Portal Luis Nassif

O Brasil derrota os corvos # Emir Sader

Cristo Redentor com lua # Foto: Antônio Gaudério



O Brasil derrota os corvos

Emir Sader


“Corvo” foi o nome que ganhou Carlos Lacerda, como ave que busca rapina onde houver, senão, inventa. É o espírito udenista, golpista, que sucumbiu sucessivamente à liderança de Getúlio e das forças populares. Não ganhavam eleições, iam bater nas portas dos quartéis (“vivandeiras de quartel”, eram chamados), para tentar, pela força, o que não conseguiam pela persuasão. Até que, com o apoio decidido do governo dos EUA e da mídia – a mesma que agora: Globo, Folha, Estadão -, deram o golpe e instauraram a ditadura militar, que tantos males fez ao país.

Suas características são muito similares às dos corvos de hoje: são brancos, de classe média, odeiam o povo, tem seu núcleo básico em São Paulo, se agrupam em torno da imprensa, tem uma sólida convicção de que tem razão (mesmo contra todas as evidências e a grande maioria dos brasileiros), se refugiam em denuncias moralistas, detestam a América Latina e o sul do mundo (adorando os EUA e a Europa), crêem que São Paulo é a “locomotiva do país”, que arrasta os outros estados preguiçosos (o mesmo sentimento da sublevação de 1932, que eram separatistas). Também tem como característica ser sempre derrotados, tendo que apelar para suas armas preferidas – a força dos golpes e o monopólio da imprensa.

A campanha para trazer as Olimpíadas ao Brasil possibilitou distinguir os que amam o Brasil, mais além dos seus problemas e com todos os seus problemas, e os que têm suas almas corroídas pelo ódio, torceram e militaram contra o Brasil. (Um deles convenceu seus leitores a tal ponto que numa consulta que fez, ganhou Chicago contra o Brasil.) Agora se vestem de luto – a cor dos corvos – e já tem temas para amargurar o resto das suas vidas até 2016. Para os que têm alma pequena, segundo Fernando Pessoa, a vida não vale a pena.

Estão há anos incomodados que o Brasil dê certo governado por um operário, sindicalista de base, nordestino, sem diploma universitário, que perdeu um dedo na máquina, enquanto aquele do qual são viúvas - supostamente a pessoas melhor qualificada para dirigir o Brasil - fracassou estrepitosamente e é repudiado pelo povo. Tem a alma corroída pelo ódio, pelo despeito, pelo rancor.

Lula tinha que dar errado, como Evo tinha que dar errado, como Hugo Chávez tinha que dar errado. Um é de origem nordestina e operária, o outro é indígena, o terceiro é um mulato. Mas quem fracassou foram os tucanos, aqui, com FCH, na Bolívia, com Sanchez de Losada, na Venezuela, com Carlos Andrés Perez. Não por acaso o governo de FHC apoiava àqueles, Lula apóia aos que os sucederam e, estes, por sua vez, têm a Dilma como candidata.

Essa geração de lacerdistas, corvos do século XXI, precocemente envelhecidos, pela frustração e pelo rancor, vegetarão o que lhes resta viver, ruminando reclamações contra o Campeonato Mundial de 2014 e contra os Jogos Olímpicos de 2016. Enquanto a caravana do povo brasileiro passa.

Aqui:
http://www.cartamaior.com.br/templates/postMostrar.cfm?blog_id=1&am...



Samba do avião (Tom Jobim) # Raphael Rabello

Exibições: 369

Comentário de Luiza em 3 outubro 2009 às 17:04
Dá pra imaginar a felicidade que o Prof. Emir está sentindo, não é Cafú?
Jamais deixou de defender os avanços obtidos pelo governo Lula e foi duramente atacado pelos corvos.
É também uma vitória dele e de todos nós que acreditamos em Lula e não nos golpistas...rs...

Abs
Comentário de Cafu em 3 outubro 2009 às 17:18
Bom demais, Luiza. É uma vitória do Lula e do povo brasileiro. Um kit descarrego para todos nós. Just in case...
:)
Beijos.









Comentário de Oswaldo Conti-Bosso em 3 outubro 2009 às 17:53
Cafu,

Esse kit é da hora, primordial, sarava.
Comentário de Cafu em 3 outubro 2009 às 17:58
Êh zifiu, muito axé!
Que todos os Orixás nos protejam.
O:)
Comentário de Cafu em 3 outubro 2009 às 19:01


Xô urucubaca! Haveremos de colher tudo o que plantamos com muito labor, dificuldade e esperança. Apesar dos corvos, vampiros, sanguessugas e urubólogos.
Abraços.
Comentário de Marise em 3 outubro 2009 às 19:54
rsrsrsrs Cafu com tudo isso não ha corvo, urubu,etc... que resista. Mas o Emir Sader com sua lucidez disse tudo. Tem um repórter esportivo, acho que é esse que o Sader falou sem dizer o nome,que fez exatamente uma pesquisa sobre quem deveria ganhar a sede das Olimpiadas. Ele queria Chicago (óbvio, não?) mas serviria qualquer um dos outros desde que não fosse o Brasil.
Claro que ele é paulista, e claro que ñão deve ser brasileiro. Apenas deve ter nascido aqui por um descuido do destino. Eu li o blog dele e fiquei pasma. Só não entendo porque fica aqui. Deveria ir para Chicago. Só que o realzinho que ele ganha, faz com que não largue o osso.
Ótimo post Cafu.Parabéns
Beijão
Comentário de Cafu em 3 outubro 2009 às 21:39

Xô de cima do nosso fubá! Xô pra longe dos nossos trigais!

O Juca Kfouri pisou feio na bola, Marise. E só torce por gol contra. Que papelão. Já foi um cara legal mas perdeu o meu respeito.
Beijos.
Comentário de Carlos Gomes de Moura em 4 outubro 2009 às 0:58
Mas não é só o Juca Kfouri...o Roberto Freire Também tem pisado na bola...eu encontrava o cara em Recife sempre enaltecendo a esquerda avançada...na época, figuras do antigo MDB, com Arraes, com Ulisses Guimarães, com Marcos Freire...agora o cara fica atacando ao Lula...mudou o perfil...
Mas com esta vitória de Lula e do povo brasileiro será que ele volta a enxergar outros cenários?
Abraços
Comentário de Cafu em 4 outubro 2009 às 12:36
A trajetória do Roberto Freire e do PPS rumo ao colo da direita mais retrógada é simplesmente patética. O partidão virou uma partícula adesista, sem projeto e golpista.
Marcos Freire foi um homem corajoso, combativo e honrado. Deu trabalho pros ditadores.
Abraços.
Comentário de Cafu em 7 outubro 2009 às 12:20


Sem medo de ser feliz!
:))))))

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2018   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço