Azenha, Aurélio e Vianna num bom debate sobre sucessão

Sucessão 2010

Li a análise que Rodrigo Vianna fez em seu excelente “Escrevinhador” sobre a sucessão presidencial, levando em conta os últimos resultados da pesquisa Ibope, descontado a tendência inescrupulosa de Montenegro.

E li o texto discordante de Aurélio, também publicado no Vi o Mundo do Luiz Azenha, a réplica de Azenha e a tréplica de Vianna. [...]

O debate democrático é salutar, mas é preciso lembrar aos contedores que a corrida presidencial de 2010 está polarizada entre PT e PSDB, e os demais partidos que lançarem seus candidatos o farão para fortalecer as legendas, apenas isso. É o caso de Marina Silva do PV e outros que ficarem de fora das coligações.

Rodrigo Vianna faz uma análise óbvia da atual conjuntura, e não há nada do que discordar, mesmo que o jornalista Aurélio não deixe de ter lá sua razão quando diz que "no mundo instantâneo de hoje, o ontem (tempo da pesquisa) já virou passado remoto" e Luiz Carlos Azenha quando diz que "é cedo - de fato - para que a maioria do eleitorado se posicione, mas lembra que os movimentos a essa altura são importantes e se voltam para o "público interno" (partidos, empresários que vão financiar campanhas etc.)"

Na realidade a discórdia, tanto de Aurélio quanto de Azenha consiste em detalhes técnicos, e não tem nada a ver com análise que Rodrigo Vianna faz sobre as prováveis coligações e candidaturas, ainda que, baseado nos números dançantes mensurados pelo Ibope de Montenegro, que Aurélio afirma serem descartáveis.

Também permito que discordem de mim, mas vou dizer o que acho da análise de Rodrigo.

O PT (assim como o PSDB) busca uma aliança nacional com o PMDB, partido que mais se fortaleceu nas ultimas eleições, e mesmo sabendo que o PT está vendendo a alma ao diabo, isto é fato.

Sobre os prováveis adversários, Aécio Neves é o mais difícil de combater, Serra já nasceu morto, não vai emplacar nunca, então pensemos na possibilidade do PT ter Aécio como adversário.

Aposto todas as minhas fichas nessa tese, mesmo sabendo que Aécio não logrará êxito pelo DNA tucano que carrega e inaptidão administrativa patente.

Ciro é lulista e anti-peessedebista confesso (pelo menos longe de Tasso) então pode ser uma nova Luizianne Lins, que não abriu mão de sua candidatura, derrubou o candidato apoiado pelo PT, Inácio Arruda, e foi pro segundo turno com o apoio que ela, uma petista, não teve no primeiro?

(Aliás, metemos o pau na liturgia do PSDB que detonou Lúcio Alcântara e, neste caso, fizemos o mesmo)

Sim, mas Ciro e o seu PSB devem fazer coligação com o PT, ainda que ele não seja o vice de Dilma por conta da coligação com o PMDB. Alguém demoverá Ciro da ideia de ser candidato à sucessão presidencial. Ululante.

Dilma é a candidata do Planalto, disto eu não tenho dúvida. E mesmo que os números não parem de dançar, eles são sumariamente importantes para que se montem as estratégias, inclusive de coligações.

Então, nesse caso, discordo do Aurélio e em parte do Azenha. As amostras representam sim, uma tendência do eleitorado, mesmo no mundo instantâneo de hoje e com possíveis manipulações.

Link para o original: http://www.bodegacultural.com/2009/09/azenha-aurelio-e-vianna-num-bom-debate.html

Exibições: 39

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2020   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço