CEO do Google pede a estudantes: 'desliguem seus computadores'

PHILADELPHIA - O chefe da ferramenta de busca mais popular do mundo encorajou estudantes universitários a se afastar do mundo virtual e criar relações humanas. Falando na formatura de uma turma da Universidade da Pennsylvania, o presidente e CEO do Google Eric Schmidt disse para mais de seis mil graduandos que eles precisam encontrar as respostas que realmente importam, vivendo uma vida analógica por um tempo.

- Desliguem os seus computadores. Vocês precisam mesmo desligar seus telefones e descobrir tudo que há de humano a sua volta - disse Schmidt - Nada é melhor do que segurar a mão de um neto que dá os primeiros passos.

Schmidt, doutor pela Universidade da California, em Berkeley, recebeu também um doutorado honorário em ciências na cerimônia. A presidente da universidade, Amy Gutmann, citou as "diversas contribuições de Schmidt para colocar o mundo nas mãos da humanidade".

- Você devotou sua carreira a criar uma nova era de aprendizado potencializado pela tecnologia - disse Gutmann.

Em seu discurso, Schmidt lembrou que a escola da Pennsylvania teve uma papel chave na indústria da tecnologia ao criar o ENIAC, um dos primeiros computadores eletrônicos, em 1946.

- Literalmente tudo que você vê - todos os computadores, celulares, aparelhos - vem dos princípios inventados aqui - afirmou.

Nos próximos 10 anos, prevê, a tecnologia vai avançar ao ponto de tornar possível ter 85 anos de vídeos armazenados em um iPod. Schmidt também orientou os alunos a não traçarem um caminho rígido demais para si mesmos, pois recompensas surgem para aqueles que cometem erros e aprendem com eles.

- Você não pode planejar a inovação, mas pode estar pronto para ela. E quando vê a oportunidade surgir, saltar para ela e fazer a diferença.

A classe de 2009 está se formando num clima econômico complicado, mas esse tempo de crise pode ser também de inovação, disse Schmidt. Ele lembrou que sucrilhos e latas de cerveja são produtos da Grande Depressão.

O CEO comparou ainda, em tom jocoso, a "geração do Google e do Facebook" à sua própria: celulares x cabines telefônicas, Wii x Pong, blogs x jornais, Red Bull x Tang.

Ainda mais notável, segundo Schmidt, é o fato de que as pessoas de sua geração passavam a vida tentando esconder seus momentos embaraçosos. Já a geração atual grava e publica esses momentos no YouTube, disse, arrancando gargalhadas da plateia.

- E eu espero assistir a isso pelos próximos 30 ou 40 anos.

*******

Publicada em 19/05/2009 às 12h26m
Tecnologia/O Globo

Exibições: 47

Comentário de Elianne Diz- Laura Diz em 22 maio 2009 às 19:48
Tbbacho que há excesso de internet na vida da garotada. Até eu me excedo por falta de opção aqui na terra.
Bj Laura
Comentário de Cafu em 25 maio 2009 às 20:24
Pois eu estou achando que há excesso de internet na minha vida. Estou revendo as prioridades e firmemente decidida a reduzir meu tempo de navegação. Me sinto superlotada de estímulos, com congestão sensorial por informações em demasia. Me faz sentir cansada e ao mesmo tempo sedentária, improdutiva, mentalmente excitada, com dificuldades de sono e de concentração. Muito esquisito. A vida real vai sendo lenta e irremediavelmente abocanhada pela virtual. Tô ficando caseira, isolada, afastada dos prazeres da vida: ler com calma um bom livro, cineminha, show de música, encontros, conversas, festas, passeios no mato, viagens, atividades físicas.
Claro que a internet pode ser interessante e enriquecedora, mas se erramos na mão o tiro sai pela culatra. Pior, a vida passa e a gente nem desfruta de verdade.
Beijos.
Comentário de Helô em 30 maio 2009 às 0:48
Cafu
Sabe que estou achando a mesma coisa? Só quando viajo consigo ficar desconectada. A gente vai ficando dependente dessa maquininha e acaba não percebendo. Eu então, que sou cabeça quente, às vezes durmo pensando no que deveria ter feito, escrito, ou do que não deveria ter dito... e se a coisa continuar assim vai acabar virando neura! E eu já sou mais caseira mesmo, então se tiver um motivo acabo não saindo nunca. Vamos dar força uma pra outra?
Beijos.
Comentário de vania viana em 2 junho 2009 às 11:03
Helô, é mais que oportuna essa chamada à conscientização àqueles que VIVEM da internet e de todos as outras fontes da tecnologia modernas; de fato, não há como trocar o contato físico, o carinho da mão de um neto, o perfume de uma flor; não há como esquecer o que Charlin Chaplin tb nos alertou um dia: Somos homens, não máquinas! Um abraço de um amigo virtual é uma delícia mas, melhor ainda é quando os tornamos presentes e reais na hora do encontro. Beijo grande!
Comentário de Gregório Macedo em 11 junho 2009 às 4:08
Hora de garimpar, garimpar; hora de garimpar de novo e de novo, pernas pro ar, que ninguém é de ferro. Mas, cá entre nós, que garimpo bom!
Beijos.

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço