Bispo sugere que mulheres só são estupradas quando querem

- Bergonzini militou por José Serra na última eleição

 

Bíspo de Guarulhos, Luiz Gonzaga Bergonzini, diz que mulheres mentem ao dizer que foram estupradas. Ele acusa que a mentira seria apenas para conseguir liberação da lei para pratica do aborto.

 

"Vamos admitir até que a mulher tenha sido violentada, que foi vítima... É muito difícil uma violência sem o consentimento da mulher, é difícil", comenta. O bispo ajeita os cabelos e o crucifixo. "Já vi muitos casos que não posso citar aqui. Tenho 52 anos de padre... Há os casos em que não é bem violência... [A mulher diz] 'Não queria, não queria, mas aconteceu...'", diz. "Então sabe o que eu fazia?" Nesse momento, o bispo pega a tampa da caneta da repórter e mostra como conversava com mulheres. "Eu falava: bota aqui", pedindo, em seguida, para a repórter encaixar o cilindro da caneta no orifício da tampa. O bispo começa a mexer a mão, evitando o encaixe. "Entendeu, né? Tem casos assim., do 'ah, não queria, não queria, mas acabei deixando'. O BO é para não facilitar o aborto", diz.


A posição do bíspo é um uma tentativa de dificultar o aborto nas cidades da grande São Paulo.

O bíspo Luiz Gonzaga é um claro exemplo da mistura de politica com religião, e usa de sua influência em fiéis para mudar votos e opiniões da massa. Como foi o caso de seu discurso contra a presidenta Dilma, em que ele fez "pregações" contra as intenções da candidata e espalhou folhetos por várias igrejas. Ato que resultou na derrota do PT na cidade de Guarulhos.

 

Vida em Órbita & Valor Econômico

 

Exibições: 236

Comentário de José Roque da Silva Neto em 15 dezembro 2011 às 18:04

Era o que faltava que opinião mais descabida, sem nexo. Essa coisa já tá gagá, interna!

Comentário de Edson José Santos Augusto em 15 dezembro 2011 às 21:21

As igrejas se transformaram em (ou sempre foram) instituições políticas fantasiadas de religião! É lamentável. Sou religioso, creio em Deus mas não em igrejas!

Comentário de Rogério Maestri em 15 dezembro 2011 às 21:43

Se eu fosse o repórter dava um soco no queixo do bispo e depois colocava a caneta na tampinha.

Comentário de Ariston Álvares Cardoso em 16 dezembro 2011 às 13:44
Esse bíspo de Guarulhos, Luiz Gonzaga Bergonzini que fez uma campanha anti cristã contra a Dilma e a favor do José Serra, deveria ser expulso da Igreja ou no mínimo punido severamente por ter se metido em assunto que é público e privativo da política à qual a Igreja deve manter parametros e respeitar o eleitorado brasileiro também fiel à Igreja. Ele foi imundo e mais corrupto do que o Serra porque mostrou ser comprado
Comentário de Rogério Maestri em 16 dezembro 2011 às 15:07

Inclusive Ariston, se não me falha a memória ou Paulo VI ou outro papa atual, fez uma bula papal interditando a qualquer religioso católico a se meter em Política Partidária. É inclusive passível de sérias punições.

Em resumo, além de ser machista, fora de sua época ele vai contra ao Papa!

Comentário de Rogério Maestri em 16 dezembro 2011 às 15:10

Em tempo, política sim, o proibido é a Política Partidária.

Comentário de Ariston Álvares Cardoso em 16 dezembro 2011 às 15:49
Perfeitamente Rogério, a Igreja deve ter muito cuidado na condução de seus fiéis e acima de tudo, saber respeitar a preferencia de seus seguidores, acho que o posicionamento desse bispo é realmente passivo de uma exclusão do quadro da Igreja católica cuja tradição é a conservação da família seja pertencente à quaisquer seguimentos da sociedade, não é mesmo?

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço