Bonfiglio de Oliveira e seu Trompete de Ouro

 

Bonfiglio de Oliveira

 

* 27/9/1891 - Guarantinguetá (SP)

+ 16/5/1940 – Rio de Janeiro (RJ)

 

Trompetista / Compositor

 

 

 

Considerado, ao lado de Pixinguinha e Luiz Americano, como um dos maiores instrumentistas de sopro de seu tempo, Bonfiglio de Oliveira, começou a aprender música com o pai, que era contrabaixista. Apaixonou-se pelo trompete, estudando esse instrumento com o maestro Acosta e, aos quinze anos de idade, passou a integrar a Banda Mafra. Também fez parte da Banda do Colégio São José de Guaratinguetá, onde estudava, e teve suas primeiras noções de regência e composição.

 

 

 

 

Em uma de suas apresentações no interior paulista (Lorena e Piquete) foi ouvido pelo maestro e violinista Lafaiete Silva – irmão do grande flautista Patápio Silva (foto ao lado) que o convidou para ir ao Rio de Janeiro e integrar a Orquestra do Cinema Ouvidor.

 

 

 

 

 

No Rio de Janeiro hospeda-se na Pensão Viana, onde conhece Pixinguinha, de quem foi amigo por toda vida, e conclui seus estudos de música no Conservatório Musical, tornando-se professor e, também, músico da Orquestra Sinfônica do Rio de Janeiro, sob a regência de Francisco Braga (foto ao lado).

 

 

 

 

 

 

 

Junto com Pixinguinha, Bonfiglio participa do Choro Carioca, do Grupo da Velha Guarda, da Orquestra Diabos do Céu e das Orquestras Typica Victor e Victor Brasileira, além do Jazz Band Os Batutas.

 

 

 

 

Da esquerda para a direita: Euclides de Araujo Sena (contrabaixo); Bonfiglio de Oliveira (trompete); Benedito Lacerda (flauta); Martins (piano); Donga (violão); Pedrinho (ritmo) e Pixinguinha (sax).

 

 

 

Como compositor Bonfiglio deixou cerca de cinqüenta músicas, dentre as quais se destacam o choro “Flamengo”, a valsa “Glória” e a marcha “Carolina”.

 

 

 

Flamengo” (Bonfiglio de Oliveira) # Conjunto Época de Ouro: Joel Nascimento [Bandolim Solo] / Dino 7 Cordas [Violão 7 Cordas] / Violão seis cordas [César Farias Violão de seis cordas] Jorginho do Pandeiro [pandeiro] Jorge Filho [Cavaco] Toni [Violão 7 Cordas].

 

"Glória" (Bonfiglio de Oliveira/Branca M. Coelho) # Gastão Formenti. Disco Columbia (22.025-B) / Matriz (381014). Lançamento (maio/1931).

 

 

 

 

 

 

Carolina” (Bonfiglio de Oliveira/Hervê Cordovil) # Carlos Galhardo

 

 

 

 

 

 

Bonfiglio teve, também, composições gravadas por grandes nomes como Francisco Alves, Mário Reis, Gastão Fomenti, Carlos Galhardo, Aurora Miranda, Nara Leão, Jacob do Bandolim, entre outros, e por Garoto (Aníbal Augusto Sardinha).

 

 

 

 

Composições de Bonfiglio de Oliveira sozinho e/ou em parceria.

 

 

 

Lembranças do Passado” (Bonfiglio de Oliveira) # Bonfiglio de Oliveira. Disco Victor (33.570A), 1932.

 

Mar da Espanha” (Bonfiglio de Oliveira/Rogério Guimarães/I.R. Evandro) # Bonfiglio de Oliveira. Disco Victor (33.570B), 1932.

 

 

"Saudades do Guará” (Bonfiglio de Oliveira) # Jacob do Bandolim  e seus Chorões, 1960.

 

 

 

 

 

Mariana” (Bonfiglio de Oliveira/Lamartine Babo) # Carlos Galhardo. Disco Columbia (8.121-A) / Matriz (3104). Lançamento (janeiro/1935).

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Originalmente gravada por Mário reis em 1934, a marcha “Mais uma estrela” – de Bonfiglio de Oliveira e Herivelto Martins – foi regravada por Nara Leão para a trilha sonora do filme ‘Quando o carnaval chegar”, dirigido por Cacá Diegues em 1972.

 

 

 

 

 

 

Na década de 1930, Bonfiglio de Oliveira ultrapassou as fronteiras do Brasil apresentando-se em cidades portuguesas com a Campanhia Jardel Jércolis, numa longa temporada. Com a Orquestra do Cassino Atlântico visitou a Itália, França e Espanha - quando foi apontado pelos críticos europeus como um dos maiores trompetistas do mundo.

 

Dez anos antes de sua morte ocorrida em 1940, Bonfiglio recebeu um trompete de prata com a seguinte inscrição em uma chapa de OURO:

 

 

Ao maior pistonista do Brasil, Bonfiglio de Oliveira, homenagem do Governo de Washington Luís”.

 

 

 

Hoje no seu 121º aniversário de nascimento homenageio o Compositor e Trompetista de Ouro – Bonfiglio de Oliveira, que através da sua arte atingiu a imortalidade.

 

 

 

 

************

Fontes:

- Um sopro de Brasil, de Myriam Taubkin (Org.). São Paulo, Projeto Memória Brasileira, 2005.

- Projeto Memórias Musicais: 15 CDs com a restauração de gravações feitas entre 1902 e 1950. Produção: Sarapuí / Biscoito Fino.

- Dicionário Houaiss Ilustrado (da) Música Popular Brasileira. Supervisão geral; Ricardo Cravo Albin. - Rio de Laneiro: Paracatu, 2006.

- Site #radinha

 

************

 

Exibições: 1020

Comentário de Gregório Macedo em 20 maio 2013 às 3:14

Fechei o domingo ouvindo todas as faixas. E satisfeito por, enfim, conhecer mestre Bonfiglio de Oliveira, trompetista e compositor. Programa assim é pra quem pode, viu?

Beijos.

Comentário de Laura Macedo em 21 maio 2013 às 21:21

Gregório, você é meu leitor/comentarista nº 1. Estou pensando em condecorá-lo com a medalha de ouro :)

Beijos.

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço