Millôr Fernandes trabalhou na VEJA de 1968 (ano de nascimento da revista) a 1982, e de setembro de 2004 a setembro de 2009.

A VEJA se apropriou indebitamente do arquivo digital com a obra completa do escritor e cartunista. A digitalização foi feita pela revista, com participação financeira do Bradesco.

Millôr ingressou na Justiça contra a revista e o banco, exigindo R$ 500 mil de indenização.

Em setembro (antes do ingresso de Millôr na Justiça, suponho), VEJA informou a Millôr que seus serviços não mais lhe eram úteis.

A notícia não é recente, mas só hoje tomei ciência do imbróglio. É que não leio VEJA há um bom tempo.

Confesso que me causava espécie o fato de Millôr permanecer na VEJA enquanto a revista a cada dia dilapidava sua imagem (dela, VEJA - e, bem, ao fim e ao cabo, dele também).

Passo a aguardar o (certamente baita) blog do Millôr. Ou será que ele já tem um?

Enquanto isso vou curtindo, entre tantos blogs duca, o blog do Ziraldo.

Exibições: 39

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2020   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço