Ele é um "rapaz de bem". Carioca de Vila Isabel, músico dos mais talentosos e dignos deste país, Johnny Alf vai fazer 80 anos em maio.

Rapaz de Bem | Johnny Alf | Gravação de 1956


"Sem seu piano e suas composições a bossa nova não seria o que é - Tom Jobim era um dos que, no início dos anos 50, freqüentava a Boate Plaza para assistir a Johnny Alf, que, então, já entortava tudo, misturando ao samba harmonias que bebeu do jazz. Um de seus clássicos, "Rapaz de bem", que lançou em 1953, antecipou muito do que foi feito a partir de fins daquela década. Na mesma época, já tinha outros clássicos, como "O que é amar" e "Céu e mar".

O Que é Amar | Fernanda Cunha


Em fins dos anos 1950, sem espaço no Rio para sua música, Alf mudou-se para São Paulo. Ou seja, quando a bossa nova finalmente aconteceu, ele estava meio afastado. Mas nunca parou de tocar, cantar e compor, criando uma pequena (em quantidade) e grande obra." (Antônio Carlos Miguel)

No início de 2007, após uma crise de hipertensão, Johnny Alf foi internado em São Paulo. Dias depois, com o agravamento de seu estado, Alf foi transferido para o Hospital Mário Covas, em Santo André.
Em 2008, com show beneficente, Toquinho prestou-lhe bela homenagem em comemoração aos 50 anos da Bossa Nova.

"Os 50 anos da Bossa Nova ganharam comemoração mais que especial no Hospital Estadual Mário Covas, em Santo André. Um dos ícones desse movimento que projetou a MPB para o mundo e paciente ilustre do "Mário Covas", Johnny Alf, foi homenageado em 30 de maio último por outro expoente da Música Popular Brasileira, o também músico e compositor Toquinho. Toquinho comandou uma noite de "Tributo a Johnny Alf", que completou 79 anos em 19 de maio e radicou-se em Santo André após tratar de uma enfermidade no "Mário Covas". O carinho e o entrosamento com a equipe do hospital foram tamanhos, que hoje Alf integra o coral de cordas e de 20 vozes do HEMC, denominado Coral Hospital Mário Covas. O espetáculo teve caráter beneficente e buscou arrecadar apoio a Johnny Alf, que vive em uma casa de repouso em Santo André." (Site do HEMC)

No final do ano passado, tiveram início em São Paulo as comemorações pelos 80 anos do compositor com uma série de shows denominada "Johnny por seus intérpretes".
Esperamos, agora, que este grande artista que nunca reivindicou nada pelo que fez para a música popular brasileira, tenha o reconhecimento que merece.


*******


Céu e Mar | Sivuca
Sensacional apresentação! (1969)


Eu e a Brisa
Defendida por Márcia no III Festival da Música Popular Brasileira (TV Record), em 1967, a canção tornou-se um dos maiores sucessos da cantora.


Ilusão à Toa | Fernanda Cunha

Fernanda Cunha, filha da cantora Telma Costa e sobrinha da compositora Sueli Costa, tem sido grande divulgadora da música de Johnny Alf no Brasil e no exterior (vide post sobre ela clicando aqui).

Exibições: 127

Comentário de Cafu em 15 janeiro 2009 às 23:51
Oitenta, JÁ? Adoro o Johnny Alf e Eu e a Brisa é uma das músicas que mais toca o meu coração.
Valeu! Ele merece todas as homenagens... e muita SAÚDE.
Beijos.
Comentário de Laura Macedo em 16 janeiro 2009 às 20:26
Helô.
Belezura de post!
Como bem disse a Cafu no comentário acima, eu também adoro o Johnny Alf e torço para que ele melhore de saúde e tenha o devido reconhecimento que merece, preferencialmente, em vida.
Um grande beijo.
Comentário de Cafu em 17 janeiro 2009 às 11:13

Johnny Alf - Fernanda Cunha - Cristóvão Bastoa

VIVA JOHNNY ALF! Parabéns pra você!

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço