Dilma

 

            Acabo de assistir o pronunciamento da Presidente Dilma Rousseff.

            Foi feito hoje, 2/6/2011/ onde a Dilma, ao contrário que tudo diziam dela antes das eleições, mostrou-se simpática, autêntica e lutadora por um Brasil sem miséria, fato que nos envergonha.  

            Com muita autencidade, e falando numa linguagem sincera, a presidente mostrou conhecer os problemas brasileiros.

            Falo com isenção de ânimo.  Votei em branco no segundo turno.  Mas não anulei meu voto.  Foi contabilizado para quem estava à frente nas apurações.

            Simples, concisa e sem deixar margens para duvidas, Dilma Rousseff comunicou-se com o povo brasileiro, fato que não existia há bons anos.

            Falou na erradicação da miséria e da pobreza brasileira, assumindo a responsabilidade do governo, mas também solicitando a colaboração do povo.

            Está certa.  O governo não é o responsável por tudo.  A sociedade brasileira deve participar, como ela exemplificou com várias instituições de domínio privado, que já colaboram com o plano.

            Num pronunciamento público e simpático, Dilma mostrou seguramente a que veio.

            Tal fato é muito importante.  Repito que nossos dirigentes haviam esquecido de falar para o povo.  Isto é mais do que necessário, no regime presidencialista de governo. 

            Não se omita!  Contribua com sua parte! 

 

Exibições: 51

Comentário de Francisco de A. P. da Silva em 2 junho 2011 às 22:03

O governador do meu estado (e é do PT!) só aparece para desejar um rápido "Feliz Natal" no fim do ano. Faz isso com um imenso crucifixo do lado, quando os mais informados sabem que ele é de santo. É o mero cumprimento sem personalidade ou sinceridade de um protocolo sem vida e sem viço.

 

Lula não comprava os imensos horários na TV aberta e não fazia pronunciamentos especificos nas TVs estatais como Chavez ou Fidel. Fazia os tais comicios, devidamente picotados e manipulados pelo PIG. Precisava. Deveria fazer pronunciamentos na TV aberta. A sociedade tem o direito de saber pela boca do governante, porque opta por fazer isto ou aquilo.  Depois a imprensa livre pode editar e criticar à vontade.

 

Comandante supremo das forças armadas, chefe do executivo, chefe de governo, chefe de Estado. Nada disso se compara em importância ao título que se espera que o governante exerça com maior propriedade e sensibilidade: líder. Para o que der e vier.

Comentário de Marco Antônio Nogueira em 3 junho 2011 às 1:36

 

JORGE,

 

Vi aí no seu texto:

"VOTEI EM BRANCO

NO SEGUNDO TURNO".

É isto mesmo?

 

Marco Nogueira

Comentário de Jorge Cortás Sader Filho em 3 junho 2011 às 1:41

É isto mesmo, Marco.

Não confiava em ninguém, mas cedo vi que Dilma está no caminho de estadista.

Abraço

Comentário de Marco Antônio Nogueira em 3 junho 2011 às 1:46

 

Caro

JORGE,

 

Mas mesmo com o "Show"

de ESTADISTA de LULA

você não confiava em

ninguém? Não venha

me dizer que você

confiou em MARINA?

Você não reconhece

que LULA foi o MAIOR

Presidente de nossa

História?

Todos os dados comparativos

dele com todos os demais

dão-lhe uma quase infinita

vantagem.

Ou não?!

 

Abraço,

 

Marco Nogueira

Comentário de Jorge Cortás Sader Filho em 3 junho 2011 às 2:23

É isso, Marco.  Sou jornalista e escritor.  Você é muito jovem, não conhece política para valer.

Por favor, leia a matéria do link.  Vai me entender melhor.  http://port.pravda.ru/news/mundo/01-06-2011/31685-violencia_campo-0/

Abraço.

Comentário de Marco Antônio Nogueira em 3 junho 2011 às 2:39

 

JORGE,

 

Não sou assim jovem

como você pensa.

Vivo política desde

meus seis anos de idade,

quando, já alfabetizado,

em Barretos, lia diariamente

lo Estadão pra minha

avó, que havia perdido

a visão.

Minha família sempre

foi, e é, política em Minas

(Triângulo Mineiro),

São Paulo e Tocantins.

Eu mesmo fui político

ativo em meu Triângulo

Mineiro desde os anos 70.

Ah, fui ao "link" do Pravda,

que você indicou.

Gostei, e concordo com

tudo o que disse.

Agora ...

O que tudo isso tem a ver

com VOTAR EM BRANCO

numa situação política

tão séria como foi

esta última eleição.

Só o jogo sujo da Direita,

unida à Igreja e, acredite,

à Maçonaria, já era motivo

pra se cravar o voto em

DILMA.

Ou não?!

 

Abraço,

 

Marco Nogueira

Comentário de Jorge Cortás Sader Filho em 3 junho 2011 às 4:48

Bom, aí a jogada é outra.  A campanha contra ela foi muito suja!

Abraço, Marco.  Temos um bom diálogo, isto é ótimo.

Jorge Sader Filho

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2020   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço