"O CORDEIRO". O FILHO DE ISMAEL VÊ PRONTO O HOLOCAUSTO COMO BANQUETE À SOCIEDADE

Os capitalistas Tico e Teco voltaram a conversar sobre o mundo contemporâneo, acompanhados pela diarista Aparecida e pela filha Bytes, no dia 7 de outubro de 2014, Dia de Nossa Senhora do Rosário.

Tico: No dia de hoje o presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, ameaçou intervir na Síria com uma operação militar terrestre a fim de deter o avanço do Estado Islâmico para as suas fronteiras. Segundo ele, a cidade síria curda de Kobani está prestes a cair nas mãos do grupo jihadista. “Os meses se passaram e não conseguimos nenhum resultado. Kobani está prestes a cair”, disse Erdogan, num acampamento de Gaziantep de refugiados sírios. Além de enfrentar ameaças externas, o líder turco tem sofrido também pressões internas. Hoje 14 pessoas morreram após confrontos com a polícia em manifestações pró-curdos que começaram na noite de ontem em vários bairros de Istambul e cidades do sudeste do país. De acordo com o jornal turco "Hürriyet", os manifestantes protestaram contra a lentidão do governo em tomar decisão no combate ao sofrimento do povo curdo e por não haver permissão a ajuda humanitária a Kobani. Em algumas partes de Istambul os ativistas fizeram barricadas, pararam o trânsito e inclusive incendiaram um ônibus municipal. Quando a polícia tentou dispersar as concentrações com gás lacrimogêneo e canhões de água, a multidão respondeu com paralelepípedos e pedras. O partido pró-curdo HDP, o quarto do Parlamento turco, conclamou a população curda da Turquia a sair às ruas para pressionar o governo. A guerrilha curda PKK ameaçou romper a trégua firmada com Erdogan e voltar a realizar ataques no país. "Esperaremos até 15 de outubro, assim o comunicamos às delegações, depois não faltará nada do que íamos fazer", disse Mehmet Öcalan sobre o que ouviu de seu irmão, Abdulah Öcalan, a quem visitou em sua cela no presídio de Imrali, onde cumpre pena perpétua desde 1999. Fundador e ainda dirigente supremo da guerrilha que depôs temporariamente as armas, Öcalan se queixou na conversa que o conflito curdo "não pode ser solucionado com táticas de atraso", em referência à política de Ancara. Ontem, o Exército turco fez vários movimentos militares com tanques na fronteira com a Síria, mas não interveio contra os jihadistas que já alcançaram as ruas periféricas da cidade onde lutam contra as milícias curdas locais. Em Damasco, num comunicado divulgado pela agência de notícias estatal síria Sana, o regime de Bashar Al Assad afirmou que qualquer intervenção militar turca no país será considerada como uma “agressão”.

Teco: No dia de hoje Israel informou que disparou tiros de artilharia contra o Líbano após uma explosão na fronteira ter ferido três soldados israelenses. Segundo as agências de notícias, o grupo xiita libanês Hezbollah reivindicou o ataque. Israel e Líbano se encontram tecnicamente em guerra, mas a fronteira de 80 quilômetros tem permanecido em grande medida calma desde 2006, quando houve uma batalha de um mês entre as forças israelenses e o Hezbollah. Na semana passada o Irã anunciou que irá fornecer equipamento militar ao Exército ao Líbano para ser usado na luta contra grupos muçulmanos extremistas. É a primeira vez que o Irã diz que daria assistência militar ao Líbano já que ofertas anteriores foram recusadas. O Exército libanês tem lutando contra militantes muçulmanos próximos da fronteira com a Síria pelos últimos dois meses. No início de agosto, extremistas vindos da Síria atravessaram o Líbano e sequestraram 20 soldados e policiais. Dois dos soldados foram decapitados e um foi morto em cativeiro. Na semana retrasada, o ministro do Interior do Líbano, Nouhad Machnouk, esteve em Moscou para comprar armas russas que serão usadas na luta contra o terror. Segundo ele, o financiamento virá da Arábia Saudita. Recentemente, Beirute se uniu à coalizão internacional liderada pelos Estados Unidos. “O Líbano está fazendo isso não em prol de coligação, mas antes de mais, para manter sua estabilidade política. O Líbano continuará defendendo seu desempenho estável e a independência”, declarou Machnouk, em Moscou.

Bytes: No dia de hoje começou a Guerra do Afeganistão. Também chamada de Segunda Guerra do Afeganistão da História Contemporânea e “Operação Liberdade Duradoura”, nos Estados Unidos, a invasão do país ocorreu após os ataques terroristas do 11 de Setembro de 2001. Naquele tempo o presidente estadunidense George W. Bush convocou o mundo a travar batalha contra a rede terrorista Al Qaeda comandada por Osama bin Laden. Participaram da intervenção militar países da Otan cujo objetivo era tirar do poder os talibãs que davam proteção a Bin Laden e libertar o país do fundamentalismo islâmico. Antes da intervenção militar, os talibãs destruíram santuários religiosos como esculturas budistas.  Após o governo dos talibãs ter sido deposto pelas tropas ocidentais, a coalizão pôs no poder Hamid Karzai que se reelegeu em 2009 para um mandato de mais cinco anos. Recentemente, houve a primeira transição democrática no Afeganistão com a posse do novo presidente Ashraf Ghani após acordo de união nacional no qual o perdedor no segundo turno, Abdullah Abdullah, aceitou o cargo de primeiro-ministro como recompensa por aceitar a derrota numa eleição marcada por denúncias de fraude.  A Guerra do Afeganistão começou há 13 anos.

Aparecida: Por falar em Afeganistão, o presidente Barack Obama celebrou na terça-feira passada a "histórica" assinatura do acordo de segurança bilateral com o país da Ásia Central, a fim de "combater os resquícios da Al Qaeda". "Hoje marcamos um dia histórico na aliança entre Estados Unidos e Afeganistão que nos ajudará a impulsionar nossos interesses compartilhados e a segurança do Afeganistão em longo prazo", afirmou Obama. "Este acordo representa um convite por parte do governo afegão para fortalecer a relação que construímos durante os últimos 13 anos", assegurou. Na última sexta-feira, o novo presidente afegão agradeceu aos soldados da Otan por seu sacrifício no Afeganistão, durante a visita do primeiro-ministro britânico David Cameron a Cabul. "Deixem-me agradecer a cada soldado e civil ferido no Afeganistão, que deixaram pedaços de seus corpos aqui", disse Ghani numa entrevista coletiva ao lado de Cameron. Segundo ele, a presença da Otan no Afeganistão tornou o mundo um lugar mais seguro. O que você acha?

Bytes: O antecessor de Ghani, Hamid Karzai, que foi posto no poder pelos Estados Unidos, não queria assinar o acordo, o que gerou tensão entre outros países. Agora Washington respira aliviado porque o novo presidente afegão assinou o documento dias após tomar posse. Mas a paz ainda é um projeto de longo prazo. Durante a Festa do Sacrifício, que ocorreu no sábado dentro da tradição muçulmana, os talibãs que atuam no território do Paquistão e Afeganistão prestaram juramento ao Estado Islâmico. A declaração foi feita depois de o líder da Al-Qaeda, Ayman al-Zawahiri, ter promovido o antigo líder do Talibã, Asim Umar, ao “emir” de um novo destacamento que atua hoje na Ásia Meridional. O fantasma de Bin Laden ainda vive através do Estado Islâmico.

Aparecida: Por falar em Estado Islâmico, hoje mais de 100 manifestantes curdos invadiram a sede do Parlamento Europeu, em Bruxelas, para protestar pela passividade da União Europeia em relação à ação do grupo terrorista na cidade síria de Korbani. Eles disseram que estão realizando greves de fome como forma de protesto e enfatizaram que já são mais de 10 mil curdos 'nas ruas da Europa para pressionar os governos do Velho Continente. Segundo o jornal “Le Soir”, a porta-voz dos manifestantes, Keje Kotluk, insistiu que “os governos belga e de outros países europeus não podem ficar cegos” diante das atrocidades dos jihadistas que “estão bem equipados e utilizam armas procedentes do Ocidente”. O grupo foi recebido pelo presidente da Casa, o alemão Martin Schulz. Os curdos ganharão o seu Estado nacional como foi prometido após o fim da Primeira Guerra Mundial, mas nunca concretizado?

Bytes: Para terem de volta o seu território, eles terão que conseguir além de áreas no Iraque e na Síria, também na Turquia e no Irã. O que se comenta é o contrário. Segundo o jornal britânico “Sunday Times”, os jihadistas do Estado Islâmico são os que planejando invadir o Irã para se inteirar de seus segredos nucleares. O diário reproduz um documento, redigido por um dos líderes do grupo, Abdullah Ahmed Al-Mashhadani, que contém 70 pontos programáticos e descreve as linhas estratégicas que possam levar ao aniquilamento das forças iranianas.

Aparecida: Por falar no Irã, o vice-embaixador do Irã na ONU rebateu as acusações feitas pelo primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, de que a aquisição de  armas nucleares por Teerã seria pior que o Estado Islâmico. Segundo o líder israelense, deixar o Irã ter a bomba atômica é o mesmo que ganhar uma batalha e perder a guerra. Netanyahu considerou também que o Estado Islâmico e o Hamas são “galhos de uma mesma árvore envenenada". Para o diplomata iraniano, o principal objetivo de Israel é justificar os crimes que este regime cometeu recentemente contra civis palestinos. O que você acha?

Bytes: O que sabemos é que houve um curto-circuito entre Estados Unidos e Israel após a Casa Branca ter divulgado que o presidente Obama não concordava com a construção de 2.600 novas casas num assentamento em Jerusalém Oriental. Segundo o porta-voz da Presidência estadunidense, Josh Earnest, Obama manifestou preocupação porque considera o tema como “inquietante”. Netanyahu reagiu dizendo que o governo Obama deveria “estudar os fatos e os detalhes antes de fazer declarações". O ministro da Habitação, Uri Ariel, afirmou à rádio militar que das 2.610 residências "mil estão destinadas a árabes". Ele defendeu também os colonos israelenses que na terça-feira passada assumiram pela força o controle de 25 apartamentos em Silwan, um bairro palestino de Jerusalém Oriental. Para o ministro, a ação foi legal, mas houve denúncia de ativistas de que os judeus trocaram a fechadura dos imóveis palestinos e entraram à força.

Aparecida: Por falar em Jerusalém Oriental, a Autoridade Palestina disse que brigará por uma resolução do Conselho de Segurança da ONU que estabeleça em 2016 o fim dos 47 anos de ocupação israelense com a instituição da Cidade Sagrada como sua capital. Em pronunciamento nas Nações Unidas, o presidente Mahmoud Abbas, disse também que não renunciará ao seu direito de entrar com ação contra Israel no Tribunal Penal Internacional. "As relações com o governo estadunidenses são tensas", afirmou Abbas aos jornalistas, que chamou Washington de “parcial” ao reagir negativamente ao seu discurso na ONU.   Segundo o líder palestino, os Estados Unidos estão pressionando a ANP a não exercer os seus direitos, ameaçando com corte na ajuda financeira concedida por Washington à Cisjordânia ocupada. Já Netanyahu se reuniu com o secretário-geral da ONU e reclamou da investigação das Nações Unidas sobre a guerra em Gaza. Para o líder israelense, o Conselho de Direitos Humanos foi parcial ao ocultar as agressões perpetradas pelo Hamas. O que você acha?

Bytes: Na sexta-feira, o novo primeiro-ministro da Suécia, Stefan Lofven, anunciou que o governo de centro-esquerda irá reconhecer a Palestina como Estado soberano. “O conflito entre Israel e Palestina só poderá ser resolvido com uma solução entre dois Estados, em acordo com as leis internacionais", disse Lofven em seu discurso de posse. Se a decisão for mesmo confirmada, a Suécia será o primeiro país da União Europeia a reconhecer o Estado palestino. A posição do premier foi saudada pelo chefe-negociador da Palestina, Salih Erekat: "Nós esperamos que todos os países da União Europeia tomem a mesma decisão corajosa, já que não há razão em não reconhecer o Estado da Palestina". Após o fim do Yom Kippur, o Dia do Perdão, Israel anunciou que convocará o embaixador sueco em Tel Aviv para demonstrar o seu protesto.

Aparecida: Por falar em Yom Kippur, os judeus ortodoxos, principalmente as crianças, seguiram a tradição. Seguraram galinhas para que os pecados sejam desviados para a ave.

Bytes: Na Arábia Saudita, cerca de dois  milhões de fiéis muçulmanos se reuniram na Grande Mesquita de Meca para celebrar a Festa do Sacrifício (acima). O evento relembra o momento em que Ibrahim, Abraão na tradição judaico-cristã, ameaça matar o filho Ismail, no monte Arafat, como demonstração de fidelidade a Deus, mas é interrompido porque o Criador oferece no lugar um cordeiro. "Me sinto como um recém-nascido, livre de todo pecado", explicou o nigeriano Taofik Odunewu após orar no monte Arafat.

Aparecida: Por falar na Arábia Saudita, os Estados Unidos aprovaram uma venda de US$ 1,75 bilhão em mísseis Patriot a Riad para reforçar a defesa aérea do seu principal aliado no mundo árabe. O que você acha?

Bytes: Muitos analistas estranharam a posição de Washington que sempre manteve como tradição a superioridade militar de Israel na região. Mas a Agência de Cooperação de Segurança e Defesa norte-americana disse que a venda não compromete o equilíbrio militar no Médio Oriente. O problema deve estar diretamente ligado à crise política no Iêmen. A capital Sanaa foi ocupada pela milícia radical houthis, que é xiita, deixando Riad de cabelo em pé sobre os reflexos em seu país. Na semana passada, em pronunciamento na ONU, o chanceler saudita, príncipe Saud al-Faisal, advertiu que a Arábia Saudita vê “a falta de implementação do acordo de paz pelos houthis como uma ameaça à segurança do Iêmen, e que isso ameaça a estabilidade regional e a internacional, requerendo que todos proponham as soluções necessárias para confrontar esses desafios sem precedentes”.

Aparecida: Por falar em instabilidade regional e internacional, o chefe da diplomacia russa, Serguei Lavrov, declarou que Moscou e seus parceiros no Conselho de Segurança da ONU estão tentando bloquear os canais de financiamento de grupos terroristas. Segundo ele, estas facções “não poderiam fazer o que estão fazendo sem apoio externo”. O chanceler russo está falando do Ocidente?

Bytes: O que podemos dizer é que o Ocidente culpa a venda clandestina de petróleo e pagamento de resgate dos reféns para o financiamento dos jihadistas. Por isso a coalizão internacional está destruindo poços de petróleo e gás no Iraque e na Síria, fontes de recurso nestes dois países, para evitar o financiamento aos guerrilheiros. No passado houve até acusações de que a Turquia comprava petróleo no mercado paralelo. Ontem, o jornal “The Times” publicou que Ancara entregou ao Estado Islâmico um grupo de presos, entre eles dois jihadistas britânicos, em troca da libertação de diplomatas turcos tomados como reféns pelos rebeldes. Para os capitalistas, meia palavra basta.

Aparecida: E como pensa o governo dos Estados Unidos?

Bytes: Deu no jornal “O Globo” de 3 de outubro de 1964, cuja manchete foi “Johnson anuncia uma conferência de paz em 1965 se fôr eleito”: “Após firmar uma proclamação declarando 1965 o ano da cooperação internacional, o Presidente revelou a várias centenas de funcionários do Govêrno e outros norte-americanos que tem o propósito, caso seja eleito em novembro, de convocar uma conferência na Casa Branca. Nessa reunião na qual participarão destacadas personalidades dos EUA, serão examinadas tôdas as possibilidades de cooperação internacional, que possam conduzir ao estabelecimento da paz no mundo”. E mais: “O Presidente envia mensagem pedindo a extinção da UNE. Chegaram ontem ao Congresso para tramitação no prazo de trinta dias mais duas mensagens do Presidente da República, Castelo Branco. A primeira extingue com a União Nacional dos Estudantes e estabelece os órgãos de representação dos estudantes do ensino superior”. E mais: “Do editorial ´Um grito de alerta´. Se a Revolução, no que concerne ao ensino superior, limitar-se apenas à reformulação dos órgãos de representação do corpo discente, pela substituição da desmoralizada e conspurcada UNE e suas filiais dos Estados, terá falhado a um dos maiores anseios dos patriotas. Não é de hoje que se faz sentir a urgência de ajustar as Universidades brasileiras à realidade nacional, permitindo-lhes cumprir com eficiência o importantíssimo papel que lhes cabe em face do nosso progresso e desenvolvimento. De há muito se sabe que as Universidades no Brasil – sobretudo aquelas integradas nos sistemas oficiais de ensino – encontram-se desatualizadas, funcionam defeituosamente e, em lugar de fornecer ao País bons profissionais e técnicos, são celeiros de descontentes e revoltados ou fábrica de maus doutôres e bacharéis sem preparo”.

Aparecida: Deu no jornal “O Globo” de 3 de outubro de 2014, 50 anos depois: “Eleições 2014. Adversário de Dilma no 2º turno está indefinido. Dafolha mostra em empate técnico entre Marina e Aécio; Ibope registra diferença de 5 pontos. Presidente aparece na frente nos dois institutos com 40% das intenções de voto e venceria os adversários no segundo turno. Considerando apenas os votos válidos, a petista tem 45% no Datafolha e 47% no Ibope”. E mais: “Correios culpam porteiros. O petista Wagner Pinheiro, presidente dos Correios, negou ter havido extravio a de material de Aécio em Minas e fornecimento a Dilma, alegando que porteiros é que não quiseram receber propaganda tucana. Aécio e Marina vão à Justiça Eleitoral”. E mais: “PF. Empreiteiras deram R$ 41 milhões a doleiro. Segundo a investigação, a Camargo Corrêa, que participa da construção de refinaria da Petrobras, tinha negócios com Youssef. Foram registrados telefonemas da Andrade Gutierrez para genro de Paulo Roberto Costa”.

Bytes: O jornal “O Globo” publicou o artigo do jornalista Arthur Dapieve intitulado “Pela família!”: “Aposto uma passagem de ônibus que, passados um ano e quatro meses das manifestações de junho de 2013, a palavra mais repetida na propaganda eleitoral foi ´família´ e não ´mudanças´. Não foram apenas os candidatos da bancada religiosa que a pronunciaram. Ela esteve na boca de muitos políticos notoriamente laicos. Uma “defesa da família” tornou-se, no discurso diversionista, mais importante do que o recato no uso do dinheiro público, o investimento inteligente em educação, o saneamento da saúde pública, o desatamento dos nós do transporte urbano, a criação de uma política de segurança civil... O grande problema do Brasil é defender a família”.

Aparecida: O seu Carlos disse, exaltado: “O Paulo Roberto Costa fez a delação premiada para proteger a família: a filha e o genro que tem culpa no cartório. Quero ver agora como o Lula vai defender as empreiteiras depois de ser o diplomata na África e Cuba para essas construtoras que no governo Jango ninguém interferira por causa do dinheiro de campanha. Como é triste como patriota ver a calamitosa situação que ´essa raça´ vai deixar o País”. O que você acha da corrupção?

Bytes: Há “meio século” publicou o jornal “O Globo”: “Em entrevista coletiva, em Bagé, o Ministro da Guerra, General Costa e Silva, consultado sôbre se os corruptos não acabariam sendo perdoados, como é do nosso feitio, afirmou: ´De fato, o brasileiro tem mesmo bom coração, mas, no caso dos corruptos, o seu julgamento não dependerá tanto do bom coração, pois caberá à Justiça decidir e julgar os resultados dos IPMs, que se estenderão o tempo necessário para suas conclusões. É um engano supor-se que, com a caducidade do artigo 7º do Ato Institucional, não mais será julgada a corrupção ocorrida durante o govêrno deposto”. Propicia uma montanha de análise. 

Aparecida: Ah, entendi! Está escrito na Gênesis, a “origem”, sobre o "patriarca do monoteísmo": “E aconteceu depois destas coisas, que provou Deus a Abraão, e disse-lhe: Abraão! E ele disse: Eis-me aqui. E disse: Toma agora o teu filho, o teu único filho, Isaac, a quem amas, e vai-te à terra de Moriá, e oferece-o ali em holocausto sobre uma das montanhas, que eu te direi. Então se levantou Abraão pela manhã de madrugada, selou o seu jumento, e tomou consigo dois de seus moços e Isaac seu filho; e cortou lenha para o holocausto, e levantou-se, e foi ao lugar que Deus lhe dissera. Ao terceiro dia levantou Abraão os seus olhos, e viu o lugar de longe. E disse Abraão a seus moços: Ficai-vos aqui com o jumento, e eu e o moço iremos até ali; e havendo adorado, tornaremos a vós. E tomou Abraão a lenha do holocausto, e pô-la sobre Isaac seu filho; e ele tomou o fogo e o cutelo na sua mão, e foram ambos juntos. Então falou Isaac a Abraão seu pai, e disse: Meu pai! E ele disse: Eis-me aqui, meu filho! E ele disse: Eis aqui o fogo e a lenha, mas onde está o cordeiro para o holocausto? E disse Abraão: Deus proverá para si o cordeiro para o holocausto, meu filho. Assim caminharam ambos juntos”. 

Tico: No dia de hoje o primeiro-ministro da Ucrânia, Arseny Yatseniuk, aumentou a pressão junto ao Parlamento para garantir a aprovação de novas leis para lidar com a corrupção nos altos escalões da administração. O objetivo do governo pró-Bruxelas é conter o descontentamento público antes da eleição no dia 26 de outubro.  Hoje combates no leste ucraniano deixaram 12 mortos no conflito entre governo e separatistas. "Os rebeldes continuam com suas tentativas de atacar o aeroporto, seguem atirando contra as posições dos militares ucranianos em seu território", anunciou o Exército ucraniano. A página na Internet da Organização para a Segurança da Europa publicou, baseado num relatório finalizado ontem, que os observadores europeus detectaram discrepâncias entre os acontecimentos reais e as informações fornecidas pelos militares ucranianos. Ontem, o premier ucraniano afirmou que dois drones serão enviados ao país para que os observadores internacionais  possam monitorar o duvidoso cessar-fogo entre forças governamentais e insurgentes. As aeronaves serão enviadas à OSCE depois de serem liberadas pela alfândega. A Chancelaria alemã informou que a França e Alemanha vão apresentar em breve um novo plano em que proporão o monitoramento do cessar-fogo pelos seus soldados. O porta-voz Martin Schaefer afirmou que o plano está passando por “ajustes finais” e seria apresentado nas "próximas horas ou dias". Ele disse que uma das questões que está atrasando o plano é dependência de aprovação da Câmara Baixa do Parlamento alemão. "Uma coisa é certa: antes de soldados alemães e franceses ou outros serem enviados para participar da missão de controle civil da OSCE na Ucrânia algumas questões políticas e jurídicas terão de ser resolvidas", disse o porta-voz, sem precisar quais seriam. Na véspera, o leste separatista da Ucrânia registrou uma nova escalada de violência ao completar um mês do cessar-fogo entre o governo de Kiev e os rebeldes pró-Rússia. Paris e Berlim têm interesse de que o problema seja logo resolvido porque as sanções e retaliações têm prejudicado a economia dos dois países. Hoje o Ministério da Economia alemão divulgou que a produção industrial do país caiu 4% em agosto na comparação com o mês anterior. Já a França enfrenta pressões dos Estados Unidos para não vender dois navios Mistral a Moscou após terem sido encomendados pela Rússia, mas construídos em estaleiros franceses.

Teco: No dia de hoje ocorreu o conflito armado entre a Frente Única Antifascista e membros da Ação Integralista Brasileira. O episódio ficou conhecido como Revoada dos Galinhas-Verdes porque os integralistas fugiram durante o confronto deixando as camisas verdes, o uniforme que simbolizava o movimento, se assemelhando a galinhas. O conflito ocorreu na praça da Sé, em São Paulo, quando os membros da Ação Integralista realizavam a Marcha dos 5 Mil  em comemoração aos dois anos de atividade política. A Frente Única Antifascista, que reunia militantes comunistas, anarquistas e sindicalistas, marcou um ato no mesmo dia para demonstrar o repúdio ao integralismo. No confronto, morreram pelo menos oito pessoas, entre elas o estudante Décio Pinto de Oliveira, aluno da Faculdade de Direito de São Paulo, que militava na juventude comunista. A ação foi determinante para que o presidente Getúlio Vargas determinasse mais tarde o fechamento da Ação Integralista do Brasil. Há 80 anos.

 Bytes: No dia de hoje foi proclamada a República Democrática Alemã, mais conhecida como Alemanha Oriental. A proclamação ocorreu dentro da divisão da Alemanha após o país ter perdido a Segunda Guerra Mundial para as tropas Aliadas. A Alemanha Oriental ficou sob a orientação da União Soviética que estabeleceu o regime comunista. A outra metade do país recebeu o nome de República Federal da Alemanha, ou Alemanha Ocidental, controlada por Estados Unidos, Reino Unido e França. Após a morte do líder soviético Joseph Stalin, em 1953, começou uma revolta na Alemanha Oriental que durou um ano e resultou na fuga de três milhões de habitantes para a vizinha Ocidental. Em 3 de outubro de 1990, quase um ano após a Queda do Muro de Berlim, ocorreu a reunificação da Alemanha. A República Democrática Alemã foi proclamada há 65 anos.

Aparecida: Por falar em queda de muro, a Ucrânia construirá uma separação de concreto com a Rússia como chegou a ser cogitado pelas autoridades de Kiev?

Bytes: Hoje uma delegação formada por 35 embaixadores da OSCE se reuniu com autoridades ucranianas em Kiev. O governo confirmou para os diplomatas europeus que estão mantidos os planos de construção de obstáculos e valas antitanques, além de instalações de torres de vigilância. Kiev justificou a iniciativa sob a alegação de que o país precisa se precaver contra a intensificação dos conflitos na zona separatista.

Aparecida: O que desune os vizinhos Ucrânia e Rússia? 

Bytes: Quando Kiev se tornou independente de Moscou, o escritor russo Alexander Solzhenitsyn, Prêmio Nobel de Literatura, filho de mãe ucraniana e crítico da extinta União Soviética, escreveu na década de 90 sobre o relacionamento entre os países vizinhos no artigo "A Ucrânia será extremamente dolorosa para nós": “Me dói especialmente a furiosa intolerância na discussão da questão russo-ucraniana (fatal para ambas as nações e apenas útil a seus inimigos), eu mesmo sou de origem mista russo-ucraniana e cresci sob influência de ambas as culturas e nunca vi, nem vejo, um antagonismo entre elas. Por diversas vezes eu tive de escrever e de falar publicamente sobre a Ucrânia e seu povo, sobre a tragédia da fome ucraniana, eu tenho muitos velhos amigos na Ucrânia, eu sempre conheci os sofrimentos russos e os sofrimentos ucranianos na mesma série de sofrimentos debaixo do comunismo. Nos sentimentos do meu coração não tem lugar o conflito russo-ucraniano e se, Deus nos livre, se chegue ao limite, eu posso afirmar: nunca, em circunstâncias nenhumas, nem eu irei, nem deixo ir os meus filhos, para um confronto russo-ucraniano – por muito que nos tentem envolver as cabeças loucas”.

Aparecida: Por falar na Ucrânia, a chefe da delegacia ucraniana na OSCE Mariana Betsa, onde foram debatidos assuntos humanitários, exortou a delegação russa a não se referir aos ucranianos como “povo irmão”. A reação foi após Anatoli Viktorov, da delegação russa, dizer: "O que está acontecendo agora na Ucrânia não é apenas um conflito armado de caráter não-internacional, como o classificou o Comitê Internacional da Cruz Vermelha, é uma tragédia do irmão povo ucraniano, uma prova para a OSCE e os Estados-membros". Por que a declaração provocou ira da representante ucraniana?

Bytes: O que sabemos é que a Rússia e os separatistas acusaram a Ucrânia de ter feito disparo sobre a Cruz Vermelha que matou um colaborador suíço da entidade. Em comunicado, afirmou a Chancelaria russa: “Kiev não quer reconhecer algo óbvio: o bairro de Donetsk atingido pelas explosões fica em território controlado pelos rebeldes e os disparos partiram de posições ocupadas pelas forças ucranianas".

Aparecida: O presidente ucraniano Piotr Poroshenko disse que a língua inglesa é que deve ser a segunda língua falada na Ucrânia e não a russa. Ele havia permitido a língua russa no acordo com os separatistas em Minsk. "Um inglês fluente deve ser o segundo requisito, após a lustração entre os critérios para ser funcionário público ucraniano", concluiu Poroshenko. A lustração é um exame pelo qual passarão os funcionários públicos para saber se eles se adaptarão às novas exigências de Bruxelas como a “eficiência europeia”. A paz é ainda possível?

Bytes: O que podemos afirmar é que o primeiro-ministro ucraniano considera que é necessário uma alteração nos currículos escolares, da pré-escola ao ensino superior, para adaptá-los aos desafios da guerra de informação. Segundo ele, a informação é uma arma mais forte do que tanques. "As nossas armas são o conhecimento, o patriotismo e o espírito ucraniano em cada jardim de infância, em cada escola e em cada universidade", disse Yatseniuk. "As questões de formação patriótica dos ucranianos devem ser colocadas à mesma altura, ou ainda mais alto, que o ensino de línguas estrangeiras, da matemática e da física", acrescentou.

Aparecida: O diplomata Konstantin Dolgov, do Ministério das Relações Exteriores russo, disse que Moscou espera que a comunidade mundial venha reagir adequadamente ao uso da simbólica nazista pela Guarda Nacional da Ucrânia. “Os combatentes sob bandeiras nazistas e ultranacionalistas devem compreender e saber que a comunidade mundial não está ao lado deles. Caso contrário, a Europa se defrontará como novos desafios gritantes desse género”, advertiu. O que você acha?

Bytes: Os dois lados têm discurso de confronto, apesar de tentar evitá-lo. Ontem, Membros de batalhão ucraniano participaram de exercícios militares, que incluiu como arma um machado, na cidade de Mariupol, leste ucraniano, perto da Crimeia (acima). Enquanto isso, mais duas estátuas de Lênin foram colocadas abaixo na Ucrânia.

Aparecida: Por falar em exercícios militares, a Alemanha pode impedir uma guerra russo-ucraniana?

Bytes: Berlim tem como prioridade manter o bloco econômico unido. Em Londres, o primeiro-ministro italiano, Matteo Renzi, disse que a Alemanha não deve tratar outros países "como alunos". O desabafo do premier foi uma demonstração de solidariedade à França. Numa crítica à condução da política econômica francesa, a chanceler Angela Merkel disse que os países da União Europeia "são obrigados a fazer sua lição de casa" a fim de aumentar a sua competitividade. "Ninguém tem o direito de tratar outros países como alunos. Nós respeitamos a redução do orçamento de 3%, mas respeitamos também as decisões da França, um país livre e nosso amigo", acrescentou Renzi.

Aparecida: Por falar em União Europeia, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, disse que as sanções econômicas impostas por Bruxelas “não vão impedir a Rússia de se tornar uma potência econômica”. Segundo ele, apesar das condições difíceis, a Rússia terá uma economia independente e forte, com um saudável equilíbrio nas contas, de modo que não haverá nenhuma necessidade de restringir a circulação de capital. Putin disse que Moscou tem como objetivo passar a usar moedas nacionais no comércio com outras nações, evitando assim o uso do dólar, a divisa mais usada em negociações internacionais. O líder russo é megalomaníaco?

Bytes: Putin é um enxadrista que não move uma peça sem ter certeza que dará o xeque-mate. O colega gaiato lá da facû disse, no entanto, que ele não evitou a queda do Muro de Berlim. Por enquanto podemos dizer que as sanções do Ocidente apenas reforçam a decisão da Rússia de fortalecer o mercado interno. “A nossa tarefa consiste em realizar nos próximos anos um verdadeiro salto industrial, em criar companhias nacionais fortes na indústria manufatureira, capazes de fornecer produtos competitivos”, disse ele. De acordo com o Kremlin, o objetivo é deixar de ser um país exportador de energia.

Aparecida: Por falar em energia, o primeiro-ministro checo, Bohuslav Sobotka, disse ontem, em entrevista a revista “Praga Tyden”, que se a Ucrânia não fechar acordo com a Rússia para a retomada do fornecimento de gás, o país enfrentará um enorme desastre humanitário no inverno. Hoje a ex-primeira-ministra ucraniana Yulia Tymoshenko apelou ao governo para que pague na íntegra o preço de gás previsto no acordo com a Rússia. O que você acha? É uma bomba explosiva?

Bytes: Bomba explosiva é a notícia do jornal “Euobserver” de que a Comunidade Europeia pretende comunicar à Sérvia de que se manter a construção do Gasoduto do Sul, parceria de Belgrado com Moscou, a decisão irá se refletir nas perspectivas da sua adesão à União Europeia. Como fica a paz?

Aparecida: Por falar em paz, foi inaugurada em Nova York a loja “Peacemaker”, “Pacificador” em português, onde começaram a ser vendidas camisetas com a imagem de Putin. Há frases como “Putin é pacificador” e “Tudo o que precisamos é de paz”. O designer da coleção explicou que tinha criado a coleção porque “apoia as ações do presidente da Rússia, considerando-o como o principal pacificador da atualidade”. O que você acha?

Bytes: Na semana passada, o fotógrafo alemão Benjamin Hiller, curador da exposição fotográfica dedicada aos acontecimentos na Ucrânia e na Síria, foi atacado num galeria nova-iorquina. A exposição “Evidência material. Síria. Ucrânia” apresenta cerca de 250 fotos de jornalistas, incluindo obras do fotógrafo Andrei Stenin, da agência de notícias Rossiya Segodnya, recentemente assassinado na Ucrânia. "Há meia hora, um homem irrompeu na exposição, começando a gritar que as fotos ofendem os sentimentos do povo ucraniano, e pulverizou spray de pimenta no rosto de Benjamin", relatou a assistente Lana Andreeva. Ela informou que ao lado de algumas fotos expostas apareceu a inscrição "Mentira!" em inglês.

Aparecida: E como pensa o governo dos Estados Unidos?

Bytes: Deu no jornal “O Globo” de 1º de outubro de 1964, cuja manchete foi “Johnson quer dialogar com Khruchtchev após as eleições nos EUA”: “Os planos de uma viagem do presidente à Europa, depois do pleito de novembro, quando espera vencer, foram revelados por fontes autorizadas de Washington, segundo os quais Johnson participaria de uma reunião da OTAN, em Paris, visitando depois Bonn e Londres. Seu encontro com Khruchtchev, para melhorar as relações entre o Ocidente e o Oriente, seria em princípios de 1965”. E mais: “O general Mourão Filho, o nôvo ministro do Superior Tribunal Militar, estreou na Côrte ontem. Após a sessão do dia, êle se manifestou favorável à normalização de interventores federais militares para os estados e afirmou ser contrário à extração dos partidos que, na sua opinião, representa apenas manobra política do governador Magalhães Pinto”. E mais: “Do editorial ´Pronunciamentos que não ajudam´. Tantas vezes manifestamos nosso aprêço pela figura do General Olímpio Mourão Filho que estamos bem à vontade para estranhar que Sua Excelência continue a fazer pronunciamentos políticos como se viu ontem, mais uma vez, por ocasião de sua posse no cargo de Ministro do Superior Tribunal Militar. Coube ao nôvo ministro, quando comandante da 4ª Região Militar, com sede em Juiz de Fora, a tarefa histórica de dar início à gloriosa jornada que liqüidou com as esperanças daqueles que imaginavam transformar o Brasil numa república socialista. Isso não confere, porém, ao digno soldado, o direito de traçar os rumos do Govêrno da República, que não é um colegiado militar, formado pelos generais vitoriosos de 31 de março, mas um Govêrno civil, constituído pelo voto do Congresso Nacional”.

Aparecida: Deu no jornal “O Globo” de 1º de outubro de 2014, 50 anos depois: “Eleições 2014. Marina volta a cair e já é ameaçada por Aécio. Disputa pelo 2º lugar é acirrada, com Dilma isolada na liderança. Em um mês, vantagem da candidata do PSB sobre o tucano é reduzida de 20 para 5 pontos no Datafolha e de 18 para 6 no Ibope. Os dois institutos registram vitória da presidente no 2º turno, mas com pontuações diferentes. Pezão amplia vantagem. Tucano propõe metas para servidores”. E mais: “Escândalo na Petrobras. PF agora mira fundos de pensão. A PF abriu nova frente de investigação para apurar a atuação de fundos de pensão de estatais, como o Postalis, que fizeram investimentos em empresas ligadas ao doleiro Albert Youssef. E muitos desses fundos, os investimentos são decididos por indicados por partidos políticos”. E mais: “Nunca antes. Contas públicas têm déficit recorde. Gastos superam arrecadação e resultado fiscal fica negativo em R$ 14,5 bilhões, no pior agosto desde 2001. Pelo quarto mês seguido, governo gastou, em agosto, mais do que arrecadou. União, estados, municípios e estatais tiveram déficit de R$ 14,5 bilhões. A meta é economizar R$ 99 bilhões no ano, mas, até agora, o setor público só reduziu gastos em R$ 10,2 bilhões. O pior desempenho vem do governo central, que prometeu R$ 90,8 bilhões, mas só economizou R$ 1,5 bilhão até agosto. O governo esperava arrecadar R$ 8,2 bilhões com o leilão de telefonia 4G, mas a receita foi 40% menor”.

Bytes: O jornal “O Globo” publicou o artigo do jornalista Elio Gaspari intitulado “Há algo no ar além dos aviões de carreira”: “De acordo com o paragrafo 1º ao artigo 5º do Ato Institucional nº 5, o presidente da República podia ´fixar restrições ou proibições (...) ao exercício de quaisquer outros direitos públicos ou privados´. Com base nisso, o marechal Arthur da Costa e Silva proibiu que os jornalistas Antonio Callado e Léo Guanabara exercessem a profissão. Mesmo para tempos de treva, a medida foi vista como uma exorbitância e o presidente revogou-a pouco depois. Agora, em pleno regime democrático, o advogado Ibaneis Rocha Barros Junior, presidente da seccional de Brasília da Ordem dos Advogados do Brasil, pediu a impugnação do pedido de inscrição de Joaquim Barbosa, ex-presidente do Supremo Tribunal Federal. Sem registro na OAB um bacharel em direito não pode advogar”.

Aparecida: Por falar em aviões de carreira, o acidente com o Eduardo Campos pode ter sido sabotagem?

Bytes: O colega adepto da Teoria da Conspiração voltou à tona após a queda de Marina. “Eu não disse que mataram Eduardo Campos para evitar que a Dilma ganhasse no primeiro turno, depois iam inflar a Marina para depois bater nela a fim de dar Aécio na cabeça. Digo, Armínio”. Como não sou da área, mostrei para ele o vídeo em que Hitler denunciava a teoria da conspiração para derrubar a Alemanha através do sistema financeiro. Foi eleito chanceler por voto direto. 

Aparecida: O que você achou da queda da Marina?

Bytes: Se um marciano viesse à Terra nos 30 e voltasse agora, acharia que a Marina era uma “militante integralista”. Mas seria difícil juntar independência do Banco Central com passe livre e propostas também estatizantes.

Aparecida: Por falar em integralismo, o que você achou da violência na Sé?

Bytes: O que podemos é reproduzir a diferente visão sobre os dois lados a respeito da violência na Sé: “Enfrentamos, com armas nas mãos ou sem elas, a organização fascista integralista, comandada por Plínio Salgado. Os integralistas estavam todos fardados, bem armados, enquadrados e prontos para uma demonstração de força, protegidos pelas instituições político-militares getulistas e dispostos a tomar o poder. Nós, espalhados ao longo da praça e nas ruas adjacentes, esperamos pacientemente que desfilassem primeiro as crianças, também fardadas, e as mulheres integralistas. Depois disso, quando os asseclas de Plínio iniciaram seu desfile, nós todos avançamos e começou a luta aberta”, contou a falecida atriz Lélia Abramo, militante comunista da Frente Única Antifascista. “Infelizmente, quando se trata de um movimento político da chamada ´Direita´, há tendência no sentido de denegri-la, enquanto que à ´Esquerda´ tudo se perdoa, esquecendo-se os genocídios perpetrados por Stalin, e os atos violentos dos brasileiros que, sob a bandeira comunista de Luis Carlos Prestes, tentaram ganhar o poder, como o fizeram em 1934, na praça da Sé, quando, do alto do antigo Edifício Santa Helena fuzilaram a milícia integralista que, desarmada, vestia pela primeira vez a camisa verde, com a morte de dois operários. Sobre esses homicídios nem sequer foi instaurado inquérito policial”, disse o jurista Miguel Reale, membro integralista.

Aparecida: A ideologia poderá estar de volta?

Bytes: O integralismo tinha várias vertentes, como a dos que viam uma conspiração judaica que ia dos bancos à implantação do comunismo no Brasil para acabar com a família e a raiz cristã do País. Na década de 60 teria a reedição no conflito da Maria Antonia, em São Paulo. O colega gaiato tentou reproduzir hoje. Num quadrinho pôs a Luciana Genro atrás de um tanque e dizendo: “No meu filho vocês não põem a farda!” Já o Levy Fidelix responde: “Leprosa moral”, em alusão à revolução do comunista Sálvio Dino, de 82 anos, sobre como era visto há meio século no Maranhão por ser marxista. Hoje o filho, governador eleito do Maranhão, lhe diz: "Nós vencemos, pai. Os comunistas venceram".

Aparecida: Por falar de meio século, o que você achou do editorial do jornal “O Globo” sobre o general Mourão Filho?

Bytes: O militar foi um autêntico militante integralista que passou para a história como autor do Plano Cohen, um falso dossiê sobre uma revolução comunista no Brasil nos anos 30 que levaram Getúlio Vargas a cancelar as eleições diretas e instalar o Estado Novo, tornando-se ditador. E também por ter desencadeado a “Operação Popeye” que levou as tropas de Minas Gerais a derrubar o presidente João Goulart. Sobre a visão do Roberto Marinho, os “socialistas de direita” tanto elevam quanto derrubam os seus ídolos. Foi assim com Armando Falcão, Antonio Carlos Magalhães e José Sarney, figurinha fácil nos banquetes oferecidos por Dr. Roberto em sua mansão no Cosme Velho.

Aparecida: Ah, entendi! Revelou Isaías, “profeta de Israel”, a respeito do cordeiro: “Quem deu crédito à nossa pregação? E a quem se manifestou o braço do Senhor? Porque foi subindo como renovo perante ele, e como raiz de uma terra seca; não tinha beleza nem formosura e, olhando nós para ele, não havia boa aparência nele, para que o desejássemos. Era desprezado, e o mais rejeitado entre os homens, homem de dores, e experimentado nos trabalhos; e, como um de quem os homens escondiam o rosto, era desprezado, e não fizemos dele caso algum. Verdadeiramente ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus, e oprimido. Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados. Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo seu caminho; mas o Senhor fez cair sobre ele a iniquidade de nós todos. Ele foi oprimido e afligido, mas não abriu a sua boca; como um cordeiro foi levado ao matadouro, e como a ovelha muda perante os seus tosquiadores, assim ele não abriu a sua boca”.

Tico: Hoje é Dia de Nossa Senhora do Rosário. A data foi instituída pelo papa Pio V após os cristãos vencerem os turcos otomanos na Batalha do Lepanto no oeste europeu. No mesmo dia da vitória, reunidos na praça de São Pedro, em Roma, fiéis católicos tinham realizado a procissão do rosário quando pediram a Nossa Senhora intervenção divina a fim de que fosse preservada a tradição cristã na Europa. Naquele tempo Pio V reuniu uma esquadra das marinhas da República de Veneza, Reino de Espanha, Cavaleiros de Malta e dos Estados Papais, denominadas Liga Santa, sob o comando de João da Áustria, para derrotar as tropas muçulmanas. A vitória cristã inibiu a expansão do Império Otomano sobre nações do Velho Continente. A Batalha do Lepanto, em referência ao largo do Lepanto, na Grécia, havia começado um ano antes, em 1570, quando os turcos otomanos invadiram a ilha de Chipre, então posse da República de Veneza. Os venezianos, enfraquecidos por anos de luta contra os turcos, pediram ajuda ao papa já que o Chipre era estratégico para o domínio do Mediterrâneo.

Teco: No dia de hoje nasceu, há 62 anos, o presidente da Rússia, Vladimir Putin. Nascido em Leningrado, cidade renomeada para São Petersburgo após o fim da União Soviética, ele foi agente da KGB, a polícia secreta soviética, onde atuou na área de departamento exterior. Viveu parte de sua vida na Alemanha Oriental, local do nascimento de sua segunda filha Yekaterina, na cidade de Dresden. A vida política começou após ser nomeado primeiro-ministro pelo presidente russo Boris Yeltsin em 1999. No ano seguinte se elegeu presidente do país após a licença médica pedida pelo seu antecessor. Em oito anos no poder, Putin aumentou em 72% o PIB russo. Ele consolidou a liderança junto à população que viu elevar o seu padrão de vida após a crise econômica nos anos 90. Os salários mais que triplicaram, enquanto o desemprego e a pobreza caíram pela metade. Os simpatizantes lembram as conquistas econômicas, os opositores criticam a restrição à liberdade de expressão desde a sua chegada ao poder.  “Estamos vendo um desprezo cada vez maior pelos princípios básicos do Direito internacional. Mais do que isso, normas independentes estão, na verdade, quase se tornando todo o sistema legal de um Estado único — antes de tudo, claro, dos Estados Unidos — que ultrapassou suas fronteiras nacionais em todas as esferas: na econômica, na política e na humanitária — e as impõe a outras nações. Enfim, quem aprecia isso? A quem isso agrada?”, disse Putin, em suas declarações contra as políticas estadunidenses.

Tico: No dia de hoje morreu, há 218 anos, o filósofo britânico Thomas Reid. Nascido na Escócia, ele estudou teologia no Marischal College da Universidade de Aberdeen até ser sagrado clérigo presbiteriano. As suas duas obras mais importantes foram “Investigações sobre a mente humana” e os “Poderes intelectuais do homem”. Ele foi um entusiasta das revoluções científicas do século XVIII e procurou interpretar a natureza humana com críticas aos colegas de seu tempo, como o escocês David Hume. A sua investigação passa pela percepção humana através dos cinco sentidos para fazer correlações com o cognitivo e tentar compreender o comportamento do ser.  Para Reid, era necessária uma revisão em torno das questões que envolviam a epistemologia de seu tempo para justificar o conhecimento e a formação das crenças epistêmicas. As suas inquietações e buscas filosóficas estão ligadas ao entendimento da percepção, o que gera hoje interesse pelo mundo contemporâneo. Escreveu: “Se, então, prestarmos atenção ao ato de nossa mente que chamamos de percepção dos sentidos de um objeto externo, descobriremos nesse ato três coisas: primeiro, alguma concepção ou noção do objeto percebido. Segundo, uma convicção forte e irresistível de sua existência presente. E, terceiro, que esta convicção e crença são imediatas e não o resultado de um raciocínio”.

Teco: No dia de hoje nascia, há 114 anos, o nazista Heinrich Himmler. Um dos principais líderes do Partido Nacional-Socialista dos Trabalhadores Alemães, mais conhecido como Partido Nazista, Himmler foi um dos homens mais poderosos da Alemanha de Hitler e um dos principais responsáveis pelo holocausto. Na SS, a milícia nazista, ele foi o comandante e construiu os campos de extermínio para chegar a estratégia nazista da “Solução Final”: o extermínio das raças inferiores. Ao perceber que a Alemanha hitlerista perdia a Segunda Guerra Mundial, tentou negociar com os Aliados à revelia do fuhrer. Ao saber disto, Hitler destituiu-o de todas as suas funções em abril de 1945, e ordenou a sua prisão. Himmler tentou esconder-se, mas foi detido e depois preso pelas forças britânicas, assim que a sua identidade foi descoberta. Enquanto se encontrava detido, suicidou-se no dia 23 de maio de 1945. A sua história foi contada em vários documentos como o da cineasta israelense Vanessa Lapa intitulado “O cidadão Himmler”, exibido no Festival do Rio 2014. A obra é baseada nas centenas de cartas, documentos, fotos e fotografias encontradas na casa dos Himmler no Lago Tegernsee quando foi ocupada por soldados da 88a Divisão de Infantaria estadunidense. A cineasta israelense tenta explicar o que levou um nacionalista de classe média a ser responsável pela execução de milhões de judeus, comunistas e ciganos.

Bytes: Por falar em Festival do Rio 2014, eu assisti no sábado ao filme “O cordeiro”, obra-prima de Kutlug Ataman. Ele conta a história de um menino, Mert, que mora nas montanhas da Anatólia onde a tradição islâmica exige que a circuncisão dos meninos seja celebrada com uma grande festa. O problema é que o pai, Ismael, Ismail em árabe, não tem dinheiro para abater um cordeiro a fim de seja servido à comunidade como banquete. A mãe se envergonha de não propiciar a festa aos vizinhos como uma boa islâmica obediente à lei instituída por Ibrahim, mas também para encontrar sentido na vida ao se defrontar com a insipiente rotina de mulher submissa e sem posses. O roteiro não seria instigante se a enciumada irmã do menino, menina revoltada com o tempo árido de sua existência, não incutisse na imaginação do pequeno Mert de que o pai o levaria ao holocausto para ele ser servido como jantar aos convidados em substituição ao cordeiro. A partir deste argumento, o cineasta turco, que mora em Londres, dá a sua visão sobre o “pecado” a que o filho de Ismael estaria livre ao extrair o prepúcio numa discussão genial sobre lei, tempo e caridade. Cada palavra dita pelos atores transforma a ideia em realidade. Palmas!

Aparecida: O filme não foi muito balado. O brasileiro tem bom coração?

Bytes: “O cordeiro” não teve críticas do bonequinho e nem trailer. Mas foi selecionado também pelo Festival de Berlim. A importância dos festivais é que eles abrem portas para que distribuidores vejam a potencialidade de cada trabalho. O filme de Ataman teve legendas improvisadas por não ser uma aposta. É como eu disse para a Chiara: “Enquanto eu assisto no sábado esta obra-prima, outros estão esperando notícias sobre as pesquisas eleitorais, outros celebram a Festa do Sacrifício, outros levam os seus animais de estimação para receberem a benção de São Francisco (acima). Mas para o autor os festivais são chances de divulgação independente para que possam sobreviver à competividade de Hollywood. Viva a liberdade!”.

Aparecida: E como pensa o governo dos Estados Unidos?

Bytes: Deu no jornal “O Globo” de 6 de outubro de 1964, cuja manchete foi “As Fôrças Armadas agirão após o dia 9 contra os que tentarem subverter a ordem”: “Falando ontem, no Ministério da Guerra, o titular da pasta, General Costa e Silva, declarou que espera não haja agitação no País, depois do dia 9, que é quando cessa a vigência de um dos artigos do Ato Institucional, que suspendeu determinadas garantias constitucionais. Advertiu, porém, o Ministro da Guerra que ´saberá reprimir qualquer tentativa de perturbação da ordem, com a violência que se fizer necessária´”. E mais: “O Govêrno divulgará nas próximas horas a grande lista de punidos pelo Ato. A relação, que contém mais um milhar de nomes de funcionários punidos com base no Art. 7º do Ato Institucional será dada à publicidade através da Secretaria de Imprensa da Presidência da República. As sanções, em sua totalidade, concluem pela exoneração, aposentadoria ou disponibilidade e alcançam servidores de diversos Estados. Esta lista não será a última, porquanto a Comissão Geral de Investigações continuará trabalhando até o último minuto de vigência do Ato. Apesar do sigilo que se faz em tôrno das investigações, O GLOBO apurou que o Ex-Ministro Abelardo Jurema está sèriamente implicado no IPM do Ministério da Justiça. Ontem, o Presidente da República assinou decretos aposentando e demitindo funcionários do Ministério da Viação, na Guanabara e em outros Estados”.  E mais: “A UDN pode antecipar sua convenção para reagir à Reforma Agrária do Govêrno. Os dirigentes da UDN, que se opõem aos anteprojetos de reforma agrária elaborados pelo Govêrno, examinam a hipótese de convocar, imediatamente, a Convenção Nacional Extraordinária, como instrumento de mobilização, na luta contra o propósito reformista do Presidente Castelo Branco. Na convenção, lançariam a candidatura do Governador da Guanabara que passaria a desfraldar a bandeira do anti-reformismo”.

Aparecida: Deu no jornal “O Globo” de 6 de outubro de 2014, 50 anos depois: “Eleições 2014. Aécio enfrentará Dilma; Marina sinaliza apoio ao tucano. Senador surpreende e chega a 33,6% do votos. Presidente teve 41,6% menos que em 2010. Campanha recomeça hoje com busca de alianças”. E mais: “Rio terá Pezão e Crivella; Garotinho fica de fora. Candidato do PRB supera o ex-governador por apenas 43 mil votos, ou 0,5% do total. Para o Senado, Romário derrota César Maia”. E mais: “Em 13 estados, governadores já foram eleitos; quatro são do PMDB. Alckmin vence, e PSDB completará 24 anos no poder em SP. Pimentel (PT) é eleito e impõe derrota a Aécio em Minas. Sartori (PMDB) vira e chega na frente de Tarso (PT) no RS. Serra tira Suplicy do Senado; Álvaro Dias é campeão do votos; Bolsonaro e Freixo são os mais votados para deputado no Rio”.

Bytes: O jornal “O Globo” publicou o artigo do jornalista Joaquim Ferreira dos Santos intitulado “Autodelação premiada”: “Antes que a polícia invada meu sacrossanto lar, eu reivindico o direito da delação premiada e faço de público a relação de bens que possuo e não são mais apropriados para a vivência num mundo politicamente correto como o que ora se apresenta. Não quero delatar ninguém. São todos inocentes. Parabéns pela honradez. O culpado sou eu mesmo. Semana passada as autoridades americanas retiraram do ar episódios de Tom e Jerry por verem neles elementos de violência racista. Depois foi a vez de as britânicas apagarem de um muro, pelo mesmo motivo, um grafite de milhares de libras assinado por Banksy. Eu sou dessa estirpe lamentável. Também tenho entre meus pertences, e me delato em busca de uma pena menor, objetos que foram muito queridos, mas, agora percebo, não são mais compatíveis com a sociedade igualitária e unida contra o preconceito em que vivemos. Aqui está minha coleção de gibis do Zé do Boné, o bêbado que maltratava a esposa. Incinerem-na”.

Aparecida: Por falar em autodelação, o que você achou do resultado da eleição?

Bytes: São os dois projetos em discussão no país. Vamos de dois mineiros, nascidos em Belo Horizonte. Que vença o melhor.

Aparecida: O que você achou do ministro Aloísio Mercadante ter pedido licença para entrar na campanha da Dilma a fim de combater o Armínio Fraga, ministro da Fazenda se der Aécio?

Bytes: Ele sai forte candidato a ministro da Fazenda da Dilma caso ela seja reeleita.

Aparecida: O que foi de positivo na eleição?

Bytes: Ao compararmos com a ditadura militar, a eleição é uma ode à “festa da democracia”. Não há perigo que haja um atentado, matando gente inocente, simplesmente porque o regime não queria no poder qualquer governante escolhido pelo povo. Assim foi há meio século como foi revelado à Comissão Nacional da Verdade pelo ex-coronel do Exército Paulo Rubens Pereira Diniz. “Estive em Goiânia, ficamos hospedados no hospital Rassi. Eu era tenente, mas minha especialidade era tiro de arma curva, cálculo de tiro. A missão que nós tivemos era destruir as três pontes do Rio Meia Ponte. Tiro foi regulado para ali, mas haviam mais de 10 mil na praça”, relatou o ex-coronel, na época tenente, que admitiu que teria bombardeado a praça em Goiânia.porque o governador de Goiás Mauro Borges não queria renunciar. Uma doença que se tornou um câncer na ditadura.

Aparecida: Por falar doença, o que você acha do ebola? Um liberiano no Texas pode ter contaminado pelo menos dezenas de pessoas.

Bytes: Obama descartou uma epidemia no país. A comunidade africana no Texas é que está preocupada com a discriminação. O estado já não é muito afeito à imigração. Recentemente, grupos de direitos humanos acusaram guardas de um grande centro de detenção que abriga centenas de mulheres e crianças da América Central de assediar as detentas e de abusar sexualmente delas. Elas são acusadas de cruzarem a fronteira ilegalmente.

Aparecida: Por falar em imigrantes, o papa Francisco posou recentemente com um grupo que foi salvo de um naufrágio na Itália. Até o dia 19 de outubro o bispo de Roma está reunido com 253 prelados, entre eles 191 bispos de todos os continentes, para discutir a família contemporânea. No encontro, Francisco disse aos sacerdotes que falem claro e sem rodeios sobre as mudanças vividas pela família católica. "Alguns cardeais não se atreveram a dizer coisas por respeito ao Papa... Isso não está certo", afirmou Francisco, que quer uma Igreja mais democrática, em contato com suas bases. O papa aceitará o casamento gay? Aceitará a comunhão dos divorciados?

Bytes: Os temas são complexos na Igreja como são na política porque envolve a percepção humana sobre a natureza humana. No domingo, milhares de franceses foram às ruas de Paris e Bordeaux para condenar a visão de família do governo socialista e defender a “tradicional”. "A desconstrução em curso da política familiar é desastrosa, essa desconstrução está se acelerando", criticou a presidente do grupo "Manifestação para todos”, Ludovine de la Rochère, que organizou os atos. O papa anunciou que visitará Paris e Lourdes no próximo ano. Antes, irá à Turquia a convite das autoridades de Ancara, segundo informou a Santa Sé.

Aparecida: Na Estônia uma pesquisa realizada pelo centro sociológico TNS Emor mostrou que mais da metade dos moradores da Estônia não querem que o Estado reconheça oficialmente as famílias do mesmo sexo. A pesquisa revelou que 55% dos estonianos acreditam que a homossexualidade é imoral; 73% estão convencidos de que os casais homossexuais não deverão ter o direito de adotar crianças; 66% dos entrevistados se opõem a que a escola ensine temas sobre relacionamentos homossexuais às crianças. O candidato Levy Fidelix crescerá nas pesquisas por ter criado a polêmica?

Bytes: Quando era candidato, Enéas Carneiro, aquele do “Meu nome é Enéas” em 30 segundos, fundador do Partido da Reedificação da Ordem Nacional, também criou polêmica no programa “Roda Viva” ao responder se discriminaria os gays em seu governo. Mas o vídeo mais interessante é o que Enéas ataca a Oligarquia Financeira Internacional em inglês macarrônico e intitulado "New Bretton Woods". Se não olharmos o que tem a palavra, parece que você está ouvindo um discurso de Hitler aos nacional-socialistas. O texto, com legendas em português, pode ser acessado no próprio YouTube. Eneas foi um rio que passou pelo Brasil. Mas a dialética entre os socialistas se acirrará como um “desejo” de rasgar a “carne” do oponente até sair a última gota de “sangue”. Para os capitalistas, meia palavra basta.

Aparecida: Ah, entendi! Está escrito na “Boa Notícia” sobre o julgamento do Santo de Israel, preterido pelo guerrilheiro, Jesus Barrabás, que roubou armas para lutar contra o domínio do Império Romano: “Pilatos, pois, tomou então a Jesus, e o açoitou. E os soldados, tecendo uma coroa de espinhos, lhe puseram sobre a cabeça, e lhe vestiram roupa de púrpura. E diziam: Salve, Rei dos Judeus. E disse-lhes Pilatos: Eis aqui o homem. Vendo-o, pois, os principais dos sacerdotes e os servos, clamaram, dizendo: Crucifica-o, crucifica-o. Disse-lhes Pilatos: Tomai-o vós, e crucificai-o; porque eu não acho crime nele. Responderam-lhe os judeus: Nós temos uma lei e, segundo a nossa lei, deve morrer, porque se fez Filho de Deus. E Pilatos, quando ouviu esta palavra, mais atemorizado ficou. E tornou a ir ter com os judeus, e disse-lhes: Não acho nele crime algum. Mas vós tendes por costume que eu vos solte alguém pela páscoa. Quereis, pois, que vos solte o Rei dos Judeus? Então todos tornaram a clamar, dizendo: Este não, mas Barrabás. E Barrabás era um salteador”.

 

A NOSSA SENHORA DO ROSÁRIO

Rio de Janeiro, 7 de outubro de 2014

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  

  

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Exibições: 494

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2020   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço