Seus vídeos foram fundamentais na montagem deste post.

Abraços agradecidos da amiga de sempre.

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço