Portal Luis Nassif

Congada na Vila Buarque: Viva o seu Benedito!

Foto Lira da Vila

O pessoal do Lira da Vila, bloco carnavalesco da Vila Buarque, em São Paulo,costuma promover todos os sábados noitadas de musica no boteco da esquina da General Jardim com a Dr. Vila Nova.
Nem parece São Paulo, é uma preciosidade o que aquela comunidade está conseguindo fazer no bairro simpático, ali do lado da Biblioteca Infantil Monteiro Lobato.
Com a participação e a promoção do Marciano, grande livreiro do Metido a Sebo, onde bate ponto sagrado, nas tardes de sábado, o historiador da cultura urbana José Ramos Tinhorão.
Neste sábado, dia 28 de março, foi a vez da congada do seu Benedito, ao violão, acompanhado por duas de suas filhas, um timbó, uma rabeca e um tambor.
Seu Benedito, 70 e poucos anos, é de São Luiz do Paraitinga e seu avô nasceu alguns meses antes do 13 de maio de 1888.
Benedito e familia rodaram a zona leste de São Paulo toda, ele durante muitos anos trabalhou na construção civil.
Hoje mora em Cotia com as 5 filhas.

Cego desde os 50 anos, por falta de condições de tratamento, é uma pérola que conserva a tradição de seus ancestrais. Me disseram que gosta muito de caipirinha e eu bem que vi.
Uma de suas filhas conta que eles ficam encantados com a Congada de outros lugares, como a de Minas, e estes com a de São Paulo, quando se encontram em alguma apresentação.
Que os mineiros usam roupas bem coloridas e barretes na cabeça.
Que o mestre de congada é sempre homem, mas em Mogi das Cruzes tem uma mulher maravilhosa, o pai morreu e deixou a ela essa herança.
Pergunto, quando o seu Benedito faltar, quem vai substituir? Ela diz que nem quer pensar nisso, a família não quer, mas não vêem ninguém que possa ocupar o lugar do mestre.

A Congada em geral é manifestação das festas de São Benedito, Nossa Senhora do Rosário e de Santa Efigênia, santos identificados com divindades africanas. Eu não sabia que existia tanta congada em São Paulo, no Vale do Paraíba, e em varias cidades. Dizem que em São Luiz do Paraitinga na década de 1950 , havia mais de 20 grupos de congada, moçambique e jongos, todos ligados à cultura negra de escravos trazidos da África e descendentes.

Leio que a congada nasceu no Brasil, como o desafio dos pobres, mestiços e negros de celebrar o sagrado a partir de diferentes linguagens.

Eu me lembro da congada de Poços de Caldas, na festa de São Benedito, e da quermesse, quando era criança. Adorava. Era uma festa concorrida, mas segundo me dizem, hoje não tem o mesmo brilho. Ouvi rumores, tempos atrás, de que o padre havia proibido o festejo, por causa das confusões.
Não sei se é verdade, mas tudo é possível.

Bom, mas a verdade é que o seu Benedito , além da congada, canta muito samba antigo e dos muito bons, e até este que eu nunca tinha ouvido, que conta a história da substituição da porteira do Brás por um viaduto. Ele morou mutio tempo na zona Leste.

Deve ter sido lá pelos fins dos anos 1930, quando Ademar de Barros era interventor em São Paulo. (Impressionante, fui pesquisar e jamais me lembraria que o interventor no governo era também o prefeito. E que ele estava no governo quando da censura durante 5 anos no Estadão, que não considera esse perido na sua contagem).

Ademar, aquele do “rouba mas faz”, né,que depois teve inúmero sucessores, mas como comentou rindo meu tio José Tosetto, morador do Brás há 92 anos, “hoje roubam e não fazem nada”.

Tio José disse que no largo da Concórdia passavam os trens da São Paulo Railway com destino a Santos, e a porteira de madeira , vira e mexe tendo de fechar, emperrava todo o trânsito.
Então o Ademar de Barros fez o tal viaduto, mote de um dos sambas que seu Benedito cantou ontem:

Adeus adeus a porteira do Brás

Já vai embora, já vai tarde demais
Salve a Penha
E a Água Rasa, Tatuapé e o Belém

Salve a Vila Maria
Quarta Parada também
Em lugar dessa porteira
Um viaduto se ergueu
Adeus porteira do Brás
Já vai tarde pro museu


No dia 19 de abril, às 9 da manhã, mestre Benedito e família vão se apresentar na Igreja da Aquiropita, do Bexiga, depois haverá uma missa afro, já tradição do bairro.
Não percam
.


E aproveito pra colocar este vídeo que tenho no meu orkut desde maio de 2008, com o seguinte comentário:

"Luís Nassif cantando Congada e me lembrando, com emoção, da infância em Poços de Caldas, na festa de São Benedito, 13 de maio, ......eita! saudades "



Exibições: 155

Comentário de Zé da China em 29 março 2009 às 17:26
Viva a volta!
Por cima!
Comentário de elizabeth em 29 março 2009 às 17:33
e viva!!!
Comentário de joao carlos pompeu em 29 março 2009 às 20:42
que chato! ontem a tarde eu estava na usp maria antonia, uma quadra acima desse evento. fica pra próxima. os astros conspiram... rs.
legal sua reportagem.
abraços.
Comentário de Sérgio Troncoso em 29 março 2009 às 21:22
Amiga Elisabeth! Além de aumentarem minha cultura geral,teus textos inspiradíssimos insinuam em meu espírito a necessidade de te consultar numa próxima ida a São Paulo. Um abração,Sérgio.
Comentário de elizabeth em 29 março 2009 às 23:15
Sérgio, apareça, sempre tem alguem tocando, e bem, no fim da tarde.
Pompeu, você também, tava ali do lado hein?
E aproveitem pra ir domingo, 19 de abril, na Aquiropita, eles estarão lá.
Comentário de Antonio Barbosa Filho em 30 março 2009 às 2:08
O Seu Benedito tinha que ser de São Luiz do Paraitinga, a cidade do Vale do Paraíba paulista que mais preserva a tradição musical da região. Que beleza, vc ter registrado isso, Elisabeth!
O Luis Nassif não fica atrás, com esta homenagem que faz à Congada, mostrando que além do bandolim, também conhece de uma viola, e sabe compor como poucos.
Aqui no Vale ainda temos grupos de Congada ativos, mas que estiveram ameaçados de extinção há umas décadas. Foi igual o chorinho até surgirem os Clubes do Choro, impulsionados pelo Paulinho da Viola. Choro era dentro de casa, ninguém gravava (exceção Altamiro Carrilho), e a Congada, o Moçambique, o Cateretê, o Jongo, era só em festas religiosas na roça. Graças e pessoas como Inezita Barroso, o próprio Tinhorão e outros poucos pesquisadores, essas manifestações comeácram a ser mais conhecidas, e o poder público começou a estimular apresentações, viagens, etc.
Sim, uma companhia de Congada é difícil de se deslocar, custa transporte, comida, e a maioria é de trabalhadores rurais ou seus filhos, que não podem perder aula, etc. Sem uma ajudinha oficial, fica difícil. Hoje, creio que todas as Prefeituras do Vale apóiam seus grupos, sem profissionalizá-los (até porque eles não aceitariam), e fazem um intercâmbio muito rico.
A Festa de São Benedito é a maior de Aparecida, depois das de Nossa Senhora, em maio e outubro. Há um fantástico encontro de Congadas em torno da Igreja de São Benedito, que acompanhei a noite toda, vários anos, na véspera da festa do Santo Negro. Vêm Congadas de várias partes do Estado de São Paulo, muitas de Minas e até de Goiás e do Paraná. Cada uma que chega ao entorno da igreja faz sua saudação às demais, e tem resposta. É o encontro dos estandartes, cada um mais bonito que o outro. Assim passa-se a noite, até clarear, quando todos vão à missa (monta-se um palco, porque a igreja é pequena).
É coisa prá chorar. Um Brasil rural, extremamente musical, uma fé na face de cada um, que está fazendo ali mais que um show: estão cumprindo uma devoção.
Tudo isso, essa memória de minhas raízes (urbanóide, mas filho e neto de saoluizense - tem uma cachaça muito boa com esse nome) e da beleza que é saber que ela sobrevive, até na capitar...
Elizabeth, obrigado. E nos vemos, qualquer dia, na tal padaria. Eu levo uma Luizense pro pessoar que quisé prová...rsrsrs
Comentário de elizabeth em 30 março 2009 às 2:14
ô Antonio,que maravilhas de histórias essas.Acho até que em vez de postar como blog, deveria ter colcoado em Forum.Será que dá pra mudar? Podia ser um fóruma sóbre a Congada, Jongo, moçambique, cateretê.
Não sabemos anda sobre essa samnifestações.
Lá no bar, o pessoal se cotizou e cada um deu 5 paus pro seu Benedito.
Obrigada á Lira da Vila, eu só reportei.
O pessoal de lá já linkou este blog
http://blocoliradavila.blogspot.com
Apareça por lá, eles divulgam a programação.
Quero muito conhecer essa de Aparecida, vou fazer o possivle pra ir na próxima.

Agora, se voce levar a tal Luiziense, nem te conto.
Bjs
Comentário de Lira da Vila em 2 abril 2009 às 5:14
ELizabeth, a filha de Seu Benedito, Sônia, nos mandou o seguinte convite:
Seu Benedito tocará com amigos nesta sexta-feira, 3 de abril.
Local: Rua Belmiro braga nº 119 - Vila Madalena
Horário: 21h30

Apareçam!

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2017   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço