Cristo Redentor # Foto: Paulo Carvalho



Força maior (Leandro Fregonesi - Ciraninho - Diogo Nogueira) # Diogo Nogueira



Certa vez, em Belo Horizonte, durante uma palestra sobre religião e espiritualidade, Leonardo Boff contou ao público um fato que ocorreu por ocasião da primeira visita do Dalai Lama ao Brasil.

Houve uma mesa-redonda ecumênica e ele aproveitou a oportunidade para perguntar ao líder budista, num misto de provocação e curiosidade, sobre qual religião que ele considerava a melhor de todas. Para sua surpresa, o monge tibetano não respondeu “o budismo”, e sim “aquela que te faz um ser humano melhor”.

No livro Uma Ética para o Novo Milênio, Dalai Lama discrimina os dois conceitos: “Na realidade, creio que há uma importante distinção a ser feita entre religião e espiritualidade. Julgo que a religião esteja relacionada com a crença no direito à salvação pregada por qualquer tradição de fé, crença esta que tem como um de seus principais aspectos a aceitação de alguma forma de realidade metafísica ou sobrenatural, incluindo possivelmente uma idéia de paraíso ou nirvana. Associados a isso estão ensinamentos ou dogmas religiosos, rituais, orações, e assim por diante. Considero que a espiritualidade esteja relacionada com aquelas qualidades do espírito humano – tais como amor e compaixão, paciência, tolerância, capacidade de perdoar, contentamento, noção de responsabilidade, noção de harmonia – que trazem felicidade tanto para a própria pessoa quanto para os outros. Ritual e oração, junto com as questões de nirvana e salvação, estão diretamente ligados à fé religiosa, mas essas qualidades interiores não precisam estar. Não existe, portanto, nenhuma razão pela qual um indivíduo não possa desenvolvê-las, até mesmo em alto grau, sem recorrer a qualquer sistema religioso ou metafísico. É por isso que às vezes digo que talvez se possa dispensar a religião. O que não pode dispensar são essas qualidades espirituais básicas”.

Ao longo da campanha presidencial de 2010, – uma campanha para não ser esquecida, segundo Maria Inês Nassif, pelo seu alto teor de preconceito, conservadorismo, instrumentalização religiosa e passadismo –, assistimos, entre atônitos e indignados, ao espetáculo agressivo e vexaminoso perpetrado por líderes religiosos de diferentes igrejas contra a candidatura de Dilma Roussef.

Atitudes frontalmente contrárias aos valores que norteiam as religiões benéficas parecem estar semendo, entre os brasileiros, algo inédito e preocupante, uma espécie de cisma patriótica. E o pior, são comportamentos estimulados por autoridades religiosas que supostamente deveriam ser exemplo de retidão, equilíbrio e misericórdia, mas que fazem o oposto: disseminam um rosário de mentiras, calúnias, difamações, acusações anônimas e mensagens carregadas de ódio e cizânia.

Não é difícil antever, neste ambiente de desinformação, irracionalidade, baixarias e conflitos, o rumo que os acontecimentos podem tomar daqui pra frente. Hoje, a Dilma e o PT são a bola da vez. Amanhã, as vítimas do fanatismo, da prepotência e do preconceito podem mudar. Quem sabe, serão os devotos da Mãe Menininha ou da Mãe Stela, os perseguidos por satanismo; ou o Chico Xavier, o desqualificado como impostor; ou os agnósticos e os ateus, os marcados como hereges e candidatos à eliminação.

É premente defendermos com energia o Estado laico, as liberdades democráticas e os direitos civis em nosso país. Ter ou não ter religião é questão de foro íntimo. Cada um é livre para escolher o que julgar melhor para si, conforme suas inclinações. Da mesma forma que deve respeitar as escolhas e as inclinações alheias. O Estado e as políticas públicas precisam ficar de fora dessas questões sob pena de jogarmos por terra avanços importantes da modernidade e conquistas civilizatórias de séculos.




Dalai Lama





A minha concepção de Deus é que Deus se manifesta no ser humano. Então toda vez que alguém viola o ser humano, violenta, oprime, está realizando o ateísmo militante. Ateus que reivindicam o fim dos crucifixos em lugares públicos, o nome de Deus na Constituição - isso não é ateísmo militante, isso é laicismo, que eu apoio. O ateísmo militante para mim é profanar o templo vivo de Deus, que é o ser humano.

... Para mim o ateísmo militante é você negar Deus lá onde, na concepção cristã, ele se manifesta, que é no ser humano. Você professar o ateísmo é um direito que eu defendo ardorosamente. Agora, você não pode é chutar a santa, como fez aquele pastor na Record. Ou seja, eu posso ser ateu, como eu sou cristão, mas eu não digo que a fé do muçulmano é um embuste ou que a fé do espírita é uma fantasia. Isso é um desrespeito.

Frei Beto



Mãe Menininha do Gantois


AXÉ!


Oração de Mãe Menininha (Dorival Caymmi) # Dona Ivone Lara




Chico Xavier


Ambiente limpo não é o que mais se limpa e sim o que menos se suja.

Chico Xavier









Eu considero que a campanha tucana no segundo turno passou do deboche para a obscenidade. A campanha em torno de questões religiosas – os “santinhos” que mandaram fazer para o Serra, escrito “Jesus é a verdade”, assinados por José Serra e com foto de José Serra –, esse “santinho” é obsceno em termos religiosos porque ele não tem nenhum respeito pela dignidade do Sagrado e nenhum respeito pelo ecumenismo religioso. Ele é obsceno politicamente porque a grande conquista da democracia moderna é a república laica, na qual Religião e Estado se separaram. Mas ele é obsceno ainda, em termos da nossa memória. Quando vi o José Serra trazendo para a porta da frente, com pompa e cerimônia, a Opus Dei e a TFP, que foram os grandes pauteiros da ditadura militar, eu disse: “Isto é uma afronta, um escárnio a nossa memória”.

Marilena Chauí





The Dance of Youth # Pablo Picasso







Livro e citações:


Uma Ética para o Novo Milênio # Dalai Lama / Ed. Sextante

http://www.diap.org.br/index.php/noticias/artigos/14838-uma-eleicao...

http://www1.folha.uol.com.br/poder/819034-frei-betto-responsabiliza...


http://www.pensador.info/autor/Chico_Xavier/


http://www.youtube.com/watch?v=rEViK3Kkqck&feature=player_embedded



Fotos:

http://www.trekearth.com/gallery/South_America/Brazil/Southeast/Rio...


http://www.taza.com.br/boanoticia/


http://manmessias21.blogspot.com/2010/07/bahia-meu-deus-do-ceu-ensa...


http://cantodoaprendiz.wordpress.com/tag/emmanuel/


Música:


Tô fazendo a minha parte # Diogo Nogueira



Songbook Dorival Caymmi # Volume 2

Exibições: 505

Comentário de Laura Macedo em 29 outubro 2010 às 21:50
Cafu,

Fiquei encantada com este seu post. Desde o título "Força Maior", a integração de pensamentos - Dalai Lama, Frei Beto, Maria Inês, Chico Xavier, Marilena Chauí, Cafu -, aliado as fotos e músicas, tão bem selecionadas.

Não lembro de outra campanha com o perfil desta de 2010. Jogo baixo, mentiras deslavadas e preconceitos de toda ordem, aflorando a raiva e o ódio de forma nunca vistos.

"Se deparamos com uma pessoa que levou uma flechada, não perdemos tempo nos perguntando de onde a flecha pode ter vindo, a que casta pertencia o indivíduo que a atirou; analisando de que tipo e madeira a flecha era feita, ou de que modo foi talhada a ponta da flecha. Em vez disso, deveríamos nos concentrar em arrancar a fecha imediatamente". (Shakyamuni, o Buda).

Que a "Força Maior" do Cristo Redentor ilumine os brasileiros e brasileiras à votarem a favor da consolidação dos avanços conquistados, as duras penas, com suor e sangue derramados em defesa da construção de um País de todos.

Beijos esperançosos.
Comentário de Cafu em 30 outubro 2010 às 13:30


Laurinha,
Fiquei encantada com as suas palavras. Espero que possamos sustentar nossas vitórias e consolidar os avanços. Não queremos um país para poucos. Queremos um país de todos.
Que a força esteja conosco!
:)))

Beijos esperançosos.
Comentário de Cafu em 8 novembro 2010 às 12:04

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2020   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço