Portal Luis Nassif

De tradicional família capixaba, a cantora e compositora Maysa (1936-1977) foi um dos ícones da vida boêmia das décadas de 1950 e 1960, sucesso absoluto das rádios e palcos com canções intimistas como "Ouça", "Meu mundo caiu" e "Adeus".
Dona de uma voz densa e sofrida, cantou o amor e a solidão em vários idiomas, tornando-se grande intérprete da música de “dor de cotovelo”, um gênero também conhecido como “música de fossa”, predominante nas boates da época.
Com uma beleza expressiva e um olhar penetrante, Maysa levou o poeta Mário de Andrade a dizer que "seus olhos são dois oceanos não-pacíficos".

Pioneira em realizar turnês internacionais, antes mesmo dos 25 anos apresentou-se em países como Japão, Paris, Portugual, Espanha, Argentina, Uruguai, Chile e Estados Unidos, entre outros, ajudando a divulgar a Bossa Nova pelo mundo, apesar de ter sido uma cantora de boleros e samba-canções.

Seu lado mais conhecido também apontava para uma mulher decidida, que dizia e fazia o que pensava, desafiando o bom comportamento social.

Muito já se escreveu sobre Maysa. Existem no mercado três livros biográficos: "Meu mundo caiu - a bossa e a fossa de Maysa", de Eduardo Logullo (2007); ""Maysa: Só numa multidão de amores", de Lira Neto (2007) e "Maysa - Fotos", de Jayme Monjardim (2008).


Amplamente divulgada, estréia no próximo dia 5 de janeiro de 2009, a nova minissérie da Rede Globo: "Maysa: Quando fala o coração". Não é só uma minissérie. É o projeto da vida do diretor Jayme Monjardim, filho da cantora. Ele contou que durante as gravações precisou driblar os sentimentos. "Foi uma emoção interna muito grande, que me deu até dor de cabeça. Eu não podia botar pra fora, tinha toda a responsabilidade de diretor".

Coube a Manoel Carlos a missão de escrever a história desta mulher, que tanto revolucionou a sua época. Em um tempo em que as mulheres eram coadjuvantes, Maysa era uma estrela. Ela estava à frente em tudo. Independente, libertária, contestadora, revolucionária… Maysa fugia do convencional e isso a fazia brilhar! Ele defini a minissérie como o trabalho mais difícil e mais prazeroso de toda a sua vida. "Escrevi a minissérie para o Jayme, para ele gostar. É evidente que espero agradar todo o público, mas fiz pensando em dar um presente para ele", disse o autor.



"Maysa - Quando Fala o Coração" terá nove capítulos e, na semana de estréia, irá ao ar depois de "A Favorita". Na segunda semana será transmitida após o "Big Brother 9". O primeiro episódio terá 50 minutos e, os seguintes, duração entre 35 e 42 minutos.

É aguardar e conferir!


Fontes: "Almanaque do samba", de André Diniz. "Chega de saudade", de Ruy Castro. "Maysa: só numa multidão de amores", de Lira Neto. Folha de São Paulo Online.



Maysa interpretando de sua autoria, "Ouça". (Cenas do filme: "Camelô da Rua Larga").



Maysa interpretando de sua autoria, "Meu mundo caiu". (TV japonesa - 1959).



Maysa: "Love Paris".


Exibições: 196

Comentário de Lia Noronha em 30 dezembro 2008 às 0:30
Essa homenagem póstuma é bem merecida...ela fez muito por nossa música.
Adorei td na sua página...amo música!
Abraços de feliz ano novo pra vc e sua família.

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2018   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço