Portal Luis Nassif

A Rede Globo de Televisão apresentou na última sexta-feira (22 de fevereiro) matéria acerca do CAPS III (Centro de Assistência Psicossocial, Romeo Casarsa) gerenciado pela Prefeitura desta cidade por meio de repasses de verbas federais.

Aludida matéria expôs uma série de problemas que vão da natureza obsoleta do tratamento dispensado ao pacientes às precárias condições em que eles se encontravam, sem contar a falta de estrutura básica, inclusive de água potável.

O Secretário de Saúde de Campos, Dr. Geraldo Venâncio, em entrevista concedida à emissora global, noticiou que desconhecia o quadro em que se encontra o CAPS e que hoje (dia 25) designaria um agente público de sua confiança para avaliar a questão.

Inevitável afirmar que a situação é séria o bastante para uma resposta tão simplória não obstante tratar-se de um nobre e respeitável secretário e ex-vereador.

Isso porque são pacientes cujas vidas têm uma mazela psíquica que, por si só, já demanda uma atenção especial. Pessoas que sofrem diretamente as deficiências estruturais nas quais o CAPS III se encontra. Uma resposta muito objetiva para um problema tão complexo! 

Surpreendente, ainda, a alegação do aludido secretário no sentido de desconhecer os problemas do CAPS uma vez que tramita, junto à Segunda Vara Cível desta Comarca, Ação Civil Pública proposta pelo Ministério Público Estadual. Ação essa distribuída sob o nº 0011726-12.2009.8.19.0014, onde a Prefeitura de nossa cidade figura como ré.

Em acordo celebrado, nos autos da referida ação, uma das obrigações conferidas ao citado ente federativo foi a de manter o CAPS III em condições dignas de higiene, salubridade e segurança.

No entanto, as cenas exibidas, na última sexta (em cadeia nacional) demonstram total incoerência entre o discurso público de uma saúde quase perfeita e o retrato nefasto do CAPS. Não há posição governamental que justifique tal situação que somente foi levada a conhecimento público em virtude de uma “denúncia anônima".

Um problema desse porte vir à tona somente por meio de uma reportagem televisiva nos traz amargura e uma séria dúvida: se não fosse a matéria exibida teríamos conhecimento da situação vivida pelos pacientes do CAPS? Muito provavelmente não.

Como de costume, o deputado federal (marido da prefeita Rosinha) e ex-governador do Estado do Rio de Janeiro, Anthony Garotinho, saiu em defesa do governo municipal e noticiou, em seu blog, que a matéria versada sobre o CAPS III é uma retaliação da Rede Globo ao seu pronunciamento, no último dia 20, na Câmara dos Deputados Federais, onde ele (líder do PR) discursou acerca da Medida Provisória 582.

Segundo Garotinho, a Emenda apresentada pelo Senador Francisco Dornelles (PP - RJ) e já aprovada, garantirá às empresas de comunicação o direito de pagarem suas folhas de pessoal em apenas 1% no lugar dos atuais 18% de contribuição trabalhista. Ainda em seu discurso na Câmara, o nobre parlamentar criticou o fato de essas emissoras de rádio e televisão serem concessões públicas e ainda assim, terem como maiores clientes os governos estaduais, municipais e federais.

Ora, não há qualquer ligação subjetiva entre os efeitos de se criticar uma questão de ordem jurídica (Medida Provisória) e a exposição de uma indignante questão de ordem pública, que é a Saúde (nesse caso, o verdadeiro caos em que se encontra o CAPS III).

Ademais, o nobre Deputado Garotinho jamais foi inimigo da “Vênus platinada”. Seu argumento no sentido de se tratar de uma retaliação não merece prosperar. É mais uma estratégia a fim de se confrontar com a emissora, líder de audiência em todo o território nacional. Esse embate confere ao astuto morador da Lapa, discurso, palanque e lógico, muito espaço na mídia que (diga-se de passagem) ele sabe utilizar com maestria!

Ter um espaço, no grupo de comunicação da Família Marinho, é um sonho de todo político. No caso do ex-prefeito de Campos, a estratégia é a de Davi contra Golias. Ele não deseja uma aproximação radical, pois isso afetaria outros segmentos que o apoiam e são contrários às Organizações Globo. Por outro lado, quer pressionar a mídia maior em doses homeopáticas.

Ora ele vence na Justiça; ora é citado em uma ação louvável. Sabe que o poderio da Globo é respeitado e é sabedor de que referida emissora não compraria briga direta com um político detentor de mandato para que ele não se valha do fenômeno da vitimização.

Garotinho é inteligente e joga bem nessa seara. Vai bater sempre, pois a Globo, assim como ele, são assuntos que geram diversas matérias e, político sem uma vitrine está fadado ao ostracismo.

Com relação ao CAPS III, esperamos uma ação enérgica do Poder Público de Campos e que os responsáveis sejam indicados, indiciados, denunciados e julgados.

Ou teremos que esperar a Globo para sabermos o fim desse triste episódio?

Exibições: 79

Comentário de Clailton Kitter Ferreira em 27 fevereiro 2013 às 1:57

    ESTÃO UTILIZANDO A ANTI-PSIQUIATRIA (CONCEPÇÕES:FRANCO BASAGLIA, DAVID COOPER.) PARA O OPOSTO QUE COMBATIAM: A CAPILARIZAÇÃO EM UMA REDE INÓCUA QUE GANHA CAPITAL. HÁ 20 ANOS ESTIVE EM  RJ E ANDERA PELA CONTRA MÃO (RAUL SEIXAS0, RETRONEI PARA O RS E PASSADO 20 ANOS QUE RETORNEI AOS ACALOIDES POR CONSEQUÊNCIA DA MINHA EX-MULHER. PAREI DA PRIMEIRA E PAREI DA SEGUNDA. HÁ UM CONSENSO NOS USUÁRIOS SE NÃO HOUVER VONTADE, NÃO HÁ VITÓRIA. PRECISA DESCONSTRUIR O SENTIDO POR UM IDÊNTICO OU MAIS ELELVADO. ISTO É, DA FORMA QUE TU RECEBE UM SALÁRIO RAZOÁVEL E PODER DE COMPRA=SATISFAÇÃO=SEROTONINA=BEM ESTAR. NO LADO ESCURO O DEPENDENTE ABANDONARIA SE A DESCARGA FOSSE POR MOTIVOS DE REPERCUSSÃO. É HUGIENISMO - COMO O JORNALISTA DA ZERO HORA MARCO ROLIM SALIENTOU NA SUA COLUNA DOMINCAL. MAS PENSADO, CALCULADO, ARTICULADO POIS A COPA ESTÁ CHEGANDO. VAMOS VARRER O QUE NÃO GOSTAMOS PARA OS IANQUES, JAPONESES E ALEMÃES NOS OLHEM TRANQUILARMENTE E - QUEM SABE - DIGAM QUE POVO CIVILIZADO. SIM, ESQUECERAM DO TAPETE ALADIM.

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2018   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço