Portal Luis Nassif

Jorge Fernandes (1907-1989) em seu começo de carreira, caracterizando-se pela dicção apurada e cuidadosa, especializou-se na interpretação de composições de inspiração folclórica. Em 1925, apresentou-se ao público pela primeira vez, acompanhando-se ao violão no salão do Hotel Silva, na cidade mineira de Cambuquira, interpretando composições de Eduardo Souto.

Enquanto Ataulfo Alves e Heitor dos Prazeres são considerados grandes nomes do samba e tem suas obras sempre apreciadas e estudadas, Jorge Fernandes ainda é um ilustre desconhecido. Poucos sabem que foi ele quem gravou pela primeira vez a canção “Meu Limão, Meu Limoeiro” retirada do folclore para as emissoras de rádios com grande sucesso na década de 1930.

 

Jorge Fernandes recebeu educação privilegiada com inclinação para as artes, era moço de família tradicional, se formou em arquitetura, mas possuía talento incomum para a escultura, arte a que se dedicou enquanto se tornava cantor de rádio. No início concorria com o sucesso de Carlos Galhardo e Silvio Caldas, mas diferente destes foi encontrar seu “estilo” primeiro na música folclórica e depois na música “de terreiro”, da qual gravou vários discos até a década de 1970.

Selecionamos algumas gravações de Jorge Fernandes. Confiram abaixo:

O dia que te conheci” (Aloysio da Silva Araújo) # Jorge Fernandes/Domanar. Disco Columbia (22.120-A) / Matriz (381230). Lançamento (maio/1932).

A ventura de um beijo” (Guilherme Pereira/De Chocolat) # Jorge Fernandes. Disco Victor (33.564-B) / Matriz (65489). Gravação (13/05/1932) / Lançamento (junho/1932).

Pierrô” (Joubert de Carvalho/Pascoal Carlos Magno) # Jorge Fernandes. Disco Columbia (22.080-B) / Matriz (381154). Lançamento (março/1932).

Dor” (Joubert de Carvalho) # Jorge Fernandes. Disco Columbia (22.122-B). Lançamento (junho/1932).

Marilena” (Joubert de Carvalho) # Jorge Fernandes. Disco Victor (33.661-B) / Matriz (65714). Gravação (20/04/1933) / Lançamento (junho/1933).

Minha terra” (Waldemar Henrique) # Jorge Fernandes. Disco Odeon (11.231-A) / Matriz (5036). Gravação (08/05/1935) / Lançamento (junho/1935).

Amor, brinquedo de criança” (Joubert de Carvalho/Olegário Mariano) # Jorge Fernandes. Disco Odeon (11.231-B) / Matriz (5037). Gravação (08/05/1935).

Gibi Bacurau” (Carolina Cardoso de Menezes) # Jorge Fernandes. Disco Odeon (11.366-A) / Matriz (5300). Gravação (26/03/1936) / Lançamento (julho/1936).

Maria Bonita” (José Carlos Burle) # Jorge Fernandes. Disco Odeon (11.512-A) / Matriz (5634). Gravação (30/07/1937) / Lançamento (setembro/1937).

Querer bem não é pecado” (Osvaldo de Souza) # Jorge Fernandes. Disco Odeon (12.338-A) / Matriz (7307). Gravação (04/06/1943).

Meu limão meu limoeiro” (Osvaldo de Souza) # Jorge Fernandes. Disco Odeon (12.338-A) Matriz (7307). Gravação (04/07/1943) / Lançamento (agosto/1943).

O mar” (Dorival Caymmi) # Jorge Fernandes. Disco Columbia (13.156-B) / Matriz (8987). Gravação (08/05/1951) / Lançamento (agosto/1951).

Melodias de Terreiro, Pontos e Rituais” é uma coleção de músicas gravadas por diversos artistas, lançada em Disco de 10 polegadas, pela gravadora Sinter, no ano de 1955.

O time neste pequeno disco da gravadora Sinter é “de peso”, sambistas da primeira linha como Ataulfo Alves e Heitor dos Prazeres com suas respectivas “Pastoras” puxam a fila. E contam com o apoio de uma orquestra completa arranjada e conduzida pelo mestre Léo Peracchi, que trouxe a esposa, Lenita Bruno, para pontuar com sua voz treinada nos salões de música erudita em duas faixas.

Para completar o time Jorge Fernandes, cantor de sucesso na época, infelizmente esquecido, comparece em quatro das oito faixas do LP.

Lenita Bruno e Léo Peracchi

Abaixo as quatro faixas gravadas pelo cantor/compositor Jorge Fernandes

Aruanda” (Jorge Fernandes/Léo Peracchi) # Jorge Fernandes. Disco Sinter (436-B) / Matriz (S-964). Lançamento (dezembro/1955).

Oxun-Maré” (Jorge Fernandes/Léo Peracchi) # Jorge Fernandes. Disco Sinter (436-B) /Matriz (S-964). Lançamento (dezembro/1955).

Jorge Fernandes

Congo” (J.B. de Carvalho/Ângelo Dantas) # Jorge Fernandes/Léo Peracchi/Lenita Bruno. Disco Sinter (436-B) /Matriz (S-964). Lançamento (dezembro/1955).

Ogum Yara” (Jorge Fernandes/Léo Peracchi) # Jorge Fernandes. Disco Sinter (436-B) /Matriz (S-964). Lançamento (dezembro/1955).

Na contra capa de “Melodias de Terreiro” há descrições detalhadas sobre as faixas e informações pouco comuns nos discos da época, como a data exata da gravação [Julho de 1955] e o nome dos técnicos que a fizeram - Armando Dulcetti e Roberto de Castro.

“Nesses cantos de origem litúrgica e sentimental, estão entrelaçados a poesia do europeu, em sua religiosidade católica, a súplica e o lamento dos negros africanos, sob jugo do cativeiro, e toda nobreza dos ameríndios, com sua índole guerreira e selvagem.” “... nesta fonte tão rica de motivos, que foram recolhidos, selecionados, ambientados, os pontos rituais, curimbas e danças que compõem este long-playing. Houve nesta escolha, o cuidado de agrupá-los e cruzá-los dentro da mesma força a que cada qual está ligado, evitando assim, o chamado “choque de forças”.” - diz o texto anônimo.

Oxum, Xangô, Ogum, Cosme e Damião, Crispim e Crispiniano, Pai Joaquim de Angola, Ogum-Yara, Yemanjá, Caboclinho da Mata... São os Orixás e personagens que desfilam nas letras das canções.

 

O Disco acima foi lançado em 1955. Compartilho duas faixas.

Rolete de cana” (Dilu Melo/Osvaldo Santiago) # Jorge Fernandes com direção musical de Léo Peracchi. Disco Sinter (455-A) / Matriz (S-924). Lançamento (março/1956).

Essa negra fulô” (Valdemar Henrique/Poema Jorge de Lima) # Jorge Fernandes.

JORGE de Oliveira FERNANDES
*05/06/1907 - Rio de Janeiro (RJ)
+19/03/1989 - Rio de Janeiro (RJ)

O objetivo desta postagem reside no resgate da vida/obra do compositor/cantor Jorge Fernandes, infelizmente, esquecido por muitos. Que esse pequeno resgate fomente outras homenagens a quem tanto contribuiu à Cultura Brasileira!

 

 

************

Fontes:

- Dicionário Cravo Albin da MPB / Verbete: Jorge Fernandes (AQUI).

- Fotomontagem: Laura Macedo.

- Canal YouTube: “luciano hortencio”, “Discos Raros de Umbanda e Candomblé”, “JOHN SMERIL”, “1000amigovelho”, “Pedro Salomao”, “Tralha Brasil”.

- Revista Carioca / Edição 00064 [capa] / 1937.

- Revista Fon Fon / Edição 0017 / 1938 / Edição 0027

- Site Bossa Brasileira (AQUI).

************

Exibições: 38

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2018   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço