O Legado de Paulo Moura digitalizado em Sites

 

 

No imenso acervo de Paulo Moura (aproximadamente 11 mil itens) há partituras com lembretes por escrito e também recortes de jornal que viravam pauta para alguma frase musical. Tudo isso ficou, por muito tempo, disposto em sua casa, em uma lógica que só ele podia compreender.

 

 

 

 

 

Halina Grynberg, sua mulher por quase 30 anos, resume como lidava com a situação, dando risada:

 

- Tentei algumas vezes dar ordem àquele caos criativo, mas sempre na presença dele. Porque se fosse sem ele por perto dava mesmo era em divórcio.

 

 

 

 

 

 

A excelente notícia é que o legado de Paulo Moura acaba de ganhar um Acervo/Instituto digitalizado.

 

 

 

 

Na clarineta ou no saxofone, como quem respira, Paulo Moura fez música durante seis décadas. A cada dia inspirava-se em partituras e escritos de arranjadores populares e compositores eruditos e contemporâneos ou no pio de um pássaro. Refletia padrões estéticos e estruturas harmônicas, ponderava improvisos e técnicas de interpretação. Pesquisava o som como um menino. E a disciplina rigorosa de um devoto, um criador humilde diante de seu dom, na busca por excelência em sua arte. A música o chamava, dizia.

 

 

 

Nos links abaixo você encontra seu trajeto profissional e íntimo, o caminho que o levou do interior de São Paulo aos palcos premiados do mundo. Desde pequenos vestígios arranhados em anotações de estudos e textos, até as partituras autorais populares e eruditas para pequenos grupos instrumentais ou grandes grupos sinfônicos, parte de seu vasto repertório.

 

 

 

Reflexos de um zelo constante pela transcriação e incorporação de referências da música afro e brasileira, europeia e americana, reunindo estas vozes múltiplas para fundi-las num processo criativo exuberante. Arranjos e improvisos. Gafieira, samba, choro, bossa nova, jazz e clássicos. Uma arquitetura musical polifônica. Colhemos todos os fragmentos, cada esboço do que foi seu gesto criativo, para que você, quando navegue por esta imensidão fecunda, se deixe embalar por uma vaga de descobertas.

 

 

Agora, é a música de Paulo Moura que nos chama”.

 

 

Instituto Paulo Moura

 

 

Instituto Tom Jobim - Acervo Paulo Moura

 

 

 

 

Para comemorar o lançamento dos acervos digitais selecionei alguns vídeos.

 

 

 

 

Chorinho de gafieira” (Astor Silva) # Paulo Moura / Zé da Velha / Silvério Pontes e outros. (cenas do filme “Brasileirinho, de Mika Kaurismäki.

 

 

 

 

 

 

 

 

Chorando baixinho” (Abel Ferreira) e “Um chorinho em aldeia” (Severino Araújo) # Paulo Moura e Raphael Rabello.

 

 

 

 

 

 

 

 

Ingênuo” (Pixinguinha/Paulo César Pinheiro) / “Lamentos” (Pixinguinha/ Vinicius de Moraes) / “Carinhoso” (Pixinguinha/ João de Barro) # Paulo Moura e os Batutas.

 

 

 

 

 

 

 

 

Filmado no Morro da Mangueira, Rio de Janeiro. O saxofonista, clarinetista, maestro e arranjador Paulo Moura conta fatos da sua vida e apresenta algumas músicas.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

************

Fontes:

- Jornal O Globo (Cultura).

- Sites do Instituto Paulo Moura e Tom Jobim.

- Site YouTube (vídeos).

 

************

Exibições: 114

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço