O antológico "Tropicália ou Panis et Circencis"

 

 

 

Em maio de 1968 foi lançado o LP “Tropicália ou Panis et Circencis”, mostrando a cara/identidade do movimento Tropicalista e mexendo com a cabeça de muita gente.

 

 

 

Foi um ano de outras eclosões importantes no mundo e no Brasil como a revolta dos estudantes em Paris, a passeata dos cem mil no Rio de Janeiro e a decretação do famigerado AI-5. O somatório de tudo isso fez o escritor Zuenir Ventura dizer (e escrever) que o ano de 1968 não acabou.

 

 

 

A emblemática foto da capa foi feita quase às pressas, na casa do fotógrafo Olivier Perroy, mas a criação foi coletiva. Nara e Capinam, ausentes, foram representados por retratos segurados por Caetano e Gil, respectivamente. Observem ainda o ar sério e comportado dos Mutantes, a boina de Torquato Neto, o terno e valise de Tom Zé, a saia e penteado caipira de Gal Costa e a figura do maestro Rogério Duprat segurando um penico, tal como uma xícara de chá.

 

 

 

Este antológico disco (doze faixas) com nítido caráter de manifesto lançaria um sincretismo de ritmos jamais ouvido, com o rock misturado à bossa nova, ao baião, ao samba e ao bolero.



Ouçam na íntegra o LPTropicália ou Panis et Circencis”.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Faixas

01- Miserere nóbis (Gilberto Gil/Capinan) # Gilberto Gil
02- Coração materno (Vicente Celestino) # Caetano Veloso
03- Panis et circenses (Gilberto Gil/Caetano Veloso) # Os Mutantes
04- Lindonéia (Caetano Veloso) # Nara Leão
05- Parque industrial (Tom Zé) # Gilberto Gil, Caetano Veloso, Gal Costa e Os Mutantes
06- Geléia geral (Gilberto Gil/Torquato Neto) # Gilberto Gil
07- Baby (Caetano Veloso) # Gal Costa e Caetano Veloso
08- Três caravelas (A. Algueiró Jr./G. Moreau/ Versão João de Barro) # Caetano Veloso e Gilberto Gil
09- Enquanto seu lobo não vem (Caetano Veloso) # Caetano Veloso
10- Mamãe, coragem (Caetano Veloso/Torquato Neto) # Gal Costa
11- Bat macumba (Gilberto Gil/Caetano Veloso) # Gilberto Gil
12- Hino ao Senhor do Bonfim (João Antonio Wanderley) # Caetano Veloso, Gilberto Gil, Gal Costa e Os Mutantes

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O movimento, libertário por excelência, durou pouco mais de um ano e acabou reprimido pelo governo militar. Seu fim começou com a prisão de Gil e Caetano, em dezembro de 1968. Mas a cultura do País, porém, já estava marcada para sempre pela descoberta da modernidade e dos trópicos”. (Site Tropicália)

 

 

As idéias tropicalistas, emergidas da integração das vertentes popular, pop e do experimentalismo estético, acabaram impulsionando a modernização não só da música, mas da própria cultura nacional.

 

 

 

 

 

 

 

 

************

Fonte:

- Raízes musicais do Brasil. SESC/RJ, 2005.

- Sites: Tropicália e #Radinha.

 

************

Exibições: 630

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço