escrever poemas aos entulhos
no revérbero de estradas e atropelos
pisar os corpos como fossem gelos
e as estradas como fossem muros.

a vida, amigo, é poço mais e mais
e os homens que se mostram em desmazelos
são todos eles uns caudais de pelos
que atravessam as noites de punhais.

(romério rômulo)

Exibições: 29

Comentário de Marise em 29 agosto 2010 às 21:06
Romério mais um poema lindo,como todos os outros.
Beijo
Comentário de romério rômulo em 29 agosto 2010 às 21:23
marise:
cada dia você se parece mais com a dilma. o que se passa?
um beijo.
romério
Comentário de Stella Maris em 29 agosto 2010 às 21:47
Romério,
concordo com a marise.. e com vc.
Comentário de Marise em 29 agosto 2010 às 22:41
Pois é, Romério o que uma plástica faz. Remocei um monte de anos e fiquei parecida com ela.rsrsrsrs Até meus cabelos voltaram a ficar pretos.
Um Beijão
Comentário de luzete em 30 agosto 2010 às 0:06
romério,
acho tão bom quando você aparece trazendo sua palavra bonita.
fico imaginando... é mesmo muito rico, denso, o que dizes. gosto sempre.

escuita: vás ao sarau?
preciso providenciar meu livro prô devido autógrafo.
(eu acho que vou, sabe... mas ainda tem umas pendengas... mas faço de conta que elas não existem)
Comentário de Simone-Rosa Tupinambá em 30 agosto 2010 às 20:19
Romério,

Belo poema e suas rimas

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço