Itens

Somos itens. Somos todos itens em um supermercado gigante, dispostos nas gôndolas, nas prateleiras, nas vitrines, nas arandelas, pendurados nas paredes e nos tetos, empilhados nos cantos e nos meios dos corredores, estrategicamente colocados para uma melhor visualização. Nossos preços variam, mas no final temos o mesmo destino e o mesmo valor. Quem nos fornece para o supermercado é Ele, que também é o fazendeiro, a terra, a semente e o semeador, o sol, a chuva, o colheiteiro, a fábrica, as máquinas, os operadores, o industrial, o entregador, o repositor, o vendedor, o comprador e o dono do supermercado. Ele é a energia de tudo. É Ele quem faz a classificação e a organização de todos os itens e substitui aqueles que saem da loja (vendidos ou descartados pelo prazo de validade?) por estes que também não têm lugar cativo. Neste enorme supermercado – como em todos os outros modelos de supermercados copiados deste – todos os produtos possuem a efemeridade da vida. É Ele quem decide o momento mais adequado para vender/comprar este ou aquele, é Ele quem tira para sempre um item do estoque e também resolve prorrogar o prazo deste ou daquele, de acordo com os seus princípios (quem mais poderia saber decidir através dos seus princípios senão Aquele que é o responsável pelo princípio de tudo?). Se analisarmos bem, Ele é sério e brincalhão ao mesmo tempo, mas as duas coisas Ele as faz com uma certeza e uma responsabilidade que não nos concedeu, ou que talvez os seus produtos, mesmo com todas as capacidades com as quais foram criados, ainda não descobriram a forma de usufruir delas. Ele é também o maior pintor que existe e cria inigualáveis quadros de Natureza Viva e Morta, sendo o mais interessante – e este é a união de todos os demais trabalhos – o gigantesco e infinito quadro onde dispôs todas os itens: animais, vegetais e minerais, harmoniosamente belos, cada um no seu lugar, desempenhando o papel que lhes foi designado. A todo momento (Ele não descansa) faz os retoques que julga necessários para manter a pintura em evidência, restaurando aqui e ali, apagando umas peças e pintando outras no lugar, dando mais vigor ao colorido daquelas partes ou enfraquecendo algumas, apagando ou incluindo partes que não existiam – mares, campos e montes, vulcões, terremotos, suaves brisas e tufões, guerras, sóis e escuridão, pessoas, plantas, bichos… -, dando continuidade ao seu incansável direito de manter a Vida. Só Ele conhece perfeitamente todas as matizes, pois é o criador delas. Neste quadro onde Ele trabalha diuturnamente, cada parte ali incluída fez por merecer e cada parte dali sacada foi porque findou o seu tempo, terminou a sua gratuita estadia. Ele, o maior pintor de todos os tempos, o pintor que domina todas as fases e todas as técnicas, que melhor usa todas as cores, paletas e pincéis, sabe exatamente em que posição e por quanto tempo cada item componente da imagem deve compor o belíssimo e ao mesmo tempo efêmero lugar na tela. Nós somos itens. Os itens que Ele criou e vai remanejando para manter a beleza de todas as coisas. E enquanto Ele nos mantiver no seu supermercado e no seu quadro, devemos agradecer.

Remisson Aniceto – 17/03/2011

Exibições: 198

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço