Vinicius de Morais

*19/10/1913 - Rio de Janeiro (RJ)
+ 9/7/1980 - Rio de Janeiro (RJ)

Poeta / Compositor / Teatrólogo / Jornalista / Diplomata.

Celebrar o Centenário de Vinicius de Moraes é sinônimo de Poesia, Música e Paixão três vertentes que permearam sua vida e obra.

Poesia, Música e Paixão - Tudo Misturado.

PARCEIROS EVENTUAIS

Segundo o site oficial do Poetinha a lista de parceiros eventuais de Vinicius de Moraes é bem grandinha: Adoniram Barbosa, Antonio Maria, Alaíde Costa, Ary Barroso, Antonio Madureira, Azeitona, Claudio Santoro, Edu Lobo, Fagner, Francisco Enoé, Francis Hime, Garoto, Haroldo Tapajós, Ian Guest, Jards Macalé, João Bosco, Marília Medalha, Moacir Santos, Mutinho, Nilo Queiroz, Paulo Soledade, Paulo Tapajós, Pixinguinha e Vadico. Destacarei os que estão grifados.

Um dia Vinicius acordou um pouco triste e fez um poema. Depois mostrou a cantora Aracy de Almeida. “Araca gostou do samba canção que tinha resultado do poema. Mas vidrou mais na letra que na melodia, e pediu ao Adoniran Barbosa que refizesse a música. Assim nasceu ‘Bom dia, tristeza’, que Aracy gravaria em disco”.

“Bom dia tristeza” (Vinicius de Moraes/Adoniran Barbosa) # Aracy de Almeida.

Confesso que foi uma agradável surpresa descobrir a parceria do Poetinha com Ary Barroso, na música abaixo.

Já era tempo” (Vinicius de Moraes/Ary Barroso) # Ângela Maria.

“Arrastão” pertence à leva inicial das composições de Edu Lobo, que logrou êxito no I Festival de Música Popular Brasileira, da TV Excelsior e projetou seu nome e da cantora Elis Regina.

Segundo Jairo Severiano a ideia da melodia nasceu numa reunião na casa dos Caymmi. A letra de Vinicius revela o tempero do misticismo que dominava sua produção na época (1965).

"Arrastão" (Vinicius de Moraes/Edu Lobo) # Maria Rita.

Anoiteceu” (Vinicius de Moraes/Francis Hime) # Francis Hime.

Marília Medalha foi a única mulher, na lista de parceiros do Poetinha, que compôs com ele em vida.

Algum lugar” (Vinicius de Moraes/Marília Medalha) # Marília Medalha.

É consenso que Pixinguinha deu identidade à MPB da primeira metade do século XX e foi, sem dúvida, um dos maiores compositores de choro de todos os tempos. Vinicius de Moraes tornou-se parceiro de Pixinguinha em “Lamento”, vários anos depois de a música ter sido gravada em 1928. Em sua opinião está pra nascer alguém que fale mal de Pixinguinha: “Ele é o melhor ser humano que eu conheço. E olha o que eu conheço de gente não é fácil”.

Lamento” (Vinicius de Moraes/Pixinguinha) # Elizeth Cardoso.

Confira os outros posts da série:

Centenário de Vinicius de Mores (I).

Centenário de Vinicius de Moraes (II).

Centenário de Vinicius de Moraes (III).

 Centenário de Vinicius de Moraes (IV).

Centenário de Vinicius de Moraes (V).

Centenário de Vinicius de Moraes (VI).

Centenário de Vinicius de Moraes (VII).

Centenário de Vinicius de Moraes (VIII).

************

Fontes:

- Almanaque do Samba, de André Diniz. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editora, 2006.

- Site YouTube.

************

Exibições: 453

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço