Êxodo de Lasar Segall

 

Aroma de ar quente, de chuva ácida com terra

e de couro curtido.

Corado clarão de sol deixando perceber

a impaciência do estômago vazio.

A terra infértil arrancara milhares

de almas infecundas do subsolo infeliz,

vêm de dentro as formas decrépitas

do povo caminhando no chão estragado.

 

O ar morto fede odor de couro curtido

e o ardente calor da terra racha-me

os pés como se fossem incisões de bisturi

e assim pensando ante à rotina

que me oprime

julgo ver este espírito infeliz,

que em mim se encarna

se aflige, se afobe

como quem raspa a sarna,

chama-o de girassol de asas crepitantes.

 

O motor quente do centro da Terra

para, e transforma em cemitério

de matéria dissolvida.

Eis o horrendo cataclisma

da química feroz,

onde produz remoinho

que puxa para o abismo.

 

Quando a estiagem segue

sinto uma desproteção total, violenta

e eu mesmo sendo dissolvido

pelo calor externo ao corpo

dando as minhas baforadas a esmo

como rolos de brasa

compondo fisionomias sem nome nas pedras.

O espaço antes nubloso

e a pele cheia de fogo da terra.

Os elementos estão separados e também as cores

nos próprios olhos desmesurados.

Inoculados pelos gestos aflitos

e ritos solitários,

os dentes mordem uns nos outros rangendo,

nesta paisagem singular.

Os erros tornam-se evidentes,

os choques inevitáveis,

resultando em fatias feitas

de silenciosa e franzina carnadura.

 

 

 

www.rubensshirassujr.blogspot.com.br

 

Exibições: 90

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço