Patápio Silva

* 22/10/1880 - Itaocara (RJ)
+ 24/04/1907 - Florianópolis (SC)

Flautista / Compositor


De família modesta, Patápio Silva, viveu em sua cidade natal até os cinco anos, indo para Catanguases (MG), e mais tarde para Campos (RJ) onde teve sua iniciação musical nas bandas de música. Quando chegou ao Rio de Janeiro, em 1990, já era possuidor de um boa desenvoltura com a flauta.

No ano seguinte (1901), já era aluno do conceituado Instituto Nacional de Música, onde concluiu o curso de flauta em tempo recorde, dois anos, e com a nota máxima.

Ainda em 1901, Patápio assinou contrato para gravações na Casa Edison tornando-se o primeiro solista de flauta a gravar no Brasil.


São essas gravações pioneiras que trago para compartilhar com vocês nos 131 anos de Patápio Silva, considerado um dos maiores flautistas brasileiros.

Patápio Silva interpretando suas próprias composições.



Primeiro amor” (Valsa), 1904

 

 

 



O sonho” (Ária), 1904

 

 




Margarida” (Mazurca), 1904

 

 




Zinha” (Polca), 1907

 




Serata d’Amore (Romança), 1904

 

 



Patápio interpretando outros compositores.



Só para moer” (Polca) (Viriato Figueira da Silva) # Patápio Silva, 1904.

 

 




Serenata” (Ária) (Franz Schubert) # Patápio Silva, 1904.

 




A paixão de Patápio pela música de concerto, e em especial por compositores virtuisísticos é revelada na execução da peça acima (Serenata) e de tantas outras.


Em março de 1907, Patápio iniciou uma viagem ao sul do país para conseguir recursos visando estudar na Europa. Segundo Henrique Cazes, após tocar em Curitiba, foi à Florianópolis, onde morreu misteriosamente. Sugiram na época rumores de que teria sido envenenado através do bocal da flauta, por motivos passionais.


Já segundo Anna Paes quando ele chegou a Florianópolis contraiu difteria, morrendo cinco dias depois, aos 26 anos, causando grande comoção não só na cidade como no país todo.


Patápio Silva até hoje recebe homenagens de grandes músicos que regravaram suas composições, alem do repertório que ele popularizou, a exemplo de Lenir Siqueira, Toninho Carrasqueira, Maurício Carrilho, Pixinguinha e Altamiro Carrilho. Este último, comemorando o cinqüentenário de sua morte (1957) gravou o LP Revivendo Patápio, pelo selo Copacabana.


“Patápio significa a imagem perfeita de um herói, admirado, seguido, respeitado e idolatrado por mim e pela grande maioria dos flautistas brasileiros" (Altamiro Carrilho).



Mesmo tendo vivido pouco e deixado uma obra não muito extensa, Patápio nunca foi esquecido pelos flautistas, principalmente pela virtuosística valsa "Primeiro amor”, tema da abertura da novela “Nina” da TV Globo, gravada por Altamiro Carrilho e tantos outros.



************
Fonte:

- Choro: do quintal ao Municipal, de Henrique Cazes. – São Paulo: Ed. 34, 1998.

- Projeto Memórias Musicais: 15 CDs com a restauração de gravações feitas entre 1902 e 1950.

************

Exibições: 313

Comentário de Gilberto Cruvinel em 23 outubro 2011 às 0:45

Oi Laura,

 

Todas composições muito conhecidas e belíssimas. Clássicos.

Agora, através de seu post, tenho a oportunidade de conhecer o artista,

nunca tinha visto foto. Veja como é importante seu trabalho de resgate.

 

Obrigado Laura

Beijos

Comentário de Laura Macedo em 23 outubro 2011 às 2:54

Gilberto,

Os músicos são seres especiais, iluminados e tenho um enorme carinho por todos eles. Lamento quando partem, principalmente, prematuramente como foi o caso do Patápio Silva e de tantos outros. 

Gracias pelo apoio ao nosso trabalho, sempre.

Beijos.

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço