Januário de Oliveira


* 24/3/1902 - Rio de Janeiro (RJ)
+ 22/2/1963 - São Paulo (SP)

Cantor / Compositor / Humorista

 

 

Apesar de ter nascido no Rio de Janeiro, Januário de Oliveira consolidou sua carreira em São Paulo. Foi o compositor e mutiinstrumentista José Barbosa da Silva - o Sinhô -, conhecido, também, como o Rei do Samba (um ano antes de sair de cena) quem levou Januário para São Paulo, em 1929. Lá em Sampa ambos apresentaram-se em um show, no Teatro Municipal, em apoio à candidatura de Julio Prestes à Presidência da República, promovido pelo movimento da Antropofagia.

 

 

Januário de Oliveira e Sinhô

 

 

Ainda intermediado por Sinhô foi contratado pelo selo Columbia onde gravou várias composições do amigo em discos de 78 rpm.

 

 

 

 

A quase totalidade de suas gravações foi pelo selo Columbia. Segundo informações do Dicionário Cravo Albin da MPB foram 59 Discos e 103 Músicas, no período de 1929 a 1938.

 

 

 

 

Vamos homenageá-lo com algumas das suas belas interpretações.

 

 

 

 

Dança de caboclo” (Hekel Tavares) # Januário de Oliveira. Disco Columbia (5139-B), 1930.

 

 

 

 

 

 

Tristeza” (João da Gente/Heitor dos Prazeres [letra]) # Januário de Oliveira acompanhado por Gaó (Oldmar Amaral Gurgel) / Petit ( Hudson Gaya) e Zezinho (José do Patrocínio de Oliveira). Disco Columbia (5182-B), 1930.

 

 

 

 

 

 

Quebra, quebra gabiroba” (Paraguassu/Jararaca) # Januário de Oliveira. Disco Columbia (5183-B), 1930.

 

 

 

 

 

 

Retrato da mulher que a gente gosta” (Freitinhas) # Januário de Oliveira. Disco Columbia (5185-B), 1930.

 

 

 

 

 “Oh!...Vem por Deus” (André Filho) # Januário de Oliveira. Disco Victor (3373-A), 1933.

 

 

 

 

 

Na orfandade” (André Filho) # Januário de Oliveira. Disco Victor (33773B), 1933.

 

 

Paulistinha querida” (Ary Barroso) # Januário de Oliveira/Arnaldo Pescuma e Orquestra Diabos do Céu. Disco Victor (3406-B), 1936.

 

 

 

 

 

 

 

 

Saudade da minha terra” (Délcio Pacheco da Silveira) # Januário de Oliveira. Disco Columbia (8195-A), 1936.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Como constatamos nos vídeos acima, Januário de Oliveira bateu um bolão como intérprete. Sua militância artística atingiu, também, o rádio e até o cinema, cantando e atuando como galã no filme "Fazendo fita", dirigido por Vittório Capellaro.

 

 

Conhecido também como - “A voz de Veludo” - slogan dado pelo locutor César Ladeira, também, atuou como humorista em várias emissoras, cassinos e boates ficando rotulado como o “Humorista das quatro vozes”, pois imitava com perfeição as quatro extensões vocais: barítono, tenor, contralto e soprano. A partir de 1949, decidiu interromper sua carreira focando na atividade de empresariar vários artistas. Que a “Voz de Veludo” de Januário de Oliveira encontre eco nas novas gerações.

 

 

 

************

Fontes:

- Blog “Estrelas que nunca se apagam”, de Marcelo Bonavides.

- Dicionário Cravo Albin da MPB (Verbete Januário de Oliveira).

- Revista Carioca (nº 119 / 28/1/1938 / Foto inicial do post).

- Site IMS (Instituto Moreira Salles).

- Site YouTube (Vídeos).

 

************

Exibições: 404

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço