Portal Luis Nassif

Maria Callas (* 02/12/1923 † 16/09/1977)

Parte 3: Os últimos anos

 

Três anos depois da última Norma de Callas em Paris (1965), Onassis a deixou para casar-se com Jacqueline Kennedy em outubro de 1968. A dor e a humilhação que lhe  provocaram  o  abandono  despertou  ainda  mais  sua  força  dramática .  Havia autoridade em tudo que fazia e em cada frase que pronunciava. 

 

   Um bel dì vedremo - Romanza de Cio Cio San (ato II)

   Madama Butterfly - de Giacomo Puccini

   Philharmonia Orchestra – rege Tullio Serafin - 1954

 

Em 1968, sob a direção do cineasta Pier Paolo Pasolini, protagonizou o filme “Medéia” (baseado na tragédia de Eurípedes). Esta película é o único testemunho de sua passagem pelo cinema, e permite, ademais, apreciar seu talento exclusivamente como atriz.

 

Maria Callas em Medea - Pier Paolo Pasolini - 1969

 

 Entre 1971 e 1972, ministrou uma série de aulas magistrais na Julliard School de Nova York. 

 

 Callas na Juilliard School - aula 53                                                                                                                               

 Una voce poco fa - Il Barbiere di Siviglia - de Giacomo Rossini - soprano version

 

Em 1974, ressurgiu para fazer um giro internacional de concertos junto a Giuseppe di Stefano que culminou no Japão, onde cantou em público pela última vez a 11 de Novembro de 1974.

 

Maria Callas & Guiseppe di Stefano - Toquio, 1974

 

 

Após a morte de Onassis, então casado com Jacqueline Kennedy, em 1975, Callas começa um período de claustro e, isolada do mundo, passa a viver na Avenue Georges Mandel, em Paris, com a companhia da governanta, Bruna, e do motorista, Ferruccio.

 

Nos dois últimos anos de vida,

Maria Callas permaneceu só em sua casa em Paris

 

 Sola perduta abbandonata - Manon Lascaut - de Giacomo Puccini

 Philharmonia Orchestra – rege Tulio Serafin - 1959   

 

 

Amigos ainda a visitam com frequência. Giulini (maestro), o crítico John Ardoin, mas Callas já desistiu de viver há muito tempo e, em 16 de setembro de 1977, ela simplesmente deixa de existir, pouco antes de completar 54 anos, em decorrência de um ataque cardíaco, embora a causa de sua morte nunca tenho sido totalmente esclarecida.

 

 Suicidio - La Gioconda - de Amilcare Ponchielli

 Orchestra Sinfonica di Torino della Radiotelevisione Italiana

 rege Antonio Votto - 1959

 

 Em 1979, suas cinzas são lançadas no Mar Egeu, como era de sua vontade.

 Maria Callas e Nicolai Gedda

 Death of Butterfly - Madama Butterfly - de Giacomo Puccini

 Orchestra e Coro della La Scala - rege Herbert Von Karajan - 1957

                                        

No dia que as pessoas ouviram que ela morreu, algumas emissoras tocaram esta ária [Ave Maria de Verdi] e me lembro que eu esperava um trem em algum lugar da Europa... olhando em torno, eu notei um homem e talvez outras duas pessoas enxugando os olhos... limpando as lágrimas... sua vida havia terminado em tragédia, mas sua música permanece... "

(depoimento de um fã anônimo de Callas)

 

 Ave Maria piena di grazia - Otelo - de Giuseppe Verdi

 Orchestre de la Societe des Concerts du Conservatoire

 rege Nicola Rescigno - Paris - 1964

 

Não demorou muito, após sua morte, em setembro de 1977, para que o mito começasse a ser construído. Seus biógrafos se apressaram em estabelecer paralelos entre vida e obra. De que outra maneira, afinal, seria possível explicar a intensidade que ela exibia no palco? A infância difícil, o início da carreira em cabarés do porto de Atenas, a traição de Onassis, que a trocou por Jacqueline Kennedy... Sua trajetória era digna das heroínas trágicas da ópera. Callas não interpretou a cortesã Violeta, em La Traviata - ela foi Violeta; foi abandonada, como Butterfly; foi vítima da paixão, como Tosca." (19) 

 

 

_____________________________________________________________________________________

Parte 1: os anos áureos

Parte 2: a artista completa

____________________________________________________________________________

Referências:

(1)   PLADE KLASSIKEREN - http://plade-klassikeren.dk/product_info.php?manufacturers_id=244&a... - acessado em 14/09/2012

(2)    Scott, Michael (1992).Maria Meneghini Callas. Boston: Northeastern University Press. ISBN 1-55553-146-6.

(3)    "The Callas Debate". Opera. September–October 1970.

(4)    Schwarzkopf, Elisabeth (1982). On and Off the Record: A Memoir of Walter Legge. New York: Charles Scribner's Sons. ISBN 0-684-17451-0.

(5)    Serafin, Tullio, "A triptych of Singers," Opera Annual, No. 8, 1962

(6)    Ardoin, John; Gerald Fitzgerald (1974). Callas: The Art and the Life. New York: Holt, Rinehart and Winston. ISBN 0-03-011486-1.

(7)   Petsalis-Diomidis, Nicholas (2001). The Unknown Callas: The Greek Years. Amadeus Press. ISBN 1-57467-059-X.

(8)   Rasponi, Lanfranco (June 1985). The Last Prima Donnas. Limelight Editions. ISBN 0-87910-040-0.

(9)   Lebrecht, Norman (1985). The Book of Musical Anecdotes. New York: Free Press. ISBN 0-02-918710-9.

(10)  Maria Callas in conversation with Lord Harewood for the BBC, Paris, April 1968 (2004-05-04). Maria Callas: The Callas Conversations (DVD). EMI Classics.

(11)  Gurewitsch, Matthew, "Forget the Callas Legend,"The Atlantic Monthly, April 1999.

(12)  John Ardoin (writer), Franco Zeffirelli (narrator) (1978). Callas: A Documentary (Plus Bonus) (TV documentary, DVD). The Bel Canto Society.

(13)  Ardoin, John (1991). The Callas Legacy. Old Tappen, New Jersey: Scribner and Sons. ISBN 0-684-19306-X.

(14)  Siff, Ira, "I Vespri Siciliani: Verdi:, Online edition ofOpera News, March 2008

(15)  Callas by Tony Palmer, 30th Anniversary Edition, (DVD).

(16) French Radio Interview with journalist Philippe Caloni on French Radio; Maria Callas' Last Interview Part 1 of 8

(17) Stassinopoulos, Ariana (1981). Maria Callas: The Woman Behind the Legend. New York: Simon and Schuster. ISBN 0-671-25583-5.

(18)  Signorini, Alfonso (2009). Orgulhosa Demais, Frágil Demais Editora Record.ISBN-13: 9788501082404 

(19) João Luiz Sampaio, Maria Callas, a mulher, a soprano e o mito - O Estado de S. Paulo - 06/01/2010

(20) Victória Movras - Video biografia: MARIA CALLAS. LA MUJER Y LA DIVA.- agosto/2012

(21) primohomme's channel - canal do YouTube (acessado em 17/09/2012) 

 

Exibições: 445

Comentário de Laura Macedo em 17 setembro 2012 às 21:58

Gilberto,

Existe agora uma excelente fonte de pesquisa para os interessados na vida e obra da talentosa Maria Callas. A integração entre texto, fotos, vídeos e citações resultaram neste mosaico fantástico. Já ia esquecendo de citar, também,  o "pianinho" com a extensão da voz de Maria Callas.

Parabéns pelo trabalho de fôlego e esmero na formatação do post, o que não é nenhuma novidade, principalmente, quando você ama/admira determinado artista a exemplo de Adoniran Barbosa dois anos atrás (se não estou enganada, agosto de 2010).

Só lamento você não dispor de mais tempo para a produção de grandes homenagens. Desejo que a próxima aconteça ainda no ano em curso :))

Bravo! Bravíssimo!

Beijos da amiga

Laura

Comentário de Gilberto Cruvinel em 17 setembro 2012 às 22:40

Obrigado Laura,

Sua opinião é muito importante por que você sempre dá um show nos seus posts e sabe o trabalho que dá. E esse deu muito por que a quantidade de informação existente na net sobre a  Callas é assustadora. Tive que deixar muita coisa de fora.

Gostei também que o Henrique curtiu lá no grupo do Face. São duas opiniões que me alegraram muito. 

Beijos e obrigado querida amiga Laura

Gilberto

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2017   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço