“JOÃO E MARIA - CAÇADORES DE BRUXAS”. O FOGO E A INQUISIÇÃO COMPÕEM A HISTÓRIA

O primeiro-ministro do Reino Unido, David Cameron, fez hoje (31/01) uma visita de surpresa à capital da Líbia após o premier britânico ter estado na Argélia. Em Trípoli, Cameron debateu o terrorismo na África e firmou acordo de cooperação. No domingo (27), a petrolífera British Petroleum (BP) informou que está repensando os seus planos de fazer perfurações em busca de petróleo na Líbia, devido ao aumento dos temores em relação à segurança. "Pretendíamos recomeçar a perfurar no fim do segundo trimestre deste ano, mas no momento estamos revendo nossos planos," disse um porta-voz da BP. Segundo ele, depois de um ataque de militantes islâmicos a uma usina de gás na vizinha Argélia no inicio do mês aumentou os temores da companhia. A BP deveria retomar a perfuração exploratória que foi suspensa durante a “Primavera Árabe” líbia que levou à derrubada do ditador Muamar Kadafi, em 2011. Anteontem, o ministro líbio do Petróleo, Abdel al-Bari al-Aroussi, acompanhado dos responsáveis da Empresa Nacional de Petróleo, deslocou-se à zona portuária de Zaitina para negociar com manifestantes que impedem a exportação do produto. O presidente da Empresa Nacional de Petróleo da Líbia, Nouri Belawran, programou a saída do primeiro carregamento de petróleo para meados de fevereiro. Em dezembro, manifestantes ocuparam a direção de porto, situado a 800 quilômetros a leste de Trípoli, para impedir o embarque num protesto por emprego e baixo custo de vida.  Assim, desde o início do mês passado, nenhum carregamento de petróleo saiu do porto que permite ao país exportar entre 60 e 70 mil barris por dia. Na véspera, os preços do barril do petróleo do tipo “Brent”, referência do mercado, chegou a US$ 113 devido à violência na região. A revista alemã “Der Spiegel” publicou que os serviços de inteligência da Alemanha advertiram que há uma ação em curso para sequestrar cidadãos alemães e britânicos na Líbia. Segundo o serviço secreto alemão, os radicais islâmicos que planejaram o ataque na Argélia estão refugiados no país vizinho para realizar ataques por lá. Na semana passada, o Ministério das Relações Exteriores alemão alertou sobre os perigos de viajar para a Líbia. O Reino Unido, o Canadá, a Austrália, a Holanda e a França também publicaram advertências a seus cidadãos. As autoridades líbias, por sua vez, caracterizaram os temores ocidentais como infundados. Na vizinha Argélia, dois seguranças que vigiavam no domingo à noite um gasoduto morreram e sete ficaram feridos num ataque contra o campo de gás de Djebahia, na região de Buira, a 125 quilômetros ao sudeste de Argel. Os guardas faziam parte de um grupo responsável por garantir a segurança do gasoduto que fornece gás para o norte do país. Na vizinha Mali, as tropas francesas assumiram ontem o controle de Kidal, cidade considerada o último reduto urbano controlado por combatentes islamitas no norte do país. Na véspera, a Grã-Bretanha disse que providenciará apoio militar, mas não fará parte do combate. Os britânicos enviarão 350 militares ao Mali, sendo 200 deles soldados. Os Estados Unidos conduzirão missões aéreas de reabastecimento militar. A ocupação do Mali rendeu ao presidente francês, François Hollande, uma elevação na popularidade. Segundo uma pesquisa conjunta realizada pela empresa de pesquisas BVA, pelo grupo de telecomunicações Orange, pela revista “L'Express”, pela imprensa regional e pela rádio France Inter, e divulgada na segunda-feira na página do jornal Midi Libre, o socialista subiu quatro pontos depois das ações francesas no Mali e hoje está com 44% de apoio popular. Ao mesmo tempo o Egito, vizinho da Líbia, enfrenta instabilidade política. Hoje governo e oposição se reuniram pela primeira vez depois de uma onda de violência no fim de semana que resultou em pelo menos 60 mortos. Os políticos concordaram em condenar a instigação da violência e em proibi-la, além de diferenciá-la de atos políticos legítimos. Na véspera, a secular Frente de Salvação Nacional, principal coalizão opositora, ganhou o apoio do islâmico Partido Salafista Nour, até então alinhado ao governo do presidente Mohamed Mursi. No mesmo dia o líder egípcio foi à Alemanha para discutir a crise política e negociar um acordo econômico. Em grave situação financeira e com reservas cambiais mais baixas da história, Mursi não conseguiu o perdão da dívida com Berlim após o encontro com a chanceler Angela Merkel. Anteontem, o chefe do Estado-Maior das Forças Armadas do Egito, Abdel Fattah al Sisi, advertiu sobre o risco de colapso do Estado. O alerta foi devido a forte onda de violência depois que a Justiça condenou à morte 21 envolvidos no massacre durante um jogo de futebol em Port Said, que deixou 74 mortos em fevereiro de 2012. A comemoração de torcedores, que aplaudiram a decisão judicial, revoltou o time rival. Houve quebra-quebra em Port Said e muitos carros foram incendiados (acima). No domingo, o presidente decretou toque de recolher em três cidades do país e pediu ao Parlamento que autorizasse o uso do Exército na segurança pública, o que aprovado pelo Legislativo no dia seguinte. Em mensagem na página do Exército na rede social Facebook, o comandante militar disse que os desafios econômicos, políticos e sociais que o Egito enfrenta representam "uma verdadeira ameaça à segurança do Egito e à coesão do Estado egípcio".

A fabricante de pneus norte-americana Goodyear anunciou hoje (31) que vai fechar a fábrica de Amiens, no norte da França, o que gerará a demissão de 1.173 trabalhadores. De acordo com a companhia, o plano já foi apresentado ao sindicato local. Em comunicado, a Goodyear afirmou que “fechar a fábrica é a única opção eficaz após cinco anos de negociações infrutíferas". A deterioração das condições dos trabalhadores levou hoje os trabalhadores do setor público de Marselha a protestar contra a política social do governo francês pelas ruas da cidade. Anteontem foi a vez dos funcionários da montadora francesa Renault, alguns segurando sinalizadores nas mãos, que fizeram protesto contra novo contrato da empresa em Flins, perto de Paris (acima). A montadora informou que as novas condições fazem parte “para melhorar a competitividade da empresa”. Segundo a Renault, é “inevitável” que haja demissões e fechamentos de fábricas na França se não for alcançado um acordo com os sindicatos. O governo francês, no entanto, já avisou que não aceitará as condições da montadora. Segundo o ministro das Finanças, Pierre Moscovici, o “Estado francês é o principal acionista da montadora” e informou que “há duas linhas vermelhas” que não podem ser ultrapassadas na negociação com a Renault: demissão e fechamento de fábricas. Na semana passada, a montadora anunciou a intenção de cortar 7.500 postos de trabalho, ou seja, 17% do total de funcionários da empresa em França, nos próximos quatro anos. “Se não houver um acordo (com os sindicatos), o compromisso de não fechar fábricas não poderá ser mantido e o fechamento será inevitável”, informou, no entanto, a Renault num comunicado à imprensa. No mesmo dia do protesto dos metalúrgicos, funcionários da empresa farmacêutica francesa Sanofi protestarem contra as demissões em massa em frente ao Ministério do Trabalho, em Paris. Na segunda-feira (28), o ministro do Trabalho, Michel Sapin, disse que o Estado francês está “à beira da falência”. A declaração gerou protesto do ministro das Finanças, que considerou infeliz a afirmação num momento em que o presidente François Hollande tenta melhorar a imagem da economia francesa junto dos investidores externos. Já Sapin argumentou que é preciso urgentemente acabar com o déficit francês. Ao ser questionado pela France Press, o ministro do Trabalho minimizou as declarações dizendo que fez apenas um “gracejo”. Em novembro a agência de notação financeira Moody’s retirou a nota máxima à França, baixando a nota de "AAA" para "Aa1", e manteve a perspetiva negativa sobre as finanças do país, o que significa que o “rating” francês pode vir a sofrer novos cortes num futuro próximo. No sábado (26), durante debate no Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça, a diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, pediu que a zona do euro, os Estados Unidos e o Japão "mantenham o impulso econômico" porque sua recuperação econômica em 2013 é "frágil e tímida". O Produto Interno Bruto (PIB) da Espanha caiu 1,37% em 2012, depois de um agravamento da recessão no quarto trimestre do ano, quando o conjunto das riquezas produzidas pelo país, o PIB, despencou 1,8%. De acordo com o Instituto Nacional de Estatística, a piora da situação no país é consequência de uma redução no consumo interno, que foi compensada apenas parcialmente pelo aumento das exportações. Em Bruxelas, a eurodeputada Alda Sousa denunciou que o orçamento anual e o quadro plurianual da União Europeia não estão congelados "mas sim sob a ameaça de cortes absolutamente brutais". Segundo a parlamentar da Esquerda Unitária, "não é correto dizer que a crise econômica impôs a austeridade”. “A austeridade foi uma escolha política dos próprios países e da Comissão Europeia, os programas de ajustamento é que destroem emprego e o crescimento social e criam uma catástrofe social". Anteontem, trabalhadores da siderúrgica Arcelor Mittal e policiais entram em confronto durante protesto contra fechamento de fábrica na Bélgica. Ontem, a polícia grega teve que lançar gás lacrimogêneo em manifestantes que protestam em frente ao Ministério do Trabalho contra austeridade porque eles passaram a usar a força contra os policiais (acima). “Eles apoiam os interesses da oligarquia. Querem matar-nos. Todos os dias nos espancam. Vejam bem o regime que aqui temos”, reagiu um manifestante. A Grécia está no 4º lugar na lista dos países mais miseráveis do mundo, com base no chamado Índice da Miséria (Misery Index), segundo a agência Bloomberg. O referido índice foi desenvolvido na década de 1970 por economistas norte-americanos. O seu cálculo é a soma da taxa de desemprego com a taxa de inflação. No mesmo dia do protesto grego, durante inauguração de uma exposição que lembra os 80 anos da chegada de Adolf Hitler ao poder na Alemanha, a chanceler Angela Merkel disse que a democracia e a liberdade não se impõem por si mesmas. A liberdade não é algo natural e a democracia não é evidente", disse Merkel, nascida após o fim da Segunda Guerra Mundial. "Uma sociedade viva e humana requer homens que manifestem respeito e atenção pelos demais, que assumam a responsabilidade por si e pelos demais", acrescentou. No domingo, durante as comemorações do Dia Internacional em Memória do Holocausto, o ex-primeiro-ministro italiano Sílvio Berlusconi, candidato nas próximas eleições, voltou a elogiar, mesmo com ressalvas, a atuação do ditador Benito Mussolini. "As leis raciais foram a pior falha de Mussolini, que, em outros aspectos, se saiu bem", declarou Berlusconi. A partir de 1938, o ditador fascista promulgou uma série de "leis raciais" que, na prática, introduziram medidas de discriminação e perseguição aos judeus na Itália.

A Síria apresentou hoje (31) uma reclamação formal à ONU sobre um ataque dentro de suas fronteiras que teria sido realizado por Israel. Já fontes dos Estados Unidos, da área de segurança do Líbano, diplomatas ocidentais e rebeldes sírios afirmam que o ataque foi contra um comboio de caminhões com armas que se dirigia ao Líbano. O Exército sírio nega isso. Autoridades sírias e iranianas sugeriram que pode haver uma retaliação. A Rússia afirmou que o suposto ataque aéreo israelense a instalações militares na Síria, se for confirmado, seria uma grave e inadmissível violação dos estatutos da ONU. "Moscou recebeu com profunda preocupação as informações sobre o ataque das forças aéreas de Israel a instalações sírias próximas a Damasco", assinala um comunicado do Ministério de Relações Exteriores russo. Após o governo de Bashar al-Assad confirmar que o território sírio foi alvo de um bombardeio israelense, o vice-chanceler do Irã disse que “Tel Aviv sofrerá sérias consequências” pelo ataque contra seu aliado, sem dar mais detalhes ou esclarecer se a ameaça é contra a cidade israelense ou contra o governo do país. Na semana passada, o porta-voz do líder supremo do país, o aiatolá Ali Khamenei, disse que um ataque à Síria seria como um ataque a Teerã e que o governo de Damasco representava uma forte resistência contra a influência israelense na região. A declaração foi feita no mesmo dia em que a República Islâmica anunciou que vai aprimorar seu enriquecimento de urânio, instalando centrífugas em sua principal usina atômica. Na segunda-feira (28), Teerã negou que a usina de enriquecimento de urânio de Fordow tenha passado por uma grande explosão, como noticiado na sexta-feira pela imprensa israelense e repercutido em alguns meios ocidentais. Na véspera, o presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, incitou os muçulmanos a alcançar a união necessária para pôr fim à “história do sionismo”. Ahmadinejad disse que acabar com o sionismo deve ser o objetivo dos muçulmanos em sua busca por unidade. Ele acrescentou ainda: "Não devemos ficar de braços cruzados enquanto os sionistas corruptos, incultos e assassinos se dedicam a matar gente inocente". Hoje agências de notícias divulgaram que uma plataforma de petróleo iraniana afundou no golfo Pérsico no momento em que os técnicos tentavam instalá-la. No Líbano, a notícia do possível ataque israelense à Síria irritou a milícia xiita Hezbollah. O grupo afirmou hoje que foi "uma barbárie" o suposto ataque de Israel à cidade de Jamraya, na Síria. Nos Estados Unidos, o jornal “The New York Times” publicou que Washington sabia antecipadamente da intenção de Israel em atacar a Síria. Hoje a Casa Branca advertiu contra a transferência de armas ao Hezbollah. "A Síria pode desestabilizar ainda mais a região mediante a transferência de armas ao Hezbollah", afirmou o conselheiro de segurança das presidência americana, Ben Rhodes. Eduardo del Buey, vice-porta-voz oficial do secretário geral da ONU, informou que as forças de manutenção da paz no Líbano tinham efetivamente assistido à intensificação da atividade da força aérea de Israel, mas que não recebeu aviso de Tel Aviv. No próximo sábado (2), o vice-presidente dos Estados Unidos Joe Biden discutirá sobre o conflito na Síria, quando se reunir em Munique com o ministro das Relações Exteriores russo Serguei Lavrov, o mediador internacional Lakhdar Brahimi e o chefe da oposição síria Ahmed Moaz al-Khatib. Segundo o jornal libanês “Ad-Diyar”, os exércitos da Síria, Líbano e Jordânia aumentaram o nível de alerta. De acordo com o Observatório Sírio de Direitos Humanos, com sede em Londres, o conflito está cada vez mais sangrento com combatentes mortos sendo resgatados no meio da rua (acima). Anteontem, os rebeldes sírios capturaram a ponte do rio Eufrates, na cidade de Deir ez-Zor. No domingo, Dia Internacional de Memória do Holocausto, o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, já demonstrava impaciência em relação aos seus vizinhos e ao Irã. “O Oriente Médio não está esperando o resultado das eleições nem parando enquanto o governo de Israel é montado. Enfrentamos muitas ameaças ao leste, ao norte, ao sul. A região inteira está em turbulência, e precisamos estar preparado e determinados para qualquer desenvolvimento. Por isso, eu vou procurar formar o governo mais amplo e estável para responder, primordialmente, a para responder, primordialmente, a todas as ameaças à nossa segurança”, disse Netanyahu. No mesmo dia o vice-premier Silvan Shalon confirmou relatos da imprensa de que o governo teve na quarta-feira passada uma reunião com o alto escalão das forças de segurança para discutir a ameaça síria, na qual ficou claro que, se o governo de Damasco perder o controle sobre o arsenal químico, Israel pode não teria outra opção a não ser um ataque militar. Ontem Netanyahu sugeriu que os Estados Unidos deveriam invadir o Irã para destruir suas bases nucleares. "Somente um ataque militar da parte dos Estados Unidos será capaz de parar o desenvolvimento do programa nuclear do Irã", disse o premier. O conflito no Oriente Médio pega fogo no momento em que o Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas condenou os assentamentos judaicos na Cisjordânia. Na semana passada, o ministério do Interior de Israel autorizou a construção de 1.500 casas em Ramat Shlomo, em Jerusalém Oriental, capital reivindicada pelos palestinos. Após a condenação à revelia de Israel, que boicotou a reunião da ONU, autoridades palestinas elogiaram a decisão. "Isso é incrível. Estamos muito animados com esta avaliação sincera e com princípios das violações israelenses", disse Hanan Ashrawi, um alto funcionário da Organização de Libertação da Palestina (OLP). 

O Departamento de Trabalho dos EUA divulgou hoje (31) que o número de pedidos de auxílio-desemprego nos Estados Unidos chegou a 368 mil na semana encerrada no último sábado, uma alta de 38 mil postos em relação à semana anterior. O aumento foi acima do esperado pelos economistas consultados pela agência de notícias Reuters, que estimavam uma alta para 350 mil. Na véspera, o resultado do Produto Interno Bruto (PIB) do país no quarto trimestre caiu pela primeira vez desde 2009. A retração foi de 0,1%, mas o resultado da soma da expansão economia estadunidense em 2012 foi de 2,2%. As notícias nada animadoras sufocaram a boa notícia para o presidente Barack Obama de que sua popularidade subiu depois do ato de posse, chegando a atingir 60%. Ontem, o Federal Reserve informou que continuará a comprar US$ 85 bilhões mensais de seu plano de estímulo, injetando “mais dinheiro na economia”. Segundo a autoridade monetária estadunidense, a desaceleração é “temporária”. “O crescimento na atividade econômica freou nos últimos meses, em grande parte em razão de obstáculos ao clima e a outros fatores transitórios”, disse o Comitê Federal de Mercado Aberto. No mesmo dia Obama prometeu que a reforma da imigração estará completa em 2013, possivelmente até a primeira metade do ano. Em entrevista ao canal Telemundo, uma das emissoras de televisão em espanhol com mais audiência nos EUA, Obama disse que deixará para o Congresso a tarefa de acertar os detalhes da reforma. "Mas se surgirem problemas, eu apresentarei a minha proposta", disse o presidente, em tom duro. Ele acrescentou que a reforma da imigração pode acontecer junto com a grande reforma em análise no Congresso, como o do aumento dos controles de armas de fogo. Na semana passada, Laura Kubiak.Hadiya Pendleton, de 15 anos, que se apresentou na cerimônia de posse de Obama, foi assassinada a tiros em Chicago por um homem que abriu fogo contra um grupo de crianças num parque. Descrita por parentes como um "anjo", ela se protegia da chuva sob um telhado com cerca de dez amigos adolescentes quando o homem armado pulou uma cerca, atirou contra o grupo e depois entrou num carro para fugir. Apavorados, seus amigos não ficaram para ajudar a jovem e outros dois que também ficaram feridos. "Como de costume, o criminoso atira, mas nunca atinge outro criminoso", lamentou ao jornal “Chicago Sun Times” o padrinho da vítima, o policial Damon Stewart. "Meu coração está dilacerado", acrescentou.  O parque onde Pendleton morreu fica aproximadamente a 1,5 quilômetros da casa de Obama. Ontem, pelo menos três pessoas foram baleadas por um atirador que invadiu um complexo empresarial, em Phoenix, no estado do Arizona. Em Atlanta, na Geórgia, um estudante de 14 anos foi baleado na cabeça na escola Price Middle. Durante o ataque, um professor teve ferimentos leves e recebeu atendimento no local. O tiroteio, de acordo com TVs locais, teria sido motivado por uma briga entre alunos. Segundo a “Fox News”, a polícia informou que três suspeitos estão sob custódia, sendo que um deles foi identificado como estudante. Testemunhas da escola afirmaram que duas pessoas teriam ficado feridas durante o ataque. No Alabama, a polícia cerca desde anteontem em Midland City uma casa onde um menino de 6 anos estaria sendo mantido refém. Segundo a polícia, o homem armado parou um ônibus escolar que transportavam 20 crianças e exigiu que um aluno descesse. O motorista Charles Albert Poland Jr., de 66 anos, se recusou a liberar o menino e levou vários tiros. O assassino fugiu do local com a criança, que está na pré-escola. A polícia não tem informações sobre a motivação do sequestrador, identificado por moradores como Jimmy Lee Dykes, um veterano da Guerra do Vietnã de 65 anos. No mesmo dia do sequestro, a discussão sobre o porte de armas chegou ao Congresso. Ontem, Wayne La Pierre, o líder da National Rifle Association (NRA), a organização que defende o direito ao porte de armas nos Estados Unidos, contestou o projeto apresentado pelo governo. “Os milhões de cidadãos que têm armas e cumprem as leis não aceitam a culpa pelos atos de criminosos violentos ou tresloucados. E não acreditam que o seja o governo a determinar que armas podemos legalmente comprar e usar para proteger as nossas famílias”, declarou Wayne La Pierre. “Já é tempo de mudar de rumo e de garantir a segurança do cidadão”, reagiu a senadora democrata da Califórnia Dianne Feinstein, que apresentou a proposta de lei para a proibição da venda das chamadas "armas de assalto" (semiautomáticas) e também de carregadores com mais de dez balas. Na audiência, Gabrielle Giffords, ex-deputada que sobreviveu milagrosamente, depois de ter sido baleada na cabeça durante um comício, fez uso da palavra e defendeu o projeto do governo. "Sejam corajosos", afirmou, ao recebida por uma sala lotada e em silêncio. "Falar é difícil para mim, mas devo dizer algo importante. Temos que agir. Sejam valentes, sejam valentes. Tenham audácia, valentia, os estadunidenses contam com vocês", disse a ex-deputada, que tem dificuldades de fala desde que sofreu o atentado. No fim de semana manifestantes a favor do controle de armas lotaram a alameda que se estende em frente ao Capitólio, sede do poder legislativo norte-americano (acima). "Queria certificar-me de que isto não volta a acontecer, nem na escola dos meus filhos nem em nenhuma outra escola. ão pode mesmo voltar a acontecer", disse Kara Baekey ao jornal “USA Today” sobre o massacre de crianças na escola de Newtown, que deixou um total de 28 mortos em dezembro do ano passado. Já James Agenbroad, de 78 anos, segurava um cartaz defendendo a "Anulação da 2ª Emenda" da Constituição norte-americana, que garante a legalidade do uso de todo o tipo de armas. "Podemos anular (a emenda). Anulamos a da proibição da venda de álcool, que chegou a constar na Constituição”, argumentou o manifestante. Na véspera, os defensores da 2ª emenda à Constituição tomaram as ruas de várias cidades estadunidenses. Alguns desfilaram até armados. Muitos afirmaram que só conseguiram se proteger da violência porque tinham armas.

Os capitalistas Tico e Teco voltaram a conversar sobre o mundo contemporâneo, acompanhados pela diarista Aparecida e pela filha Bytes, no dia 31 de janeiro de 2013, no Dia de São João Bosco, padroeiro de Brasília.

Tico: No dia de hoje o ex-governador Juscelino Kubitschek tomou posse como presidente do Brasil após a vitória do movimento de 11 de novembro. Chamado também de “Contragolpe”, o movimento político-militar foi destinado a assegurar a posse de Juscelino Kubitschek e de João Goulart como eleitos presidente e vice em 1955. O auge da tensão ocorreu quando o Cruzador Tamandaré, que tinha a bordo o presidente Carlos Luz, foi alvejado pela artilharia do Exército. Foi o último tiro de guerra na Baía de Guanabara até os dias de hoje. Com a renúncia do vice-presidente Café Filho, que assumiu a Presidência após o suicídio de Getúlio Vargas, Carlos Luz ocupou o cargo por ser o presidente da Câmara dos Deputados. Por ter criado o grupo independente no PSD, partido de Juscelino, Luz foi acusado de estar conspirando na Presidência para impedir a posse de JK. Ao mesmo tempo a oposição, liderada por Carlos Lacerda, fazia campanha, a fim de que Juscelino não fosse empossado sob o argumento de que ele não ganhou a eleição por maioria absoluta: 35,68% dos votos válidos. Naquele tempo a Constituição previa vitória apenas por maioria simples. Com a renúncia de Luz, assumiu a Presidência Nereu Ramos, vice-presidente do Senado, que acabou dando posse a Juscelino, num período de instabilidade política em que o Brasil teve três presidentes em poucos meses. JK ficou conhecido por ter planejado a nova capital do país: Brasília. A posse de Juscelino Kubitschek como o 21º presidente brasileiro ocorreu há 57 anos.

Teco: No dia de hoje o presidente dos Estados Unidos, Harry Truman, anunciou o desenvolvimento da Bomba de Hidrogênio. A primeira arma termonuclear explodiu num teste promovido por Washington em 1952. A força de dez megatons foi igual à explosão de dez milhões de toneladas de Dinamite. A potência da arma de destruição em massa mostrou ser 750 vezes superior à das primeiras bombas atômicas e suficiente para arrasar qualquer grande cidade. Em 1961, Moscou experimentou a bomba mais poderosa até então concebida, à qual foi atribuída uma força de 50 megatons. O desenvolvimento da Bomba de Hidrogênio começou há 63 anos.

Bytes: No dia de hoje os alemães usaram o gás lacrimogêneo como arma na Primeira Guerra Mundial contra os inimigos russos em Bolimow, na Polônia. Há 98 anos.

Aparecida: No dia de hoje nasceu, há 83 anos, o senador gaúcho Pedro Simon. Político de fé franciscana, ele apelou ao seu colega peemedebista Renan Calheiros para que renuncie às pretensões de ser candidato à Presidência do Senado na eleição de amanhã, em Brasília. "Ele deve renunciar à disputa. A questão é tão delicada que Renan não tem como se manter. O esperado é ele abrir mão, porque o governo não pode arcar com uma crise em um ano com tantas matérias importantes que precisam ser votadas. Seria uma agenda negativa para o Senado, pois a instituição seria questionada pela imprensa o tempo todo sobre isso", opinou. Ele voltou a lançar o nome do peemedebista Luiz Henrique como uma alternativa de consenso, pois é “um quadro que conta com a simpatia da presidente Dilma, do vice-presidente Michel Temer e até mesmo da oposição".

Bytes: No dia de hoje morreu em Londres, há 443 anos, Guy Fawkes. Ele foi um soldado inglês católico que teve participação na "Conspiração da pólvora", na qual se pretendia assassinar o rei protestante Jaime I da Inglaterra e todos os membros do Parlamento durante uma sessão em 1605. O objetivo da ação era dar início a um levante católico em Londres. O soldado era o responsável por guardar os barris de pólvora que seriam utilizados para explodir a sessão do Parlamento britânico. Porém a conspiração foi desarmada e após o seu interrogatório e tortura, Guy Fawkes foi executado na forca, condenado por traição e tentativa de assassinato. Outros participantes da conspiração acabaram tendo o mesmo destino. Sua captura é celebrada até os dias de hoje no dia 5 de novembro, na "Noite das Fogueiras". A tradição vem acompanhada da seguinte canção: "Lembrai, lembrai, o cinco de novembro/A pólvora, a traição e o ardil/Por isso não vejo porque esquecer/uma traição de pólvora tão vil". Guy Fawkes é mais conhecido no mundo por ter dado vida ao personagem principal do filme “V de Vingança”, obra-prima do cineasta australiano James McTeigue.

Aparecida: Ontem, os indianos lembraram os 65 anos da morte do líder Mahatma Gandhi, num atentado promovido por um fundamentalista hindu, contrário à convivência pacífica com os muçulmanos da Índia. A solução da comunidade internacional foi dividir o país, nascendo um novo Estado nacional: o Paquistão. Em Nova Déli, algumas crianças prestaram homenagem em frente à estátua que lembra o seu legado histórico (acima). Na segunda-feira, a Índia testou com sucesso um míssil balístico submarino K-15 Sagarika, lançado a partir de um silo especial instalado numa plataforma submarina no golfo de Bengala. O K-15 será o armamento principal do submarino nuclear indiano Arihant que pode ser equipado com 12 desses mísseis, capazes de transportar uma ogiva nuclear. 

Bytes: Ontem, a Alemanha lembrou os 80 anos da posse de Adolf Hitler como chanceler alemão, o primeiro passo para a vitória política dos nazistas. Em Berlim, foi inaugurada uma série de exposições que mostram "a responsabilidade permanente" da Alemanha pelos crimes nazistas, segundo ressaltou a atual chanceler, Angela Merkel. Em uma foto em preto e branco, há Hitler saudando a multidão da janela da Chancelaria, Wilhelmstrasse, no fim da tarde de 30 de janeiro de 1933. Naquele dia, o líder do Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães havia sido nomeado chanceler e encarregado a formar um novo governo pelo então presidente Paul von Hindenburg. A vitória dos nazistas na última eleição livre da República alemã no início do século XX foi por maioria simples, 33%, levando o partido a obter 196 assentos no Parlamento, o Reichstag, num total de 584 cadeiras. Com uma política de terror, os nazistas conseguiram aumentar o seu poder na Alemanha sendo Hitler alçado também ao status de chefe de Estado chamado de fuhrer, o “guia”.

Aparecida: Hoje é o dia de São João Bosco, padroeiro de Brasília. Fundador da congregação dos salesianos, ele é mais conhecido pelas suas profecias. Uma delas foi usada para a construção da nova capital do Brasil. Num sonho, o sacerdote se viu na América do Sul e escreveu: “Eu enxergava nas vísceras das montanhas e nas profundas da planície. Tinha, sob os olhos, as riquezas incomparáveis dessas regiões, as quais, um dia, serão descobertas. Eu via numerosos minérios de metais preciosos, jazidas inesgotáveis de carvão de pedra, de depósitos de petróleo tão abundantes, como jamais se acharam noutros lugares. Mas não era tudo. Entre os graus 15 e 20, existia um seio de terra bastante largo e longo, que partia de um ponto onde se formava um lago. E então uma voz me disse, repetidamente: Quando vierem escavar os minerais ocultos no meio destes montes, surgirá aqui a Terra da Promissão, fluente de leite e mel. Será uma riqueza inconcebível”.

Bytes: São João Bosco escreveu também que a Rússia e a Inglaterra serão no futuro nações católicas.

Aparecida: O que você acha de suas profecias?

Bytes: Profecia é a revelação da história. Os profetas de Israel revelaram o que aconteceria com o seu povo, cada um com a linguajar de seu tempo, para advertir sobre o cativeiro e a justiça divina. Só foi confirmado pelo tempo adequado das coisas e sentido na pele. Afinal, como ensinou o gênio Einstein, não há tempo nem espaço. Se tudo é ilusão dos sentidos, para os capitalistas meia palavra basta.

Aparecida: Ah, entendi! Revelou Isaías, “profeta de Israel”: “Ouvi, pois, a palavra do SENHOR, homens escarnecedores, que dominais este povo que está em Jerusalém. Porquanto dizeis: Fizemos aliança com a morte, e com o inferno fizemos acordo; quando passar o dilúvio do açoite, não chegará a nós, porque pusemos a mentira por nosso refúgio, e debaixo da falsidade nos escondemos. Portanto assim diz o Senhor DEUS: Eis que eu assentei em Sião uma pedra, uma pedra já provada, pedra preciosa de esquina, que está bem firme e fundada; aquele que crer não se apresse. E regrarei o juízo pela linha, e a justiça pelo prumo, e a saraiva varrerá o refúgio da mentira, e as águas cobrirão o esconderijo. E a vossa aliança com a morte se anulará; e o vosso acordo com o inferno não subsistirá; e, quando o dilúvio do açoite passar, então sereis por ele pisados. Desde que comece a passar, vos arrebatará, porque manhã após manhã passará, de dia e de noite; e será que somente o ouvir tal notícia causará grande turbação. Porque a cama será tão curta que ninguém se poderá estender nela; e o cobertor tão estreito que ninguém se poderá cobrir com ele. Porque o SENHOR se levantará como no monte Perazim, e se irará, como no vale de Gibeão, para fazer a sua obra, a sua estranha obra, e para executar o seu ato, o seu estranho ato”. 

Tico: Qual é a diferença entre Brasil e Egito?

Teco: No Egito muitas vozes se levantaram para afirmar que as portas do estádio tinham sido trancadas propositalmente para provocar o massacre durante o jogo de futebol em Port Said, que deixou 74 mortos em fevereiro de 2012. Assim a tragédia iria denegrir a imagem do país. Para os capitalistas, meia palavra basta.

Bytes: O delegado da 4ª Delegacia da Polícia Civil de Porto Alegre, Thomaz Cleber Mercio Pereira, afirmou que vai pedir ao Ministério Público a interdição do setor da "avalanche" da Arena Grêmio, recém-inaugurada. "Vou pedir ao Ministério Público para que interdite o local ou o Grêmio termine com a avalanche e coloque cadeiras naquele setor. Todos os jogos vão dar problema", disse Pereira em entrevista à Folha. "Estou instaurando um inquérito e a perícia já está no local. Vou pedir também laudos de engenharia para ver se a grade comporta ou não aquela comemoração dos torcedores. Ontem, a grade dobrou igual papel", acrescentou. Oito pessoas ficaram feridas com a queda do alambrado (acima).

Aparecida: O seu Carlos disse, exaltado: “Cenas de selvageria e de segurança duvidosa nós tivemos que assistir ontem no jogo entre Grêmio e o LDU do Equador na decisão da Taça Libertadores da América. Sabe aonde? Na Arena do Grêmio, inaugurada como se fosse de Primeiro Mundo, mas cujo alambrado foi abaixo e os feridos foram levados para o Hospital Cristo Redentor, em Porto Alegre. Mais um escândalo que compromete a segurança na Copa. Um flagrante contra as deliberações da Fifa que exige cadeiras para os espectadores, mas que o time gaúcho não fez para que a macacada pudesse se exibir”.

Bytes: Por falar em Rio Grande do Sul, a polícia prendeu temporariamente na segunda-feira três pessoas pelo incêndio na boate Kiss, em Santa Maria. Foram detidos dois integrantes da banda Gurizada Fandangueira e um dos sócios da casa noturna. Segundo a polícia, o empresário tentou suicídio no hospital em que está internado. 

Aparecida: O que você achou da maior tragédia brasileira que ocorreu no espaço de “meio século?”

Bytes: O colega gaiato lá da facû disparou: “O funcionário da Kiss deve ter dito para o fiscal: Quebra essa!” O outro colega disse: “Mas o honesto sofre nas mãos da fiscalização que descobre pelo no ovo para um cascalho no fim do mês”. O terceiro emendou: “Mas na hora de reivindicar usa o apito para ficar nos nossos ouvidos clamando: o Estado paga uma miséria”. O quarto emendou: “Todos se confessarão inocentes diante do malfeito”. Esse é o incosciente coletivo.

Aparecida: O seu Carlos disse, exaltado: “Ninguém vai preso neste País. A sede de justiça é a grande preocupação dos homens de bem, cansados de ver a impunidade aos nossos olhos. O que aconteceu com os culpados pelo Bateau Mouche? E o “Canecão mineiro?” Onde sete pessoas morreram e 300 ficaram feridos? Este País necessita de um regime forte, uma ditadura honesta, em nome da civilização”. A dona Irene comentou, horrorizada: “Os jovens foram para o banheiro da boate a fim de conseguir a salvação. Muitos puxaram a descarga na busca que a água trouxesse oxigênio”.

Bytes: Na segunda-feira o jornalista Jonathan Wheatley publicou em um blog da “Financial Times” um artigo tecendo duras críticas ao governo brasileiro e ao progresso do país por causa da tragédia em Santa Maria. Os questionamentos começaram pelo título: "Idiotia e Progresso". "Para um país que sobe em termos econômicos e está se preparando para mostrar seus progressos com a Copa do Mundo e os Jogos Olímpicos, a lista de erros e fracassos que levaram ao incêndio de sábado promove a pior das publicidades". Wheatley criticou também o não cumprimento de normas de segurança na boate. "Regulamentos dos mais básicos, propriamente aplicados, teriam evitado a tragédia e salvo a vida de 231 jovens. As autoridades enfrentarão questionamentos", escreveu o jornalista britânico. "Idiotas existem em todo o mundo e é muito difícil de legislar contra eles. Até sábado, o Brasil não teve uma tragédia dessa escala por mais de meio século. Se o evento horroroso do fim de semana resultar em aplicações mais duras da lei, o Brasil terá feito mais progresso", acrescentou.

Aparecida: A presidente Dilma Rousseff, que estava participando da cúpula dos países da América Latina com a União Europeia em Santiago, no Chile, cancelou sua agenda no país sul-americano e retornou ao País no mesmo dia para acompanhar o resgate das vítimas.  Antes de deixar a conferência de cúpula, Dilma se emocionou. Muitos lembraram da emoção de Obama quando foi informado sobre a chacina de crianças numa escola nos Estados Unidos, apesar da diferença entre os dois casos em termos de “segurança”. O seu Carlos reagiu, exaltado: “Nos Estados Unidos há justiça! Há exatos dez anos, um incêndio numa casa noturna da cidade de West Warwick, no estado de Rhode Island, deixava cem mortos e um país inteiro estarrecido. Qual foi o resultado? Prisões e indenizações milionárias. Aqui temos sede de justiça”.

Bytes: Aos prefeitos brasileiros, a presidente disse: “Falo da dor para lembrar responsabilidade que todos nós, do Poder Executivo, temos com a população. Diante da tragédia, temos de assegurar que ela jamais se repetirá”. A banda Gurizada Fandangueira, que teria utilizado os sinalizadores, era desconhecida do grande público, mas muito popular num círculo de seguidores.

Aparecida: O incêndio liberou a mesma substância tóxica usada por nazistas para matar judeus e outros prisioneiros nas câmaras de gás na Segunda Guerra Mundial.

Bytes: Dilma repetiu Jango, em 1961, que enfrentou a tragédia do Gran Circus Norte-Americano, cujo incêndio deixou um saldo de 500 mortos, a maioria delas crianças. A única diferença é que a presidente foi imediatamente, enquanto o ex-presidente visitou as vítimas no dia seguinte.

Aparecida: Qual foi o motivo do incêndio no circo?

Bytes: Vingança. Um funcionário foi demitido pelo empresário, que era norte-americano, e resolveu se vingar. O dispensado, Danilo Stevanovich, o Dequinha, convidou José dos Santos, o Pardal, e Walter Rosa dos Santos, o Bigode, a colocar fogo no circo num encontro num local denominado Ponto de Cem Réis, no bairro Fonseca, em Niterói. Um dos comparsas responsável pela compra da gasolina advertiu o chefe da lotação esgotada do circo o iminente risco de mortes. Com 3 mil pessoas na plateia, faltavam vinte minutos para o espetáculo acabar, quando uma trapezista percebeu o incêndio. Em pouco mais de cinco minutos, o circo foi completamente devorado pelas chamas. Dequinha foi assassinado um mês depois de fugir da prisão. Bigode e Pardal cumpriram prisão de mais de 14 anos.

Aparecida: Incêndio é uma coisa terrível. Eu tive uma vizinha cuja filha presenciou o fogo no “Xuxa Park” quando o programa estava sendo gravado no dia 11 de janeiro de 2001. Houve muito pânico, principalmente da apresentadora e da diretora Marlene Mattos. O seu Carlos disse: “Janeiro e agosto são meses tradicionais em que a bruxa está solta no Brasil”.

Bytes: Por falar em Xuxa, ela ficou revoltada com os boatos na Internet de que seu namorado seria negro em vez dos internautas estarem discutindo a tragédia em Santa Maria. Está certa. E avisou sobre o novo amor: “Ele não bebe, não fuma, não come carne, adora bichos e é um ótimo pai”. O eleito é o ator e cantor Junno Andrade, branco, que foi o príncipe da Angélica na festa de debutante. Segundo a previsão dos místicos, Xuxa encontraria o seu amor aos 50 anos e seria feliz para sempre.

Aparecida: Por falar em músico, o cantor Luan Santana deixou uma mensagem gravada para uma fã que morreu na tragédia em Santa Maria. Ela adorava a música “Meu destino” de autoria de Luan quando ele tinha apenas 10 anos.

Bytes: A cantora Lady Gaga ficou comovida com o incêndio que na boate Kiss. "Minhas orações vão para os familiares e amigos que perderam seus amados no fogo no Brasil. Estou pensando em vocês hoje durante essa tragédia", escreveu no Twitter, que também publicou uma foto em que aparece rezando. Ela esteve em Porto Alegre em novembro, quando apresentou na capital gaúcha o show da turnê Born This Way Ball.

Aparecida: Por falar na tragédia, o perfil da Rede Globo no Twitter se retratou, na tarde de domingo, após postar uma mensagem em que convidava os internautas a criarem uma "divertida" lápide interativa. A ação, que faz parte da promoção da série “Pé na cova”, foi mal vista pelos internautas, que criticaram a falta da sensibilidade da emissora em razão da tragédia envolvendo a morte dos jovens. “Já brincou de criar sua lápide divertida?”, dizia a mensagem com o link do aplicativo que direcionava para a página do seriado, que começou na quinta-feira passada. Você acha que o seriado será cancelado?

Bytes: Não creio. Segundo a coluna do jornalista Ricardo Feltrin da “Folha” apurou, o profissional que postou o tweet no perfil da Globo foi afastado, mas não demitido, e o caso gerou uma crise em toda a produção do seriado. Há gente no elenco que já defende que "Pé na Cova", ao menos, não fosse ao ar esta semana. Seria uma forma de não tocar jocosamente no assunto "morte" num momento delicado como este. Mas as chamadas estão no ar. A tragédia em Santa Maria, no entanto, fez a Globo trocar o filme da "Sessão da Tarde" de anteontem. O filme era "O cachorro bombeiro", que mostrava cenas de incêndios. No lugar entrou "Ninguém segura esses fantasmas". Eu torço para que não suspendam o “Pé na cova” porque apesar de ter tido uma estreia morna, promete. Assim como a chamada feita para o capítulo de hoje à noite. Se a “Grande família” é o nosso “Simpson”, a série “Pé na cova” tem tudo para ser a nossa “Família Addams”.

Aparecida: Por falar em mudança de planos por causa da tragédia, os integrantes do bloco “Folia com Cristo” mudaram em cima da hora seus planos de pular o carnaval no último domingo e transformou o desfile numa procissão religiosa. Ela percorreu da esquina das avenidas Rio Branco e Presidente Vargas até a Catedral Metropolitana, na Avenida Chile, onde uma missa foi celebrada em memória das vítimas.

Bytes: Por falar em religião, eu gostei muito da série “José do Egito”, que estreou ontem na Record. Um trabalho bem cuidado, com pequenos escorregões. Mas mostrou a história do estupro de Diná, filha de Jacó, para entender Siquém que permeia o Antigo Testamento, a “Torá judaica”. E vai mostrar também Tamar, a nora que enganou Judá, para que ele lhe gerasse descendentes. E deste relacionamento estranho nasceu a árvore genealógica de Davi.

Aparecida: Cantou Davi, rei de Israel, no “Salmo de Asafe”: “O Deus, os gentios vieram à tua herança; contaminaram o teu santo templo; reduziram Jerusalém a montões de pedras. Deram os corpos mortos dos teus servos por comida às aves dos céus, e a carne dos teus santos às feras da terra. Derramaram o sangue deles como a água ao redor de Jerusalém, e não houve quem os enterrasse. Somos feitos opróbrio para nossos vizinhos, escárnio e zombaria para os que estão à roda de nós. Até quando, SENHOR? Acaso te indignarás para sempre? Arderá o teu zelo como fogo? Derrama o teu furor sobre os gentios que não te conhecem, e sobre os reinos que não invocam o teu nome. Porque devoraram a Jacó, e assolaram as suas moradas. Não te lembres das nossas iniqüidades passadas; venham ao nosso encontro depressa as tuas misericórdias, pois já estamos muito abatidos. Ajuda-nos, ó Deus da nossa salvação, pela glória do teu nome; e livra-nos, e perdoa os nossos pecados por amor do teu nome. Porque diriam os gentios: Onde está o seu Deus? Seja ele conhecido entre os gentios, à nossa vista, pela vingança do sangue dos teus servos, que foi derramado. Venha perante a tua face o gemido dos presos; segundo a grandeza do teu braço preserva aqueles que estão sentenciados à morte. E torna aos nossos vizinhos, no seu regaço, sete vezes tanto da sua injúria com a qual te injuriaram, Senhor. Assim nós, teu povo e ovelhas de teu pasto, te louvaremos eternamente; de geração em geração cantaremos os teus louvores”.

Tico: O que você achou do novo elogio feito por Berlusconi a Mussolini no Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto?

Teco: Todo ditador abrevia o atraso porque não há o contraditório. Ele não pergunta se pode demolir o Museu do Índio, no Maracanã, que não é mais museu porque as peças estão no museu em Botafogo. Ele simplesmente demole. Mussolini fez muito na agricultura e em infraestrutura. Há o mito de que resolveu o problema crônico da corrupção na Itália. Assim como Getúlio que é elogiado por ter sido um “estadista” ao negociar a construção da Companhia Siderúrgica Nacional. E muitos idolatram Stalin pela industrialização da Rússia. Mas prefiro JK que abreviou 50 anos de atraso em 5 com democracia.

Bytes: No Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto, a presidente Dilma Rousseff disse que "o Holocausto também se repete quando é negado. Por isso deve-se sempre lembrar, mas ter muita responsabilidade quanto à verdade dos fatos”. Segundo ela, o Brasil também enfrentou momentos difíceis com os 300 anos escravidão e os períodos de ditadura. A presidenta reiterou diversas vezes em seu discurso que o caminho para evitar esse tipo de tragédia é o conhecimento da verdade e da história da humanidade. Para a presidente, a ideologia que resultou no holocausto, “não chegou abruptamente”. E lembrou o período da inquisição portuguesa: “Sem dúvida nenhuma os guetos são uma antecipação disso. A expulsão dos judeus de Portugal foi outra manifestação histórica, uma longa preparação, secular, que desembocou naquele momento terrível da história da humanidade, que foi a perseguição aos diferentes, aos judeus. E se repete sempre que foi aos judeus, porque tinha uma sistemática tentativa de descaracterizar seres humanos como humanos”,

Aparecida: Por falar em judeus, a Associação dos Judeus Etíopes em Israel está exigindo que o Ministério da Saúde abra uma investigação sobre a administração em mulheres etíopes de um anticoncepcional polêmico por conta de seus efeitos colaterais. Um deles é tornar as mulheres inférteis. A diretora da entidade, Ziva Mekonen Dego, disse à BBC Brasil que considera "especialmente grave" o fato de que, mesmo depois de chegar a Israel, as mulheres etíopes continuaram recebendo as injeções "sem saber dos efeitos colaterais". Para a cientista política Hedva Eyal, da ONG feminista Isha Leisha e autora de uma pesquisa sobre mulheres etíopes que foram induzidas a tomar depo-provera, nesse caso trata-se de um fenômeno decorrente de "paternalismo ou racismo". Em Israel, vivem cerca de 120 mil judeus etíopes. Vários deles se queixam de discriminação racial por serem negros. Será que os mais “tostadinhos” judeus, descendentes da rainha de Sabá, sofrem a discriminação?

Bytes: O que sabemos é que a Argentina considerou "impróprio" o pedido de explicações feito por Israel sobre o acordo com o Irã para a formação de uma comissão da verdade para esclarecer o atentado contra a Associação Mutual Israelita Argentina em 1994, que deixou 85 mortos. A Argentina assinou, no domingo, um acordo com o Irã na Etiópia para criar uma comissão independente para investigar o atentado a bomba de 1994 em Buenos Aires contra a entidade, pelo qual exige a extradição de oito iranianos. "Cabe ressaltar que a Argentina nunca convocou um embaixador israelense para pedir explicações sobre atos de seu governo", ressaltou a chancelaria argentina em seu comunicado.

Aparecida: Israel protestou contra o acordo feito entre Argentina e Irã para apurar o atentado em Buenos Aires na década de 90. Em nota, o vice-chanceler, Danny Ayalon, disse que o acordo é como convidar o assassino a investigar os crimes que cometeu. Ele disse que Israel está profundamente decepcionado e pediu que Buenos Aires se explicasse sobre o acordo, além de pedir uma reunião com o chanceler Hector Timmerman. "A relação comprovada entre as duas ações nos dá o direito natural de querer que os responsáveis sejam punidos, em especial nessa época, em que sofremos da praga do terrorismo do Irã em todo o mundo", disse a Chancelaria israelense.

Bytes: Por falar em judeus, o jornal britânico "The Sunday Times" pediu desculpas a líderes judaicos anteontem por uma charge publicada no último domingo em tom crítico à atuação de Israel para isolar territórios palestinos. O desenho de Gerald Scarfe mostra o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, construindo um muro. Entre os tijolos, aparecem cadáveres de palestinos. Abaixo, a legenda "Eleições israelenses".

Aparecida: O que você acha?

Bytes: Deve ter muito islâmico esperando o mesmo tratamento sem ser chamado de fundamentalista por estar censurando charges consideradas ofensivas, gerando a dúvida sobre o que é “liberdade de expressão”. E o que é “mau gosto”.

Aparecida: O papa Bento XVI disse que a recordação do Holocausto deve representar uma advertência constante para evitar a repetição de erros do passado. "A memória desta tragédia, que atingiu duramente o povo judeu, deve representar para todos uma advertência constante para que os horrores do passado não se repitam", afirmou o pontífice depois do Angelus na praça de São Pedro.

Bytes: Na exposição "Berlim 1933, o caminho da ditadura", inaugurada por Merkel, os visitantes podem observar as primeiras páginas dos jornais, além de cartazes da propaganda nazista. "Chegou a hora! Estamos na Wilhelmstrasse, Hitler é chanceler do Reich. É como um conto de fadas!", escreveu Joseph Goebbels, futuro chefe da propaganda nazista, em seu diário, no dia 31 de janeiro de 1933. Os painéis seguintes mostram imagens do incêndio no Reichstag, em 27 de fevereiro, e das primeiras medidas contra os judeus, em 1º de abril, com o início do boicote às lojas, médicos e advogados judeus. "Alemães, defendam-se! Não comprem dos judeus", proclama um cartaz de propaganda da época. A Alemanha planeja, pela primeira vez desde 1945, voltar a editar, em dois anos, o livro "Minha Luta", base ideológica para a criação do Partido nazista, na qual Hitler diz que a Oligarquia Financeira Internacional, controlada pelos judeus, manipula as Bolsas de Valores para impedir a ascensão de novos atores econômicos. O filme "O homem que queria matar Hitler", da fase norte-americana de Fritz Lang mantém o expressionismo alemão. Refugiado do nazismo, Lang cumpria assim a missão "patriótica" ao imaginar o assassinato do “líder inimigo”, mesmo que o atentado fosse fracassado. Fugia do “discurso oficial da nação”.

Aparecida: E como pensa o governo dos Estados Unidos?

Bytes: Deu no jornal “O Globo” de 31 de janeiro de 1963, cuja manchete foi “A notícia o presidente: Já hoje em execução a lei que reprime os abusos do poder econômico”: “Em entrevista coletiva, ontem, o Sr. San Tiago Dantas, informou que entregará o Plano de Contenção de Despesas a presidente da República, Sr. João Goulart, em 15 de dezembro e que êsse plano fixa o aumento do funcionalismo em 40%. Afirmou que em poucos meses o govêrno deverá alcançar os níveis iniciais de contenção da inflação”. E mais: “A Grã-Bretanha acusou ontem o govêrno de De Gaulle por impedir o seu ingresso no Mercado Comum Europeu. Num discurso pronunciado por rádio e TV, o premier Harold Macmillan, sem citar diretamente o presidente francês, disse que a França, ou pelo menos, o atual govêrno desse país, está olhando para trás e não para a frente”. E mais: “O govêrno do Peru iniciou investigações para a descoberta das ligações de uma conspiração de proporções evidentemente continentais, segundo revelaram os documentos encontrados em poder dos membros da delegação cubana que pereceu no desastre do avião comercial brasileiro, que se chocou contra o Pico de La Cruz, nas proximidades de Lima, em fins do ano passado. Essa informação é de da chancelaria peruana, anteontem, em resposta às notícias de jornais brasileiros de que o govêrno peruano ter-se-ia baseado em documentos duvidosos para afirmar que a ação subversiva partia do Brasil”.

Aparecida: Deu no jornal “O Globo” de 31 de janeiro de 2013, 50 anos depois: “Depois da tragédia de Santa Maria. Rio tem 49 espaços culturais sem alvará. Município admite fechar os seus estabelecimentos; estado anunciará vistorias. Entre os que estão em situação irregular; 36 são geridos pela prefeitura; secretário municipal de Cultura, que pediu levantamento, se diz surpreso e admite que, na atual situação, não há garantia de que o público esteja seguro”. E mais: “O funcionário de uma loja em Santa Maria, ouvido ontem pelo Jornal Nacional, disse que o produtor da banda Gurizada Fandagueira comprou fogos de artifício para o show, mesmo após alertado de eles não poderiam ser usados em locais fechados. O vendedor disse que os fogos apropriados foram recusados pelo produtor, por serem mais caros. A polícia pediu a prorrogação da prisão dos quatro detidos”. E mais: “Síria acusa Israel por bombardeio. O regime sírio acusou Israel pelo ataque a um centro de pesquisa militar perto de Damasco. Mas, segundo fontes, o alvo seria um comboio de armas destinadas ao Hezbollah. Israel não comentou”.

Bytes: Por falar em Cuba, o Lula está em Havana para participar da 3ª Conferência Internacional pelo Equilíbrio do Mundo. Anteontem, ele colocou coroa de flores no monumento José Martí durante cerimônia na Praça da Revolução. O meu colega gaiato disparou: “O Lula vai participar da Conferência Internacional pelo Equilíbrio do Mundo na República Popular da China?” Eu respondi: “Os socialistas não aceitam a ciência contemporânea: o espaço-tempo que cria a matéria”. Para os capitalistas, meia palavra basta.

Aparecida: Horas depois de ter se encontrado com o líder da Revolução Cubana, Fidel Castro (acima), Lula criticou o bloqueio norte-americano à ilha caribenha. No discurso de encerramento da conferência, ele afirmou que a única razão para o embargo de 50 anos continuar existindo é a teimosia dos Estados Unidos em “não reconhecer que perdeu a guerra para Cuba”.

Bytes: Lula vai a Washington para falar aos sindicalistas estadunidenses. O meu colega da facû disparou: “Como um novo Fidel, Lula vai viajar pelo mundo para vender a sua obra e a revolução brasileira”.

Aparecida: O que você acha?

Bytes: O que posso dizer é que a rejeição ao “Eixo” impediu que tivéssemos hoje uma base militar estadunidense no Rio Grande do Norte, como convive o Japão. Na última segunda-feira completaram 71 anos do discurso do chanceler brasileiro Osvaldo Aranha para anunciar o rompimento com o nazi-fascismo: "As conquistas desta Conferência não as poderão apreciar os contemporâneos. As grandes obras só podem ser bem compreendidas quando o tempo dá à inteligência a sua perspectiva divina e sua eterna luz. Desde já, porém, podemos afirmar que transformamos uma utopia em realidade, e que já espledem, realizados em sua plenitude, o anseio, o sonho e o ideal de nossos maiores. A paz dos povos e a união das nações na Ásia, na África e na Europa são a história mesma de uma sucessão trágica de fracassos e de esforços vãos dos homens, em séculos de porfia, de desenganos e de conflitos. Os povos americanos a realizaram e nós, seus chanceleres, a confirmamos hoje, porque proscrevemos da comunhão continental a violência, o império, o predomínio, afim de dar lugar à confiança, à solidariedade e à justiça, colunas sobre as quais repousam a igualdade das nações americanas, a independência de seus povos e a liberdade de todos nós, cidadãos da América".

Aparecida: No encontro com os intelectuais esquerdistas, Lula defendeu o presidente da Bolívia, Evo Morales. “Quem imaginava que um índio, com cara de índio, jeito de índio, comportamento de índio, governaria um país e, mais do que isso, que seu governo daria certo?”, questionou. Lula afirmou que a direita brasileira queria que ele brigasse com Evo, quando este estatizou a empresa de gás boliviana, então operada pela brasileira Petrobras. “Aí eu pensei: eu não consigo entender como um ex-metalúrgico vai brigar com um índio da Bolívia”, contou o ex-presidente, sob os aplausos da plateia.

Bytes (cantando): “Eu vejo o futuro repetir o passado. Eu vejo um museu de grandes novidades”.

Aparecida (cantando): “O tempo não para. Não para não. Não para!”

Bytes: Viva Cazuza!

Aparecida: Viva! Viva! Viva!

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, recebeu hoje (31) no Kremlin o primeiro-ministro da Hungria, Viktor Orban (acima). “Nossas companhias estão dispostas a participar da ampliação de usinas elétricas existentes na Hungria e da construção de novas usinas”, disse Putin a Orban. O convite partiu do próprio chefe de Estado russo que desejava discutir sobre expansão energética. Putin recordou que os dois países já colaboram com êxito no domínio da energia. Em particular, agradeceu a Budapeste pelo apoio ao projeto da construção do gasoduto South Stream. Por sua vez, Viktor Orban também expressou a esperança de que se desenvolva a cooperação no domínio dos investimentos. Ele convidou os russos a participar da expansão das redes energéticas húngaras. Além de temas nos setores econômico-comercial, energético e financeiro, os dois líderes também analisaram as relações humanitárias e culturais entre os dois países. O presidente da Rússia assinalou que o povo da Rússia é multinacional, no qual indivíduos do grupo linguístico e da cultura ugro-fineses constituem uma boa parte. Ele agradeceu também a Orban e às autoridades húngaras por terem nomeado uma das alamedas do parque central de Budapeste com o nome do escritor russo Lev Tolstoi, autor do livro “Guerra e paz” , que conta a história de cinco famílias russas que resistem à invasão francesa das tropas de Napoleão Bonaparte. “Isto prova que nossas relações estão adquirindo um caráter transparente e amigo, diferente do das décadas passadas”, avaliou Putin. A Europa não gostou muito dessa aproximação. Apesar de se apresentar como um democrata, a oposição acusa Orban de implementar uma política de extrema-direita. Quando o governo de Orbán entrou ao poder, em maio de 2010, aprovou uma lei declarando 04 de junho um "Dia da Unidade Nacional" dos húngaros em todo o mundo, em comemoração do Tratado de Trianon. O acordo de paz 1920 privou a Hungria, um dos perdedores da Primeira Guerra Mundial, de dois terços do seu antigo território. Estátuas de comunistas considerados traidores foram demolidas, enquanto monumentos foram erguidos, como em homenagem a Miklós Horthy. O líder de extrema-direita da Hungria entre 1920 e 1944 foi o responsável pelo extermínio de milhares de judeus húngaros durante a Segunda Guerra Mundial. Há também um estímulo do governo na área da educação obras de antissemitas no período das duas guerras mundiais. A oposição também afirma que as milícias foram reforçadas, assim como permitido o uso de arma para proteção social. A minoria cigana também passou a ser mais monitorada para ter direito a ajuda do governo. Enquanto investe na área energética, Moscou também se volta para uma política independente na diplomacia, como no tempo da extinta União Soviética. Ontem, Putin conversou pelo telefone com o primeiro-ministro iraquiano, Nouri al-Maliki, a cooperação bilateral entre os dois países. "Os dois lados trocaram opiniões sobre temas atuais da cooperação bilateral. Foi confirmada, em particular, a importância de implementação dos acordos alcançados durante a visita de Nouri al-Maliki à Rússia em outubro de 2012", informou o Kremlin num comunicado à imprensa. Em outubro, durante uma visita a Moscou, al-Maliki tinha concluído um acordo de cooperação técnico-militar no valor de US$ 4,2 bilhões. No mesmo dia o presidente russo enviou telegrama de congratulações ao primeiro-ministro da Etiópia, Hailemariam Desalegn, eleito para assumir a liderança da União Africana. Em sua mensagem, o chefe de Estado afirmou que a Rússia está interessada em implementar cooperação e parceria com a entidade devido ao relevante papel desempenhado por esta para o desenvolvimento socioeconômico do continente. Putin também expressou a sua convicção de que Rússia e os países da África reúnem condições para consolidar o seu relacionamento por um amplo relacionamento multilateral. Hoje a petrolífera russa Rosneft assinou em Caracas um conjunto de documentos que permitem alargar sua cooperação com a Venezuela em matéria de prospecção de novas jazidas e prestação de serviços de perfuração e manutenção de poços. Foi firmado também um convênio na área de educação. A Universidade russa do Petróleo e do Gás “Gubkin” passará a formar especialistas para a Venezuela. Em carta enviada ao vice-presidente venezuelano Nicolas Maduro, Putin disse estar "seguro" de que o seu colega Hugo Chávez vencerá a batalha contra o câncer. "Estou seguro de que ele vencerá a doença e voltará para continuar com a nobre causa de formar a Venezuela um país próspero e forte", afirmou o líder russo. No plano interno, Putin decidiu ser ele próprio o presidente do Daguestão, uma república da Federação Russa na Região do Cáucaso que vive uma atualmente uma onda de violência política. Na área militar, a Rússia continua a encomendar novos equipamentos bélicos, enquanto realiza manobras militares no golfo de Aden e no mar Mediterrâneo. Hoje os deputados da Duma Municipal da cidade de Volgogrado votaram a favor da utilização do nome “cidade-herói de Stalingrado” por motivo de seis datas comemorativas da história militar russa. A homenagem ao ditador Josef Stalin não agradou a todos. O ouvidor-geral de Direitos Humanos da Rússia, Vladimir Lukin, criticou a medida e defendeu sua revogação. “Isso é um insulto à memória dos que morreram”, reagiu o ouvidor-geral. Um importante legislador do partido Somente Rússia alegou que a guerra contra a Alemanha foi vencida “apesar e não graças” a Stalin. “É uma blasfêmia renomear essa grande cidade russa em homenagem a um tirano sanguinário que matou milhares de seus concidadãos”, disparou. Além da renomeação da cidade em determinados dias, as autoridades de Volgogrado, São Petersburgo e Chita, na Sibéria, ordenaram que imagens de Stalin sejam colocadas em ônibus depois de amanhã para celebrar o cessar-fogo da Batalha de Stalingrado. O ditador soviético é visto por muitos críticos como assassino de milhões de mortes. Já partidários creditam a ele a transformação da extinta União Soviética numa superpotência mundial e a vitória na Segunda Guerra Mundial. A cidade de Volgogrado se chamou Stalingrado entre 1925 e 1961. A alteração do nome para Volgogrado depois que Nikita Kruschev assumiu o poder na União Soviética, após a morte do ditador, e condenou a “Era Stalin”. 

Tico: No dia de hoje as forças militares alemãs, cercadas em Stalingrado, atual Volgogrado, se renderam ao Exército soviético. O conflito se iniciou em 19 de agosto de 1942 com um ataque aéreo sobre a cidade. A ocupação era importante para o projeto nazista porque a cidade industrial fica às margens do rio Volga, estrategicamente localizada entre o mar Cáspio e o norte da Rússia. Caso os nazistas ocupassem a cidade de Stalin, batizada em homenagem ao ditador soviético, Moscou estava praticamente pronta para cair nas mãos dos nazistas. O fim da batalha foi celebrado no dia 2 de fevereiro. A vitória soviética sobre os nazistas ocorreu há 70 anos.

Teco: No dia de hoje os camponeses soviéticos, insatisfeitos com a política econômica do governo, iniciaram uma revolta na Sibéria. O episódio durou quase dois anos, até o fim de 1922, e foi a maior revolta armada antibolchevique da história da extinta União Soviética. Há 92 anos.

Bytes: No dia de hoje os Estados Unidos lançaram o seu primeiro satélite, o Explorer I. Foi o primeiro satélite artificial terrestre lançado ao espaço por Washington como uma resposta ao lançamento do Sputnik 1pela extinta União Soviética, quatro meses antes. Há 55 anos.

Aparecida: No dia de hoje os Estados Unidos lançaram da Estação do Cabo Canaveral, na Flórida, a missão Apollo 14 para explorar a Lua. Foi a primeira expedição após o acidente com a Apollo 13. Há 42 anos.

Bytes: Na segunda-feira os Estados Unidos lembraram os 27 anos da explosão da nave espacial Challenger 72 segundos após o lançamento de Cabo Canaveral. À bordo estavam sete tripulantes, entre eles a professora secundária Christa McAuliffe, de 37 anos, escolhida entre 11 mil candidatos para ser a primeira cidadã comum a fazer uma viagem espacial. Destroços da nave caíram no oceano Atlântico a cerca de 15km do local do lançamento, 40 minutos após a explosão, ocorrida a uma altitude de 16,67 m. Até então, as únicas vítimas fatais do programa espacial estadunidense haviam sido os três astronautas da Apollo 1, asfixiados durante uma sessão de testes, em 1967. O lançamento da Challenger foi a primeira transmissão ao vivo da TV neste tipo de atração.

Aparecida: No dia de hoje nasceu, há 75 anos, a rainha Beatrix da Holanda. Na última segunda-feira a monarca anunciou que irá renunciar ao cargo no dia 30 de abril, Dia da Rainha, em favor do seu filho mais velho: o príncipe Willem-Alexander, que será coroado aos 46 anos. A futura rainha se chamará Máxima e é argentina. Será a primeira vez em mais de um século que a Holanda terá como chefe de Estado um rei. “Não estou abrindo mão do cargo não porque é muito pesado para mim, mas devido à convicção de que a responsabilidade pelo nosso país deve agora recair sobre uma nova geração”, disse a rainha Beatrix, num pronunciamento em cadeia de rádio e televisão.

Bytes: No dia de hoje morreu, há 433 anos, o cardeal-rei de Portugal, Henrique I, o “Casto”. Irmão do imperador João III foi o 17º monarca português, tendo governado entre 1578 e a sua morte, 1580. Bem cedo seguiu o sacerdócio para promover os interesses portugueses na Igreja Católica, naquele tempo sob domínio do Império Espanhol. Chegou a ser cotado para papa e seu irmão João III pediu ao imperador do Sacro Império Romano Carlos V para que comprasse votos durante o conclave do Colégio dos Cardeais. Sem chegar ao trono de São Pedro, Henrique acabou se tornando rei de Portugal com a morte de seu irmão. Ele tentou se casar para dar continuidade à Dinastia de Avis, mas o papa Gregório XIII não o liberou dos votos de castidade. Sem deixar descendentes, o Reino foi governado após sua morte por uma junta de cinco governadores na regência, entre eles, o arcebispo de Lisboa, D. Jorge de Almeida. Em novembro de 1580, o rei de Espanha, Filipe II, filho de Carlos V, enviou o Duque de Alba para reivindicar o Reino de Portugal pela força. Lisboa foi ocupada e o rei espanhol, conhecido por sua “invencível Armada”, foi aclamado também como rei de Portugal: Felipe I. Ficou a canção popular: “Que o cardeal-rei dom Henrique fique no inferno muitos anos por ter deixado em testamento Portugal aos espanhóis”.

Aparecida: No dia de hoje nasceu, há 32 anos, o ator e cantor estadunidense Justin Timberlake. Depois de amanhã lança o álbum “The 20/20 experience”, em Nova Orleans, num evento de caridade, após quase sete anos da estreia de seu último disco. Ele estará também no Grammy Awards no dia 10 de fevereiro. Justin vinha se dedicando mais a carreira de ator nos últimos tempos. Adorei sua interpretação no filme “O preço do amanhã”. Simplesmente profético.

Bytes: Ontem eu fui assistir ao filme “João e Maria – caçadores de bruxas”, do cineasta Tommy Wirkola (acima). O enredo faz parte da nova tendência do cinema americano de dar uma nova roupagem aos contos infantis. Desta vez não se trata de um conto de fadas, mas de bruxas. A trama de João Maria que sofrem nas mãos de uma bruxa má atraídos por uma casa de doces se transforma numa caçada à representação do maligno: a legião de bruxas. Um enredo no qual o fogo e a inquisição compõem a história.

Aparecida: O longa estreou no Brasil na última sexta-feira e já é o filme mais visto no país durante o fim de semana. No dias 26 e 27 de janeiro o filme arrecadou cerca de R$ 8, 5 milhões. Qual é a moral da história?

Bytes: A vingança não muda o passado, mas agora sabemos quem somos.

Aparecida: O que você achou do filme?

Bytes: Ele tem um enredo bem parecido com “Abraham Lincoln – caçador de vampiros”, do cineasta Timur Bekmambetov. A diferença é que o maligno não é representado pelas bruxas, mas pelos vampiros. Não é numa comunidade disposta a promover a inquisição para se proteger do inimigo, mas a Guerra Civil Estadunidense. Lincoln, no filme de Bekmambetov, tinha consciência que o “sangue derramado” era necessário naquele tempo para salvar a “alma americana” a fim de manter a tradição dos “patriarcas da pátria”: a liberdade. E não faltou o “traidor”. Nem o sugestivo início em que na Gênese é citada na passagem em que Deus diz ao patriarca da religião monoteísta que ele passaria a se chamar Abraão, Abraham em inglês, pois seria o “pai de muitas nações”. Se Abraham é o herói do filme, o vilão-mor, vampiro, é Adam, Adão em inglês. Já no filme de Wirkola a bruxa má tem a face do vocalista da Banda Kiss.

Aparecida: Qual é a base dessas obras ficcionais?

Bytes: A dos vampiros é baseada na lógica instigante: “Até que todos os homens sejam livres, seremos todos escravos”. Já a versão adulta de João e Maria é: “Bruxa boa é bruxa morta”. Uma contradição como veremos no final. Mas a criançada aplaudiu na sala de exibição e a gurizada considerou a obra “irada”.

Aparecida: Não é para menores de 14 anos?

Bytes: O que podemos afirmar é se a franquia bombar nas bilheterias mundiais, haverá continuação. Assim como os menores estavam acompanhados dos pais. E que João não cairá mais em tentação. Virou diabético, chamado no filme de “doença do açúcar”.

Aparecida: Interessante. Eu li que os médicos estão preocupados com o aumento do número de crianças que já nascem diabéticas. Será o sinal dos tempos? E como fica a indústria do açúcar?

Bytes: Terá que procurar um outro ramo do negócio mais lucrativo. É relação de mercado: oferta x procura. Ou então esperar pelo sucesso da tecnologia em célula-tronco a fim de que os cure.

Aparecida: Ah, entendi! Escreveu o apóstolo João, o Evangelista, sobre a oferta de Maria: “Foi, pois, Jesus seis dias antes da páscoa a Betânia, onde estava Lázaro, o que falecera, e a quem ressuscitara dentre os mortos. Fizeram-lhe, pois, ali uma ceia, e Marta servia, e Lázaro era um dos que estavam à mesa com ele. Então Maria, tomando um arrátel de ungüento de nardo puro, de muito preço, ungiu os pés de Jesus, e enxugou-lhe os pés com os seus cabelos; e encheu-se a casa do cheiro do ungüento. Então, um dos seus discípulos, Judas Iscariotes, filho de Simão, o que havia de traí-lo, disse: Por que não se vendeu este ungüento por trezentos dinheiros e não se deu aos pobres? Ora, ele disse isto, não pelo cuidado que tivesse dos pobres, mas porque era ladrão e tinha a bolsa, e tirava o que ali se lançava. Disse, pois, Jesus: Deixai-a; para o dia da minha sepultura guardou isto; Porque os pobres sempre os tendes convosco, mas a mim nem sempre me tendes. E muita gente dos judeus soube que ele estava ali; e foram, não só por causa de Jesus, mas também para ver a Lázaro, a quem ressuscitara dentre os mortos. E os principais dos sacerdotes tomaram deliberação para matar também a Lázaro. Porque muitos dos judeus, por causa dele, iam e criam em Jesus”. 

Tico: Por que poucos países estão envolvidos na ocupação do Mali?

Teco: Porque guerra custa, apesar de desenvolver o patriotismo, principalmente se houver demonstração de força de seus soldados. A dívida estratosférica dos Estados Unidos é porque mantiveram duas guerras, Afeganistão e Iraque, ao mesmo tempo. Quando a França fizer as contas verá que o déficit aumentou. Se for de longo prazo, o que não esperamos, o déficit disparará. Para os capitalistas, meia palavra basta.

Aparecida: Por que da ocupação do Mali?

Bytes: Para desarmar os jihadistas armados pelo Ocidente para derrubar Muamar Kadafi. O que sabemos é que veremos o mesmo em torno de Israel devido às armas recebidas pelas potências ocidentais para derrubar Assad. Há suspeita que os “cruzados” também serão caçados como “bruxas”. Com a palavra, os vampiros.....

Aparecida: E como pensa o governo dos Estados Unidos?

Bytes: Deu no jornal “O Globo” de 29 de janeiro de 1963, cuja manchete foi “Goulart vai pedir em março o aumento para o funcionalismo”: “Refletindo o clima geral de confiança existente nos Estados Unidos em relação ao presidente João Goulart e a seu Ministério, o New York Times publicou hoje um editorial Brasil vira nova página. O texto afirma que os últimos acontecimentos no Brasil aumentam as esperanças de uma nova era nas relações entre os dois países. O periódico acrescenta, entretanto, que ainda é cedo para que se tenha segurança de que a situação política finalmente foi controlada após um ano e meio de instabilidade e lutas, com Goulart lutando pela restauração de seus podêres que lhe foram subtraídos”. E mais: “O ministro das Relações Exteriores francês, Maurice Couve De Murville, insistiu ontem à noite em que se deve dar um não à pretensão da Grã-Bretanha de ingressar no Mercado Comum Europeu (MCE). Êle também se empenhou em defender uma redução da influência norte-americana na Europa Ocidental”. E mais: “O candidato de côr Harvey Gantt obteve inscrição, ontem, na Universidade de Clemson, na Carolina do Sul, sem qualquer incidente. Assim, o último dos estados norte-americanos a aceitar a integração racial tornou-a uma realidade com a admissão de Gantt numa das suas universidades”.

Aparecida: Deu no jornal “O Globo” de 29 de janeiro de 2013, 50 anos depois: “Depois da tragédia... Prefeitos agora fazem varredura em boates. Governantes prometem ser mais rigorosos na fiscalização de casas noturnas. Porto Alegre, Salvador, Manaus, Curitiba e Niterói, além dos governos do Distrito Federal e de Sergipe, anunciaram medidas para fechar estabelecimentos que não apresentarem condições mínimas de segurança”. E mais: “De olho na inflação. BC atua e dólar recua para R$ 2. Após reduzir a conta de luz e adiar a alta da gasolina e do ônibus, o governo quer agir no câmbio para deter a inflação. Após o BC fazer leilão de US$ 1,8 bi, o dólar caiu 1,33% a R$ 2,001, menor cotação em 7 meses”. E mais: “Pane no metrô. Uma pane no metrô na manhã de ontem deixou passageiros presos nos trens por mais de uma hora na Zona Sul. Oito estações foram fechadas e três composições ficaram paradas longe das plataformas. Passageiros de duas delas tiveram que descer e caminhar pelos trilhos no escuro até a estação do Flamengo”.

Bytes: O Mercado Comum Europeu virou Comunidade Europeia e é mais conhecida como União Europeia. Mas o maior valor agregado continua sendo o Mercado Comum Europeu. Para os capitalistas, meia palavra basta.

Aparecida: A Grã-Bretanha vai deixar o mercado europeu?

Bytes: Angela Merkel, assegurou que o Reino Unido quer continuar a fazer parte da União Europeia. Segundo ela, David Cameron pretende retificar algumas situações. “Temos que debater isto com o Reino Unido. Vamos fazê-lo num plano de amizade, tal como sempre o fizemos na União Europeia”, disse a chanceler alemã, após ter se encontrado com o colega britânico no Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça.

Aparecida: Segundo pesquisa de opinião feita pelo instituto ComRes para os jornais “The Independent on Sunday” e “Sunday Mirror”, os conservadores têm apoio de 33%, uma alta de cinco pontos em relação à consulta feita no mês anterior. Os trabalhistas continuaram com 39% diminuindo a diferença entre os dois maiores partidos. Os liberais-democratas ficarem em terceiro, com 11%. Segundo os analistas, a subida de Cameron foi após a declaração em que apoio a adoção do referendo sobre a continuidade dos britânicos no mercado comum europeu.

Bytes: Por falar em Davos, as ativistas do grupo Femen que protestam seminuas realizaram um ato na cidade suíça, com sinalizadores, para chamar a atenção do machismo nas decisões do Fórum Econômico Mundial (acima).

Aparecida: O que você acha da queda do dólar por meio de leilões do BC brasileiro? É para segurar a inflação?

Bytes: O vice-presidente do Banco do povo, o BC chinês, Yi Gang, disse que a moeda chinesa está sendo negociada num nível “relativamente próximo” do equilíbrio frente ao dólar. O comentário foi para explicar que a “redução das reservas chinesas na moeda estadunidense” deixa o yuan mais próximo da divisa norte-americana. “Em 2012, as reservas estrangeiras chinesas cresceram em seu menor ritmo em cinco anos, um sinal de que o valor do yuan está próximo do equilíbrio”, disse Yi à agência de notícias chinesa Xinhua em Davos, na Suíça. “Isso significa que o banco central não tem de intervir no mercado em larga escala, e o ritmo mais lento de crescimento em nossa reserva de moeda estrangeira é algo bom”. Ele disse que o projeto governamental é promover o yuan como “moeda conversível”, apesar de muitos analistas duvidarem que isso possa ocorrer, devido às atuais restrições contábeis da China, que inviabilizam o yuan como moeda de “reserva de valor”. “Eu ficaria satisfeito de ver que as pessoas têm mais confiança no yuan e o escolheram em vez de outras moedas graças a um mercado mais sofisticado, melhor implementação da política monetária chinesa, estabilidade macroeconômica e estabilidade social da China, e maior força da lei”, explicou Yi. Para os capitalistas, meia palavra basta.

Aparecida: Por falar em China, Pequim expressou preocupação na segunda-feira após o Japão anunciar planos de aumentar seu contingente militar em meio à disputa por um arquipélago no mar do Leste da China entre os dois países. "Devido a razões históricas, os países vizinhos do Japão devem prestar muita atenção em seus empreendimentos militares", disse o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Hong Lei. A ocupação das tropas nipônicas na Segunda Guerra Mundial ainda está marcada na memória dos chineses e coreanos.

Bytes: Por falar em coreanos, Seul lançou ontem com sucesso o seu foguete Naro-1, o primeiro fabricado parcialmente com tecnologia local, após duas tentativas fracassadas em 2009 e 2010, o que representa uma grande evolução em seu programa espacial. Na véspera, o Exército da Coreia do Sul afirmou que formou uma equipe de força-tarefa para monitorar as instalações nucleares da Coreia do Norte. "Nossa avaliação é de que a Coreia do Norte está quase concluindo os preparativos para realizar um teste nuclear", disse o porta-voz do ministério de Defesa, Kim Min-seok. Já a vizinha do Norte acusou ontem novamente contra os Estados Unidos, a quem acusou de "monopolizar a hegemonia mundial das armas nucleares", e lançou a ameaça de uma "dissuasão nuclear em defesa própria" perante as "hostilidades" de Washington. Enquanto isso, o Japão lançou com sucesso um foguete H-2A no domingo com dois satélites de vigilância, um óptico e outro dotado de radar, a partir de sua base de Tanegashima, no sudoeste do país. Hoje o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, em seu discurso aos membros do parlamento, expressou sua intenção de alterar a constituição, informa a mídia japonesa. Segundo o premiê, em primeiro lugar ele pretende simplificar o processo de introdução de emendas na Constituição. Abe disse que trabalhará para mudar o estatuto da Força Terrestre de Autodefesa do Japão na “direção de um exército de pleno direito”. Será que a Carta Magna deixará de ser “pacifista?”

Aparecida: Por falar em guerra e paz, como ficará a questão da imigração nos Estados Unidos?

Bytes: Segundo o que li nos jornais houve um acordo bipartidário. Já o que li nas redes sociais é que na questão do “abismo fiscal”, o Congresso aprovou um adiamento para o teto do endividamento, com a aprovação do protecionismo agrícola, como no setor do algodão, cuja OMC recriminou.

Aparecida: E qual é a notícia?

Bytes: Se fosse no Brasil, os jornais estampariam: “Câmara aprova pacote de bondades e adia déficit fiscal”. Para os capitalistas, meia palavra basta.

Aparecida: Obama vencerá a guerra?

Bytes: O que podemos afirmar é que os britânicos começaram uma campanha para rejeitar a entrada de imigrantes. “Não venha ao Reino Unido - aqui chove muito e os empregos são escassos e mal remunerados”, diz a propaganda para desestimular a chegada de romenos e búlgaros ao país a partir de 2014 quando a Romênia e a Bulgária passaram a fazer parte da União Europeia. Já no Brasil o número de imigrantes cresce. No ano passado, o governo concedeu 73 mil autores de trabalho para estrangeiros, alta de 3,5% em relação a 2011.

Aparecida: Ah, entendi! Escreveu Paulo, “apóstolo dos gentios”, em carta aos hebreus: “Tendo, pois, irmãos, ousadia para entrar no santuário, pelo sangue de Jesus. Pelo novo e vivo caminho que ele nos consagrou, pelo véu, isto é, pela sua carne. E tendo um grande sacerdote sobre a casa de Deus, cheguemo-nos com verdadeiro coração, em inteira certeza de fé, tendo os corações purificados da má consciência, e o corpo lavado com água limpa. Retenhamos firmes a confissão da nossa esperança; porque fiel é o que prometeu. E consideremo-nos uns aos outros, para nos estimularmos ao amor e ás boas obras, não deixando a nossa congregação, como é costume de alguns, antes advertindo-nos uns aos outros; e tanto mais, quanto vedes que se vai aproximando aquele dia. Porque, se pecarmos voluntariamente, depois de termos recebido o conhecimento da verdade, já não resta mais sacrifício pelos pecados, mas uma certa expectação horrível de juízo, e ardor de fogo, que há de devorar os adversários. Quebrantando alguém a lei de Moisés, morre sem misericórdia, só pela palavra de duas ou três testemunhas”. 

Tico: O que você acha do mundo?

Teco: O importante é que os “anciãos das horas” estão “distraídos”. Viva!

Aparecida: E como pensa o governo dos Estados Unidos?

Bytes: Deu no jornal “O Globo” de 26 de janeiro de 1963, cuja manchete foi “San Tiago e Lincoln Gordon iniciam planejamento para a missão aos Estados Unidos”: “Em nota, ontem, a Comissão Interventora do PRP em São Paulo negou as acusações de um vespertino, segundo as quais, o Sr. Plínio Salgado teria recebido Cr$ 3 milhões para apoiar o Sr. Ademar de Barros (PSP-SP) na sua campanha a governador. Esclareceram que aquela quantia foi entregue à agremiação como contribuição para custear as despesas de propaganda de Ademar. O fato de o cheque de Cr$ 3 milhões estar em nome de Plínio Salgado foi encarado como prova de confiança do Sr. Ademar de Barros, que preferiu pôr o nome do presidente do PRP e não o de um representante do partido”. E mais: “O chanceler Konrad Adenauer estaria cedendo a pressões no sentido de que a Alemanha Ocidental tome posição de apoio ao ingresso da Grã-Bretanha no Mercado Comum Europeu. Funcionários informaram que êsse é o motivo do anúncio feito ontem pelo govêrno de que prepara proposta destinada a manter aberta a porta para a admissão britânica”. E mais: “O Morro do Sacopã vai voltar a ser ponto de turismo, garante o coronel Quaresma, chefe do policiamento ostensivo da Zona Sul. Serão afastados todos os marginais que ali existem – já ontem o tenente Braga comandou 14 PMs em operação para limpar o local de marginais e, sobretudo, capturar os que expulsaram de casa tôda a família de um camelô”.

Aparecida: Deu no jornal “O Globo” de 26 de janeiro de 2013, 50 anos depois: “Crédito em xeque. Juros caem, mas o calote só aumenta. Inadimplência do brasileiro subiu em dezembro, contrariando previsão do governo. Apesar de o país ter criado no ano passado 1,3 milhão de empregos com carteira assinada, número é o pior desde 2009”. E mais: “Batalha pela igualdade. Sinais trocados nos direitos gays. O governo do Reino Unido apresentou projetos de lei permitindo o casamento gay, enquanto os parlamentares russos e polonês, no rumo oposto, cercearam direitos dos homossexuais”. E mais: “Hotel Intercontinental. Polícia busca invasores. Operação na Rocinha para cumprir mandatos de prisão contra oito condenados pela invasão do Intercontinental, em 2010, não encontrou os bandidos. Eles estavam soltos por decisão judicial”.

Bytes: Segundo o IBGE, taxa de desemprego ficou em 4,6% em dezembro, a mais baixa para o mês de toda a série histórica do IBGE, e abaixo do nível registrado em novembro: 4,9%.

Aparecida: Por falar em videogame, os jogos promovem os fabricantes das armas de fogo, facas e equipamentos de combate retratados no game. Na página do fabricante pode-se encontrar todo o tipo de equipamento bélico. Grupo McMillan, fabricante de um fuzil de atirador de elite, de alta potência, e a Magpul, que vende pentes de balas de alta capacidade e outros acessórios para armas de assalto estavam presentes na página “Medal of Honor". "Foi quase como um showroom virtual de armas de fogo", explicou Ryan Smith, colaborador da "Gameological Society", uma revista eletrônica sobre games.

Bytes: Por falar no mundo digital, o grupo de hackers Anonymous atacou no último fim-de-semana a página da comissão de sentenças dos Estados Unidos, associado ao Departamento de Justiça. Tratou-se de um protesto contra a morte do programador informático norte-americano Aaron Swartz. A página online foi substituída por um vídeo em que o grupo ameaça revelar dados confidenciais do Governo e que afirma ter copiado durante o ataque informático. Já o grupo Anonymous Brasil atacou a Globo para maldizer o programa “Criança Esperança”.

Aparecida: Segundo o jornal “The Washington Post”, o departamento militar dos EUA aprovou aumento de gastos na segurança cibernética. Nos próximos anos, as despesas nesta área crescerão em cinco vezes. Assim, o Pentágono espera proteger o sistema de computadores do governo dos EUA de hackers. Além disso, será aumentado o pessoal do departamento de computação do Ministério de Defesa estadunidense. No momento, ele conta com 900 pessoas, mas o número de funcionários, quanto militares tanto civis, será aumentado em 4 mil. Hoje jornal estadunidense “The New York Times” foi alvo de múltiplos ataques de hackers chineses ao longo dos últimos quatro meses, que resultaram no roubo de dados que permitiram invadir vários computadores de jornalistas e outros funcionários do periódico. O combate aos hackers virou quase uma religião.

Bytes: Por falar de arte e religião, eu acho lindo o quadro “A primeira missa no Brasil”, de Portinari (acima), um pintor que se dizia ateu. Como explicou Antonio Callado em Retrato de Portinari: “um ateu saudosista dos tempos de crença, um comunista incapaz de arregimentação”. A obra agora do grande artista tem um porto seguro depois de ficar navegando (acima). Passa a integrar o acervo do Museu Nacional de Belas Artes no Rio de Janeiro.

Aparecida: Ninguém está percebendo que o País está ficando mais decadente. Vamos esperar o quê? Que Brasília demonstre o mundo a falência no ensino, na saúde, na infraestrutura e na qualidade de vida?

Bytes: O personagem Abraham Lincoln do filme de Bekmambetov, o “homem que lutou contra as trevas”, diria: “A história se lembra da batalha, mas não do sangue derramado”.

Aparecida: E Dom Bosco? Como entra nesta história?

Bytes: Escreveu São João Bosco sobre a revelação em sonho: “Naquele momento, viu-se uma multidão de homens, mulheres, velhos, crianças, monges, monjas e sacerdotes, tendo à frente o Santo Padre, sair do Vaticano ordenando-se como se fosse uma procissão. ... Nesse meio tempo, chegou-se a uma pequena praça coberta de mortos e feridos, vários dos quais pediam conforto insistentemente.  Depois de ter caminhado por um espaço correspondente a duzentos nasceres do sol, cada um percebeu que não estava mais em Roma. ... Depois, quando pôs os pés na cidade santa, começou a chorar ante a aflição demonstrada pelos cidadãos, muitos dos quais haviam morrido. De volta a São Pedro, cantou o Te Deum ... As cidades, as vilas, os campos tinham sua população bastante diminuída. A terra estava pisada como se tivesse passado um furacão, um temporal, o granizo, e as pessoas iam umas ao encontro das outras dizendo com a alma comovida: Est Deus in Israel. Do início do exílio até o Te Deum, o sol levantou-se duzentas vezes. Todo o tempo que passou durante a realização desses fatos corresponde a quatrocentos surgires do sol”.

Aparecida: Gosto muito da execução do “Te Deum” de Mozart. E também do “Te Deum” do padre Zezinho. “Deus infinito nós te louvamos/E nos submetemos ao teu poder/As criaturas no seu mistério mostram/A grandeza de quem lhes deu o ser/Todos os povos sonham/E vivem nesta esperança/De encontrar a paz/Suas histórias todas apontam/Para o mesmo rumo, onde Tu estás/Santo, santo, santo/Santo, santo, santo/Todo poderoso/É o nosso Deus”

Bytes: Dom Bosco escreveu também: “E de ti, Roma, que será? Roma ingrata, Roma efeminada, Roma soberba. Tu chegaste a tal ponto que não procuras outra coisa, nem nada mais admiras em teu soberano senão o luxo, esquecendo que sua glória verdadeira está sobre o monte Gólgota”.

Aparecida: Qual é o significado do monte Gólgota?

Bytes: Gólgota é o lugar da caveira, ou do crânio, mas muitos traduzem como calvário. Existe uma tradição hebraica, contada por Orígenes no século III, que diz que Adão teria sido sepultado no Lugar da Caveira. O apóstolo João revela em seu livro que Nosso Senhor Jesus Cristo foi crucificado no Lugar da Caveira. O simbolismo levou os cristãos a afirmarem que Adão foi o primeiro homem a “provar da morte” para que no mesmo lugar Jesus Cristo pudesse “ressuscitar entre os mortos”.

Aparecida: Ah, entendi! Escreveu o apóstolo João, o "discípulo amado", sobre a vida: “E o Filho do homem, carregando nas costas a sua cruz, foi levado para o lugar chamado caveira, que, em hebraico, se chama Gólgota, onde foi crucificado entre dois ladrões. E Pilatos escreveu também um título, e pô-lo em cima da cruz. E nele estava escrito: Jesus Nazareno, Rei dos Judeus. E muitos dos judeus leram este título, porque o lugar onde estava crucificado era próximo da cidade e estava escrito em hebraico, grego e latim. Diziam, pois, os principais sacerdotes dos judeus a Pilatos: Não escrevas Rei dos Judeus, mas que ele disse: Sou Rei dos Judeus. Respondeu Pilatos: O que escrevi, escrevi. Tendo, pois, os soldados crucificado o Filho do Homem, tomaram os seus vestidos e fizeram quatro partes para cada soldado uma parte; e também a túnica. A túnica, porém, tecida toda d’alto a baixo, não tinha costuras. Disseram, pois, uns aos outros. Não a rasguemos, mas lancemos sorte sobre ela, para ver de quem será. Para que se cumprisse a Escritura que diz: Dividiram entre si os meus vestidos, e sobre a minha vestidura lançaram sortes. Os soldados, pois, fizeram estas coisas. E, junto à cruz, estava sua mãe, e a irmã de sua mãe, Maria, de Cleofas, e Maria Madalena. Ora, o Filho do Homem vendo ali sua mãe, e que o discípulo a quem ele amava estava presente, disse: Mulher, eis aí o teu filho. Depois disse ao discípulo: Eis aí tua mãe. E desde aquela hora o discípulo a recebeu em sua casa. Depois, sabendo o Filho do Homem que já todas as coisas estavam terminadas, para que a Escritura se cumprisse, disse: Tenho sede. Estava, pois, ali um vaso cheio de vinagre. E encheram de vinagre uma esponja, e pondo-a num hissope, lhe chegaram a boca. E quando o Filho do homem tomou o vinagre, disse: Está consumado. E, inclinando a cabeça, entregou o espírito. Os judeus, pois, para que no sábado não ficassem os corpos na cruz, visto como era a preparação, rogaram a Pilatos que se lhes quebrassem as pernas e fossem tiradas. Foram, pois os soldados, e, na verdade, quebraram as pernas. Mas, vindo ao Filho do Homem, e vendo-o já morto, não lhe quebraram as pernas. Contudo um dos soldados lhe furou o lado com uma lança e logo saiu sangue e água. E aquele que o viu testificou, o seu testemunho é verdadeiro; e sabe que é verdade o que diz, para que também vós o creais. Porque isto aconteceu para que se cumprisse a Escritura, que diz: Nenhum dos seus ossos será quebrado. E outra vez diz a Escritura: Verão aquele que transpassaram”.

 

A SÃO JOÃO BOSCO

Rio de Janeiro, 31 de janeiro de 2013

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

.   

    

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Exibições: 1025

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço