Era uma vez um pregador da filosofia Vedanta (2000 a.C.) conhecido como Chico Taquara (1840-1916), o qual viveu em São Thomé das Letras, uma pequena cidade localizada na Serra da Mantiqueira, em Minas Gerais. A unidade de existência é um dos grandes temas da Vedanta e um pilar essencial da sua filosofia. Todas as coisas visíveis estão mergulhadas num oceano de vida e unidas por uma substância mental. O que quer que vemos e o que experimentamos é apenas uma manifestação dessa eterna unidade. Não há nenhum lugar onde nós, infinitos em nossa natureza, não existimos, porque somos uma unidade com tudo, e a pessoa que vive do outro lado do oceano ou no plano astral está ligada a cada um de nós e estamos neste mundo ligados uns aos outros. Embora o conceito de unicidade possa ser intelectualmente atraente, sem dúvida é muito difícil colocá-lo em prática, porque é preciso vê-lo como existência real, e só quem pode ver a unidade entente completamente o que é a unidade da vida. Não é difícil experimentarmos um sentimento de unidade com as árvores, com o mar e com céu, mas essa experiência ainda pode ser apenas intelectual. A unidade da vida é visível, pode ser vista com os olhos da mesma forma que vemos uma planta. A unidade não se experimenta, se vê, ela é observável. Não se trata de um sentimento, de um sentir, de uma empatia com o outro. “O Ser está em toda parte”, diz o Isha Upanishad. “Aquele que vê todos os seres no Ser, e o Ser em todos os seres, não odeia ninguém. Para quem vê a unicidade em todos os lugares, como pode haver decepção ou tristeza? ” Todo o medo e toda a infelicidade surgem de nosso senso de separação da grande unidade cósmica, a rede do ser que nos envolve. A dualidade, o nosso sentimento de separatividade em relação ao resto da criação, é sempre um equívoco, uma vez que implica na existência de algo além da Unidade. Não pode haver nenhum outro. “Esta grande pregação, a unidade de todas as coisas, que faz de nós um com tudo o que existe, é a grande lição a aprender”, disse Swami Vivekananda um século atrás. Chico Taquara foi uma pessoa que desenvolveu a clarividência da Unidade. Ele vivia retirado em uma gruta na cidade de São Thomé das Letras, Minas Gerais, para melhor meditar na sua ligação espiritual com toda a vida que o rodeava. No livro "Chico Taquara, o Eremita de São Thomé das Letras", o autor desenvolve todo o pensamento (Filosofia Vedanta) e toda a história da vida espiritual de Chico Taquara.
***** Por Pedro Barusky
 

Exibições: 59

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2020   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço