George Gershwin, casamento do Clássico com o Popular


Nasceu
no Brookyn, em New York, em 26/09/1898, filho de imigrantes judeus, oriundos da Rússia.
Cedo encarou o piano com seriedade e logo evoluiu até Chopin, Listz e Debussy, tornando-se um talentoso pianista e, paralelamente com a mesma intensidade, um grande compositor, tendo o irmão, Ira Gershwin, como principal parceiro.

Concentrou-se primeiro na música clássica, mas, em 1924, trocou-a pela "Tin Pan Alley" (música popular dos Estados Unidos, no fim do século XIX e início do século XX), embora tenha retornado àquela mais tarde.

Seu primeiro sucesso foi "Swanee", em 1920, gravada por Al Jolson - cantor, comediante e ator altamente aclamado - e que influenciou muita gente famosa, como Bing Crosby, Frank Sinatra, Dean Martin...

Eclético, compôs tanto para a Broadway como para o Teatro de Concerto Clássico, já que sua música reunia elementos desses distintos universos. Entre suas composições, muitas foram para o cinema e algumas tornaram-se clássicos do jazz, como as gravadas por Ella Fitzgerald e Louis Armstrong.

Ainda em 1920 o músico Paul Whitiman contrata-o para escrever uma peça de jazz para concerto. O resultado foi "Rapsody in Blue". A estréia dessa obra com George ao piano entra para a história, ou seja, ele consegue a façanha de levar o jazz para a sala de concerto. À época muitos advogavam a idéia de que a música popular não deveria integrar-se à música clássica e vice-versa.


No fim dos anos 20 compôs diversas outras peças clássicas, entre elas o "Concerto em Fá Maior", os "Prelúdios" e "An American in Paris", que no início da década de 1950 foi para as telas do cinema com roteiro de Alan Jay Lerner e os atores Gene Kelly e Leslie Caron. ( Foto ao lado).
Sobre essa peça George declarou: "Minha intenção aqui é descrever as impressões de um turista americano em Paris enquanto passeia pela cidade, ouvindo o burburinho das ruas e absorvendo a atmosfera francesa".


Uma das suas ambições era a criação de uma ópera e a realizou com "Porgy and Bess", em 1935, baseada num livro de DuBose Hayward, com letra sua e de seu irmão Ira Gershwin.


George Gershwin morreu no auge da sua fama, em 1937, aos 38 anos de idade, vítima de um tumor cerebral. (Busto de George Gershwin, ao lado).

Ele foi um dos compositores mais talentosos e bem sucedidos do século XX.

Um mestre que realizou o casamento perfeito entre o universo da Música Clássica e Popular americana, sendo respeitadíssimo em ambos os segmentos.

Acima, foto do Teatro George Gershwin em Manhattan, em Nova Iorque.

Fonte de Pesquisa: Guia Ilustrado Zahar de Música Clássica.

Confesso que foi difícil a seleção dos vídeos abaixo, devido a fartura existente no YouTube.


George Gershwin interpreta ao piano seu primeiro sucesso: "Swanee".




Com "Rapsody in Blue" (piano solo / parte 1). O jazz adentra a sala de concerto..





"An American in Paris", interpretada pela Orquestra Filarmônica de New York, apresentando-se na Coréia do Norte.



Trailer do filme "An American in Paris" (1951), com trilha sonora de George Gershwin.


 


"S' Wonderful", belíssima canção de George e Ira Gershwin, interpretada por Sammy Davis Jr. & Ella Fitzgerald.

 

 

Exibições: 144

Comentário de Helô em 24 novembro 2008 às 1:26
Laura
Já sei quem vai ganhar a medalha de ouro no final do ano :))
Aproveitei seu post e coloquei pra tocar "The Piano Rolls", um maravilhoso CD de Gershwin que ganhei de presente e estava meio esquecido. Mas ao chegar nos seus vídeos, interrompi a música para assisti-los. É difícil não gostar muito de algum, mas Rapsody in Blue me faz lembrar NY, que eu pude visitar 10 anos atrás. É mais ou menos como escutar o Samba do Avião de Tom Jobim e pensar no Rio. Boas recordações com excelente música.
Deixo pra você, uma que acabei de escutar: That Certain Feeling.

Beijos e boa semana pra você!

Comentário de Cafu em 24 novembro 2008 às 16:47
Nossas anteninhas continuam em sintonia. Ontem de manhã, em BH, amanheci cantarolando How Long Has This Be Going On e pensando na cena de Cinderela em Paris para por no Verso e Prosa...
Tenho 2 cds deste pianista, Michael Feinstein, (Pure Gershwin e Rapsody in Blue). Veja que depoimento curioso sobre tesouros musicais resgatados do fundo das prateleiras e a caminho do lixo:

Comentário de Laura Macedo em 25 novembro 2008 às 0:11
Oi, Helô.
Além da música citada, "That Certain Feeling", você encontrará mais 25 músicas de George Gershwin interpretada por Ella Fitzgerald - "Sings the Gershwin Song Book".(clique aqui)
Será que vou demonstrar realmente que aprendi a lição? :))
Um grande beijo.
Laura.
Comentário de Laura Macedo em 25 novembro 2008 às 0:37
Oi, Cafu.
Turistando em Belo Horizonte? No início de dezembro vou passar uma semana por lá.
Cafu, eu amo os filmes com a Audrey Hepburn e tenho quase todos em casa para curtir quando a saudade aperta, inclusive o que você citou, "Cinderela em Paris", com as maravilhosas canções dos irmãos Gershwin.

Quanto ao pianista Michael Feinstein, não tenho nenhum Cd dele, mas vou tentar adquirir o que ele fez dedicado aos irmãos Gershwin.
Li recentemente que ele casou com seu grande amigo Terrence Flannery e que a cerimônia foi em sua casa em Los Angels, com convidados vips como: Liza Minnelli, Barry Manilow, Joan Collins....

Grata pelo vídeo, que achei super interessante e vamos continuar com nossas anteninhas em sintonia.

Um mega beijo.
Comentário de Cafu em 25 novembro 2008 às 16:59
Minha filha é fanzoca da Audrey. Vivo cercada de Audrey por todos os lados. Gosto muito também.

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço