Os sons da acordina
Ecoam no silêncio da noite,
Marcando as horas eternas
Do delírio
De homens sem medo...
Em corrilhos infindos,
Eles sonham com a liberdade.
Sonham e caminham...
Caminham para a força,
A guilhotina
E a crucificação...
Caminham,
Vertendo o cálice
De sua dor,
E, bêbados de alegria,
Cantam hinos,
Hosanas e aleluias...
Eles sabem:
Sabem que cutelos,
Cassetetes,
Obuses,
Baionetas, sabres e tanques
Não são capazes
De matar o sonho...
As cabeças rolam,
O sangue jorra,
Mas não morre a semente
E nem puba o fermento...
O “dia da derrama”
Há de ser
Numa madrugada qualquer...
E o sol haverá de iluminar
Este novo dia
Em que todos os homens
Haverão de correr livres
Por dourados trigais...

Exibições: 48

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2020   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço