Portal Luis Nassif

Na semana passada, assisti a uma cena inusitada: um casal de idosos caminhava pela calçada, abraçados, e de repente, deram um beijo na boca digno das grandes películas, e daqueles de causar vontade em qualquer um. Quantos casais, nos dias de hoje, não se dão mais ao luxo de um beijo ardente?

 

É certo que o desejo do primeiro ano de relacionamento não é tão intenso após um longo tempo de convívio. Mas manter a ‘chama’ acesa é algo primordial e uma prova de amor. O beijo do qual fui testemunha ocular me levou à seguinte reflexão: por que nos esquecemos dos momentos mais simples em detrimento ao enfadonho cotidiano materialista?

 

Assistir a um casal de idosos beijando de forma ardente enseja-nos a uma reavaliação. Não há qualquer conotação vulgar nesse beijo e sim, uma prova inconteste de que o amor pode suportar o implacável tempo.

 

No mundo do culto ao corpo e da busca incessante pela independência financeira, a afetividade perde para a frieza das relações interpessoais.

 

Enquanto o governo investe em campanhas de uso de preservativo em época de folia, ficando implícito que a troca de parceiro é mais do que natural, ainda existe um casal de idosos que superaram o tempo e o avanço da modernidade, cultivando o apego à intimidade a dois.

 

É gratificante ver representantes dignos de uma época em que o grande êxtase eram o entrelaçar das mãos, o colo para uma carícia rápida a pipoca no cinema da tarde.

 

As rugas, o corpo em desnível e o envelhecimento natural não foram capazes de privar aquele casal de um momento surpreendente e cultivado desde os anos de namoro.

 

Qual seria a receita para a manter a ‘chama’ acesa? Não sei. Mas estou convicto de que enquanto a legislação prioriza o atendimento aos idosos, muitos deles não se escoram nessas benesses para uma acomodação que seria natural. Eles estão investindo na vida a dois, dando uma verdadeira aula de comportamento afetivo.

 

Devemos investir nas interpessoais e não menos nas conjugais. Isso porque enquanto a mídia aflora a fugacidade dessas relações e o governo acompanha de forma automática, ainda podemos assistir a um casal que quebra o protocolo.atual.

 

Dito isso, fica a mensagem:  não devemos nos esquecer de que uma relação conjugal sólida rende frutos  formidáveis  à base familiar de onde provêm  nossas futuras autoridades.

 

Um abraço. E um beijo também,...

Exibições: 54

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2018   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço