Maraca(r)tu - O engraçado é que a mídia\ Dá espaço ao que ele diz\ Não denuncia os trambiques\ Notórios deste infeliz

Maracarthu Virgílio
Crispiniano Neto


01
O Brasil vem se sentindo
Agredido e ultrajado
Em função da pajelança
Que se instalou no Senado,
Com mil escândalos profundos
Onde se vê sugismundos
Criticando o mal lavado.
02
Já está passando de um mês
De trocas de acusações.
Cretinos criticam crápulas,
Capos pré-julgam ladrões...
Cafajestes e canalhas
Vão se enroscando nas malhas
Das suas próprias prisões.
03
Longe de mim, defender
Sarney, destes Catilinas,
Que extirpam os ventres das
Suas próprias ‘agripinas’,
Já que engatam as próprias rés,
E atiram nos próprios pés
Pisando as próprias propinas!
04
É o caso de Virgílio,
Esse espírito de urubu,
Vaca louca de presépio,
Bibelô, “Maraca(r)tú”
Cadente estrela sem brilho
Que, igual ao próprio filho,
É um reizinho que anda nu.
05
Esse príncipe do apito,
Corneta, chocalho e bombo
Quanto mais atira em outros
Mais provoca o próprio tombo;
Quanto mais fala besteira
Mais o cipó de aroeira
Volta-se pra o próprio lombo.
06
Ultimamente, por que
Não conseguiu um emprego
Para a esposa do amigo
Fez grande desassossego...
‘Rebucetê’ temerário
Fazendo em pleno plenário
Mil sessões de descarrego...
07
Ele saiu atirando
Contra tudo e contra todos
E quanto mais ele expôs
Dos outros, lamas e lodos,
Mais apareceram as suas
Trambiqueiras falcatruas
E os seus pecados e engodos.
08
E ninguém venha dizer
Que o bizarro senador
Faz esse salseiro todo
Com fim moralizador,
Mas porque Agaciel
Tirou a taça de mel
Do seu lábio usurpador
09
Na verdade, na verdade
Já prevalece outra tese
Que diz que todo este ‘auê’
É bom que se meça e pese
Que é só porque sua Aspone
De nome Vânia Maione
Viajou na maionese...
10
Maione, pra quem não sabe,
É a esposa de Homero
Aquele que Arthur Virgílio
Quando solta o lero-lero
Diz nas conversas mais tontas
Que é ele quem paga as contas
Do seu cartão saldo zero!
11
Vânia era quem dirigia
Um tal de ILB
Instituto Legislativo
Brasileiro (não sei quê)...
Uma dessas sinecuras
Que sempre abrigam figuras
Do tal PSDEMB.
12
Como aquela que engordava
A Luciana Cardoso,
A filha de FHC
Que tinha um cheque pomposo
Na sombra de Heráclito Fortes
Só para cuidar dos cortes
Do seu cabelo charmoso.
13
Esse mesmo Arthur que diz
Que quer o Brasil nos trilhos
Emprega em seu gabinete
O maridão e três filhos
De Vânia Maione que
No tal do ILB
Engordava os seus novilhos.
14
E como se não bastasse
Ter essa “Grande Família”
Mamando nas tetas públicas,
Nem todos vivem em Brasília...
Um deles vive em Paris
Pois pra os dele, já se diz:
Virgílio não quer vigília!
15
Carlos Alberto de Andrade
Nina Neto é o rapaz
Que o senador moralista
Liberou tempos atrás
Para estudar em Paris
E esse crápula infeliz
Diz que é direito demais.
16
Nina Neto ficou lá
Entre estudo e curtição
Quatro mil euros por mês
Engordando seu saldão;
O pimpolho se formando
E a sua conta pesando
No erário da nação!
17
E ainda tem outra turma
Em Manaus sem trabalhar,
Um professor de Jiu-Jitsu
Para ao Virgílio ensinar
Tudo quanto é golpe baixo
Pra ele pensar que é macho
E a Lula ameaçar.
18
Pois bem, esse Arthur ‘Vigia’
Que usa estilo trator
Condenando o Caixa 02
Que ao PT deu dissabor
Recebeu, não se ignora,
40 milhas por fora
Pra se eleger senador.
19
Esse mesmo “Errei Arthur”
De maneira endiabrada
Defendeu lá no Senado,
Do seu filho a presepada
Que em Euzébio, Ceará,
Andou mostrando por lá,
O Bumbum pra delegada!
20
Esse filho mal criado
Que o paizão joga confete
Na praça pública de Euzébio
Com arrogância e topete
Para um casal virou fera
Por não dizer-lhe onde era
O Cabaré da Tia Bete.
21
Quando a notícia espalhou-se
Como de pólvora um rastilho,
Na tribuna do Senado
Arthur Rinchou num estribilho:
Eu dou uma surra urgente
No homem que é presidente
Se mexerem com meu filho...
22
Foi o mesmo Arthur Virgílio,
Que adora CPIs
Que agiu como carrasco,
Da dos Pedófilos, pois diz
A Wikipédia, e eu li
Que arrancou da CPI
Seu amigo Omar Aziz.
23
Esse Omar, é seu colega,
Foi vice-governador,
Prostituía menores
Em Manaus, sem ter pudor.
E Arthur também fez mutretas
Presenteando ninfetas
Com jóias de alto valor.
24
Até pra cuidar da mãe
Praticou atos nojentos
Na conta de trinta mil
Deu pra mais de vinte aumentos.
Não quer que ninguém estranhe
Que pra tratar sua mãe
Gastou mais de setecentos!
25
E quando foi o prefeito
De Manaus, o senador
Foi forçado a devolver
À União, o valor
De cento e cinqüenta mil...
Verba que tomou Doril
Segundo o Corregedor!
26
E quando foi Secretário
Geral de FHC
Em camarotes privados
Do Sambódromo fez “auê”
Foi pra Comissão de Ética
E soltou desculpa patética
Mentindo de A a Z.
27
E quanto à grana emprestada
Em Paris, tem-se a suspeita
De que jamais foi quitada
Nem declarada à Receita
Com Agaciel foi grosso
Mas a grana do seu bolso
Foi por Arthur bem aceita.
28
Deu calote em Agaciel
Sonegou tributação
Parece até o provérbio:
Ladrão que rouba ladrão...
E foi descoberto agora
Que nem a casa onde mora
Foi declarada ao Leão!
29
Este falso paladino
Continua impunemente
Brigando contra a verdade
Agredindo a nossa mente
Massacrando a própria ética
Com ameaça patética
De bater no presidente.
30
É por isso que nas urnas
Já se tornou rejeitado
Só tirou cinco por cento
Pra o Governo do Estado.
Jamais será reeleito
E o filho nu, pra prefeito,
Foi o quinto colocado...
31
O engraçado é que a mídia
Dá espaço ao que ele diz
Não denuncia os trambiques
Notórios deste infeliz
Nem dessa corja que grassa,
Que degrada e que desgraça
A moral deste País.
32
Mas na lixeira da História
No futuro hei de encontrar
Virgílio junto a Gilmar,
Agripino e toda a escória
Do MaracARTHÚ atômico
Esse time tragicômico,
Essa carrada de antas
Que o PIG pauta e escuta
Regidos pela batuta
Do capo Daniel Dantas!

Crispiniano Neto é poeta

Exibições: 39

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço