“CASA GRANDE”. A VISÃO DE DOIS MUNDOS EM CONFRONTO NUMA ECONOMIA EM DECADÊNCIA

Os capitalistas Tico e Teco voltaram a conversar sobre o mundo contemporâneo, acompanhados pela diarista Aparecida e pela filha Bytes, no dia 3  de maio de 2015, no Dia Internacional da Liberdade de Imprensa.

Tico: No dia de hoje a chanceler Angela Merkel compareceu à cerimônia que lembra o 70º aniversário da libertação do campo nazista de Dachau, no sul da Alemanha, mesmo diante das críticas de que seu governo participou de escutas ilegais feitas pelos Estados Unidos que monitorava basicamente a França. Ao lado de um deportado francês de 94 anos, Clément Quentin, a chanceler depositou flores diante de um antigo crematório na presença de dezenas de pessoas. "É um sinal de amizade franco-alemã muito importante para a paz na Europa depois da Guerra", declarou à AFP o sobrevivente Quentin. O presidente do Conselho Central de Judeus da Alemanha, Josef Schuster disse que a presença da chanceler e de outros sobreviventes significava um “símbolo de solidariedade”. Ontem, Merkel disse que a Alemanha tem "responsabilidade particular" no Holocausto, mas pediu respeito à soberania do país. "Nós, os alemães, temos a responsabilidade particular, a de estar atentos, ser sensíveis e bem informados sobre isto e sobre o que fizemos sob o nazismo", disse a chanceler. “Mas o ´Nunca mais!´ que a Alemanha prega desde 1945 significa também hoje velar para que nossos ideais e nossos valores sejam realmente respeitados", acrescentou. Merkel enfrenta uma crise política desde que o jornal alemão “Bild” acusou na semana passada a chanceler de ajudar os Estados Unidos a espionar a Europa. Segundo o maior diário do país, a Alemanha receberia informações privilegiadas do serviço secreto estadunidense se grampeasse o alto escalão da França, da Comissão Europeia e de empresas, como a Airbus. O “Bild” chamou de hipócritas as críticas feitas por Merkel no passado quando protestou ao saber que seu celular havia sido grampeado pela estadunidense NSA. "Quem esconde algo no escândalo do BND?", se perguntava o Bild, acusando Merkel. "Ontem continuava muda", comentou o jornal na semana passada. Na quinta-feira o jornal "Süddeutsche Zeitung" publicou que os serviços secretos alemães espionaram "funcionários de alto escalão do ministério francês das Relações Exteriores, do palácio do Eliseu e da Comissão Europeia". “Não sei o que aconteceu. As autoridades alemãs, incluindo os parlamentares, devem se encarregar disso, e veremos o que acontece", declarou o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, enquanto Paris afirmava manter "intensos contatos com os sócios alemães sobre esta questão". A Airbus afirmou que apresentará queixa-crime contra a suposta espionagem. A oposição alemã deu um prazo até a próxima quinta-feira para que o governo Merkel apresente a lista completa das personalidades e empresas espiadas pelos agentes alemães e cuja informação foi passada aos serviços secretos norte-americanos. Os partidos Verde e A Esquerda prometem entrar na Justiça caso o governo não venha falar publicamente sobre o caso.

Teco: No dia de hoje centenas de japoneses prestaram homenagem aos kamikazes em um antiga base do sudeste do Japão, de onde os pilotos decolavam para as missões suicidas. A multidão, na qual estavam familiares dos pilotos, se reuniu em Chiran, na ilha de Kyushi, a partir da qual voaram 439 kamikazes até o final do conflito bélico. Sob a chuva, rezaram em silêncio e depositaram crisântemos brancos diante de um monumento budista. "Juramos trabalhar pela paz sem esquecer dos duros sacrifícios dos jovens desaparecidos em missões suicidas", afirmou um homem de 84 anos que perdeu seu irmão, um piloto kamikaze. Na semana passada, o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, se encontrou com o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, para firmar uma aliança estratégica dos dois países na região Ásia-Pacífico. Na Casa Branca, os dois líderes reverenciaram o Memorial Lincoln (acima) e Abe foi o primeiro político japonês a discursar no Parlamento estadunidense. Na quarta-feira, ele expressou suas "eternas condolências" pelos estadunidenses mortos durante a Segunda Guerra Mundial. "Depois da guerra, nós nos comprometemos com um caminho, de fortes sentimentos e de profundo arrependimento em relação à guerra. Nossos atos fizeram sofrer os povos dos países asiáticos", acrescentou, admitindo o passado expansionista do Império Japonês. Momentos antes, Abe visitou o memorial da Segunda Guerra Mundial, no centro de Washington, quando depositou uma coroa de flores às vítimas da guerra. Na véspera, Obama definiu parceria dos Estados Unidos com o Japão como "indestrutível”. Hoje saudamos o primeiro-ministro Abe, à medida que ampliamos a aliança para o nosso tempo", disse Obama ao cumprimentar o líder japonês no gramado sul da Casa Branca, com uma pomposa cerimônia. "A nossa aliança é voltada para o futuro", acrescentou. Segundo ele, o fortalecimento da aliança entre seu país e o Japão não é uma provocação à China, mas, ao contrário, é algo que a "beneficia", assim como a toda região da Ásia-Pacífico. "Damos as boas-vindas a uma ascensão pacífica da China", ressaltou Obama, que admitiu, no entanto, que existem "tensões reais" entre os Estados Unidos e o país asiático, em particular em "assuntos marítimos". Japão e China disputam a soberania das ilhas Diaoyu/Senkaku, no Mar da China Oriental, e continuam enfrentados por divergências históricas relacionadas à invasão japonesa na Ásia. No discurso, Obama ressaltou que o "compromisso dos Estados Unidos com a segurança do Japão contempla todos os territórios administrados por esse país, incluídas as ilhas Diaoyu/Senkaku”. "Compartilhamos a preocupação sobre as atividades chinesas de construção e reivindicação de terras no mar da China meridional", afirmou. Sobre o Banco Asiático de Investimento em Infraestruturas, um projeto de entidade financeira multilateral liderada pela China, Obama disse que "não é certo" os Estados Unidos se oporem à participação de outros países nessa instituição.

Bytes: No dia de hoje terminou o racionamento de carne nos Estados Unidos devido à Segunda Guerra Mundial. O esforço de guerra levou à instituição de uma caderneta às famílias estadunidenses, dentro do qual havia uma oferta limitada de selos, representando a quantidade de comida que poderiam comprar. A carne era limitada a 1 kg por pessoa por semana. . Por exemplo, o presunto custava sete pontos, mas 450 g de bife poderia custar até 12 pontos. Quando as pessoas terminavam de cozinhar a carne, esperava-se que trouxessem a gordura que tinha saído da carne de volta para os açougueiros, para que a glicerina contida pudesse ser extraída e utilizada para fabricar explosivos. O primeiro produto a ser racionado foi o açúcar a partir de 1942 logo após a declaração de guerra como resposta à invasão japonesa à base militar estadunidenses de Pearl Harbor na Ásia. Uma das razões pelo racionamento do açúcar foi porque era impossível importá-lo do Havaí e das Filipinas já que esta rota de comércio foi interrompido pelo conflito entre Washington e Tóquio. Naquele tempo a propaganda dizia para o consumidor: "A comida é uma arma - não a desperdice!" O fim do racionamento de carne nos Estados Unidos ocorreu há 71 anos.

Aparecida: Por falar no relacionamento entre Washington e Tóquio, o que você achou do comunicado em conjunto dos dois países na segunda-feira informando que os Estados Unidos estão prontos para usar armas convencionais e nucleares para defender o Japão? Segundo a nota, os ministros de Relações Exteriores do Japão, Fumio Kishida, e o da Defesa, general Nakatani receberam com bons olhos o plano de Washington de enviar mais navios Aegis para a base naval de Yokosuka até 2017, assim como trocar o porta-aviões USS George Washington por um mais avançado, o nuclear USS Ronald Reagan, ainda este ano.

Bytes: O que podemos afirmar é que as armas nucleares estão presentes no sentimento japonês já que eles sentiram na pele o seu efeito. Para os capitalistas, meia palavra basta.

Aparecida: O que você achou da divulgação feita pela agência de notícias Reuters de o Japão planeja realizar patrulhamento aéreo do mar da China Meridional junto com os Estados Unidos? Segundo a fonte japonesa anônima, ainda não existe um plano completo, mas o Tóquio pode realizar patrulhamento conjunto com Washington, usando a ilha de Okinawa, que fica junto à área aquática do mar da China Meridional.

Bytes: Segundo Chen Shishun, presidente do Centro de Pesquisas do sul do Pacífico do Instituto de Pesquisas Internacionais da China, o Japão e os Estados Unidos não têm competências para o patrulhamento o mar da China Meridional. “Neste momento a liberdade de navegação e a segurança de comunicações marítimas na região são garantidas sem quaisquer problemas. Além disso, a resolução de questões em torno do mar da China Meridional é da competência dos países da Associação de Nações do Sudeste Asiático, é uma questão interna dos respetivos países da região. Os Estados Unidos e o Japão não fazem parte de tais países e não são obrigados a patrulhar esta região”, opinou.

Aparecida: A união entre Washington e Tóquio vai rachar os países da região Ásia-Pacífico ou provocar união entre países que temem a expansão militar japonesa do passado?

Bytes: O que podemos afirmar é que Obama está defendendo o projeto de livre-comércio na Ásia que tem oposição em seu próprio partido. A pré-candidata democrata, Hillary Clinton, se opôs à iniciativa, seguindo a posição de sindicatos estadunidenses, apesar de ter negociado o acordo enquanto era secretaria de Estado. Obama argumenta que o acordo será positivo, pois terá diretrizes mais fortes sobre padrões de trabalho e meio ambiente. Já os críticos apontam que esses aspectos foram de difícil cumprimento, no caso do Nafta. O acordo de comércio entre 12 países do Pacífico foi um dos assuntos tratados na reunião de Obama e Abe. O líder estadunidense esperava que o anúncio de um acordo bilateral poderia servir de incentivo para os outros países do Pacífico, mas há ainda entrave econômico para a sua materialização.

Aparecida: Por falar em entrave econômico, se na zona de livre comércio está difícil a área militar será mais fácil? Os japoneses comprarão armas da indústria bélica estadunidense assim como foi feito pela Polônia?

Bytes: O que podemos afirmar é que o presidente polonês Bronislaw Komorowski disse hoje que o desfile militar em Moscou que celebrará o fim da Segunda Guerra Mundial na Europa será uma manifestação de força. Para ele, a Parada da Vitória será "a imagem de um mundo instável". "Logo, em 9 de maio, a praça Vermelha em Moscou se transformará mais uma vez numa praça de tanques", disse Komorowski, durante as comemorações pelo Dia da Constituição, em Varsóvia. "O conflito militar nunca esteve tão perto da fronteira da Polônia como está hoje. A imagem do mundo agora é inquieta, instável. Nestas circunstâncias, precisamos construir a segurança da Polônia e pensar de nossos filhos", acrescentou. Ele disse que a Polônia irá reforçar a cooperação com Otan em todo o flanco oriental da Aliança. Recentemente, o chefe da diplomacia polonesa criou problemas diplomáticos com a Rússia após afirmar que o campo de concentração de Auschwitz foi libertado não por russos, mas por ucranianos, porque a operação foi conduzida pela Primeira Frente Ucraniana.

Aparecida: Por falar em guerra, a Noruega anunciou que pretende aumentar seu orçamento militar em até meio bilhão de dólares para melhorar sua capacidade de defesa na fronteira norte citando uma suposta "ameaça russa". Enquanto isso, o país aumenta a exportação de armas para os Estados Unidos em US$ 10 milhões. O que você acha?

Bytes: Segundo o jornal alemão “Frankfurter Allgemeine”, pela primeira vez desde a Guerra Fria, os comandos militares da Rússia e da Otan instalaram uma linha telefônica direta para o caso de um crise explodir. A iniciativa de criar uma linha direta foi do chefe da diplomacia alemã, Frank-Walter Steinmeier. No auge da Guerra Fria, durante a crise dos mísseis de Cuba, foi criada uma linha exclusiva entre Washington e Moscou chamada de “telefone vermelho”.

Aparecida: Por falar em escuta, a chanceler alemã pode cancelar sua ida a Moscou para depositar flores no monumento em memória do soldado desconhecido? Muitos líderes cancelaram alegando problemas domésticos como a presidente Dilma e o mandatário norte-coreano Kim Jong-un. A Merkel enfrentará no seu o país o mesmo dilema que houve no Brasil após denúncias de que a estadunidense NSA grampeou a Dilma e a Petrobras? 

Bytes: Merkel disse que estará em Moscou no dia 10 de maio, um dia após a celebração russa pela batalha que denominaram Grande Guerra Patriótica. "Temos discordâncias muito profundas com a Rússia, incluindo sobre os acontecimentos na Ucrânia. No entanto, para mim é importante colocar em 10 de maio uma coroa de flores, juntamente com o presidente russo, no Túmulo do Soldado Desconhecido, para prestar homenagem aos milhões de vítimas que pesam na consciência da Alemanha na Segunda Guerra Mundial… É muito importante", disse a chanceler em seu vídeo blog semanal postado na página do governo alemão.

Aparecida: Por falar em Alemanha, autoridades da Baviera divulgaram que motoqueiros do grupo “Lobos da Noite” estavam na fronteira para entrar no país. Eles estão percorrendo países que foram libertados pelos soviéticos na Segunda Guerra Mundial. Até o momento, as autoridades alemãs não confirmaram se eles já entraram no país ou se ainda permanecem do lado austríaco da fronteira. Mas órgãos de imprensa local afirmam que o grupo já teria chegado à cidade bávara de Bad Reichenhall. O objetivo dos “Lobos da Noite” é chegará até Berlim no dia 9 de maio, quando a Rússia comemora o Dia da Grande Guerra Patriótica levando mensagem de veteranos da Segunda Guerra. O que você acha?

Bytes: Na última terça-feira o líder do grupo de motoqueiros “Lobos da Noite” alertou que a “russofobia não vai terminar bem”. “Na véspera do Dia da Vitória, somos forçados a nos esconder, a visitar secretamente os túmulos de nossos antepassados", reagiu Alexander Zaldostanov, em entrevista coletiva na cidade bielorrussa de Brest. Antes da conferência, o líder do clube de motoqueiros leu uma mensagem de veteranos russos da Segunda Guerra Mundial dirigida aos ex-combatentes da Polônia, da República Tcheca, da Eslováquia e da Alemanha que se juntaram à luta contra o nazismo. Além disso, ele também agradeceu aos motoqueiros poloneses que assumiram o posto de controle fronteiriço entre Brest e Terespol, no lado polonês, para mostrar solidariedade com os russos barrados na fronteira.

Aparecida: Por falar em fronteira, o presidente da Bielorrússia, Alexander Lukashenko, garantiu, em pronunciamento no Parlamento na quarta-feira, que o país será sempre fiel à Rússia. A declaração foi após confirmar que não participará do Dia da Vitória em Moscou. Tanto a União Europeia quanto os EUA me entendem quando eu digo a eles que, se alguma coisa acontecer, a Bielorrússia vai estar ombro a ombro com a Rússia. Ela é nossa aliada. Permitam-me citar um exemplo: vocês se lembram dos bombardeios no Iraque? Alegou-se que armas nucleares haviam sido encontradas e Saddam Hussein foi enforcado. O mundo inteiro sabia que era injusto, que os EUA fizeram a coisa errada. Mas a Europa inteira e os países da OTAN apoiaram a América porque eles eram aliados. Todos devem ser informados de que nós sempre estivemos ao lado da Rússia e sempre estaremos. Nenhuma conversa ociosa acerca da Crimeia, nenhum desvio ou ajuste na política da Bielorrússia podem ser permitidos", disse Lukashenko. O que você acha?

Bytes: Apesar da pressão de Washington, o primeiro-ministro da Eslováquia, Robert Fico, confirmou que participará da celebração do Dia da Vitória e depositará flores junto com o presidente da República Checa, Milos Zeman. Em seguida os dois devem realizar conversas bilaterais em Moscou. Mas, segundo analistas, o grande problema da Europa tem um nome: Ucrânia.

Aparecida: E como pensa o governo dos Estados Unidos?

Bytes: Deu no jornal “O Globo” de 30 de abril de 1965, cuja manchete foi “Iminentes novas medidas dos EUA sôbre S. Domingos”: “Segundo notícia de Washington e France Press, está sendo esperada a qualquer momento uma informação oficial sôbre novas medidas a serem tomadas pelos Estados Unidos em conseqüência do agravamento da situação na República Dominicana, o que fez com que o Presidente Johnson convocasse ontem à tarde, na Casa Branca, uma reunião de seus principais conselheiros diplomáticos e militares. Na véspera, após determinação do presidente,  cêrca de 400 fuzileiros desembarcaram em solo dominicano para iniciar a evacuação de cidadãos norte-americanos naquele país. Em pronunciamento pelo rádio e pela televisão, Johnson disse que procedeu desta maneira após ter sido informado por autoridades militares que estavam em perigo vidas norte-americanas. O desembarque de tropas dos Estados Unidos começou depois de um dia de intensos combates em São Domingos. Os aviões da Força Aérea que apoiam a junta de Govêrno voaram sôbre a capital com fogo de metralhadora em um esfôrço para esmagar a tenaz resistência das forças leais ao Ex-Presidente Juan Bosch”. E mais: “Bilac Pinto lança na convenção da UDN apêlo para união em torno dos ideais e objetivos da Revolução. Em seu relatório aos udenistas reunidos em Niterói, o presidente do partido deu conta de sua atuação no cargo, salientando o papel que a UDN vem representando no País, para garantia das instituições democráticas e, em apêlo às forças que apóiam a Revolução, encareceu a necessidade de que estas se congreguem, para a realização dos ideais e objetivos que inspiravam o movimento de 31 de março”. E mais: “Do editorial ´Mensagem aos agitadores´. Não queremos crer que sejam maus brasileiros aquêles que hoje estão interessados em promover agitação no País. Preferimos acreditá-los brasileiros desviados do bom caminho. E é por isto que lhe dirigimos esta mensagem. Cremos que, apesar do êrro em que incidem, ainda estão em tempo de rever sua posição, ajustando-a aos interêsses da Pátria. Não lhes abríssemos êste último crédito de confiança, e os consideraríamos banidos da vida pública, por irrecuperáveis para o serviço do Brasil”.

Aparecida: Deu no jornal “O Globo” de 30 de abril de 2015, 50 anos depois: “Crise sem fim. Juro volta a subir e atinge a maior taxa desde 2008. Selic vai a 13,25%, patamar da crise global; BC sinaliza novos aumentos. Aperto monetário vai acentuar recessão e desemprego. Mas analistas avaliam que a medida era inevitável para contar alta da inflação, pressionada por tarifas e dólar. Empresários e sindicalistas criticam decisão. Senado aprova fim de sigilo em operações do BNDES. Sem ajuste, risco de rebaixamento volta a galope, diz Levy. Nem Mega-Sena é poupada; aposta ficará 40% mais cara”. E mais: “Só 14% vivem em países onde imprensa é livre. De acordo com o relatório da organização Freedom House, os níveis de liberdade de imprensa tiveram queda nos últimos dez anos e estão em seus mais baixos níveis. A piora de cenário no mundo – verificado também no Brasil – é atribuída a legislações baseadas na segurança, intimidação à mídia e ingerência de proprietários de meios de comunicação. Segundo a organização, jornalistas estão sofrendo pressões ´de todos os lados´. Entre os países com pior avaliação estão Coreia do Norte, Crimeia, Cuba e Irã. A Grécia registrou uma queda de 23 pontos desde 2010. Gregos protestaram contra fechamento de emissora em 2013”. E mais: “Confronto e feridos em protesto no Paraná. Estado e prefeitura divergem sobre número de vítimas em manifestação de professores. Segundo a prefeitura (PDT), 213 pessoas ficaram feridas, oito delas gravemente. Já o estado (PSDB), afirmou que foram 62 feridos, sendo 22 PMs. O conflito começou quando um grupo de manifestantes tentou invadir a Assembleia Legislativa no momento em que seria votada lei que muda regras da previdência dos servidores”.

Bytes: O jornal “O Globo” publicou o artigo da Monja Coen intitulado “O sagrado está à nossa volta”: “Por que alimentar a raiva se podemos alimentar o amor? Por que revidar o golpe se podemos amparar a mão e evitar a dor? O que se passa e o que não passa? O que fica atravessado — e o que atravessa o irado? Hoje, a ira é até coisa boa. Fiquei irado. Música irada. Show irado. Será que diríamos — Buda irado? Há nas tradições budistas algumas representações de entidades iradas. Parecem furiosas. Amedrontadoras”.

Aparecida: Por falar em ira, o que você achou do bate-boca entre o líder do PT no Senado, Humberto Costa, e o seu colega tucano Aloysio Nunes Ferreira? Costa cobrou dos parlamentares do PSDB que fizessem uma condenação ampla contra o episódio. Na troca de farpas, o ex-líder tucano lembrou outros episódios em que governos petistas também teriam se excedido, como o ex-governador Jaques Wagner, na Bahia, para conter manifestantes, inclusive professores.

Bytes: Segundo o colega gaiato lá da facû, se tivesse ocorrido no governo petista, a “imprensa velha” já estaria investigando até agora.

Aparecida: Por falar em imprensa, o que você achou do editorial “Mensagem aos agitadores” publicado há “meio século” pelo jornal “O Globo? ”

Bytes: Parece ter sido escrito por um “censor”, mas não havia ainda AI-5. O Estado de Exceção que gerou a ira. Para os capitalistas, meia palavra basta.

Aparecida: Por falar em ira, o projeto de terceirização ainda vai trazer revolta?

Bytes: Para nós, capitalistas brasileiros e contemporâneos, o mundo do trabalho passa por grandes evoluções. De Departamento Pessoal do passado, virou Recursos Humanos e hoje é Gerência de Talentos porque terá que lidar com a geração Y. Uma geração que se acostumou em viver “sob pressão” assim como é relatado nos filmes como “Jogos Vorazes” e “Divergente” no qual os espectadores juvenis saem com a expressão: “Irado!” Assim como no reality show “Cozinha sob pressão”, no SBT. Ouvi de um garoto; “Irado!”

Aparecida: Ah, entendi! Está escrito na “Boa Notícia” sobre o caminho de Emaus: E no primeiro dia da semana, muito de madrugada, foram elas ao sepulcro, levando as especiarias que tinham preparado, e algumas outras com elas. E acharam a pedra revolvida do sepulcro. E, entrando, não acharam o corpo do Senhor Jesus. E aconteceu que, estando elas muito perplexas a esse respeito, eis que pararam junto delas dois homens, com vestes resplandecentes. E, estando elas muito atemorizadas, e abaixando o rosto para o chão, eles lhes disseram: Por que buscais o vivente entre os mortos? Não está aqui, mas ressuscitou. Lembrai-vos como vos falou, estando ainda na Galiléia, 7 Dizendo: Convém que o Filho do homem seja entregue nas mãos de homens pecadores, e seja crucificado, e ao terceiro dia ressuscite. E lembraram-se das suas palavras”.

Tico: No dia de hoje manifestantes e forças de segurança entraram em confronto em Tel Aviv, durante um protesto de judeus etíopes contra o racismo e a violência policial em Israel. Dezenas de pessoas ficaram feridas e pelo menos 26 foram detidas. Agências de notícia internacionais afirmaram que as autoridades teriam utilizado bombas de efeito moral, gás de pimenta e canhões d'água para dispersar a multidão, que respondeu com pedras, garrafas e cadeiras retiradas de restaurantes das proximidades. De acordo com o ministro de Segurança Interna, Yitzhak Aharonovitch, a falta de uma liderança entre os manifestantes dificultou qualquer tentativa de diálogo. Segundo os manifestantes, os protestos foram motivados pela publicação de um vídeo na internet, nesta semana, mostrando um soldado de origem etíope sendo agredido por dois policiais israelenses, em mais uma demonstração de racismo e brutalidade policial. Através de um comunicado oficial, o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu prometeu que irá se reunir com representantes da comunidade etíope e com o homem espancado para discutir uma solução. Mas disse que não há espaço para tumultos como esse no país. Em entrevistas televisivas, ativistas disseram que lugar de policial violento é na cadeia e exigiram que as autoridades tomem alguma atitude concreta antes que Baltimore chegue a Israel, fazendo referência à violência que tomou conta da cidade norte-americana nos últimos dias. Ontem, Netanyahu advertiu contra onda de racismo contra os judeus na Tunísia. "Informações atualizadas indicam que há projetos de atentados contra alvos israelenses e judaicos na Tunísia", informou o comunicado, destacando que se tratam de "ameaças concretas". Segundo o comunicado, as ameaças estão vinculadas à proximidade da festa judaica do Lag Baômer, que este ano será celebrada em 7 de maio. Durante esta festividade, realiza-se a peregrinação à tumba dos grandes rabinos de Israel, mas também na Tunísia, sobretudo em Djerba, onde vive uma das últimas comunidades judaicas do mundo árabe. Todos os anos, milhares de peregrinos, vindos sobretudo da França e de Israel, se reúnem em Djerba. Em 11 de abril de 2002, um atentado contra a sinagoga de la Ghriba, atribuída à rede Al-Qaeda, deixou 19 mortos.

Teco: No dia de hoje o presidente da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, o republicano John Boehner, reconheceu que existe uma crise nacional como consequência da deterioração nas relações entre a comunidade negra e a polícia. O comentário foi feito durante entrevista ao programa “Encontro com a imprensa” da rede NBC ao ser perguntado sobre os fortes protestos pelas mortes de jovens negros em diferentes partes do país como Michael Brown, em Ferguson, no Missouri, Eric Garnet em Nova York, e o mais recente de Freddie Gray em Baltimore, que faleceu após estar sob custódia policial. Segundo Boehner, "os funcionários públicos não deveriam violar a lei" e disse que se as acusações de homicídio decretados pela promotora de Baltimore contra 6 policiais pela morte de Gray forem certas, “é degradante e inaceitável". Ele defendeu a iniciativa do governo do presidente Barack Obama de obrigar os policiais a usar câmaras de vídeo para que suas ações fiquem gravadas. Após o funeral na segunda-feira passada pela morte de Gray, de 25 anos, os protestos em Baltimore culminaram em uma noite de distúrbios e saques, com veículos e edifícios incendiados, fatos que obrigaram a prefeita da cidade a decretar um toque de recolher a partir das 22h, que foi cancelado hoje após a cidade ter retornado à calma com o indiciamento dos policiais. De acordo com a polícia de Baltimore, quase 500 pessoas foram presas e mais de 100 policiais ficaram feridos desde o início dos protestos na cidade, em 23 de abril. O porta-voz da polícia, capitão Eric Kowalczyk, disse que, com o fim do toque de recolher, os oficiais irão continuar concentrados em “zonas preocupantes” da cidade e monitorando possíveis protestos. Hoje um grupo de líderes religiosos organizou um encontro que reuniu centenas de pessoas perto da prefeitura de Baltimore. Em meio a orações e cânticos, os presentes voltaram a pedir por justiça no caso de Gray. O governador Larry Hogan anunciou que os 3 mil integrantes da Guarda Nacional de Maryland que haviam sido enviados a Baltimore já começaram a deixar a cidade.

Bytes: No dia de hoje foram registrados distúrbios em Los Angeles após quatro dias de protesto contra uma sentença judicial considerada "racista". Os distúrbios começaram no dia 29 de abril quando um júri absolveu oficiais do Departamento de Polícia de Los Angeles, três brancos e um hispânico, acusados ​​de agressão contra o motorista negro Rodney King após uma perseguição em alta velocidade. A agressão dos policiais foi filmada, o que levou milhares de pessoas a se revoltarem contra o veredito. Houve saques, assaltos, incêndios, assassinatos e danos materiais, num prejuízo estimado em US$ 1 bilhão. Ao todo, 53 pessoas morreram durante os tumultos e milhares ficaram feridas. Como a polícia local não conseguiu lidar com a situação após quase uma semana de protestos, o Corpo de Fuzileiros Navais e a Guarda Nacional da Califórnia foram chamados para patrulhar as ruas, e, no sexto dia após o início, os tumultos finalmente cessaram. Após o final dos protestos, uma profunda reforma na polícia de Los Angeles foi realizada, o que incluiu a demissão do chefe de polícia, e os policiais envolvidos foram novamente julgados. Há 23 anos.

Aparecida: Os distúrbios por causa de discriminação racial acabaram nos Estados Unidos? O senador Ted Cruz, pré-candidato à Casa Branca pelo Partido Republicano, culpou Obama por ter incentivado os protestos. "O presidente Obama, quando foi eleito, poderia ter sido um líder unificador", declarou Cruz durante sessão promovida pela Câmara de Comércio Hispânica dos Estados Unidos. “Em vez disso, segundo o candidato republicano, Obama tomou decisões que eu acho que inflamaram as tensões raciais, que nos dividiram em vez de nos unir", acrescentou. Ele exemplificou dizendo que o vice-presidente democrata disse a uma plateia de afrodescendentes que os republicanos iriam coloca-los "de volta nas correntes". Biden fazia referência à intenção da oposição de não apoiar a regulamentação do mercado financeiro. Na época, Obama saiu em defesa dos comentários de seu vice, os quais foram amplamente criticados pelo racismo implícito.  Cruz também citou um episódio de 2009 que ficou conhecido como "cúpula da cerveja", em que Obama tentou apaziguar os ânimos de uma nação enfurecida convidando um professor negro de Harvard para tomar uma cerveja nos jardins da Casa Branca com um sargento branco que havia prendido o professor em sua própria casa por “conduta desordeira”.

Bytes: O Bill, conservador republicano lá de Nova York, me escreveu no “Face”: “Está ficando cada vez mais claro os planos de Obama para provocar uma tensão no país com a ajuda dos negros e hispânicos. É hora de se discutir o impeachment do presidente que quer criar programas sociais para manter os democratas no poder. Quem viu as imagens de Baltimore se chocou (acima). Eu me lembrei do amigo carioca que me disse: ´A cidade vai tremer quando a favela descer´. O país está decadente com Obama que assaltou a Casa Branca por ter sido eleito pela esquerda com o discurso do multiculturalismo. A realidade é que em muitas escolas públicas os alunos estão sendo aprovados com nota 4. O que a opinião pública espera? A pauperização do país levar à violência? Ou a negada descer?”, disse ele numa tradução que fiz de “nigger” para a visão da Casa grande estadunidense sobre a produção de mão-de-obra escrava por ela não produzir riquezas. 

Aparecida: Por falar em violência, um morador de Baltimore justificou os distúrbios dizendo que “quando o desespero é ignorado, a ira começa”. Alguns analistas compararam os distúrbios a uma manifestação da truculência da “Tropa de Elite”, expressão da polícia carioca que gera resultados. O que você acha?

Bytes: Outros analistas lembram que Baltimore já foi considerado um dos motores econômicos dos Estados Unidos, mas que hoje vive uma história de pobreza e crime a explodir, algo que foi bem explorado pela série de TV “The Wire”. A atuação do Departamento de Homicídios de Baltimore nos anos 80 junto a um gueto dominado pelo tráfico de drogas. Os anos 80 também foram muitos retratados no filme “O ano mais violento”, de J. C. Chandor, sobre a violência em Nova York que compromete a defesa dos direitos humanos.

Aparecida: Por falar em direitos humanos, a Autoridade Palestina denunciou à ONU a violação de direitos infantis cometidos por Israel. O documento foi divulgado hoje pelo representante palestino perante a ONU, Riyad Mansour. Segundo ele, um menor palestino, de 7 anos, identificado como Ahmad Zaatari, acusado por lançar pedras num ônibus, esteve detido numa delegacia de polícia durante várias horas e foi interrogado sem a presença de seus pais. De acordo com o diplomata, tal experiência foi "horrorosa” e “traumática para qualquer criança de qualquer idade". Ele pediu à comunidade internacional que atue para "fornecer a proteção necessária às crianças palestinas". Segundo a Unicef, durante a ofensiva militar realizada no ano passado em Gaza, mais de 400 crianças palestinas morreram e 2,5 mil ficaram feridas nos bombardeios do Exército israelense. O que você acha?

Bytes: Segundo o Irã, os sauditas estão cada vez mais parecidos com os israelenses por causa da ação no Iêmen.

Aparecida: Por falar no Iêmen, a Human Rights Watch denunciou que a coalizão liderada pela Arábia Saudita que luta contra os rebeldes xiitas houthis está utilizando bombas de fragmentação fornecidas pelos Estados Unidos. Segundo a organização para os direitos humanos, o uso deste tipo de bombas é proibido por um tratado internacional, não assinado pelos dois países árabes e nem pelos Estados Unidos. Por meio de imagens de satélites, a HRW verificou que pelo menos um golpe de fragmentação foi feito em uma área de plantação. Este tipo de bomba é extremamente perigoso porque, quando atinge um alvo, espalha fragmentos em alta velocidade em várias direções, sendo muito letal. “Estas armas não deveriam ser utilizadas nunca, em nenhuma circunstância”, afirmou Steve Goose, especialista em armamento da organização. O que você acha?

Bytes: A ONU condenou os ataques no Iêmen afirmando que os alvos estão deixando o país totalmente cercado impedindo a entrada de produtos. É como se Gaza fosse repetir em território iemenita perto do golfo de Áden. Já o Pentágono desmentiu hoje que os ataques aéreos liderados pelos Estados Unidos teriam matado pelo menos 52 civis no norte da Síria no início da semana. Segundo a Defesa estadunidense, os mortos eram, na verdade, combatentes, negando a informação do Observatório Sírio dos Direitos Humanos, organização com sede em Londres.

Aparecida: Por falar em organização para os direitos humanos, a Anistia Internacional denunciou hoje que as autoridades egípcias estão usando os tribunais para coibir a prática do jornalismo. Em relatório que listou 18 repórteres e funcionários da mídia que foram presos e dezenas que enfrentam investigações criminais, o grupo de direitos humanos afirmam que o presidente  Abdel Fattah al-Sisi vem limitando a liberdade de expressão após a deposição do presidente Mohamed Mursi. "No Egito hoje qualquer um que desafia a narrativa oficial das autoridades, critica o governo ou expõe violações de direitos humanos corre o risco de ser jogado na cadeia, frequentemente com duração indefinida sem acusação ou julgamento", disse a Anistia. O que você acha?

Bytes: Nos Estados Unidos a imprensa divulgou que dois homens armados abriram fogo hoje contra policiais que faziam a segurança da entrada de um concurso de cartuns de Maomé. Houve revide e a polícia matou os atiradores. Segundo a polícia de Garland, no Texas, não se sabe ainda se o incidente tem relação com o concurso de cartuns provocativos de Maomé, que estava sendo realizado no local no momento do tiroteio. Nenhum policial se feriu gravemente. A Iniciativa para a Defesa da Liberdade norte-americana estava promovendo um concurso de US$ 10 mil ao melhor desenho do profeta Maomé. Segundo Pamela Geller, presidente da entidade, disse que o incidente mostra o quão "importante nosso evento era". O grupo presidido por Geller é conhecido por fazer campanha contra um centro islâmico localizado a poucas quadras do World Trade Center, em Nova York. Eles também compram espaços destinados à publicidade em todo o território norte-americano para fazer críticas ao islã.

Aparecida: E como pensa o governo dos Estados Unidos?

Bytes: Deu jornal “O Globo” de 28 de abril de 1965, cuja manchete foi “Lacerda em Belo Horizonte ameaça retomar a Revolução”: “Surpreendendo os meios políticos com a inesperada violência, o Sr. Carlos Lacerda disse, hoje, de madrugada, nesta capital, em declarações de apoio ao pronunciamento feito à noite pelo Governador Magalhães Pinto que, se a revolução não se definir, dizendo a que veio, êle está disposto a retomá-la como, afirma, fêz o Govêrno passado. Disse o Sr. Carlos Lacerda: Não compreendo como o Presidente Castelo Branco esteja se intrometendo na sucessão dos Estados, para atrapalhar, e se recusa a intervir para ajudar. Minas e Guanabara são os dois setôres decisivos para os destinos da revolução e onde elementos do Govêrno vem fazer provocações. Depois de denunciar a ação do Govêrno federal contra os governos de Minas Gerais e Guanabara, acrescentou o Sr. Carlos Lacerda que há uma união entre o governo dos dois Estados contra os atos hostis partidos da esfera federal. E frisou: Estamos ambos preocupados com os rumos que o Presidente Castelo Branco está dando ao govêrno revolucionário. Consideramos desastrosa a política financeira, que vem sendo executada por quem não tem nenhuma responsabilidade na revolução”. E mais: “Johnson renova proposta para conversações de paz no Vietnam. O presidente afirmou que estava à disposição de qualquer Govêrno, em qualquer momento e sem condições prévias, para discutir os meios para a pacificação do Vietnam. Contudo, disse que os Estados Unidos não cederão ante a agressão, e que a firmeza unida à moderação e à vontade de paz, mas sem recuos, constituirá sempre a política norte-americana no Vietnam”. E mais: “Do editorial ´A solução real´. A abertura de várias frentes de trabalho acaba de ser determinada pelas autoridades governamentais. Com a implantação destes fronts o poder público espera dar combate ao problema do desemprêgo que, em determinadas regiões do País, sobretudo em São Paulo e no Nordeste estaria assumindo proporções inquietantes. A impressão que nos transmite essa notícia é a de que o Govêrno se decidiu a aproveitar a lição de Roosevelt, de que se transformou símbolo a Tennesse Valley Authority. Ela consagra a absorção da mão-de-obra em grandes empreendimentos acionados pelo Estado, quando a desocupação humana atinge a nível de calamidade social”.

Aparecida: Deu jornal “O Globo” de 28 de abril de 2015, 50 anos depois: “Aperto no crédito. Compra da casa própria fica mais difícil. Após subir juros, Caixa exigirá entrada maior da classe média. Para financiar imóvel com preço acima de R$ 750 mil, cliente terá que pagar 60% à vista. Empresas preveem queda nas vendas”. E mais: “Cerco da Lava-Jato. Vaccari é denunciado por lavagem. O Ministério Público fez nova denúncia contra o ex-teroureiro do PT João Vaccari Neto que já é réu e está preso. Agora ele, o ex-diretor da Petrobras Renato Duque e o empresário Augusto Mendonça, do grupo Setal, foram denunciados por lavagem de R$ 2,4 milhões”. E mais: “Dilma desiste de falar no rádio e na TV no 1º de maio. Alvo de panelaço no último pronunciamento que fez na TV, a presidente Dilma desistiu do discurso que faria no Dia do Trabalho em cadeia nacional e falará apenas nas redes sociais. Em visita a Ribeirão Preto, o vice Michel Temer foi impedido de discursar diante de manifestação contra o PT e Dilma”.

Bytes: O jornal “O Globo” publicou o artigo do jornalista Arnaldo Jabor intitulado “A alma republicana”: “O mundo está mergulhado em crises sem solução, e isso provoca uma fome de simplismo e irracionalismo na política interna e externa dos países. O caos é hoje uma trágica novela sem fim, como vemos na TV: Islã virado em barbárie, Oriente Médio enterrado no lixo da primavera árabe, a miséria se afogando em barquinhos de borracha na costa da Itália, a progressiva impotência de Barack Obama nos Estados Unidos, sabotado pelo rancor até racista dos republicanos. A chamada “direita” (mesmo disfarçada de ´esquerda´, como no Brasil) renasce em todo o mundo sem barreiras de contenção. A América se prepara para um tempo de boçalidade e desprezo pela ´sensatez´ dos ´fracos e covardes´ democratas. A paranoia está de volta. O cowboy vingador já montou em seu cavalo de batalha. A verdade é que o americano médio tem a ´alma republicana´”.

Aparecida: O jornal “O Globo” tem a alma republicana?

Bytes: O que podemos dizer é que na ditadura militar ele defendeu as “lições de Roosevelt”, o uso do Estado para minorar a crise social. Algo que o PT chamou de “movimento anticíclico”. A defesa tinha uma justificativa plausível. Se o Estado não entrasse, a opinião pública iria gritar, principalmente com chances de revoltas no nordeste, o que só criaria condições para a entrega mais rápida do poder aos civis, corruptos e agitadores.

Aparecida: O que você acha da posição do Carlos Lacerda? É a do agitador? 

Bytes: Jango disse a Lacerda: “Prefiro a sua oposição porque você representa um segmento da vida nacional”. Foi durante as denúncias que a movimentação de militares tinha o objetivo de matar o governador da Guanabara a  mando do presidente. Um “remake” do atentado da Toneleros durante o governo Getúlio. Algo que gerou CPI e o Congresso produziu páginas e mais páginas, discussões em HORAS  e mais HORAS. Apenas TEMPO. Quando Lacerda apertou a mão de Jango em Montevidéu configurou-se o “espaço-tempo”. Mais tarde o ex-governador do Guanabara foi cassado pela “revolução” que ajudou a criar. O temor do Estado totalitário de Jango foi construído pelos militares.

Aparecida: Ah, entendi! Revelou Nosso Senhor Jesus Cristo aos seus discípulos: “Se naqueles dias os tempos não forem abreviados ninguém se salvaria, mas graças ao amor dos escolhidos, os tempos se abreviarão”.

Tico: No dia de hoje manifestantes fizeram um protesto contra a presidente Dilma Rousseff e o governador Fernando Pimentel durante a abertura oficial da Exposebu, a maior feira agropecuária do País. Com buzinas e apitos, cerca de 50 pessoas se reuniram no Parque Fernando Costa para o ato contra o governo do PT. O grupo trazia cartazes e faixas pedindo o impeachment da presidente. “Queremos barrar o discurso de quem é contra o Brasil. Protestamos na Agrishow e conseguimos que as autoridades federais não discursassem. A mensagem também foi dada em Uberaba. Tanto que o governo de Minas cancelou a visita na última hora”, disse André Rodini, do Brasil Limpo. Ontem, dezenas de manifestantes em Porto Alegre, vestindo camisas com dizeres contra a presidente e faixas pedindo seu impeachment, se reuniram com instrumentos musicais e megafone em frente a seu apartamento. Com um megafone, um homem imitava a voz do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e pedia para Dilma renunciar. Em coro, os descontentes também gritavam "Dilma sacana, devolve a minha grana". Alguns motoristas que passavam pelo local de carro buzinavam em apoio ao protesto, enquanto outros faziam sinal de negativo com a mão. Na véspera, durante ato promovido pela Central Única dos Trabalhadores em homenagem ao Dia do Trabalho, Lula criticou aqueles que pedem o impeachment e a “elite brasileira”, que, segundo ele, teme a sua volta ao Planalto. O ex-presidente avisou a quem chamou de “detratores” que vai percorrer o país para garantir a manutenção do governo. “Aos meus detratores, eu agora vou começar a andar o país outra vez. Vou começar a desafiar aqueles que não se conformam com o resultado da democracia”, declarou. Ele afirmou que não tem intenção de concorrer novamente ao governo, mas que cansou de provocações. “Eu estou quietinho no meu canto. Mas não me chame para a briga. Porque sou bom de briga e vou entrar na briga”. E acrescentou: “Eu não tenho intenção de ser candidato a nada. Mas está aceita a convocação”. A ira de Lula foi decorrente de reportagem publicada pela revista “Época” segundo a qual ele é alvo de investigação por tráfico de influência. O ex-presidente reagiu ao que chamou de insinuações de que seu nome apareça na Operação Lava Jato e disse que parte da elite tem medo de que ele volte a ser candidato à Presidência da República. Para ele, esse é um temor inexplicável. “Nunca ganharam tanto dinheiro como no meu governo”, afirmou.

Teco: No dia de hoje a Petrobras recebeu o prêmio OTC Distinguished Achievement Award for Companies, Organizations and Institutions durante a Offshore Technology Conference, o maior evento do mundo dedicado à área de exploração e produção de petróleo no mar. “A exploração e produção do pré-sal têm sido uma missão desafiadora, que estamos desempenhando em estreita colaboração com nossos parceiros, com os fornecedores e com a comunidade técnica e científica”, disse a diretora de Exploração e Produção da Petrobras, Solange Guedes, em seu discurso de agradecimento. Ela destacou que oito anos depois do anúncio de sua descoberta, o pré-sal já responde por mais de 20% da produção de petróleo da Petrobras no Brasil, mostrando média de produção em março de 672 mil barris de petróleo por dia. O recorde de produção diária de 737 mil barris foi obtido em 26 de fevereiro deste ano. Segundo a Agência Brasil, as tecnologias que permitiram à estatal ganhar o prêmio tiveram início há algum tempo, com a tecnologia de sísmica 3D de alta densidade, que permitiu criar um mapa de geologia dos reservatórios do pré-sal, que cobre uma área de 21,7 mil quilômetros quadrados. A empresa fez a maior campanha de perfuração e completação de poços em águas ultraprofundas, conseguindo reduzir em 50% o tempo de perfuração, em seis anos. A diretora destacou que para enfrentar os desafios representados pelo pré-sal, localizado a 300 quilômetros da costa, com profundidade total de até 7 mil metros e espessa camada de sal, foram desenvolvidas novas tecnologias que serão usadas por toda a indústria petrolífera global. “Percebemos que seriam necessárias soluções inovadoras para extrair petróleo desses campos de maneira segura, rentável e ambientalmente sustentável”, explicou Solange. 

Tico: No dia de hoje os Estados Unidos perderam sua bancada na Comissão de Direitos Humanos da ONU. A inesperada votação acabou com a tradição desde 1947 dos estadunidenses participarem desta comissão. Para ocupar as três cadeiras que representam o mundo ocidental, os 54 membros do Conselho Econômico e Social escolheram a França, Áustria e Suécia. A França conseguiu 52 votos sobre 53 votantes, a Áustria recebeu 41 votos e a Suécia 32. Os Estados Unidos receberam apenas 29 votos, ficando fora da disputa. Na Ásia foram eleitos representantes do Bahrein, Coréia do Sul e Paquistão. Na Europa Oriental os escolhidos foram Armênia e Croácia. Os africanos elegeram na Comissão Serra Leoa, Sudão e Togo, enquanto os latino-americanos o Chile e o México. Há 14 anos.

Teco: No dia de hoje nascia, há 89 anos, o geógrafo baiano Mílton Santos. Em função de suas atividades políticas junto à esquerda, Milton foi perseguido pelos órgãos de repressão da ditadura militar. Seus aliados e importantes políticos intervieram junto às autoridades militares para negociar sua saída do país, após ter cumprido meio ano de prisão domiciliar. Milton achou que ficaria fora do país por seis meses, mas acabou ficando 13 anos. Milton começa seu exílio em Toulouse, passando por Bordéus, até finalmente chegar a Paris em 1968, onde lecionou na Sorbonne, tendo sido diretor de pesquisas de planejamento urbano no Institut d'Étude du Développement Économique et Social. Permaneceu em Paris até 1971, quando se mudou para o Canadá. Trabalhou na Universidade de Toronto. Foi para os Estados Unidos, com um convite para ser pesquisador no Massachusetts Institute of Technology onde trabalhou com o ativista estadunidense Noam Chomsky. No MIT desenvolveu sua grande obra “O espaço dividido”. No livro, o geógrafo analisa o tema complexo do subdesenvolvimento e suas repercussões na vida das populações a ele submetidas, sobretudo nos comportamentos espaciais e suas leis numa situação de dependência. Santos elaborou para a ONU um trabalho sobre a pobreza urbana na América Latina. Suas ideias foram divulgadas no documentário “Encontro com Milton Santos”, de Silvio Tendler.

Tico: No dia de hoje morreu, há 534 anos, o imperador otomano Maomé II, o "conquistador". Foi o primeiro soberano otomano a reclamar o título de califa, o soberano supremo de todos os muçulmanos. Dois anos depois de subir ao trono em 1451, Maomé terminou com o Império Bizantino, ao capturar Constantinopla em 1453 e outras cidades Bizantinas da Anatólia e dos Bálcãs. A invasão de Constantinopla e campanhas bem sucedidas contra pequenas monarquias nos Balcãs, Crimeia, e territórios turcos na Anatólia conferiram-lhe respeito por parte das outras potências, passando o estado de Otomano a ser reconhecido como um império pela primeira vez. O avanço de Maomé em direção ao centro da Europa terminou com o mal sucedido Cerco de Nándorfehérvár, atual Belgrado, em 1456.

 Teco: No dia de hoje nascia, há 117 anos, a ex-primeira-ministra israelense Golda Meir. Nascida em Kiev, na Ucrânia, ela foi ainda pequena com a família para os Estados Unidos diante da repressão aos judeus na Europa. Emigrou para a Palestina no ano de 1921, onde militou no sindicato Histadrut e no partido trabalhista Mapai. Na criação do Estado de Israel, foi a primeira embaixadora israelense na extinta União Soviética, ministra do Bem-Estar Social até chegar ao cargo de primeira-ministra de Israel. Conhecida pela firmeza de suas convicções, a trabalhista esteve à frente em duas grandes frentes enfrentada pelo Estado hebreu: o atentado contra os atletas israelenses em Munique, na Alemanha, e na dramática Guerra do Yom Kippur, na qual tropas egípcias e sírias atacaram Israel, cuja população estava distraída pelas comemorações do Dia do Perdão judaico. David Ben-Gurion certa vez disse dela: "Golda Meir é o único homem do meu gabinete". Seu pensamento foi a civilização árabe-palestina foi reproduzida no filme “Munique”, de Steven Spielberg. A história é sobre o sequestro, morte e retaliação do serviço secreto israelense em atentados na Europa contra “financiadores” da guerrilha palestina.  

Bytes: Ontem eu fui assistir ao filme “Casa Grande”, de Fellipe Barbosa. A história é sobre uma decadente família carioca que sobrevive após o pai perder tudo na Bolsa, no caso nas apostas na petrolífera de Eike Batista, e seu confronto com o filho que deseja viver como se a Casa Grande ainda fosse próspera. A discussão entre os dois gera o questionamento para o mundo contemporâneo.

Aparecida: O filme é uma obra-prima?

Bytes: Eu espero pela trilogia para aplaudir. Ele pode produzir agora “A senzala” para explicar o que sobra para eles neste latifúndio.

Aparecida: E como pensa o governo dos Estados Unidos?

Bytes: Deu no jornal “O Globo” de 29 de abril de 1965, cuja manchete foi “Costa e Silva, enérgico”: “Em rápido encontro com a imprensa, em Brasília, o Ministro da Guerra abordou questões atinentes às eleições estaduais e presidenciais. Perguntado sôbre o que ocorreria se um candidato não cassado, mas que não seja bem visto pela Revolução, viesse a ser candidato, declarou: Vem aí uma lei que dará jeito nêles”. E mais: “Castelo vai fazer séria advertência, O presidente Castelo Branco vai pronunciar importante discurso político no próximo sábado, durante o ato de inauguração das novas obras da Usiminas. Informa-se de fonte chegada ao Govêrno que o Presidente vai fazer uma séria advertência ao comportamento de alguns setores do movimento revolucionário, situando-os, por sua radicalização, como ´coadjuvantes da obra destrutiva dos que foram atingidos pela Revolução´”. E mais: “Dean Rusk elogia o êxito obtido pelo Govêrno de Castelo Branco. Em um documento publicado ontem nesta capital, o Subsecretário de Estado, Dean Rusk, e outros funcionários norte-americanos elogiaram os Governos dos Brasil e do Chile pelo ´notável trabalho empreendido para dinamizar o programa da Aliança para o Progresso´. Referindo-se à situação brasileira, Dean Rusk assinalou: Antes de surgir no Brasil um nôvo Govêrno, em abril de 1964, o país estava gravemente ameaçado pela deterioração político-econômica que provocou crises constantes e crescente descontentamento popular. (...) Muito falta ainda ser feito, mas já foram dados os primeiros e mais difíceis passos´”.

Aparecida: Deu no jornal “O Globo” de 29 de abril de 2015, 50 anos depois: “Escândalos na Petrobras. STF libera empreiteiras e muda rumo da Lava-Jato. Acusado de chefiar cartel, Pessoa e mais oito vão para prisão domiciliar. Para investigadores do caso e advogados dos envolvidos, decisão do Supremo vai alterar estratégias e tornará mais difícil a obtenção de novas revelações e de acordos de delações premiadas”. E mais: “Combustíveis. Bendine vê preço justo na gasolina. No senado, o presidente vê preço justo na gasolina. No Senado, o presidente da Petrobras descartou novos reajustes da gasolina. Para analistas, porém, preço deveria subir” “Desemprego sobe. Queda na renda é a maior em 12 anos. A crise econômica afetou em cheio o mercado de trabalho. Segundo o IBGE, o desemprego nas seis maiores regiões metropolitanas de país subiu para 6,2%, a maior taxa para março desde 2011. A renda caiu 1,3%. Levando em conta a inflação, a perda nos rendimentos foi de 2,8%, a maior em 12 anos”.

Bytes: O jornal “O Globo” publicou o artigo do antropólogo Roberto DaMatta intitulado “A doença do Brasil”:“O Brasil é doente, diagnosticou o insuspeito ex-presidentre do Uruguai José Mujica, numa entrevista à BBC que O GLOBO repercutiu na sua edição do dia 24 do corrente. Para Mujica, com 80 anos e muitos quilômetros rodados na vereda política e tendo como norte a irmandade esquerdista latino-americana, a patologia nacional brasileira tem como centro o ´tráfico de influência´ que seria uma ´tradição´ do nosso sistema político. Concordo em gênero, número e grau com Mujica. Ele não leu o que tenho reiterado em livros e neste espaço, mas é exatamente isso que afirmo quando entendo que toda a cosmologia do Brasil se fundamenta nas relações pessoais e como essas relações são administradas”.

Aparecida: Qual é a doença do Brasil?

Bytes: Na visão da presidente Dilma, há no Brasil a cultura do patrimonialismo porque há “confusão entre o que é publico e é privado” que tem a “mesma idade da escravidão”. A declaração foi no 3º Festival da Juventude Rural, organizado pela Confederação Nacional da Agricultura. É uma visão mais para a Casa Grande. “Você sabe com quem está falando?” É completamente diferente da visão sobre a Senzala.

Aparecida: Por falar em Senzala, o que você achou da reportagem do “Jornal Nacional” sobre os roubos no Rio de Janeiro? Você acha que a divulgação das imagens ajudará o discurso da Austrália que argumenta que a cidade não tem segurança para sediar um evento como as olimpíadas? O seu Carlos comentou: “Londres já demonstrou interesse porque já tem todas as instalações”.

Bytes: Eu não gosto de falar sobre situações momentâneas. O governador disse que o Rio já demonstrou ser seguro para os grandes eventos. A cidade muda. Não podemos é censurar a liberdade de imprensa. O comentário é de que os roubos aumentaram. Antes da reportagem, um casal francês estava preocupado porque já viu muitos assaltos perto de onde moram, na Gomes Carneiro, em Ipanema. Comentaram: “Em Paris há muitos meninos roubando, mas eles não usam armas”. Mas cantou a serenata do poeta: “Basta lapidar o homem que o ladrão desaparece”.

Aparecida: Por falar em armas, qual será a melhor dela para acabar com as cracolândias. Em São Paulo houve confronto dentro do programa “De braços abertos” da prefeitura. No local estava o ator Rubens Sabino que interpretou um traficante no filme “Cidade de Deus”, de Fernando Meirelles. Ele disse à reportagem que um empresário lhe arranjou um passaporte para viajar para Portugal a fim de ser garçom. Sabino garantiu que está “limpo” do vício do crack. Em encontro com o secretário de direitos humanos de São Paulo, Eduardo Suplicy (acima), Sabino, vestido com camisa da Jornada Mundial da Juventude Rio 2013, pediu um dinheiro e ganhou R$ 450 do petista.  O que você acha?

Bytes: Ele foi reportagem do documentário “Cidade de Deus – dez anos depois” quando demonstrou sua arte, assim como o vídeo Sabino canta com o Quintal do Céu, em Teresópolis. Para os capitalistas, meia palavra basta.

Aparecida: Por falar em Suplicy, a ex-mulher Marta decidiu sair do PT que ajudou a fundar. Na carta, ela faz críticas à corrupção no partido. Segundo O presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, afirmou que a senadora está confirmada como candidata da legenda para a prefeitura de São Paulo em 2016. A direção do PT reagiu com indignação, afirmando que Marta faltou com a ética e fez “acusações infundadas” contra o partido. “O PT recebe com indignação a carta da senadora Marta Suplicy oficializando sua desfiliação do PT. Apesar dos motivos enunciados, entendemos que as razões reais da saída se devem à ambição eleitoral da senadora e a um personalismo desmedido que não pôde mais ser satisfeito dentro de nossas fileiras. Por isso, resolveu buscar espaços em outros partidos”, disse o texto do PT. O que você acha?

Bytes: Na visão da senadora paulista, o Brasil vai viver uma “escuridão” nunca vista em sua história. E encontra o culpado: a presidente Dilma. Mas tem gente apostando que ela não tinha mais espaço no PT.

Aparecida: O seu Carlos disse, exaltado: “O Brasil está decadente desde que esse pessoal do PT assaltou o poder. A desintegração vai ser pior do que a Indochina como bem nos alertou o ´Financial Times´. Como havíamos homens de ação, homens patriotas, impedimos que isso ocorresse. Era como dizia no quartel: Vamos almoçá-los antes que eles nos jantem”.

Bytes: O jornal britânico “Financial Times” publicou na segunda-feira um artigo de Wolfgang Münchau onde alerta sobre onde está o ponto realmente mais vulnerável para a União Européia. Não é a Grécia onde um anarquista atacou o ministro das Finanças, mas na Ucrânia, onde o Setor de Direita compõe uma milícia armada que é elogiada por integrantes do Ministério Público por ser “patriota”. E o que se vê em Kiev é a presença da Casa Grande ucraniana, patrimonialista, vencendo o jogo contra os jovens fardados. O resultado é que um funcionário público já foi jogado no lixo.

Aparecida: O que você achou da declaração do general Costa e Silva há meio século no jornal “O Globo” falando em tom enérgico sobre as eleições?

Bytes: Já era o início do chamado contragolpe prenunciado na revolta da Vila Militar quando ele já saiu candidato a despeito de Castelo considerado um “fraco” por estar disposto a entregar o governo aos civis. O que se seguiu foi o AI-2 que acabou os partidos e iniciou o bipartidarismo: Arena e MDB. Disse Costa e Silva: “O nosso partido é a força militar”.

Aparecida: E como ficou a Aliança para o Progresso?

Bytes: O republicano Richard Nixon decretou o seu fim em 1969. Mas Lacerda fez bom uso do dinheiro e muitas obras no Rio de Janeiro foram feitas com estes recursos.

Aparecida: Por falar em recursos, o seu Carlos disse exaltado: “Quando começarem a investigação no BNDES vão chegar ao Lula e as empresas beneficiadas pela corrupção”. Você acha que pode haver bloqueios de bens das empresas que resultaram na falta de recursos para tocar os seus negócios e a sobrevida dos seus empregados? Será pior que a Petrobras?

Bytes: O que sabemos é que a Shell declarou estar interessada nas áreas do pré-sal se a Petrobras as vender no “desinvestimento”. Os economistas da britânica BG estimaram que a estatal brasileira pode se tornar a maior exportadora de energia daqui a 20 anos, mas lembrou que a Operação Lava-Jato pode mudar as expectativas. O concreto é que o cenário é bem sugestivo 50 anos depois. Jango, Lacerda, Brizola de novo. Como resistência a mesma opinião sobre a mazela: a Casa Grande. Nos Estados Unidos, a Casa Grande é branca, materializada na Casa Branca. Sentimento traduzido no filme "Django", de Quentin Tarantino. Ou será no "Mordomo da Casa Branca", de Lee Daniels? Viva a liberdade de imprensa! Viva!

Aparecida: Por falar em liberdade, a posse da primeira negra como secretária de Justiça na última segunda-feira pode resolver o problema do conflito racial nos Estados Unidos. Acompanhada do pai, pastor protestante que liderou o movimento dos direitos civis na Carolina do Norte, ela ouviu do vice-presidente Joe Biden a recomendação para "avançar rumo a uma maior unidade no país”. O que você acha?

Bytes: Disse o presidente Abraham Lincoln após o fim da Guerra da Secessão: “Cumpre-nos, antes, a nós os vivos, dedicarmo-nos hoje à obra inacabada até este ponto tão insignemente adiantada pelos que aqui combateram. Antes, cumpre-nos a nós os presentes, dedicarmo-nos à importante tarefa que temos pela frente – que estes mortos veneráveis nos inspirem maior devoção à causa pela qual deram a última medida transbordante de devoção – que todos nós aqui presentes solenemente admitamos que esses homens não morreram em vão, que esta Nação, com a graça de Deus, renasça na liberdade, e que o governo do povo, pelo povo e para o povo jamais desapareça da face da terra”.

Aparecida: Ah, entendi! Está escrito na “Boa Notícia” sobre a justiça iníqua. “Havia numa cidade um certo juiz, que nem a Deus temia, nem respeitava o homem. Havia também, naquela mesma cidade, uma certa viúva, que ia ter com ele, dizendo: Faze-me justiça contra o meu adversário. E por algum tempo não quis atendê-la; mas depois disse consigo: Ainda que não temo a Deus, nem respeito os homens, todavia, como esta viúva me molesta, hei de fazer-lhe justiça, para que enfim não volte, e me importune muito. E disse o Senhor: Ouvi o que diz o injusto juiz. E Deus não fará justiça aos seus escolhidos, que clamam a ele de dia e de noite, ainda que tardio para com eles? Digo-vos que depressa lhes fará justiça. Quando porém vier o Filho do homem, porventura achará fé na terra?"

Á CASA GRANDE

Rio de Janeiro, 3 de maio de 2015

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Exibições: 295

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2020   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço