“JACK, O CAÇADOR DE GIGANTES”. A LENDA VIRA HISTÓRIA REAL COMO UMA PARÁBOLA DO TEMPO

A chanceler alemã Angela Merkel reiterou hoje (11) que se sente “absolutamente obrigada” a salvar o euro, mas salientou que é preciso fazer mais do que “apenas gastar mais dinheiro”, apontando para a necessidade de se implementar “reformas estruturais”. “Os líderes europeus devem fazer mais, mas não apenas gastar mais dinheiro. Devem também implementar reformas estruturais e apostar no livre comércio livre”, afirmou Merkel em declarações aos jornalistas, após a reunião com o primeiro-ministro indiano, Manmohan Singh. A chanceler alemã defendeu que é preciso haver “um entendimento sobre de onde vem o crescimento e como será possível alcançá-lo”. “Não podemos ser uma irritação constante para o resto do mundo”, sublinhou. Anteontem, manifestantes fantasiados de zumbis protestaram em frente ao Parlamento da UE, em Bruxelas, contra acordo com a Índia (acima). Ontem, a Comissão Europeia (CE) alertou que o declínio da competitividade na França e Itália, proveniente da alta dívida e custos de trabalho, ameaça causar graves problemas econômicos para o resto da zona do euro. A reportagem publicada no jornal “The International Herald Tribue” afirma que Espanha e Eslovênia têm desequilíbrios econômicos estruturais excessivos. O resumo do relatório da CE indica que altas dívidas, internas e externas, da Espanha continuam representando sérios riscos para o crescimento e a estabilidade econômica. Na Eslovênia, também segundo o relatório, existem riscos substanciais para a estabilidade do setor financeiro, decorrentes do alto endividamento de empresas, ligado às finanças públicas e que causam efeitos sobre elas. Já na Itália, o produto interno bruto (PIB) real caiu 7% desde o começo da crise financeira em meados de 2008. Os custos unitários do trabalho no país estão crescendo, comparado aos seus pares, o que representa uma perda de produtividade. Enquanto suas empresas especializadas estão cada vez mais incapazes de competir com outras de diversos países, como a China, o setor bancário continua sobrecarregado por empréstimos inadimplentes. Apesar do documento e da instabilidade política, os credores estão dispostos a investir na zona do euro. O Tesouro italiano colocou hoje € 4 bilhões de títulos com vencimento em três anos a juros de 2,29%, inferior aos 2,48% pagos no dia 13 de março num leilão de títulos com o mesmo prazo. Mesmo assim, a dívida pública italiana é já a segunda mais alta da Europa e atingiu o valor mais alto do pós-guerra: 130,4% do Produto Interno Bruto (PIB), em 2013. Anteontem, o líder de centro-esquerda, Pier Luigi Bersani, o Partido Democrata, e o líder da centro-direita Silvio Berlusconi se reuniram para discutir a unidade política, mas não houve acordo. No sábado (6), o ex-primeiro-ministro afirmou que sua coalizão irá apresentar em breve oito projetos de lei para o Parlamento italiano, incluindo uma proposta de abolir o odiado imposto de habitação, em uma tentativa de tomar a iniciativa apesar do impasse político na Itália. "Enquanto as outras pessoas estão ocupadas em perder tempo, nós do PLD sempre tivemos os interesses do país em mente", disse Berlusconi em sua página no Facebook. Ele afirmou que os 8 projetos de lei que devem ser apresentados na semana do dia 15 de abril, iria refletir o programa de campanha do partido durante as eleições, e seriam "propostas concretas que terão impacto positivo imediato na economia real e na sociedade, acima de tudo em termos de criação de emprego". Sua lista de projetos inclui reforma nos sistemas fiscal e judiciário, e uma proposta para revistar a constituição italiana para fortalecer os poderes do primeiro-ministro. Em Portugal, o primeiro-ministro da Finlândia, Jyrki Katainen, reconheceu hoje que o país atravessa o momento mais difícil do processo de recuperação porque ainda não se vêem sinais de recuperação, mas disse ter a certeza que eles vão surgir. "O país tem feito as coisas certas, o que prometeu. E quero apenas dizer de forma muito clara que este momento é o momento mais difícil no processo de recuperação, porque já tomaram o remédio, soube mal e ainda não viram a recuperação", afirmou o chefe do executivo finlandês, em declarações aos jornalistas no final de uma audiência com o presidente Aníbal Cavaco Silva, no Palácio de Belém. O Índice de Preços no Consumidor (IPC) em Portugal teve uma subida mensal inesperada de 1,7% em março de 2013, segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE). No domingo (7), o primeiro-ministro Pedro Passos Coelho, anunciou que realizará novos cortes de despesas e fará "todo o possível" para evitar um segundo resgate econômico ao país. Na Grécia, o problema é o aumento do desemprego. Segundo divulgou hoje o instituto de estatística helênico, o índice chegou a 27,2% em janeiro. Em declarações à agência de notícias Bloomberg, uma fonte oficial do Ministério das Finanças grego afirmou que as expectativas apontam para um recuo no PIB de 4,5% em 2013. Atenas entrou em deflação, pela primeira vez em 45 anos. Em fevereiro, a produção industrial contraiu 3,9%, em termos anuais, depois de ter recuado 4,2% em janeiro. De acordo com o jornal “The Huffington Post”, um relatório ultrassecreto do governo grego afirma que Atenas está disposta a cobrar € 162 bilhões da Alemanha como compensação pela invasão nazista na Segunda Guerra Mundial. Altos funcionários, no entanto, vem defendendo que não é hora da cobrança já que Berlim é um dos maiores credores do país. 

O Ministério das Relações Exteriores da Síria pediu hoje (11) que o Conselho de Segurança da ONU inclua a frente Al-Nusra, envolvida na batalha contra o regime, na "lista negra" de entidades e indivíduos vinculados à Al-Qaeda para os quais estão previstas severas sanções. Ontem, a Frente al Nusra afirmou que é leal à rede terrorista, esclareceu que não é dependente desta organização e nem forma uma única organização com seu braço iraquiano, o Estado Islâmico do Iraque. Na véspera, o líder da Al-Qaeda no Iraque anunciou que o objetivo da Frente al Nusra é instalar uma república islâmica na Síria. No mesmo dia o governo iraquiano anunciou que inspecionou um avião cargueiro iraniano que seguia para Damasco atravessando seu espaço aéreo, mas só encontrou material humanitário. Na segunda-feira (8), um atentado suicida em Damasco deixou ao menos 15 mortos e 146 feridos em pleno centro da cidade. O atentado se seguiu após a negativa do regime sírio em permitir o acesso de inspetores da ONU para investigar o uso de armas químicas na guerra civil do país. "O secretário-geral sugeriu uma missão suplementar que permitiria o envio de uma equipe de inspetores em todo o território sírio, que é contrário ao pedido feito pela Síria à ONU", justificou uma fonte do Ministério das Relações Exteriores, citado pela agência oficial de notícias Sana. O funcionário destacou que "Síria não pode aceitar semelhantes manobras por parte do Secretariado Geral da ONU, levando em conta o papel negativo que desempenhou no Iraque e que abriu o caminho para a invasão estadunidense em 2003". No sábado (6), a Rússia havia criticado a investigação da ONU alegando também a invasão de Bagdá pelas tropas anglo-estadunidenses. No dia seguinte, Estados Unidos e Turquia fecharam acordo para convocar uma nova conferência internacional sobre a Síria o mais rapidamente possível. Após um encontro em Istambul, o secretário de Estado dos EUA, John Kerry, e o ministro dos Assuntos Externos turco, Ahmet Davutoglu, concordaram que é urgente voltar a reunir os “Amigos da Síria”, para adotar novas medidas de pressão contra o regime de Bashar al-Assad. Na véspera, o primeiro-ministro do governo provisório formado pela oposição síria, Ghassan Hitto, abriu consultas para escolher os ministros de seu gabinete, que será formado por 11 pastas, informou a Coalizão Nacional Síria. Assad declarou que se as forças rebeldes assumirem o poder poderão desestabilizar o Oriente Médio durante décadas. "Se a agitação na Síria levar à divisão do país, ou se as forças terroristas assumirem o controle ... a situação vai inevitavelmente se espalhar para os países vizinhos e criar um efeito dominó em todo o Oriente Médio e além", disse ele numa entrevista à televisão turca. Em entrevista a uma emissora alemã, a ARD, o presidente russo, Vladimir Putin, disse que Moscou não aceita a interferência na externa na Síria para que não se repitam fatos semelhantes como os ocorridos na Líbia, no Iraque e no Iêmen. “Estes países sofreram uma verdadeira desintegração após as mudanças de poder. A Rússia sustenta que a sociedade síria é a única parte legítima para obter a solução dos seus conflitos. Não há razões para quaisquer interferências externas no país”, alegou Putin. No sábado, o Líbano anunciou o seu novo primeiro-ministro: Tamam Salam (acima). Ele substitui Najib Mikati, que renunciou por problemas de saúde. "Me comprometo a tirar o Líbano das divisões políticas que tiveram efeitos na segurança, a afastar os perigos da situação trágica no país vizinho", afirmou, pouco depois do presidente da República, Michel Suleiman, ter atribuído a missão de formar o governo. Recentemente, o chefe de Estado libanês reclamou das constantes invasões do espaço aéreo por Israel após informações do Ministério da Defesa israelense de uma nova invasão ao país vizinho. A situação é um complicador para Salam, político moderado eleito por consenso entre a oposição e o movimento xiita Hezbollah, aliado do Irã e da Síria. Hoje a edição digital do diário israelense "Ha'aretz" divulgou que Israel rejeitou uma proposta apresentada pelo secretário de Estado americano, John Kerry, para retomar o diálogo com os palestinos e que defende analisar em primeiro lugar questões de segurança e fronteiras. A notícia foi divulgada no mesmo dia em que surgiram informações que o primeiro-ministro palestino Salam Fayyad pediu para deixar o cargo em carta ao presidente Mahmoud Abbas. Segundo as agências de notícias, a decisão de Abbas será tomada quando ele retornar do Qatar, onde participou de uma reunião da Liga Árabe. A causa seria desavenças com o presidente palestino. Ex-funcionário do Fundo Monetário Internacional (FMI) e do Banco Mundial, Fayyad conta com o apoio da comunidade internacional, especialmente o dos EUA, na luta pela criação de um Estado palestino. A instabilidade é enfrentada também pelo Egito. No fim de semana uma briga entre cristãos copta e islâmicos resultou em mortes, inclusive durante os funerais. Anteontem, o patriarca copta Tawadros II, acusou o presidente Mohamed Morsi de "negligência" pelos confrontos diante da catedral São Marcos do Cairo. Na última sexta-feira (5), um grupo de 40 islamistas radicais salafistas no Egito atacou e tentou invadir a residência do diplomata iraniano no Cairo, Mojtaba Amani. O ataque foi feito em protesto às tentativas recentes do governo egípcio de estreitar laços com o Irã, que ofereceu empréstimo recente ao Egito para enfrentar a crise econômica. Ontem, Mursi determinou a retirada das ações legais tomadas pela Presidência contra jornalistas. Segundo o porta-voz da Presidência, Ehab Fahmy, Mursi retirou as ações em respeito à liberdade de expressão.

O fórum internacional Perspectiva Econômica Eurasiática começou hoje (11) na Universidade Econômica de São Petersburgo, na Rússia. A iniciativa é da Duma (Câmara baixa russa) e conta com a participação de políticos, cientistas e representantes dos círculos empresariais da região. O presidente da Duma, Serguei Naryshkin, leu aos participantes a mensagem de saudações do presidente russo, Vladimir Putin, em que o Chefe de Estado ressaltou o papel importante de processos da integração dos estados pós-soviéticos. Hoje o ministro do Interior da Finlândia, Paivi Rasanen, pediu desculpas a Putin após a divulgação pela imprensa de que o nome do líder russo constava na lista de suspeitos de envolvimento no crime organizado da polícia finlandesa. Segundo ele, o nome de Putin foi adicionado erradamente e afirmou que o caso será minuciosamente apurado. O ministro também prometeu descobrir a forma como a informação secreta da Polícia Criminal Central caiu nas mãos dos jornalistas. Putin tratou com ironia quando soube da notícia. Teoricamente, ele poderia ser preso na visita que fará ao país vizinho daqui a alguns meses. Segundo o porta-voz do presidente, Dmitri Peskov, como a parte finlandesa descobriu o erro a tempo, a Rússia não vai intervir nisso. Nos últimos dias, Putin foi recebido com protesto na visita que fez à Holanda e Alemanha. Na última segunda-feira (8), a Anistia Internacional, organização não governamental que trabalha em defesa dos direitos humanos, espalhou inúmeros pôsteres, cartazes e faixas por Amsterdã, com ironias sobre o líder russo. “Jornalistas críticos não são permitidos”, “Aviso: não é permitido protestar nesta área” e “Não assuste o presidente Putin. Mantenha esta área livre de direitos humanos”, foram algumas das mensagens carregadas pelos ativistas. Respondendo a perguntas de jornalistas holandeses, Putin declarou que, em sua opinião, os direitos das minorias sexuais na Rússia não são violados, os homossexuais podem, assim como todos os outros, ocupar vários cargos e fazer carreira. Muitas casas e pontes no bairro histórico de Amsterdã tinham cartazes e bandeiras do movimento gay. Antes, na Alemanha, Putin riu de manifestantes do grupo feminista Femen, que protestava com os seios nus contra a detenção de integrantes de uma banda punk feminina russa durante visita ao Salão da Indústria de Hanover ao lado da chanceler Angela Merkel (acima). Durante o encontro, a líder alemã a Putin e a Rússia uma "oportunidade às organizações não governamentais e às múltiplas associações das quais sabemos, aqui na Alemanha, que são um motor para a inovação". A declaração foi uma referência às operações na Rússia contra várias ONGs internacionais, incluindo fundações políticas alemãs. Merkel e Putin também homenagearam as vítimas do nazismo em um cemitério para trabalhadores forçados perto de Hanover, onde estão enterradas 386 vítimas assassinadas pela Gestapo em 1945, incluindo 154 russos. Merkel se viu pressionada a expressar sua preocupação com Putin, não apenas na questão das ONGs, mas também a respeito das diferenças entre os países em relação à guerra civil na Síria e ao resgate financeiro ao Chipre, cujo arquiteto era Berlim. Em seu discurso no evento, Putin realçou o poderio da economia russa, lembrando que "apesar da crise financeira global, o país vem se desenvolvendo de forma positiva". Antes da visita, em entrevista à TV alemã ARD, Putin lembrou que a Alemanha é hoje a maior parceira econômica do país, cuja balança comercial alcançou US$ 74 bilhões. Segundo ele, a União Europeia representa 50% da movimentação econômica da Rússia. Sobre o Chipre, Putin disse que Rússia entende que não há necessidade de impor confiscos de ativos aos depositantes dos bancos cipriotas e que as condições de empréstimo de capitais podem perfeitamente ser bem discutidas entre todas as partes. Ele disse que a Rússia já prestou socorro financeiro ao Chipre e não impôs exigências draconianas. Perguntado se o problema da ilha, chamada atualmente de “pequena Rússia do Mediterrâneo”, não seria a lavagem de dinheiro, Putin respondeu: “As acusações de que Chipre se presta a lavar dinheiro precisam ser provadas. Será que os autores de tais acusações desconhecem as regras elementares da responsabilidade jurídica? Uma destas regras é a da presunção de inocência que deve ser atribuída a quem se vê alvo de acusações de atos ilícitos. Então, partindo-se deste princípio, como se pode dizer que todos os depositantes dos bancos cipriotas agem ilegalmente? É preciso ter provas para dizer isso. Provas bem consistentes, por sinal”. Enquanto enfrenta oposição na Europa, analistas dizem que Putin se aproxima da Ásia e se preocupa com o Afeganistão. Ontem, o presidente afegão Hamid Karzai afirmou que o acordo de segurança com os Estados Unidos, posterior à retirada das tropas aliadas em 2014, poderia ser afetado se civis continuassem sendo mortos em ações da Otan. "A continuação (destes incidentes) poderia impactar as relações entre EUA e Afeganistão e, inclusive, nos esforços por concluir um pacto de segurança bilateral", declarou Karzai ao presidente americano, Barack Obama, numa conversa telefônica. A advertência do líder afegão veio à tona depois que dez crianças e uma mulher foram mortos num bombardeio da organização militar liderada por Washington. Outra preocupação é a instabilidade no Paquistão. Ontem, as forças armadas paquistanesas informaram que testaram "com sucesso" uma versão melhorada do míssil balístico Hatf IV, com alcance de 900 quilômetros e capacidade para levar ogivas nucleares. De acordo com um comunicado oficial, o míssil atingiu as águas do mar Arábico. Com essa versão que melhora "seu alcance e seus parâmetros técnicos", o Hatf IV "consolida e fortalece a capacidade de dissuasão do Paquistão", acrescentou o texto. Paquistão e Índia, rivais que travaram três guerras desde sua independência em 1947, costumam testar seus mísseis com capacidade nuclear com poucos dias de diferença entre os testes de um e de outro. O de ontem, por exemplo, acontece apenas três dias depois de as Forças Armadas indianas terem provado o míssil balístico terra-terra Agni II, com capacidade nuclear e alcance de mais de dois mil quilômetros. 

No dia em que o presidente Kim Jong-un celebra seu primeiro aniversário como líder do país, a Coreia do Norte colocou hoje (11) pelo menos um míssil em posição de disparo, alimentando preocupações de que um lançamento seja iminente, disse um funcionário do governo dos EUA à CNN. Diante de crescentes ameaças norte-coreanas, a Coreia do Sul convidou Pyongyang ao diálogo. O ministro da Unificação sul-coreano Ryoo Kihl-jae, que havia afirmado na segunda-feira não ter intenção de falar com Pyongyang tão cedo porque não acreditava em “resultados concretos”, disse esperar que as autoridades “norte-coreanas saiam para a mesa de diálogo”. Em um comunicado transmitido nacionalmente, ele lamentou a recente decisão do Norte de suspender a operação do complexo industrial Kaesong, o maior símbolo de cooperação entre as Coreias, e pediu ao país vizinho para não elevar ainda mais as tensões na península coreana. Numa reunião em Londres, os países do G8 pediram à Coreia do Norte que evite mais provocações. Em Washington, durante audiência comitê de Inteligência da Câmara dos Representantes dos EUA, acompanhado do diretor da CIA, John Brennan, o diretor nacional de Inteligência dos Estados Unidos, James Clapper, afirmou que o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, quer "consolidar" seu poder com as ameaças de atacar interesses estadunidenes. Para ele, a "retórica beligerante" usada pelo líder norte-coreano é destinada a um público interno, mas também à comunidade internacional, já que busca um "reconhecimento do mundo" e, concretamente, "dos Estados Unidos". Segundo ele, Kim, que chegou ao poder após a morte de seu pai Kim Jong-il em dezembro de 2011, quer demonstrar que a Coreia do Norte pode competir como potência nuclear. "Isso lhe dá direito à negociação e, provavelmente, a (receber) ajudas", afirmou. Na Casa Branca, o presidente Barack Obama entregou a Medalha de Honra póstuma à Ray Kapaun, sobrinho do Capitão Emil J. Kapaun, do Exército dos EUA, no Salão Leste (acima) por seu heroísmo durante operações de combate em Unsan, na Coreia do Norte, e como prisioneiro de guerra em 1950 durante o conflito na península coreana. Na China, Zhang Liangui, professor do Instituto Internacional de Estudos Estratégicos, acredita que a possibilidade de guerra na região é bastante alta, estimando em 70%. Segundo o analista, caso não seja possível evitar o conflito, as partes interessadas "devem imediatamente começar negociações" para conseguir evitar tal crise no futuro e garantir a desnuclearização da península. Ele frisou que Pequim deve refletir sobre seu papel na resolução do problema. As movimentações militares estão crescendo a cada dia. Os Estados Unidos já desembarcaram radar marítimo de Banda X (SBX-1) para controlar lançamento de mísseis do território da Coreia do Norte. Ontem, EUA e Coreia do Sul elevaram o nível de vigilância e reconhecimento na Coreia do Norte face às notícias sobre a prontidão da Coreia do Norte para lançar um míssil balístico de médio alcance. Segundo o Ministério da Defesa japonês, baseado em dados de reconhecimento espacial, pelo menos um míssil balístico foi colocado no estado operacional na costa oriental da Coreia do Norte. Ontem, Pyongyang ameaçou transformar o Japão num "campo de batalha", com possíveis ataques a suas principais cidades, entre elas Tóquio, Osaka e Kioto, caso os japoneses produzam movimentos que provoquem o início de um conflito armado. Em um editorial publicado pelo jornal "Rodong Sinmundo", órgão oficial do Partido dos Trabalhadores norte-coreano, o regime também ameaçou causar a "destruição" do Japão se esse país agir politicamente contra a Coreia do Norte, num momento de elevada tensão na península pelas contínuas ameaças bélicas norte-coreanas. "O atual regime japonês está optando pelo risco militar, intensificando sua política hostil à Coreia do Norte, em linha com a política dura dos EUA de reprimir com a força das armas", assinala o editorial. No mesmo dia, formalmente, as autoridades sul-coreanas responsabilizaram a Coreia do Norte por ataques cibernéticos direcionados a milhares de computadores e servidores no mês passado. A China proibiu a passagem de turistas pelo posto de fronteira de Dandong, que dá acesso à Coreia do Norte. "As agências de viagens não estão mais autorizadas a operar por aqui. O governo norte-coreano está exigindo a saída dos estrangeiros", informou um funcionário local, acrescentando que o trânsito comercial permanece. Na última segunda-feira (8), governo chinês afirmou que está preocupado com a tensão na península coreana e que deseja a "paz e não a guerra" na região. "Trata-se de aliviar a tensão e não de fomentar a rivalidade", disse o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores chinês, Hong Lei, em entrevista coletiva. Ele assegurou que a China "se opõe a qualquer tipo de atuação que ameace a paz e a estabilidade da região". "Uma solução adequada serve ao interesse comum de todas as partes implicadas", acrescentou o porta-voz. O funcionário também lembrou os "grandes esforços" que a China empreendeu para resolver o conflito. Na véspera, o presidente da China, Xi Jinping, disse em discurso no Fórum de Boao - alternativa asiática a Davos - que nenhum país "deveria lançar uma região e inclusive o mundo inteiro no caos por benefícios egoístas". No mesmo dia da declaração, os Estados Unidos adiaram um teste de míssil balístico intercontinental, numa tentativa de reduzir a tensão na península coreana. "Queremos evitar uma má interpretação ou manipulação", disse a fonte, antes de completar, no entanto, que Washington está decidido a testar seus mísseis balísticos intercontinentais "para garantir um arsenal nuclear seguro e eficaz". No sábado (6), num comunicado da Chancelaria chinesa, o ministro Wang Yi manifestou uma “séria inquietação” perante “a crescente tensão na península coreana” e afirmou que Pequim “não iria tolerar que problemas fossem criados” na região e “às portas da China”. A diplomacia chinesa foi favorável à adoção de sanções contra a Coreia do Norte devido ao teste nuclear realizado na região.

Os capitalistas Tico e Teco voltaram a conversar sobre o mundo contemporâneo, acompanhados pela diarista Aparecida e pela filha Bytes, no dia 11de abril de 2013, nos 50 anos da encíclica “Paz na Terra”.

Tico: No dia de hoje o papa João XIII publicou a Encíclica “Paz na Terra”. Ela foi publicada seis meses após a Crise dos Mísseis de Cuba, durante o auge da Guerra Fria, quando um conflito nuclear era considerado possível pela comunidade internacional. Naquele tempo Washington instalou mísseis nucleares na Turquia, tendo recebido como resposta a criação de um sistema similar em Cuba por Moscou. No clima de instabilidade ainda reinante, João XXIII publicou a encíclica enquanto se desenrolava o Concílio Vaticano II. No primeiro capítulo, a “ordem do universo”, o papa escreveu: “A paz na terra, anseio profundo de todos os homens de todos os tempos, não se pode estabelecer nem consolidar senão no pleno respeito da ordem instituída por Deus. O progresso da ciência e as invenções da técnica evidenciam que reina uma ordem maravilhosa nos seres vivos e nas forças da natureza. Testemunham outrossim a dignidade do homem capaz de desvendar essa ordem e de produzir os meios adequados para dominar essas forças, canalizando-as em seu proveito. Mas o avanço da ciência e os inventos da técnica demonstram, antes de tudo, a infinita grandeza de Deus, criador do universo e do homem. Foi ele quem tirou do nada o universo, infundindo-lhe os tesouros de sua sabedoria e bondade. Por isso, o salmista enaltece a Deus com estas palavras: Senhor, Senhor, quão admirável é o teu nome em toda a terra (Sl 8, 1). Quão numerosas são as tuas obras, Senhor! Fizeste com sabedoria todas as coisas (Sl 103, 24). Foi igualmente Deus quem criou o homem à sua imagem e semelhança (cf. Gn 1, 26), dotado de inteligência e liberdade, e o constituiu senhor do universo, como exclama ainda o Salmista: Tu o fizeste pouco menos do que um deus, coroando-o de glória e beleza. Para que domine as obras de tuas mãos sob seus pés tudo colocaste (Sl 8,5-6)”. Há “meio século”.

Teco: No dia de hoje o imperador francês Napoleão Bonaparte renunciou ao trono. Em 1810, apesar dos problemas na península Ibérica, os franceses eram os senhores de boa parte da Europa ocidental. A partir dessa época, porém, uma sucessão de obstáculos acabaria levando ao esgotamento do Império. Na própria França o prestígio de Napoleão estava abalado em todas as camadas sociais em consequência do despotismo do regime e da continuidade das guerras. Não só as baixas eram grandes, mas também milhares de jovens tentavam escapar do serviço militar. Quanto mais se intensificavam as manifestações de oposição, mais o governo recorria à censura aos jornais e aos livros e à repressão policial. Essas medidas aumentavam o descontentamento da maioria dos franceses. No plano externo, a França não conseguia vencer a resistência dos ingleses, que frequentemente encabeçavam coligações formadas com outros países adversários, como a Áustria e a Prússia, para derrotar o imperador. O Bloqueio Continental era também cada vez mais desrespeitado. No mesmo ano, czar russo Alexandre I rompeu o acordo com a França e promoveu uma reaproximação com a Inglaterra; em represália, Napoleão e suas tropas invadiram a Rússia em 1812. Foi a grande derrocada militar. Apesar de terem tomado Moscou, os franceses não conseguiram a vitória. Logo na chegada, depararam com a cidade deserta e em chamas, não conseguiram abrigo para descansar nem alimentos para repor as forças das tropas e dos cavalos famintos. Também não encontraram os inimigos. Era um “blefe” militar. A manobra representou um desastre para o exército francês. A derrota fortaleceu a Inglaterra e seus aliados. Arruinado, Napoleão teve de renunciar ao trono francês, em 1814, e foi exilado na ilha de Elba. Os vitoriosos ocuparam a França, restabeleceram a monarquia dos Bourbon e conduziram ao trono Luís XVIII, irmão do rei guilhotinado em 1793. Há 199 anos.

Bytes: No dia de hoje nascia, há 96 anos, o empresário brasileiro José Datrino, mais conhecido como “Projeta Gentileza”. : Desde sua infância ele era possuidor de um comportamento atípico. Por volta dos treze anos de idade, passou a ter premonições sobre sua missão na terra, na qual acreditava que um dia, depois de constituir família, filhos e bens, deixaria tudo em prol de sua missão. Por coincidência ou não, Datrino largou tudo após um grande incêndio "Gran Circus Norte-Americano", a maior tragédia no Brasil com 500 mortos, a maioria crianças. Na antevéspera do Natal, seis dias após o acontecimento, José acordou alegando ter ouvido "vozes astrais", segundo suas próprias palavras, que o mandavam abandonar o mundo material e se dedicar apenas ao mundo espiritual. Ele pegou um de seus caminhões e foi para o local do incêndio onde hoje é a Policlínica Militar de Niterói e plantou uma horta sobre as cinzas do circo. O empresário confortou as famílias das vítimas e abandonou o seu lado material, vivendo nas ruas onde passou a escrever frases nos muros de viadutos. ". A partir de 1980, escolheu 56 pilastras do viaduto da Avenida Brasil, que vai do Cemitério do Caju até o Terminal Rodoviário do Rio de Janeiro, numa extensão de aproximadamente 1,5 km. Ele encheu as pilastras do viaduto com inscrições em verde-amarelo. Aos que o chamavam de louco, ele respondia: - "Sou maluco para te amar e louco para te salvar”. A frase mais famosa é “Gentileza gera gentileza”. A sua história gerou a música “Gentileza” na voz de Gonzaguinha e de Mariza Monti. A restauração das frases gerou reportagem do “Jornal Nacional”.

Aparecida: No dia de hoje morreu, há 123 anos, o britânico Joseph Merrick, o “homem elefante”. Nascido com doença congênita que lhe deformou sua aparência física, ele foi rejeitado pela madrasta e acabou fugindo de casa. Com dificuldade de encontrar emprego, acabou sendo empregado num circo onde sua deficiência física era apresentada como atração aos espectadores. Quando os shows de aberrações foram proibidos por lei no Reino Unido, em 1886, Joseph partiu, em busca de emprego, para a Bélgica, onde foi maltratado e abandonado por um empresário do ramo de espetáculos, que ainda lhe roubou as economias. De volta a Londres, Joseph, sem querer, causou um tumulto na estação ferroviária de Liverpool. Devido à grave bronquite de que sofria, mal conseguia falar, ao que se juntavam os movimentos difíceis por causa das deformidades. A polícia lhe arranjou um quarto permanente no Hospital de Londres, onde trabalhava. Acabou atraindo a atenção da corte da rainha Vitória. Ele morreu, aos 27 anos. A sua história foi retratada como base para o roteiro do filme “O Homem elefante”.

Bytes: Hoje é o Dia Mundial da Doença de Parkinson. Os principais sintomas do mal de Parkinson são lentidão de movimentos, rigidez muscular, tremores, alterações no equilíbrio que acarretam dificuldades para exercer as atividades diárias. A doença ocorre quando certos neurônios morrem ou perdem a capacidade de atuar no controle dos movimentos do corpo. Estima-se que existam cerca de 200 mil casos da doença no Brasil, e a maior parte está concentrada nas regiões Sul e Sudeste, responsáveis por um total estimado de 64 mil casos. Hoje a Associação de Parkinson do Rio Grande do Sul promoveu palestras aos familiares sobre o assunto.

Aparecida: Por falar no mal de Parkson, a apresentadora Xuxa, após participar de uma passeata no Leblon a favor da Conscientização do Autismo no último domingo, postou no Facebook, sobre o drama que tem vivido com a mãe, Dona Alda: "Mal de Parkinson em último estágio", explicou a apresentadora a uma fã. Há dias ela explicou a razão de estar sumida das redes sociais: ."Oi gente! Já estou em casa... Desculpe não ter falado com vocês esses dias... Minha mãe está dodói demais. Por favor, rezem por ela (está difícil de respirar). Apenas peço de coração... Rezem por ela , ela quer tanto ver a Sasha fazer 15 anos, me ver feliz (meus irmãos)... Só isso! É um anjo", escreveu Xuxa, que em menos de segundos recebeu mensagens de apoio de seus fãs.

Bytes: Por falar em oração, o papa pediu no último domingo, data de posse oficialmente como bispo de Roma, que os católicos não praticantes não tenham medo de voltar a Deus. Hoje, ele homenageou o “meio século” da encíclica “Paz na Terra”. "Que este aniversário seja um incentivo ao compromisso de promover a reconciliação e a paz", declarou o papa ao lembrar o legado do "Papa Bom".

Aparecida: Anteontem, o novo papa recebeu o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, numa audiência privada. “Há ideias e objetivos comuns entre a Santa Sé e a ONU”, disse o sul-coreano a Francisco. Para o líder da ONU, “foi uma grande honra se reunir com o papa, um dos grandes líderes espirituais do mundo”.

Bytes: Hoje o Vaticano desmentiu que o papa emérito Bento XVI esteja gravemente doente, como afirmou a imprensa espanhola. Para o porta-voz, padre Federico Lombardi, a veterana jornalista, autora de vários livros sobre o Vaticano, se baseou apenas nas imagens da TV e a partir delas "começou a especular". "O Papa assumiu um pontificado difícil com uma idade avançada. Era uma pessoa idosa que teve que trabalhar muito duro", explicou.

Aparecida: O cardeal-patriarca de Fátima, D. José Policarpo, disse que o novo bispo de Roma quer dedicar o seu papado à Nossa Senhora de Fátima.  “Foi muito claro ao afirmar que o modelo da Igreja que o atrai é uma Igreja pobre, a serviço dos pobres”, disse Policarpo, acrescentando que Francisco teve a “ousadia” de ilustrar a sua posição “nos símbolos exteriores”. Segundo o jornalista Gerson Camarotti, com fontes no Vaticano, o papa está decidido a desmembrar a toda poderosa Secretaria de Estado em três ministérios.

Bytes: Anteontem, Francisco apelou para que os cristãos sejam “pacíficos” e não “bisbilhotem” a vida alheia. Ele ressaltou que o desafio do homem é se abrir para a vida espiritual e compreender seu significado. “É um caminho difícil porque depende principalmente do Espírito, mas também de nossa capacidade de nos abrirmos a seu sopro”, disse o pontífice. “Os primeiros cristãos viviam na unidade, em um só coração e alma, no amor mútuo”, acrescentou. O papa alertou que as fofocas são o primeiro inimigo desse comportamento. “Bisbilhotar, fofocar sobre o próximo, criticar, que são coisas do cotidiano, que ocorrem também comigo, são tentações do maligno, que não quer que o Espírito traga paz e harmonia às comunidades cristãs”. Segundo Francisco, o comportamento correto é claro. “Não julgar ninguém, porque o único juiz é o Senhor. Ficar calado ou se tivermos que dizer algo, dizê-lo apenas aos interessados, e não a todo o bairro. Esse seria um passo adiante, que faria bem a todos nós”. E citou a conversa entre Nosso Senhor Jesus Cristo e Nicodemos, príncipe dos judeus.

Aparecida: Ah, entendi! Está no Livro de João, o “discípulo amado”, acerca do Espírito Santo: E havia entre os fariseus um homem, chamado Nicodemos, príncipe dos judeus. Este foi ter de noite com Jesus, e disse-lhe: Rabi, bem sabemos que és Mestre, vindo de Deus; porque ninguém pode fazer estes sinais que tu fazes, se Deus não for com ele. Jesus respondeu, e disse-lhe: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus. Disse-lhe Nicodemos: Como pode um homem nascer, sendo velho? Pode, porventura, tornar a entrar no ventre de sua mãe, e nascer? Jesus respondeu: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus. O que é nascido da carne é carne, e o que é nascido do Espírito é espírito. Não te maravilhes de te ter dito: Necessário vos é nascer de novo. O vento assopra onde quer, e ouves a sua voz, mas não sabes de onde vem, nem para onde vai; assim é todo aquele que é nascido do Espírito. Nicodemos respondeu, e disse-lhe: Como pode ser isso? Jesus respondeu, e disse-lhe: Tu és mestre de Israel, e não sabes isto?

Tico: Qual foi a importância da ex-primeira-ministra Margareth Thatcher?

Teco: Ela deu vida ao que estava morto. E garantiu a liberdade no mundo. Thatcher foi produto do início da Era Digital de compressão tempo-espaço. Fulminou o “mundo socialista” e a sua maior ameaça: a “servidão coletiva”. Mudou a mentalidade do sindicalismo tornando-o mais proeminente em tempos de que o “conteúdo” será maior do que a “forma”. Mas seu legado é ambivalente. Apesar de ter tirado a Inglaterra do caos econômico, levando o país a um crescimento impressionante com discurso de redução de “impostos”, caiu por querer “impor” à população uma taxa indigesta, mesmo que recaísse para os mais pobres. O atual líder conservador, David Cameron, teve que enfrentar como legado o saque às lojas de jovens de classe média frustrados por estarem sendo impedidos de consumir freneticamente por causa da crise econômica. “Não há outro caminho senão o neoliberalismo”, vaticinou Mrs. Thatcher a seus seguidores. Entrará para a galeria dos grandes líderes do século XX em correspondência à sua importância no “espaço-tempo”. Para os capitalistas, meia palavra basta.

Bytes: A gente estava comentando lá na facû que a Thatcher representa o “orgulho inglês” de estar vendo a solução acima dos outros companheiros de viagem. Ela incorporou esta imagem, principalmente na classe média. O “olhar perspicaz”, sempre acima do estadunidense, na busca da “obsessão anglo-saxã” desde a Era Vitoriana: o “tempo real”.

Aparecida: Segundo os jornais, Thatcher continuou dividindo a nação mesmo depois de morta. Enquanto muitos lhe faziam homenagens, outros celebravam com champanhe a sua morte. Como você viu a reação na imprensa em relação à morte de Thatcher?

Bytes: Um professor nos contou da repercussão nas redações repleta de “socialistas”. Os de direita ficaram de “luto” e prestigiaram a sua líder para impedir qualquer desvio de suas ideias. Há praticamente um mês antes os de esquerda foram os que ficaram enlutados pela morte de seu líder Hugo Chávez. Eles se sentiram menos “livres” de reverenciá-los e acusaram a “imprensa burguesa” por castrar a “liberdade de expressão”.

Aparecida: Qual é a diferença entre os dois políticos?

Bytes: A diferenciar podemos apontar que não há planos para “mumificar” Mrs. Thatcher, mas a festa será de milhões de libras para lembrar a defesa do “mérito”.

Aparecida: Nicolás Maduro, o presidente interino da Venezuela e candidato do governo à Presidência na eleição do dia 14, anunciou que o gabinete do falecido chefe de Estado venezuelano, no Palácio de Miraflores, será preservado como um “museu”. "Vamos transformar boa parte de Miraflores em um museu histórico da revolução e vamos deixar intacto o gabinete do comandante Chávez", disse Maduro num comício no estado de Anzoátegui. "Vai ser um museu para que o povo entre e conheça onde trabalhava, onde vivia e como vivia o comandante Chávez", acrescentou. Em entrevista à “Folha”, Maduro disse que o país enfrenta uma “guerra econômica” e que se inspira na “ética” e na liderança de Lula.

Bytes: Na Rússia, os comunistas pretendem se opor vigorosamente a qualquer tentativa de retirar o corpo de Lenin do mausoléu, declarou o secretário do Comitê Central do Partido, Vladimir Kashin. No fim de março, durante uma reunião na Duma de Estado,  foi discutida a possibilidade de "retirar o corpo de Lenin da Praça Vermelha, sem provocar protestos da esquerda". Quem iniciou a discussão foi o Partido Liberal Democrático de Vladimir Zhirinovsky. De acordo com os comunistas, isso comprova que o governo Putin já decidiu enterrar o corpo de Lenin. "O partido de Vladimir Zhirinovsky não faz nada sem objetivo, especialmente quando se trata do evento de tanta significação política", reagiu Kashin.

Aparecida: Por falar em comunismo, o PC do B enviou uma carta à embaixada da Coreia do Norte em Brasília em solidariedade a Pyongyang. Na carta, os comunistas reproduzem as últimas falas do mandatário norte-coreano, dizendo que os Estados Unidos têm "participação direta" na escalada da tensão no leste asiático e afirmadndo que a Coreia do Sul é uma "fantoche aliada" dos estadunidenses, cujos "parceiros (...) ameaçam a paz no mundo e da região". Os comunistas divulgaram a carta com a assinatura do PT, que negou concordar com o ponto de vista. O que você acha?

Bytes: O colega gaiato lá da facû comentou: “Se não assinou, é a opinião da maioria dos integrantes do partido”. E projetou um cenário com o PT se eternizando no poder. “Em reunião do Partido dos trabalhadores brasileiro, o mandatário copiará o discurso que Kim Jong-un fez no domingo retrasado no PT norte-coreano: Nosso poder nuclear é um meio confiável de impedir uma guerra e uma garantia de proteção de nossa soberania. A nota seria lida pelo então presidente do partido José Dirceu”. Eu não assinei embaixo, mas achei a visão muito interessante por representar bem a mentalidade dos socialistas sobre a via militar.

Aparecida: Por falar em via militar, escreveu o jornalista Mauro Santayana no “JB Online” o artigo “Forjemos nossas armas”: O governo da Presidente Dilma Roussef decidiu alterar as leis sobre a indústria bélica e editar normas para a política de defesa, que incentivam a produção nacional de armas e o desenvolvimento de processos tecnológicos autônomos. Os nossos leitores habituais devem recordar-se de matéria sobre o assunto que publicamos neste mesmo Jornal do Brasil sobre o tema em 16 de agosto do ano passado. No texto, citávamos a dramática advertência do general Maynard Santa Rosa: em caso de agressão estrangeira, só dispomos de munição para uma hora de resistência. Um dos maiores erros dos governos de Fernando Collor e Fernando Henrique Cardoso, se não o mais grave, foi desarmar o Brasil. A doutrina FHC se baseava no falso conformismo de que jamais poderíamos nos defender do poderio bélico norte-americano e seria melhor transformar as forças armadas em corpos policiais destinados ao combate ao tráfico de drogas, sob o comando continental dos Estados Unidos, of course.

Bytes: Por falar em FHC, o ministro da Defesa, Celso Amorim, afirmou, anteontem, que espera para este ano o fechamento da compra de 36 caças para a Força Aérea Brasileira dentro do programa F-X2 que se arrasta desde o governo Fernando Henrique. Segundo ele, “o Brasil tem pressa”. O ministro da Defesa brasileiro sublinhou que a América do Sul é uma zona de paz” e sustentou o seu “ponto de vista”: "Por que tanta ênfase na defesa, então, se o entorno é absolutamente tranquilo? A resposta a este paradoxo é que o mundo é imperfeito. Os conflitos não foram banidos da face da Terra, novas ameaças sempre são sublinhadas. Existem as velhas ameaças", acrescentou, citando o advento do pré-sal em seu argumento.

Aparecida: Por falar em América do Sul, a Cristina Kirchner reeditará a Guerra do Atlântico Sul?

Bytes: Ela garante que não porque irá até ao fim pela via democrática. Mas se acontecer poderá inflar Cameron. Apesar da história não se repetir da mesma forma, mas com outra roupagem, o que podemos garantir é que os ingleses porão a bandeira na janela para exprimir o seu orgulho da “superioridade militar”. Naquele tempo foi o que salvou Mrs. Thatcher no poder que, assim, aprofundou as chamadas “reformas”. Viva a história, a “soberana!” Viva!

Aparecida: Por falar em Reino Unido, a balança comercial registrou déficit de £ 3,6 bilhões em comparação a um déficit de £ 2,4 bilhões em janeiro. As exportações caíram 1,1% entre janeiro e fevereiro. Já as importações cresceram 1,7% no período. Já a Produção Industrial do Reino Unido avançou 1,0% em fevereiro de 2013, em comparação com o mês anterior. O que você acha? Vai haver alguma reforma?

Bytes: O primeiro-ministro David Cameron destacou na edição de domingo do jornal “The Sun” que o sistema de bem-estar promovido pelo Estado "perdeu o rumo" e virou um "estilo de vida" para alguns britânicos. "O Estado de bem-estar foi criado para ajudar as pessoas a sair da pobreza, mas muitas pessoas ficam presas dentro do sistema. Devia ser uma medida provisória em tempos difíceis, mas se tornou para muitos um estilo de vida", afirmou Cameron. "Ninguém quer trabalhar duro e ver que sua renda, recebida com sacrifício, financia coisas que alguém não pode bancar ou mantém gerações sob a dependência", acrescentou. Segundo ele, as “reformas” virão ainda este mês. “São mudanças ditadas por um princípio simples: restabelecer a justiça que deveria estar no centro de nosso sistema social e de nosso regime tributário", avaliou. "Dizemos a todas as pessoas que trabalham duro em nosso país: estamos a seu lado", finalizou.

Aparecida: E como pensa o governo dos Estados Unidos?

Bytes: Deu no jornal “O Globo” de 8 de abril de 1963, cuja manchete foi “Vitorioso, o Exército argentino mantém a promessa de eleições”: “Simultâneamente à prisão do almirante Isaac Rojas, um dos líderes da sangrenta revolta iniciada têrça-feira pela Marinha, os chefes legalistas proclamaram a vitória do Exército da Aeronáutica sôbre as fôrças que tentavam impor uma ditadura na Argentina e reafirmaram a promessa de eleições, mas sem referência à data marcada (23 de junho”). E mais: “A UNE não pode receber verba do MEC, quanto mais empregá-la em financiamento de jornal subversivo. Foi o que declarou ontem o deputado Raimundo Padilha, que pediu a instauração de Comissão Parlamentar de Inquérito para apurar o emprêgo das verbas destinadas à UNE pelo govêrno federal”. E mais: “Sábado, o comandante do I Exército, general Osvino Ferreira Alves, afirmou que nunca teve tanto orgulho em obedecer quanto nesta hora em que percebe pleno apoio e incentivo do presidente da República – um Getúlio redivivo – às reformas de base e ao que chamou de legítimos anseios dos trabalhadores. Disse, também, que êle, general, não poderá desejar majestade mais expressiva do que a de dar garantia ao povo para que êste se reúna em praça pública no Rio a fim de desagravar seu presidente e manifestar suas justas aspirações”.

Aparecida: Deu no jornal “O Globo” de 8 de abril de 2013, 50 anos depois: “O nó na energia elétrica. Atraso em obras dobra risco de racionamento. Na geração, 48% dos projetos do país para 2014 estão fora do cronograma”. E mais: “Caçada a bandidos. Preso menor que atacou americana”. E mais: “Óleo no litoral paulista. Prefeitura ameaça acionar Petrobrás. Após o vazamento de óleo de um terminal da Petrobrás, a prefeitura de São Sebastião (SP), estuda pedir indenização à estatal na Justiça. A limpeza ainda não foi concluída. O óleo já chegou à vizinha Cataguatatuba”. E mais: “Capriles atrai multidão em Caracas. No maior comício de oposição já realizado no país desde 1999 – quando Hugo Chávez foi eleito – Henrique Capriles levou centenas de milhares de pessoas à Avenida Bolívar, em Caracas, bastião chavista. Eleitores ocuparam prédios abandonados para ver o candidato. A eleição é no domingo. O presidente interino, Nicolás Maduro, mantém a liderança”.

Bytes: Deu na “Folha” do dia 8 de abril de 1963: “Missão do FMI dia 15 no Rio; Dantas depois no exterior”.

Aparecida: Qual é o nome da receita de Mrs. Thatcher?

Bytes: Pergunte ao “paciente inglês”. Para os capitalistas, meia palavra basta.

Aparecida: Ah, entendi! Revelou Nosso Senhor Jesus Cristo aos seus discípulos: “Porque o reino dos céus é semelhante a um homem, pai de família, que saiu de madrugada a assalariar trabalhadores para a sua vinha. E, ajustando com os trabalhadores a um dinheiro por dia, mandou-os para a sua vinha. E, saindo perto da hora terceira, viu outros que estavam ociosos na praça, e disse-lhes: Ide vós também para a vinha, e dar-vos-ei o que for justo. E eles foram. Saindo outra vez, perto da hora sexta e nona, fez o mesmo. E, saindo perto da hora undécima, encontrou outros que estavam ociosos, e perguntou-lhes: Por que estais ociosos todo o dia? Disseram-lhe eles: Porque ninguém nos assalariou. Diz-lhes ele: Ide vós também para a vinha, e recebereis o que for justo. E, aproximando-se a noite, diz o senhor da vinha ao seu mordomo: Chama os trabalhadores, e paga-lhes a jornada, começando pelos últimos, até chegar aos primeiros. E, chegando os que tinham ido perto da hora undécima, receberam um dinheiro cada um. Vindo, porém, os primeiros, cuidaram que haviam de receber mais; mas do mesmo modo receberam um dinheiro cada um. E, recebendo-o, murmuravam contra o pai de família, dizendo: Estes derradeiros trabalharam só uma hora, e tu os igualaste conosco, que suportamos a fadiga e a calma do dia. Mas ele, respondendo, disse a um deles: Amigo, não te faço agravo; não ajustaste tu comigo um dinheiro? Toma o que é teu, e retira-te; eu quero dar a este derradeiro tanto como a ti. Ou não me é lícito fazer o que quiser do que é meu? Ou é mau o teu olho porque eu sou bom? Assim os últimos serão os primeiros, e os primeiros os últimos; porque muitos são chamados, mas poucos escolhidos”.

Os candidatos à presidência da Venezuela, Nicolás Maduro e Henrique Capriles, encerram hoje (11) a breve campanha eleitoral que antecede as eleições deste domingo. Ontem, pelo menos 14 pessoas ficaram feridas em confronto entre opositores e chavistas durante um ato de Capriles na cidade de Mérida. De acordo com informações do jornal “El Universal”, militantes que apoiam o presidente em exercício saíram às ruas para “amedrontar” as pessoas que participaram da concentração do líder opositor. “Motorizados, vestidos de vermelho e com os rostos tampados, agrediam as pessoas que saíram correndo. E inclusive tentaram aprisionar algumas pessoas em um portão de ferro com acesso ao estacionamento do Palácio Arcebispal. A força foi tanta que derrubou o portão e caiu em cima de três pessoas: um padre, uma professora e um senhor, que foi levado imediatamente para o hospital”, disse o arcebispo de Mérida, Baltazar Porras. Já Maduro acusou os Estados Unidos de financiar o candidato oposicionista. Ele pediu aos seus eleitores que a vitória seja por “nocaute”. O socialista disse também num comício em Caracas que os donos do canal privado Globovisión, muito crítico do governo, venderam a emissora porque sabem que a oposição perderá as eleições presidenciais do próximo domingo. "Eles venderam esta fábrica televisiva porque sabem que iam perder as eleições e se vão deste país", disse Maduro. "Seguramente se abrirão as comportas desta fábrica televisiva à democracia verdadeira, ao respeito ao povo", acrescentou. Segundo uma pesquisa da empresa Datanálisis publicado numa nota do banco Credit Suisse, o candidato chavista tem quase 10% de vantagem sobre o seu opositor. "Uma pesquisa da Datanálisis mostra que Nicolás Maduro tem uma vantagem sobre Henrique Capriles na intenção de voto de 9,7 pontos percentuais, uma margem mais estreita que nas pesquisas anteriores", indicou o Credit Suisse no relatório, ao qual a agência de notícias AFP teve acesso. Na reta final de campanha, Maduro prometeu aumentar em até 45% o salário mínimo do país, medida esperada após a desvalorização da moeda em fevereiro. Segundo ele, o aumento será escalonado e real: acréscimo de 32%, acima da inflação de 20,1%. O oposicionista Capriles já havia prometido elevar o salário mínimo em cerca de 40% para compensar "a perda de poder aquisitivo" após a desvalorização de 32% do bolívar diante do dólar, em fevereiro. Nas promessas de Maduro estão a recuperação do sistema elétrico um programa de combate à corrupção e uma nova ofensiva contra a insegurança, o principal problema segundo os venezuelanos. Confiante na vitória, o candidato governista, que carrega um quadro com a imagem do presidente Hugo Chávez (acima), convocou o povo para a data da posse. "Convido toda a Venezuela para ir a Caracas no dia 19 de abril, porque será o dia em que vou tomar posse como presidente da República Bolivariana da Venezuela, em 19 de abril, eu os convido desde já", disse ontem Maduro num ato de campanha no estado de Trujillo. O mesmo discurso tem Capriles. Em entrevista ao jornal “O Globo”, mesmo com o anúncio do jogador argentino Diego Maradona no comício do candidato governista, ele disse: “Me atrevo a dizer que ganharemos”. No domingo (7), Capriles reuniu milhares de pessoas na capital Caracas, apesar da perspectiva seja a vitória do candidato do governo. A Unasul (União das Nações Sul-Americanas), organização composta pelos 12 países da América do Sul, enviará uma missão de acompanhamento eleitoral à Venezuela para evitar contestação por parte dos candidatos. Na Argentina, a presidente Cristina Kirchner resolveu acelerar as “reformas” na área do judiciário. O projeto estabelece que os membros do Conselho da Magistratura (equivalente ao Conselho Nacional de Justiça no Brasil) devem passar a ser eleitos por voto popular. O órgão será, ainda, ampliado de 13 para 19 membros, incluindo pessoas de qualquer profissão. Completam a proposta medidas de restrição para a emissão de liminares. "Queremos um Judiciário mais eficiente, que resolva com mais celeridade os litígios e questões que os cidadãos comuns enfrentam cotidianamente", disse o ministro da Justiça, Julio Alak. Ontem, Cristina determinou o congelamento dos preços dos combustíveis em todos os postos do país pelos próximos seis meses. A medida é tomada um mês após a instituição do limite de preços nos supermercados e nas lojas de eletrodomésticos. A imprensa argentina, que faz oposição ao governo, acusou o limite de propaganda dos supermercados e lojas de eletrodomésticos de publicarem anúncios em suas páginas como uma estratégia da presidente. "La Nación", "Clarín" e "Perfil" disseram ter tido uma queda em seu faturamento publicitário anual de mais de 15%. "Esse número tende a aumentar se os anunciantes não voltarem", disse ao jornal “Folha de S. Paulo” o secretário de Redação do "La Nación", Hector D'Amico. Na última semana, o "Clarín" deu início a um programa de demissões voluntárias e o grupo Perfil, que publica o jornal de mesmo nome e uma série de revistas, está reformulando produtos. “Não há nada no papel. O governo atua com base na intimidação. Os que não seguem o acordo depois são castigados de outras formas", acusou D'Amico. Segundo ele, trata-se de um acordo entre os donos das lojas, firmado sob pressão da Secretaria de Comércio Interior, chefiada por Guillermo Moreno. Entre as intimidações, está o uso da Afip (Receita Federal) para investigar e expor a situação dos impostos dos empreendimentos e vetos a importações e exportações, das quais as mesmas dependem. "Essa é a última e quiçá a mais aguda e criativa medida do kirchnerismo contra a mídia", acrescentou Gustavo González, editor-executivo do "Perfil". Já no Chile, milhares de estudantes foram às ruas hoje de Santiago para protestar por educação gratuita no país. O governo pretende usar parte do orçamento de 2013 para financiar empréstimos escolares com taxas mais baixas. Mas os estudantes argumentam que o sistema não é benéfico para eles, gerando escolas públicas ruins, universidades particulares caras, professores despreparados e empréstimos que não podem ser pagos.

Tico: No dia de hoje o Congresso Nacional elegeu o marechal Humberto Castelo Branco como presidente interino do Brasil após o golpe de Estado que depôs o presidente constitucional João Goulart. Ele foi eleito indiretamente pelos parlamentares, já que o Congresso havia decretado a “vacância do poder” ainda com Goulart em território nacional. Era apenas para concluir o mandato de Jango, que terminava em 1965, mas ficou até 67. Na Segunda Guerra Mundial, Castello Branco foi chefe de seção de operações da Força Expedicionária Brasileira na Itália, permanecendo durante trezentos dias nos campos de batalha, onde estreitou amizade com os militares estadunidenses. Quando capitão, foi estudar na França na École Supérieure de Guerre, onde aprendeu temas táticos, técnicas de domínio sócio-político, e temas sobre a publicidade e censura, entre outros. Quando tenente-coronel, estagiou no Fort Leavenworth War School, nos EUA, onde aprimorou seus conhecimentos de tática e estratégia militar. Ele apoiou o movimento militar chefiado pelo ministro da Guerra, general Henrique Lott, para garantir a posse do presidente eleito Juscelino Kubitschek, já naquela época ameaçado de sofrer um golpe de Estado pelos militares. Meses depois, quando organizações sindicais resolveram entregar ao ministro uma espada de ouro, Castelo rompeu duramente com Lott. Escreveu alguns ensaios militares que condiziam com sua doutrina: “Alto Comando da Tríplice Aliança na Guerra o Paraguai”, “A doutrina militar brasileira”, “A estratégia militar”, “A guerra”, “O poder nacional”, além de “Tendências do emprego das forças terrestres na guerra futura”. Deixou escrito o seu ponto de vista: “A guerra revolucionária é uma luta de classes, de fundo ideológico, imperialista, para a conquista do mundo; tem uma doutrina, a marxista-leninista. É uma ameaça para os regimes fracos e uma inquietação para os regimes democráticos. Perfaz, com outros, os elementos da Guerra Fria”. E também: ”A Guerra Fria foi concebida por Lênin para, de qualquer maneira, continuar a revolução mundial soviética. É uma verdadeira guerra global não declarada. Obedece a um planejamento e tem objetivos a conquistar, desperta entusiasmo e medo em grupos sociais e reações contrárias na opinião pública. …Seus objetivos capitais: dissociação da opinião pública, nacional e internacional, criação da indecisão e, o principal, retirar das nações a capacidade de luta”. A eleição indireta do marechal Castello Branco ocorreu há 49 anos.

Teco: No dia de hoje um golpe de Estado na Venezuela tentou derrubar o ex-presidente Hugo Chávez. O presidente da Federação Venezuelana de Câmaras de Comércio, Pedro Carmona foi empossado como presidente interino após a deposição do presidente constitucional. O golpe de Estado durou apenas 47 horas, tempo suficiente para que Chávez fosse detido, a Assembleia Nacional e o Supremo Tribunal dissolvidos, e a Constituição de 1999 anulada. Pela televisão, os canais privados, inclusive estrangeiros, diziam que o presidente havia renunciado. Os Estados Unidos e a Espanha rapidamente reconheceram o governo golpista. Já as nações latino-americanas condenaram o golpe. "O continente é democrático e não aceita regimes de força", reagiu o então presidente brasileiro Fernando Henrique Cardoso. Em Caracas, houve levantes pró-Chávez, inclusive com críticas de parte da oposição, que se recusaram a aceitar Carmona. A Guarda Presidencial retomou o palácio presidencial de Miraflores, sem disparar um tiro, levando ao colapso do governo golpista e da reinstalação de Chávez como presidente. Há 11 anos.

Bytes: No dia de hoje começou em Israel o julgamento do nazista Adolf Eichmann, acusado da morte de seis milhões de judeus. Ele foi sequestrado na Argentina por uma equipe de agentes secretos israelenses liderados por Raphael Eitan do Mossad após meses de observação. O julgamento causou grande controvérsia internacional. O governo israelense autorizou que as cadeias noticiosas de todo o mundo transmitissem ao vivo o julgamento. Dividido em 15 itens, o ato constituiu uma descrição completa e detalhada de todas as atrocidades de que o réu foi acusado. Entre eles: 1) Crimes contra o povo judeu; 2) Crimes contra a humanidade; 3) Crimes de guerra, cujas vítimas se contam por centenas de milhares; 4) Deportações, pilhagens, extorsões, expoliações, abortos forçados, esterelizações, escravidão e exterminação. O advogado de defesa de Eichmann, Robert Servatius, levantou a tese da incompetência do Tribunal para julgá-lo, alegando que além do réu ter sido capturado e raptado em país estrangeiro por agentes israelenses, os crimes foram cometidos fora de Israel e antes mesmo do nascimento do Estado nacional. A condenação saiu no dia 15 de dezembro de 1961 com pena de enforcamento. O início do julgamento de Adolf Eichmann em Israel ocorreu há 52 anos.

Aparecida: No dia de hoje nascia, há 1867 anos, Septímio Severo, rei de Roma. O seu reinado caracterizou-se pela bem-sucedida guerra que efetuou contra o Império Parta, o que levou a Mesopotâmia voltar a fazer parte do domínio romano. Os seus soldados saquearam a cidade de Ctesifonte e venderam os sobreviventes persas como escravos. Ao regressar a Roma, foi erguido um Arco do Triunfo a fim de comemorar a vitória.

Bytes: No dia de hoje morreu, há 131 anos, o escritor brasileiro Joaquim Manuel de Macedo. Ele é considerado um dos fundadores do romance no Brasil. A sua principal obra é o livro “A moreninha”, lançado em 1844, e o primeiro a alcançar grande sucesso editorial. Muitos consideram o primeiro romance a ser lançado no Brasil, já que “O filho do pescador” de Teixeira e Souza, é considerado uma obra menor com enredo pouco articulado e confuso. A novela “A moreninha”, baseada no livro de Macedo, foi exibida com sucesso pela TV Globo em 1975.

Aparecida: No dia de hoje nasceu, há 27 anos, o ator, roteirista e diretor brasileiro Gregório Duvivier. Representante da nova safra de humoristas do país, ele faz parte dos esquetes do “Porta de fundos”, exibidos pelo portal YouTube. Filho da cantora Olívia Byington e do músico Edgar Duvivier, Gregório não para. Coautor da série "Louco por Elas", exibida pela Globo, ele continua encenando o “stand up” "Z.É. - Zenas Emprovisadas", que está em cartaz há 9 anos; estreou o monólogo cômico "Uma noite na Lua", está preparando um quadro de humor para o novo programa matinal de Fátima Bernardes e ainda canta na peça “Como vencer na vida sem fazer força”. No cinema, ele está em cartaz no filme “Vai que dá certo”.

Bytes: Ontem, eu fui assistir ao filme “Jack, o caçador de gigantes”, do cineasta e roteirista estadunidense Bryan Singer (acima). O enredo é baseado no conto infantil “João e o pé de feijão” e faz da sua lenda uma parábola. Tudo começa quando um sacerdote rouba grãos de feijão. Na fuga, acaba entregando para João, digo Jack. Antes lhe diz: “Estes são feijões mágicos, de um lugar muito especial e distante. Foram criados com magia negra. Eles têm o poder de mudar o mundo como conhecemos. Não os perca. E o mais importante. Não os deixe perto da luz. Se a escuridão experimentar um pouco de luz, ela não vai parar”. A combinação desencadeia a evolução da história. O pé de feijão vira uma frondosa árvore que leva os nossos heróis a conhecer os gigantes entre o céu e a terra. O resto é aventura para que o roteirista desenhe a sua parábola. O desfecho não podia ser diferente: a lembrança da lenda. E da Torre de Londres, onde Ana Bolena, mãe de Elizabeth I, a “rainha virgem”, foi decapitada.

Aparecida: Por falar em Torre de Londres, reza a lenda que o dia em que os corvos não forem mais alimentados, a Inglaterra perderá o seu poder. Ninguém se aventura a mexer com a magia da história e seu futuro imprevisível. Qual é a importância da parábola?

Bytes: Na mística, esta palavra originária do vocábulo grego, o protagonista humano leva a uma reflexão de ordem moral. Já na matemática, a parábola é um conjunto de pontos equidistantes de um ponto dado como foco e de uma reta chamada de diretriz. Na física, sua imagem é de uma curva plana.

Aparecida: Nos Estados Unidos, a estreia do filme "A morte do demônio", uma refilmagem da década de 80 liderou a bilheteria, vencendo "G. I. Joe: A Retaliação". Com roteiro sobrenatural de cinco jovens amigos que enfrentam demônios em uma cabana abandonada,  filme de baixo orçamento superou produções que gastaram US$ 20 milhões.

Bytes: O sucesso da série "The Walking Dead" na Band é tanto que a atração está registrando índices de audiência maiores que alguns programas ao vivo na emissora. A série tem média de 5 pontos, sendo que cada um equivale a 62 mil domicílios na Grande São Paulo. A terceira temporada de "The Walking Dead" irá estrear no dia 21. Na Fox, ela já terminou. Sem sistema judiciário, a frase mais ouvida no último capítulo é “matar ou morrer”. A prisão é um prédio oco e abandonado. O comentário da galera no Twitter foi unânime: “profético”.

Aparecida: Por falar em sistema judiciário, o papa disse, em carta enviada ao presidente da Suprema Corte da Argentina, que quando a Justiça chega tarde ou não chega "há muita dor e sofrimento, a dignidade humana fica ferida e o direito postergado". A mensagem foi enviada no último dia 23 de março, mas só agora divulgada. "Certamente não é fácil e frequentamente não falta dificuldades, riscos e tentações. No entanto, não se pode perder o ânimo", disse Francisco em sua mensagem escrita em resposta a outra enviada pelo titular do Supremo argentino, Ricardo Lorenzetti. O papa pediu para lembrar a quem trabalha no Poder Judiciário "os belos ideais de equanimidade, imparcialidade e nobres alvos que caracterizaram os grandes magistrados que passaram na história da humanidade pela retidão de sua consciência, os conspícuos valores que os distinguiam e de irrepreensibilidade com que fizeram seu serviço ao povo". Como só agora foi divulgada, há a suspeita de que foi para coincidir com o anúncio da presidente Cristina Kirchner que enviou ao Parlamento três projetos para reformar o sistema judiciário, poder que foi alvo das críticas da governante nos últimos meses.

Bytes: O ministro Joaquim Barbosa, presidente da alta mais corte do Brasil, foi alvo de crítica de magistrados, parlamentares e representantes do direito. Segundo as entidades, o presidente do Supremo Tribunal Federal agiu de forma desrespeitosa, agressiva e grosseira, inadequada para o cargo que ocupa. Na última segunda-feira, em reunião com as associações dos magistrados do Brasil, dos juízes federais do Brasil e dos magistrados da Justiça do Trabalho, o ministro criticou a aprovação, pelo Congresso Nacional, da proposta que cria quatro novos tribunais regionais federais. “Esses tribunais vão ser criados onde? Em algum resort, em alguma grande praia muito provavelmente”, disse Barbosa. O presidente do STF e o vice-presidente da Associação dos Juízes Federais, Ivanir César Ireno, bateram boca.

Aparecida: Ah, entendi! Está escrito em “Juízes”, no Antigo Testamento, a “Torá judaica”: “E havia um homem da montanha de Efraim, cujo nome era Mica. O qual disse à sua mãe: Lembra-se daquelas mil e cem moedas de prata que a senhora pensou que tinham sido roubadas, e inclusive amaldiçoou o ladrão, na minha frente? Aqui está o dinheiro. Fui eu que o peguei. Então lhe disse sua mãe: Bendito do Senhor seja meu filho. Assim restituiu as mil e cem moedas de prata à sua mãe; porém sua mãe disse: Eu tinha reservado esse dinheiro para Javé, em favor de meu filho, para fazer uma estátua e um ídolo de metal fundido. E Micas devolveu o dinheiro à sua mãe. Ela pegou duzentas moedas e as deu ao ourives para fazer uma estátua e um ídolo de metal fundido, que foram colocados na casa de Micas. Micas tinha um santuário. Fez um efod e uns ídolos domésticos, e consagrou como sacerdote um de seus filhos. Nesse tempo não havia rei em Israel, e cada um fazia o que lhe parecia correto aos seus olhos. Havia, em Judá, um jovem de Belém, do clã de Judá, que era levita e morava aí como imigrante. Ele deixou a cidade de Belém em Judá, com intenção de se estabelecer onde pudesse. Enquanto viajava, passou pela região montanhosa de Efraim, e chegou à casa de Micas. E Micas lhe perguntou: De onde você vem? Ele respondeu: Sou levita de Belém de Judá, e estou de viagem para me estabelecer onde puder. Micas lhe propôs: Fique comigo, e seja para mim como pai e sacerdote. Eu lhe darei dez moedas de prata por ano, além da roupa e da comida. O levita concordou em ficar com Micas, e este o tratou como a um filho. Micas consagrou o levita, e o jovem ficou na casa de Micas como sacerdote. 13 E Micas pensou: Agora estou certo de que Javé vai me favorecer, pois tenho este levita como sacerdote”.

Tico: O que você achou da promessa de Maduro de elevar o salário mínimo se for eleito presidente da Venezuela?

Teco: Muitos lembrarão de Jango durante a crise no governo constitucional de Vargas. Para os capitalistas, meia palavra basta.

Bytes: Em entrevista à “Folha”, Maduro disse que se inspira na ética do Lula. “Lula para nós também é um pai. Porque Lula é fundador das correntes de esquerda de novo tipo que surgiram nos anos 80 adiante. Nós nos inspiramos na ética de Lula, na energia dele, em sua liderança trabalhadora. Mas Lula, como eu disse, não fala em mudar o capitalismo”.

Aparecida: E qual é a ideologia da Revolução Bolivariana?

Bytes: Segundo Maduro, Chávez fundou um movimento revolucionário e de massas na Venezuela. Deu a ele uma ideologia e uma Constituição. “Nosso processo revolucionário está constitucionalizado. Ele nos dotou de um corpo de doutrinas e de princípios. Nos deixou um testamento político, o programa da pátria, com objetivos de curto, médio e longo prazos. E promoveu um nível de participação e de protagonismo das amplas maiorias como nunca se viu na história da Venezuela. Estamos preparados para seguir fazendo a revolução. Ele formou um povo. Nos formou para um projeto”.

Aparecida: E qual é este projeto?

Bytes: Segundo Maduro, Chávez deixou uma doutrina nacionalista, revolucionária, fez o povo pobre assumir o socialismo como causa da humanidade para construir uma nova moral. “Aqui se formavam oficiais com os manuais da Escola das Américas, que formou as Forças Armadas latino-americanas por cem anos. Ensinavam os nossos oficiais em inglês, quase sem tradução. É uma vergonha que não ocorre mais”, disse o candidato socialista, se referindo ao financiamento dos exércitos latino-americanos. “As Forças Armadas não podem estar nos quartéis. Têm que estar nas ruas, na fábrica, nos bairros, com o povo, para poder defender a pátria. Não podem ser uma elite alijada. Não. Têm que fazer parte do mesmo povo”, acrescentou.

Aparecida: Por falar em moral, o governador petista Tarso Genro defendeu a regulação da mídia e disse que "mais de 80%" da programação de rádio e TV teria que sair do ar se a Constituição fosse respeitada”. ."São programas que ou transformam a mercadoria em notícia ideologizada ou promovem a violência, o sexismo e a discriminação", disse o governador durante evento organizado por sindicatos e movimentos sociais em Porto Alegre. Ele defendeu uma reforma constitucional para regular os meios de comunicação e impedir que "meia dúzia de famílias" tenha o controle do setor. "A culpa é sempre do Estado. É um processo que não tem sujeito. Quem leva para dentro do Estado o vírus da corrupção é a iniciativa privada", acrescentou. O que você achou da declaração do líder gaúcho?

Bytes: A iniciativa privada tentar corromper faz parte do “humano”, pois lida com a concorrência na regulação do Estado e tem “medo” de perder o negócio. Já a corrupção no Estado não é admissível porque o funcionário público tem salário garantido no fim do mês. Por isso, a polícia tem o dever de protegê-lo de interesses privados e garantir a vida do servidor. Assim sabem os capitalistas. O que o governador nunca dirá é que em 70 anos de Estado forte, sem iniciativa privada, na União Soviética a corrupção era grande e hoje é ainda maior na Rússia. Muitos nascidos no comunismo sem qualquer vínculo com a “corrupção burguesa”. O que ele nunca dirá é que na Revolução Bolivariana a corrupção impera e muitos dentro do governo, como o governador petista, querem aprofundar o socialismo, estatizando os meios de produção porque assim não haverá mais corruptos. Só que sempre haverá corrupção onde não houve ainda “formação de capital”. Assim sabem os capitalistas.

Aparecida: Por falar em petistas, o ex-ministro José Dirceu acusou o ministro do Supremo Tribunal Federal, Luiz Fux, de ter pedido o cargo na Alta Corte do país em troca de absolvê-lo no processo do mensalão. O que você achou da declaração?

Bytes: O Zé Dirceu é um “autêntico socialista”. Ele não se beneficiou com a declaração, comprometeu a “companheira Dilma” e mostrou a quem tinha dúvida que o PT não é nada “republicano” e sim “politiqueiro” como qualquer outro. Dirceu demonstrou o que todos os capitalistas já sabiam: é um “medíocre”. Só sabe costurar “alianças políticas” como um bom oligarca que ganharia com certeza a secretaria geral do Comitê Central do Partido dos Trabalhadores caso o Brasil caminhasse para a “ditadura do proletariado”. Mas não estamos mais nos anos 60 do século passado. Vale dar uma olha no vídeo “Propaganda e a história”.

Aparecida: Por falar em história, o escritor peruano Mario Vargas Llosa criticou ontem durante um fórum de dirigentes conservadores na cidade argentina de Rosário, vários líderes regionais, entre eles o ex- Lula, chamado de "propagandista entusiasta" do chavismo. "É um espetáculo verdadeiramente lamentável a cumplicidade com que presidentes democráticos atuam no plano internacional, apoiando, por exemplo, regimes populistas, ditatoriais, como o de Hugo Chávez, sem falar na ditadura cubana", disse o Nobel da Literatura, que citou Lula, o peruano Ollanta Humala e até o conservador Sebastián Piñera, líder do Chile. "Acho que a conclusão é muito triste: os países latino-americanos liderados por ditadores só podem contar consigo mesmos, porque os governos democráticos lhes dão as costas e, às vezes, cravam punhaladas em suas costas", acrescentou. O que você achou da declaração?

Bytes: Vamos abrir mão das “paixões políticas”. Não há ditadura na América Latina, mas possibilidade dela, caso não houvesse o Brasil. Hitler foi eleito e depois foi mudando o regime em sua “revolução” para uma forma ditatorial com a presença do Estado forte a partir de um inimigo. Afinal, para os socialistas, a “culpa é sempre do outro”. Em todos há o “culto à personalidade”. Segundo Maduro, Chávez é chamado por alguns integrantes da América Latina de “Cristo Redentor dos pobres”. Incrível. Até os marxistas têm o seu pastor. Vamos ver qual será o sermão acerca da crescente violência em Caracas. Para mim, a recomendação aos “fiéis” será a de aprofundar o socialismo para se chegar à “terra prometida”, a “verdadeira comunidade”. Os socialistas não aceitam a “ciência contemporânea”: o espaço-tempo que cria a matéria.

Aparecida: Por falar em Hitler, centenas de pessoas participaram na última segunda-feira da "marcha dos vivos" em memória às vítimas do holocausto nazista em frente ao antigo campo de concentração de Auschwitz, na Polônia (acima). No portão, a inscrição: "o trabalho liberta". "Vim até aqui porque penso que a morte de meus avôs não foi em vão", declarou à agência de notícias AFP David Olidolt, 16 anos, que viajou de Israel.

Bytes: Segundo um relatório elaborado pelo Centro Kantor para o estudo do Judaísmo Europeu Contemporâneo da Universidade de Tel Aviv em colaboração com o Congresso Europeu Judeu, os atos antissemitas no mundo aumentaram 30% no ano passado com relação a 2011. A França liderou com 200 atos, à frente dos Estados Unidos, Reino Unido e Canadá. "O aumento é claro. Como líder judeu, sinto o perigo para as comunidades, para o povo andar pela rua, para as sinagogas, as escolas judias", advertiu o presidente do Conselho Judeu Europeu, Moshé Kantor, ao apresentar em Tel Aviv os resultados do documento. Na segunda-feira, os judeus lembraram o holocausto nas ruas de Israel.  

Aparecida: Por falar em holocausto, o deputado alemão Burkhard Lischka acha um insulto às vítimas a liberação em 2015 do livro “Minha Luta”, de Adolfo Hitler. "Isso tem que ser prevenido de maneira legal. Eu penso que tal obra deveria ser esquecida permanentemente no lixo da história", alegou o social-democrata, em entrevista à “Deutsche Welle”. O governo alemão respondeu cautelosamente ao pedidos, pois precisa esclarecer questões legais relacionadas à proibição da publicação. A expiração do prazo de proteção, 70 anos, como reza a lei de censura, já foi motivo de discussões com o governo israelense e, segundo Berlim, há um "interesse comum em efetivamente prevenir a propagação de ideias desumanas". "O texto original tem, na visão da lei, um caráter discriminatório", disse o ministro para assuntos internos da Baviera, Joachim Herrmann, que anunciou ações legais contra qualquer um que distribua o texto original. O que você acha?

Bytes: O colega neonazista lá da facû diria que serão censurados todos os tópicos que tratam do uso do sistema financeiro e de notícias falsas na imprensa para quebrar empresas nacionais e destruir “governantes rebeldes” que não comunguem com os ideais da Oligarquia Financeira Internacional. Segundo Hitler, o objetivo final do “clube” é a criação no mundo de um “governo único”, liderado pelos judeus. Já a parte “moral” do livro – como os caminhos para exterminar a prostituição na sociedade nazista – seria liberada para publicação porque criaria polêmica e não consenso. Outro dia gritava: “Hitler era o único que falava as verdades do mundo porque criticava as mentiras contadas pelo capitalismo e pelo marxismo”. Chegou a ser aplaudido.

Aparecida: E como pensa o governo dos Estados Unidos?

Bytes: Deu o jornal “O Globo” de 11 de abril de 1963, cuja manchete foi “Na Era Atômica, a salvação da paz está no desarmamento”: “O Comando Geral dos Trabalhadores (CGT) distribuiu um comunicado à imprensa em que denuncia a existência de um golpe, do tipo gorilista da Argentina, por civis e militares e ordena aos sindicatos que se mantenham em estado de alerta pra a deflagração de uma greve geral a cada momento”. E mais: “O Egito, o Iraque e a Síria anunciaram, ontem, a formação de uma nova nação árabe, denominada República Árabe Unida. O nôvo Estado, dividir-se à em três regiões, que se denominarão respectivamente, região egípcia, região iraquiana e região síria. Cairo será a capital da República Árabe Unida”. E mais: “O estado da Guanabara e os municípios de Niterói, São Gonçalo e Petrópolis entrarão em regime de racionamento de energia elétrica a partir de segunda-feira próxima. Com a corrida para o interior, motivada pelos feriados da Semana Santa, as companhias adiaram a execução da medida em face da prevista diminuição da demanda. Para a área atendida pela Rio-Light, a medida vigorará até o dia 30. Também haverá racionamento no Estado do Rio, a partir dos últimos dias do mês, prevendo-se um corte de cinco horas diários de luz e fôrça”.

Aparecida: Deu o jornal “O Globo” de 11 de abril de 2013, 50 anos depois: “Pressão no bolso. Inflação passa teto da meta e juro pode subir. Alimentos, etanol e empregado doméstico puxam reajuste de preços em março. Em 12 meses, taxa oficial fica em 6,59% e mercado aposta em alta da Selic na semana que vem”. E mais: “Maracanã. Liminar suspende a privatização”. E mais: “Entre o céu e a terra. Solidéu levanta voo no Vaticano. A ventania leva o solidéu do Papa Francisco após a audiência semanal, na qual o Pontífice falou, pela primeira vez, em espanhol”.

Bytes: A manchete da “Folha” de 11 de abril de 1963 foi “João XXIII condena a corrida armamentista”: “Foi publicada hoje, com data de amanhã, Quinta-feira Santa, a encíclica “Paz na Terra”, na qual o papa João XXIII faz dramática advertência ao mundo, dirigindo-se especialmente aos dirigentes das grandes potências, dizendo que a Terra vive sob o pesadelo de um furacão que poderá fazê-la desaparecer a qualquer momento. Em sua encíclica, o papa condena a corrida armamentista e diz que os povos devem agir com sinceridade para acabar com a psicose da guerra”.

Aparecida: Ah, entendi! Está escrito em “Números”, no Antigo Testamento, a “Torá judaica”: “E caminharam, e vieram a Moisés e a Arão, e a toda a congregação dos filhos de Israel no deserto de Parã, em Cades; e deram-lhes notícias, a eles, e a toda a congregação, e mostraram-lhes o fruto da terra. E contaram-lhe, e disseram: Fomos à terra a que nos enviaste; e verdadeiramente mana leite e mel, e este é o seu fruto. O povo, porém, que habita nessa terra é poderoso, e as cidades fortificadas e mui grandes; e também ali vimos os filhos de Enaque. Os amalequitas habitam na terra do sul; e os heteus, e os jebuseus, e os amorreus habitam na montanha; e os cananeus habitam junto do mar, e pela margem do Jordão. Então Calebe fez calar o povo perante Moisés, e disse: Certamente subiremos e a possuiremos em herança; porque seguramente prevaleceremos contra ela. Porém, os homens que com ele subiram disseram: Não poderemos subir contra aquele povo, porque é mais forte do que nós. E infamaram a terra que tinham espiado, dizendo aos filhos de Israel: A terra, pela qual passamos a espiá-la, é terra que consome os seus moradores; e todo o povo que vimos nela são homens de grande estatura. Também vimos ali gigantes, filhos de Enaque, descendentes dos gigantes; e éramos aos nossos olhos como gafanhotos, e assim também éramos aos seus olhos”. 

Tico: O que parece a “sessão fechada” da Comissão dos Direitos Humanos da Câmara?

Teco: As reuniões do G8. Elementar, meu caro Watson.

Aparecida: O que você achou da declaração do deputado Pastor Feliciano de que Deus matou John Lennon?

Bytes: É o mesmo que dizer que a Grande Depressão da economia dos Estados Unidos se deve ao fato de o presidente ser “negro”. Ou de que o terremoto no Irã foi devido ao país ter aberto minas de urânio. Para os capitalistas, meia palavra basta.

Aparecida: O que você acha do deputado Pastor?

Bytes: Tem muito alucinado americano. Nos Estados Unidos, o pastor Terry Jones anunciou que planeja queimar cerca de 3 mil exemplares do Alcorão em memória das vítimas do 11 de setembro. No passado, ele voltou atrás.

Aparecida: Ontem, a Câmara dos Deputados do Uruguai aprovou o chamado "matrimônio igualitário" no país, equiparando o casamento entre homossexuais e heterossexuais. O texto ainda precisa ser sancionado pelo presidente José Mujica, que  se pronunciou a favor da medida. A nova lei determina que "o matrimônio civil é a união permanente de duas pessoas de sexos diferentes ou iguais". A lei uruguaia aprovada estabelece mudanças no Código Civil, como o fim da obrigatoriedade de que o sobrenome paterno anteceda o materno no registro dos nomes dos filhos de um casal. Tanto no caso de uniões heterossexuais quanto homossexuais, a nova lei determina que a ordem do sobrenome dos filhos obedece somente à vontade de seus pais.

Bytes: Na véspera, o Senado francês aprovou o primeiro artigo do projeto de lei sobre o casamento entre pessoas do mesmo sexo. "A adoção deste artigo pela maioria dos senadores acaba com a discriminação contra a opção sexual dos cidadãos (...) e marca uma vitória na luta contra a homofobia e pela tolerância e a democracia", declarou o presidente do Partido Socialista, François Rebsamen. Numa manifestação hoje em Paris denunciou o aumento da homofobia desde que o projeto foi apresentado no Parlamento. Segundo os manifestantes, os ataques contra os gays triplicaram nas últimas semanas. Eles acusam os opositores ao projeto lei de “criarem uma atmosfera de violência e discriminação”.

Aparecida: A Daniela Mercury defendeu a liberdade sexual. "Se estou apaixonada por uma mulher, por que não me dar o direito de viver isso? Qual é a questão?" disse a cantora baiana ao “Fantástico” no último domingo, que bateu recorde de audiência. Em vídeo postado na Internet, ela disse que a sua opção foi como “dizer que era divorciada no passado” e “queimar sutiã”, um ícone do feminismo.

Bytes: Por falar em feminismo, o patriarca ortodoxo russo Kiril considerou que o feminismo era muito perigoso e declarou-se a favor de que a mulher fique em casa cuidando dos filhos e o homem trabalhe fora para ganhar dinheiro. "A ideologia central do feminismo não é a família ou as crianças, mas outra função da mulher, que, com frequência, contradiz os valores da família", disse o patriarca durante um encontro anteontem com a organização feminina ortodoxa. "Se uma pessoa destrói este papel excepcionalmente importante da mulher, a consequência é que tudo desaba - a família e, de uma forma mais ampla, a pátria. Não é por acaso que dizemos a mãe pátria”, acrescentou.

Aparecida: Em Jerusalém, polícia israelense prendeu hoje cinco feministas religiosas judias que rezaram no Muro das Lamentações com peças reservadas aos homens. "Mais de 200 mulheres rezaram esta manhã no Kotel. Cinco usavam talits de oração com franjas, algo proibido pelo Tribunal Supremo, e foram detidas", declarou a porta-voz da polícia, Luba Samri. Um haredi, que quer dizer "os que temem a Deus", judeu ultraortodoxo, que tentou atear fogo a um dos livros de oração das mulheres, também foi detido.

Bytes: Na Alemanha, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, recebeu uma manifestação do grupo feminista de origem ucraniana Femen. Perguntado sobre o ato, ele disse: “Gostei”.

Aparecida: E como pensa o governo dos Estados Unidos?

Bytes: Deu no jornal “O Globo” de 10 de abril de 1963, cuja manchete foi “Fim da crise: O general Osvino promete que não mais agirá na área política”: “Após ouvir severa advertência verbal do ministro da Guerra, o general Osvino Alves prometeu-lhe, ontem, não mais agir na área política. A advertência e a promessa marcaram o fim da crise político-militar desencadeada pelo discurso do I Exército, sábado, em que se mostrava disposto a pôr tropas na rua para garantir a realização do comício de desagravo ao presidente João Goulart. Êste chegou a se preparar para ele vir ao Rio e intervir pessoalmente no caso, depois de, na noite de segunda-feira, ter mantido contatos telefônicos com os dois generais, sem conseguir a fórmula conciliatória”. E mais: “O Sr. Evandro Lins e Silva, de acôrdo com determinações do presidente da República, recomendou a todos os ministros de Estado providências para a transferência imediata de seus gabinetes do Rio para Brasília, bem como para que completem a primeira etapa da mudança dos demais órgãos da administração geral e de assessoramento”. E mais: “Uma greve sui generis ameaça a Guanabara: a dos banqueiros do bicho, que resolveram suspender atividades, como protesto contra a Loteria Federal, por suspeitarem de fraude nos seus métodos de sorteio, desde sábado quando o banqueiro Albano, o Gordo, de Niterói, e todos os seus empregados, ganharam mais de sete milhões na centena 234”.

Aparecida: Deu no jornal “O Globo” de 10 de abril de 2013, 50 anos depois: “Contra os sujismundos. Jogar lixo na rua terá multa de até R$ 3 mil. Fiscalização começarão em julho com 500 agentes. Punição está prevista na lei de limpeza urbana, de 2001, e, segundo o prefeito Eduardo Paes, a ideia é acabar com esse mau hábito do carioca”. E mais: “Petrobrás atrasa novas plataformas”. E mais: “Transparência em xeque. Financiamento a Cuba está sob sigilo. O ministro Fernando Pimental (Desenvolvimento) pôs sob sigilo documentos sobre empréstimos do BNDES para governos de Cuba e Angola. A oposição protestou”. E mais: “Domésticas: governo apoia Supersimples”.

Bytes: O professor lá da facû mostrou um vídeo sobre o “Sujismundo”, personagem da propaganda durante o regime militar, cujo slogan era: “País desenvolvido é país limpo”.

Aparecida: O seu Carlos disse, exaltado: “O povo ainda dará valor à Revolução de 64. As cidades brasileiras estão decadentes. São Paulo, que era sinônimo de limpeza, está suja. A violência está cada vez pior. Em Santa Catarina, as viciadas em crack estão dando seus bebês. A pacificação no Rio mostrou que é uma propaganda. No domingo, os motoristas abandonaram os carros na Linha Vermelho temendo um arrastão. O medo voltou. Eu disse: Isto que dá votar no Cabral e nessa raça que dá corda a essa gente”. A dona Irene completou: “Só o regime militar pode dá jeito num povo indisciplinado. No Japão não há multa porque o povo é educado. O que precisamos é de uma ditadura honesta”.

Bytes: Por falar em Japão, a Tokyo Electric Power, empresa que opera a usina nuclear japonesa devastada por um tsunami há dois anos, está construindo às pressas mais tanques para armazenar água radiativa com segurança, após vazamentos em poços improvisados.

Aparecida: Você acha que a lei que institui multa para quem jogar lixo na rua vai dar certo?

Bytes: No Brasil há sempre a pergunta sobre a lei: “Vai pegar?”

Aparecida: O que você acha da violência?

Bytes: Antes do caso de estupro dos turistas estrangeiros a sensação era de segurança. Depois foi um caso atrás do outro. O meu colega da facû, adepto da Teoria da Conspiração, disse que a ação era para combater o Cabral, o secretário de Segurança que seria lançado à sua sucessão e envolveu até a CIA por causa dos eventos no Rio. Eu respondi: “Menos, pastor Feliciano!”

Aparecida: Não sei se foi coincidência ou se estava programado, mas foi uma agressão ver os policiais do Bope fazendo uma operação antiterror do Cristo Redentor (acima). O seu Carlos disse, exaltado: “A Jornada Mundial da Juventude será realizada com tanques nas ruas como na Rio-92”. O que você acha?

Bytes: Segundo a imprensa, as ruas de Guaratiba, onde vai ser realizada a missa do papa Francisco, são dominadas pelas milícias. Em pelo menos cinco diferentes pontos do bairro, que tem cerca de 110 mil habitantes, bailes funks regados a bebidas e drogas são realizados nos fins de semana. Caça-níqueis ficam em depósitos ou falsos banheiros de bares para que moradores joguem enquanto bebem cerveja da única marca cuja venda é "autorizada" pelos “agentes da lei”: os “falsos policiais”.

Aparecida: Por falar de violência, hoje o Congresso estadunidense aprovou a discussão sobre a limitação de armas. O que você acha?

Bytes: O que podemos afirmar é que criança de seis anos está internada em estado grave após ser atingida por um tiro na cabeça disparado por uma outra criança de quarto anos em Nova Jersey O incidente ocorreu na noite de segunda-feira na cidade de Toms River quando ambas estavam brincando no jardim da casa da vítima. A criança entrou em sua residência e voltou com uma espingarda calibre 22. Neste momento, os pais da criança menor estavam em Nova York, segundo explicou o chefe da polícia local, Michael Mastronardy, em entrevista coletiva. Já no Texas, pelo menos 12 pessoas ficaram feridas anteontem num ataque a facadas realizado por um homem numa universidade nos arredores da cidade de Houston.

Aparecida: No Canadá, os policiais de Toronto estão atrás quatro mulheres acusadas de abusar sexualmente de um canadense de 19 anos no mês passado. Segundo ele, elas lhe deram carona, levaram para um estacionamento vazio, tiraram a sua roupa e passaram a abusar dele. "É muito importante que as vítimas denunciem porque, caso contrário, não haveria nenhum registro de isso já ter acontecido. Eu penso que ele é muito corajoso", disse o detetive Shannon McParland. Por falar em abuso, o que você acha da inflação?

Bytes: Notícia velha. É só pegar o jornal passado. Mas a oposição posará para foto. E o consumidor brasileiro vai se virar como um autêntico “capitalista inglês”. Elementar.

Aparecida: E o tomate que virou o novo garoto-propaganda?

Bytes: Segundo a atriz Taís Araújo, ela já levou todos os tomates, referindo-se aos críticos. Já a apresentadora Ana Maria Braga pendurou no pescoço, como “colar”.

Aparecida: O que Nosso Senhor Jesus Cristo diria de tudo isso?

Bytes: Ele já disse tudo. E não há variação de espaço tempo. Por isso o apóstolo Paulo lhe referiu na história: “Ontem, hoje e sempre”. Se viesse ao mundo defenderia a tese do “estado da graça” e seria crucificado pelo “estado do fato”. Como projeção poderíamos dizer que o pastor Feliciano estaria na primeira fila se a imagem contrariasse a “letra”. É muito fácil condenar os judeus. Para os capitalistas, meia palavra basta.

Aparecida: O que você acha das ameaças da Coreia do Norte?

Bytes: O que podemos afirmar é que os Estados Unidos estão “ocupados”.

Aparecida: O que você acha da retórica do líder norte-coreano?

Bytes: É como o concerto de Chopin para a mudança de ritmo na batida por minuto: “Lento, ma non troppo”. Mas me lembrei da canção da cena final do filme “Não se preocupe, nada vai dá certo”, de Hugo Carvana, porque um dos protagonistas faz anos hoje: Gregório Duvivier. “Sábio é quem ri da dor quando não dá para interferir. E um sorriso gozador nenhum poder vai proibir, de ouvir. Esse mundo é um mundo cão e você tem que resistir. E se for na gozação é que esse povo aplaude e ri, e ri, e ri”.

Aparecida: Ah, entendi! Está escrito na “Boa Notícia”: “E outra vez começou a ensinar junto do mar, e ajuntou-se a ele grande multidão, de sorte que ele entrou e assentou-se num barco, sobre o mar; e toda a multidão estava em terra junto do mar. E ensinava-lhes muitas coisas por parábolas, e lhes dizia na sua doutrina: Ouvi: Eis que saiu o semeador a semear. E aconteceu que semeando ele, uma parte da semente caiu junto do caminho, e vieram as aves do céu, e a comeram; E outra caiu sobre pedregais, onde não havia muita terra, e nasceu logo, porque não tinha terra profunda, mas, saindo o sol, queimou-se; e, porque não tinha raiz, secou-se. E outra caiu entre espinhos e, crescendo os espinhos, a sufocaram e não deu fruto. E outra caiu em boa terra e deu fruto, que vingou e cresceu; e um produziu trinta, outro sessenta, e outro cem. E disse-lhes: Quem tem ouvidos para ouvir, ouça. E, quando se achou só, os que estavam junto dele com os doze interrogaram-no acerca da parábola. E ele disse-lhes: A vós vos é dado saber os mistérios do reino de Deus, mas aos que estão de fora todas estas coisas se dizem por parábolas. Para que, vendo, vejam, e não percebam; e, ouvindo, ouçam, e não entendam; para que não se convertam, e lhes sejam perdoados os pecados. E disse-lhes: Não percebeis esta parábola? Como, pois, entendereis todas as parábolas?

 

À ENCÍCLICA “PAZ NA TERRA”

Rio de Janeiro, 11 de abril de 2013

 

 

 

 

 

 

 

 

Exibições: 894

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço