Portal Luis Nassif

O telefone da vizinha toca e era um certo João Gilberto. Havia gostado de seu estilo e chamava Alaíde Costa para participar de um movimento que mudaria a Música Brasileira. A moça tímida do Méier aceitou o convite para cruzar o simbólico túnel carioca que separa o subúrbio da Zona Sul. Nunca virou popstar, mas mantém desde a década de 1950 uma carreira artística impecável, sem deslizes.

Não foi convocada para o célebre concerto de Bossa Nova em Nova York em 1962, mas dois anos depois, no auge do movimento, arrancou urros do auditório do Teatro Paramount, o Carnegie Hall paulista, no show emblema “O Fino da Bossa” com a aveludada escadaria de agudos de “Onde está você?” [Oscar Castro Neves/Luverci Fiorini], seu maior êxito ao lado do dueto reformista com Milton Nascimento do samba “Me deixa em paz” [Monsueto/Airton Amorim], inserido no disco “Clube da Esquina”.

Onde está você?” (Oscar Castro Neves/Luverci Fiorini) # Alaíde Costa com acompanhamento de Cláudio Slon [bateria] /Hector Costita [flauta] / Oscar Castro Neves [piano] / Tião Neto [contrabaixo]. Álbum ‘Alaíde Costa – 1965’.

Me deixa em paz” (Monsueto Menezes/Airton Amorim) # Alaíde Costa/Milton Nascimento/Lô Borges, 1972.

Sua trajetória de intérprete requintada da Canção Popular lembra a da divina Elizeth Cardoso, que também começou nos dancings da vida e chegou ao Teatro Municipal. Elizeth cantou as ‘Bachianas’ de Villa-Lobos. Dirigida pelo maestro erudito Diogo Pacheco [foto abaixo], num repertório renascentista acompanhado ao alaúde por Carlos Barbosa Lima, o recital não poderia ter outro título: ‘Alaíde & Alaúde’.

Iniciada na peneira dos programas de calouros ainda aos 13 anos, Alaíde, que nasceu em 1935, começou a gravar 78 rotações em 1957 e, dois anos depois, estreava em LP já recheado de bossas novas como ‘Lobo bobo’, ‘Estrada branca’ e ‘Minha saudade’.

Lobo bobo” (Carlos Lyra/Ronaldo Bôscoli) # Alaíde Costa acompanhada por Orquestra. Disco RCA Victor (80.2076-B) / Matriz (13-K2PB-0618). Gravação (09/04/1959) / Lançamento (julho/1959).

Estrada branca” (Tom Jobim/Vinicius de Moraes) # Alaíde Costa. Álbum ‘Gosto de você’, 1959.

Composição de João Donato e João Gilberto, gravada por Alaíde Costa no álbum 'Gosto de Você' (1959). Em seu disco de estreia, Alaíde Costa mostra bem a influência de seu padrinho João Gilberto. Alaíde começou a cantar cantando canções dos mestres da Bossa Nova, ao lado de Agostinho dos Santos, Silvinha Telles, entre outros jovens cantores, mas aos poucos foi se afastando do movimento.

Minha saudade” (João Donato/João Gilberto) # Alaíde Costa. Álbum ‘Gosto de você’, 1959.

No segundo, no ano seguinte, um título definidor, Alaíde canta suavemente, e mais bossas: ‘Chora tua tristeza’, ‘Dindi, ‘Fim de noite’, ‘O nosso olhar’.

Chora tua tristeza” (Oscar Castro Neves/Luvercy Fiorini) # Alaíde Costa. Disco RCA Victor (80-2156-A) / Matriz (13-K2PB-0813). Gravação (06/11/1959) / Lançamento (janeiro/1960).

Dindi” (Tom Jobim/Aloysio de Oliveira) # Alaíde Costa. Disco RCA Victor (80.2230-A) / Matriz (13L2PB0972). Gravação (16/05/1960) / Lançamento (julho/1960).

Fim de noite” (Chico Feitosa/Ronaldo Bôscoli) # Alaíde Costa. Disco RCA (80.2230-B) / Matriz (13L2PO973). Gravação (16/05/1960) / Lançamento (julho/1960).

O nosso olhar” (Sergio Ricardo) # Alaíde Costa. Disco RCA Victor (80.2191-B) / Matriz (13-L2PB-0880). Gravação (16/02/1960) / Lançamento (abril/1960).

Vinicius de Moraes / Geraldo Vandré / Oscar Castro Neves / Hermínio Bello de Carvalho / João Carlos Assis Brasil / Alaíde Costa

Parceira de Vinícius de Moraes e Geraldo Vandré, entre outros, ela saiu de cena por problemas de saúde após o auge no meio dos anos 60. Voltaria na década seguinte em disco com o autor de seu maior sucesso, Oscar Castro Neves (1973), com o produtor e letrista Hermínio Bello de Carvalho (que também produziria ‘Rasguei a minha fantasia’, lançado em 2001) e com o pianista João Carlos Assis Brasil.

Rasguei a minha fantasia” (Lamartine Babo) / “Confete” (David Nasser/Jota Júnior) # Alaíde Costa, 2001.

Em ‘Amiga de verdade’ (1988), um coletivo de estrelas: Milton Nascimento, Paulinho da Viola, Ivan Lins, Egberto Gismonti. Milton produziu ainda ‘Coração’ (1976), com arranjos de João Donato. ‘Falando de amor’, gravado na Europa no começo dos anos 90, só sairia aqui uma década depois.

Amiga de verdade” (Gilson Peranzzetta/Aldir Blanc) # Alaíde Costa, 1988 [independente].

Coração” (Nelson Ângelo/Ronaldo Bastos) # Alaíde Costa, 1976.

Percalços na carreira de uma solista de estirpe que sempre preferiu a dissonância ao coro dos contentes.

 

************

Fontes:

- Dicionário Cravo Albim da MPB / Verbetes: Alaíde Costa AQUI.

- Fotomontagem: Laura Macedo.

- Tem mais samba: das raízes à eletrônica / Tárik de Souza – São Paulo: Ed. 34, 2003 / 344 p.

- Site YouTube/Canais: “alfeuRIO”, “anindya8q”, “Gilberto Inácio Gonçalves”, “#Rasinha”, “Legal Tender”, “luciano hortencio, “Marcelo Malonado”, Lost Songs of The Word”, “Ofício de Cantora”.

************

Exibições: 58

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2018   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço