Portal Luis Nassif

"Mesmo assim..." - Eduardo Souto, Bahiano e João da Praia

Bahiano (Manoel Pedro dos Santos)

Manoel Pedro dos Santos, conhecido popularmente como Bahiano (1887-1944), foi o primeiro cantor de disco no Brasil. Nascido em Santo Amaro da Purificação, integrou junto a outros cantores da época o primeiro grupo de profissionais da Casa Edison, cujo proprietário era Frederico Figner, pioneira na gravação de discos de gramofone no Brasil.

 

Bahiano bateu recordes de gravações na Casa Edison, totalizando cerca de 400 fonogramas. Mesmo tendo gravado bastante ainda teve tempo de atuar como ator e cantor em teatros da época.

 

Segundo o pesquisador Jairo Severiano o cantor Bahiano tinha, felizmente, a preocupação em documentar sua vida artística, colecionando os catálogos da Casa Edison, o qual doou ao radialista/pesquisador Almirante e que foram de imensa utilidade na elaboração da “Discografia Brasileira”, patrocinada pelo Ministério da Educação.

 

Eduardo Souto

Eduardo Souto (1882/1942) foi um grande compositor e pianista que muito honra a Música Brasileira. De origem paulista lançou âncora no Rio de Janeiro, aos 11 anos de idade, onde desenvolveu sua carreira artística.

Sua primeira aparição em público foi em 1906, em Niterói (RJ), mas foi em 1919 que alavancou sua carreira de compositor com o fado/tango - “O despertar da montanha - bem como a inauguração da loja de música Carlos Gomes, lançando seu nome no meio artístico, tornando-se um ponto de encontro dos compositores da época.

Segundo o escritor/pesquisador Jairo Severiano o professor Guilherme Fontainha, ao ouvir a execução ao piano da recém composta - “O Despertar da Montanha”, do amigo Eduardo Souto disse: “Você acaba de fazer o seu ‘Danúbio Azul’”.

 

Mesmo assim...” (Eduardo Souto/João da Praia) # Bahiano [Manoel Pedro dos Santos] e Coro. Disco Odeon (121.994), 1922.

 

______

Agradecimentos especiais ao jornalista, escritor e pesquisador Miguel NIREZ Azevedo pela liberação do fonograma: “Mesmo assim...”.

______

 

************

Fontes:

- Banco de Dados do Acervo Nirez: Liberação do fonograma “Mesmo assim...” (AQUI).

- Foto montagem: Laura Macedo.

- Montagem áudio Sould: Laura Macedo.

- Texto: Laura Macedo com informações do Dicionário Cravo Albin e do pesquisador Jairo Severiano (Livro: Uma história da música popular brasileira: Das origens à modernidade).

************

Exibições: 46

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2017   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço