Jogo sujo. Mas para alguns, estratégia!

Entrevista de Émerson, após Corinthians e São Paulo do domingo 5 de maio: indagado em relação a uma disputa na base dos empurrões, o atacante defende a “malandragem” – ou a encenação, a simulação, daquelas em que o atleta diante da sombra do adversário se contorce a sugerir ter sido agredido e ter de abreviar sua carreira. Argumenta que é do jogo, que cabe ao árbitro perceber e coibir.

Entrevista de Rogério Ceni à ESPN - Programa Bate-Bola, primeira edição, de 7 de maio. Reconhece que se adiantou – e muito - quando da cobrança de penalidade por Alexandre Pato, mas era a alternativa para evitar o gol. O repórter, sorridente, classifica a iniciativa de Rogério como “estratégia de jogo”. O árbitro poderia ter validado o lance.

Lembrei-me da partida em que o atacante do Palmeiras, em jogo contra o Internacional de Porto Alegre, faz o gol com a mão. O gol foi anulado, aparentemente por interferência externa. Protestos! Se o árbitro não viu, o gol de mão valeu! O Palmeiras apresentou recursos a tribunas desportivos.

É o nosso jogo limpo. Alguns dizem “tá na dele”, o árbitro é que é um banana! Se pudermos levar vantagem desrespeitando a regra do jogo, para que respeitar? Por outro lado, como cobrar jogo limpo dos atores que não estão nos campos, se toleramos o comportamento dos espertos?

Exibições: 111

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2020   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço