"O LOBO ATRÁS DA PORTA". A CHAVE DA TRAMA É A REVELAÇÃO SOBRE A DRAMÁTICA OBSESSÃO

Os capitalistas Tico e Teco voltaram a conversar sobre o mundo contemporâneo, acompanhados pela diarista Aparecida e pela filha Bytes, no dia 12 de junho de 2014, na abertura da Copa do Mundo no Brasil.

Tico: No dia de hoje o Irã enviou membros da Guarda Revolucionária para ajudar ao Exército iraquiano a retomar cidades perdidas para o Estado Islâmico do Iraque e da Síria, informaram fontes de segurança em Teerã. Com a ajuda dos iranianos, o Iraque teria retomado o controle de boa parte de Tikrit, perdida na véspera para os jihadistas. A informação veio horas depois de o presidente iraniano, Hasan Rouhani, afirmar que seu país lutaria contra a violência e o terrorismo dos jihadistas sunitas. Durante a madrugada, o secretário-geral Ban Ki-moon fez um apelo à comunidade internacional para que se una a favor de uma solução para o país. Ele condenou com veemência o recrudescimento da violência praticado por grupos terroristas, como Estado Islâmico no Iraque e o Levante, que já controlam as cidades de Mossul, Tuz, Khurmatu, Baiji e Tikrit. A ocupação de Mossul, cidade iraquiana mais importante economicamente devido às reservas petrolífera, começou anteontem, chegou a Nínive e os guerrilheiros caminham para chegar a Bagdá. O preço do petróleo disparou ontem chegando a ser cotado a quase US$ 110 na praça financeira de Londres, referência do mercado. Hoje a Bolsa de Valores de Nova York caiu. O jornal estadunidense “The Wall Street Journal” publicou uma reportagem em que afirma, baseado em fontes do setor, que as autoridades iraquianas já aceitam um bombardeio dos Estados Unidos ao país como forma de conter o avanço das milícias. Fontes militares disseram também que Washington pretende enviar ajuda emergencial de armas e equipamentos militares ao Iraque, como mísseis Hellfire, drones, além de helicópteros de ataque Apache. Não está previsto o envio de militares estadunidenses, mas a CIA já vem atuando no país. Hoje unidades militarizadas curdas estabeleceram o seu controle sobre a cidade de Kirkuk. Segundo o representante oficial do grupo, Jabbar Yawar, a ocupação foi após as forças governamentais deixarem sem defesa a cidade que enfrentava o perigo de invasão por parte das milícias armadas. Na véspera, os partidos políticos curdos deixaram suas sedes em Mossul, enquanto o governo da região autônoma do Curdistão iraquiano prometia ajuda. A instabilidade política levou o consulado turco a ser tomado pelos grupos insurgentes. Ontem a Turquia ameaçou retaliar se qualquer um dos seus 80 cidadãos mantidos como reféns, incluindo soldados das forças especiais, diplomatas e crianças, estiver em perigo. “Que fique bem claro. Qualquer dano a nossos cidadãos e equipe desencadearia a mais severa retaliação”, disse o chefe da diplomacia turca, Ahmet Davutoglu, após sair de encontros na ONU, em Nova York. O primeiro-ministro turco, Recep Tayyip Erdogan, conversou com o presidente Abdullah Gul, o chefe de inteligência e o chefe de Gabinete e ainda com o vice-presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, sobre os desdobramentos. Embaixadores dos países que fazem parte da Otan fizeram uma reunião de emergência em Bruxelas a pedido da Turquia. Hoje Ancara disse que negocia com os sequestradores.

Teco: No dia de hoje rebeldes de várias brigadas islâmicas tomaram o controle da cidade de Um Sharshuh, na província de Homs, região central da Síria. O confronto com o Exército resultou em 18 mortos, a maioria insurgente, sendo dois sauditas. Os rebeldes são membros da Frente al Nusra, grupo ligado à Al Qaeda na Síria que, na véspera, explodiu um carro-bomba ao norte de Homs, mas sem causar vítimas. Ontem, o representante do Exército Livre da Síria, Abdel Ilah al-Bashir, disse à agência de notícias estadunidense Reuters que o fornecimentos de armas dos Estados Unidos a vários grupos de oposição na Síria irão causar o reforço das posições de alguns comandantes e a redistribuição de zonas de influência no campo da oposição. Ele expressou forte insatisfação por Washington estar enviando armas aos rebeldes da Síria, mas evitando os dirigentes do ELS. Oficialmente, a Casa Branca diz que está armando a “oposição moderada”, opinião que é contestada por alguns analistas estrangeiros. Na segunda-feira, o presidente da Síria, Bashar al-Assad,  decretou uma "anistia geral" uma semana após sua reeleição, contestada pelas potências ocidentais por ter sido realizada em ambiente de guerra civil. Em entrevista ao jornal libanês “Al Ajbar”, Assad declarou que os países ocidentais, que apoiam a rebelião na Síria, começam a mudar sua postura ao tomar consciência do perigo que representam os grupos jihadistas em seus países. "Os Estados Unidos e o Ocidente começam a enviar sinais de mudança. O terrorismo se encontra agora em seus territórios", afirmou. "Teve um estadunidense que se imolou no território sírio e um francês de origem magrebina que matou judeus em Bruxelas", acrescentou. No mesmo jornal libanês, de posição mais próxima à da Síria, Assad declarou o seu apoio ao general libanês cristão Michel Aoun como presidente do Líbano. Segundo o mandatário sírio, Aoun é a pessoa adequada para ser o chefe de Estado do país vizinho, pois é “um homem honesto, não confessional, patriota e que crê na Resistência”, numa referência à luta do Hezbollah. Assad sublinhou que o general "manteve-se fiel à sua postura” diante o regime sírio, "apesar de todas as tempestades e tentações". "Nós felicitaríamos a eleição de Aoun como presidente, já que beneficiaria o Líbano e as relações fraternais entre ambos os Estados”, acrescentou. Na segunda-feira, o Parlamento libanês fracassou na sexta tentativa de eleger o presidente do país. A sessão foi suspensa pelo chefe da Assembleia, Nabih Berri, por falta de quórum, que remarcou a nova data da eleição para a próxima quarta-feira, dia 18 de junho. 

Bytes: No dia de hoje os turcos reelegeram para um terceiro mandato o primeiro-ministro Recep Tayyip Erdogan com 50% dos votos, 3% a mais do que na eleição anterior. O trunfo do chefe de Governo foi manter um crescimento anual do país na ordem de quase 5% desde que assumiu o poder. O desemprego também caiu no período. A promessa de campanha foi centrada na priorização do investimento no setor de infraestrutura, principalmente em novas pontes, aeroportos e hospitais, além de um canal entre o mar Negro e o Egeu. “Esta é uma vitória de toda a Turquia, e de todo o mundo. De Damasco a Beirute, do Cairo à Tunísia, da Bósnia ao Cáucaso”, disse Erdogan no discurso da vitória. “Um em cada dois eleitores votaram em nós. Estou consciente da responsabilidade e serei ainda mais cuidadoso e sensível”, acrescentou. Atualmente ele enfrenta enormes protestos no país por parte da oposição que o acusa de tentar reerguer o Império Otomano como um Estado islâmico. A Turquia é integrante da Otan, a aliança militar ocidental liderada pelos Estados Unidos, e postula uma vaga na União Europeia. O terceiro mandato conquistado por Erdogan aconteceu há 3 anos.

Aparecida: Como a Turquia está vendo a instabilidade no Médio Oriente?

Bytes: Na última segunda-feira o presidente turco, Abdullah Gül se reuniu com o colega iraniano, Hasan Rohani, para discutir a crise no Médio Oriente. "Ambos desejamos acabar com o sofrimento na região. Estamos determinados a conseguir isso", declarou Gül durante uma coletiva de imprensa conjunta com Rohani. "Irã e Turquia, os dois países mais importantes da região, estão determinados a combater o extremismo e o terrorismo", acrescentou o presidente iraniano. "A instabilidade que existe na região não ajuda ninguém, nem a região nem o mundo", acrescentou. Para Rohani, Síria e Egito devem ser dois países a se beneficiarem da “estabilidade” e da “segurança”. Segundo ele, o voto dos sírios e egípcios deve ser respeitado, a fim de que se “ponha fim à guerra e à matança entre irmãos".

Aparecida: O que você achou do apoio de Bashar al-Assad a um general libanês?

Bytes: O Parlamento israelense foi mais rápido. Elegeu no segundo escrutínio Reuben Rivlin que sempre se mostrou favorável à “Grande Israel”, ou seja um país que reúna a Cisjordânia como território e Jerusalém, “una e indivisível”. Quanto a Assad, deve gerar disputas na Síria sobre os que acham que há “imperialismo” na região exercido por Israel e Estados Unidos, sendo o mandatário sírio um “libertador” e o que grupo contrário. Com a Guerra do Líbano de 2006, quando os corpos dos libaneses aparentavam ter sido vítimas de armas químicas, a posição entre os dois grupos vêm se estreitando para a alegria do Hezbollah.

 Aparecida: A paz está cada vez mais longe no Médio Oriente? No último domingo, o papa reuniu nos jardins do Vaticano, em Roma, os presidentes Shimon Peres, de Israel, e Mahmoud Abbas, da Palestina. Junto com o patriarca de Constantinopla, Bartolomeu, a tetra ajudou a plantar uma oliveira, símbolo da prosperidade para as três religiões monoteístas (acima). Francisco exortou os líderes da disputa histórica a promover a paz porque é mais fácil fazer a guerra.

Bytes: O judeu Peres, Prêmio Nobel da Paz, está deixando o cargo. O encontro serviu como vitrine. Já o muçulmano Abbas demonstrou o seu descontentamento com a demora no reconhecimento do Estado palestino. Quanto ao cristão Francisco, lembrou diplomaticamente o Evangelho. Para os capitalistas, meia palavra basta.

Aparecida: O que une os líderes dos dois territórios em conflito?

Bytes: Jerusalém como “local santo”. Para os capitalistas, meia palavra basta.

Aparecida: O que você destacaria na oração de Abbas feita próxima à cúpula de São Pedro?

Bytes: Ele disse: “Ó Deus, nós te louvamos sempre por ter feito de Jerusalém a nossa porta para o céu. Como diz o Alcorão Sagrado, ´Glória a Ele que fez com que Seu servo viajasse de noite do lugar sagrado da adoração ao mais alto lugar de adoração, cujas redondezas nós abençoamos´. Tu tornaste a peregrinação e a oração neste lugar os melhores atos que os fiéis podem cumprir em sua honra, e expressaste a tua promessa fiel com as palavras: ´Entre no Masjid como fizeram pela primeira vez´. O Deus Onipotente disse a verdade. Ó, Deus do Céu e da Terra, acolhe a minha oração para a realização da verdade, da paz e da justiça em minha pátria, a Palestina, na região, e no mundo inteiro”.

Aparecida: E na oração de Shimon Peres?

Bytes: Disse o Prêmio Nobel da Paz 1996: “Vim da Cidade Santa de Jerusalém para agradecer-lhes por este vosso convite excepcional. A Cidade Santa de Jerusalém é o coração pulsante do povo judaico. Em hebraico, a nossa língua antiga, a palavra Jerusalém e a palavra “paz” têm a mesma raiz. E, de fato, paz é a visão própria de Jerusalém. Como se lê no Livro dos Salmos (122, 6-9): “Pedi a paz para Jerusalém. Que tuas tendas repousem. Haja paz em teus muros. E repouso em teus palácios. Por meus irmãos e meus amigos. Eu desejo: “A paz esteja contigo”. Pela casa do Senhor nosso Deus, eu peço: “Felicidade para ti!””.

Aparecida: E na oração de Francisco?

Bytes: “A história ensina-nos que as nossas meras forças não bastam. Já mais de uma vez estivemos perto da paz, mas o maligno, com diversos meios, conseguiu impedi-la. Por isso estamos aqui, porque sabemos e acreditamos que necessitamos da ajuda de Deus. Não renunciamos às nossas responsabilidades, mas invocamos a Deus como ato de suprema responsabilidade perante as nossas consciências e diante dos nossos povos. Ouvimos uma chamada e devemos responder: a chamada a romper a espiral do ódio e da violência, a rompê-la com uma única palavra: ´irmão´. Mas, para dizer esta palavra, devemos todos levantar os olhos ao Céu e reconhecer-nos filhos de um único Pai. A Ele, no Espírito de Jesus Cristo, me dirijo, pedindo a intercessão da Virgem Maria, filha da Terra Santa e Mãe nossa:  Senhor Deus de Paz, escutai a nossa súplica!”

Aparecida: Por falar em súplica, os cristãos iraquianos em Mossul, que já sofriam perseguição no país, serão crucificados assim como os jihadistas radicais estão fazendo na Síria?

Bytes: O que sabemos é que no último relato sobre a dramática obsessão dos rebeldes sírios, o papa chorou.

Aparecida: Por falar em Síria, especialistas ouvidos pelo jornal “O Globo” afirmaram que a crise no Médio Oriente favorece a Assad porque reforma o medo do islamismo radical que ganhou força na Al Qaeda de um califado sunita na região. “A expansão fortalece o governo sírio, principalmente porque faz com que Assad consiga reafirmar o discurso de que ele e seu governo são a melhor alternativa para manter grupos jihadistas fora do poder”. O que você acha?

Bytes: O que sabemos é que o presidente iraniano, Hasan Rouhani, afirmou hoje que Teerã lutará contra a violência e o terrorismo dos rebeldes jihadistas sunitas no Iraque. “Os rebeldes se consideram muçulmanos e chamam sua luta de guerra santa”, afirmou Rouhani, em discurso pela televisão onde denunciou “atos selvagens” contra a população perpetrados por “um grupo de extremistas e terroristas”. “Por nossa parte, o governo lutará contra a violência, o extremismo e o terrorismo na região e no mundo”, acrescentou.

Aparecida: Por falar em luta contra o terror, o primeiro-ministro do Iraque, Nouri al-Maliki, anunciou estado de emergência. "Eu anuncio uma mobilização geral de todos os poderes - político, financeiro e popular - para acabar com o terrorismo e devolver a vida às áreas controladas pelos terroristas em Mossul e em qualquer outra cidade que eles estiverem presentes", disse, em anúncio oficial. Uma das medidas do governo iraquiano para tentar retomar a cidade será distribuir armamento para “cidadãos voluntários”. Ele exortou a comunidade internacional, em especial a ONU, a Liga Árabe e a União Europeia, a assumir suas responsabilidades, já que "todo o mundo sofrerá se o terrorismo se estender". O que você acha?

Bytes:  Na segunda-feira, a Rússia condenou os ataques terroristas sublinhando que as tentativas de perturbar os processos democráticos no Iraque devem receber uma resistência dura. "Estamos convencidos de que deve ser dada uma resistência dura às tentativas de jihadistas de desencadear confrontos e perturbar os processos democráticos no Iraque, onde, em 30 de abril, foram realizadas as eleições parlamentares. Expressamos solidariedade com as tentativas da liderança iraquiana de combater de forma decidida e intransigente o terrorismo e restaurar a ordem no país", afirmou um comunicado da Chancelaria russa.

Aparecida: Por falar em ordem, o presidente Barack Obama disse estar “frustrado” com a sociedade do seu país por conta de mais um tiroteio numa escola norte-americana. Desta vez, o caso ocorreu na Reynolds High School, em Oregon, que deixou um estudante morto, além do próprio atirador. "A minha grande frustração é que nessa sociedade não existe a vontade de tomar algumas medidas essenciais para ter as armas de fogo longe das pessoas erradas. Não estamos frente a um caso por semana, mas sim a uma história de todos os dias", declarou. O que você acha?

Bytes: O Bill, republicano e racista, disse que desde Obama assumiu o poder, tanto a política interna quanto externa foram afetadas com grande perigo da nação. “Essa esquerda estadunidense festejou a chegada de um  ´negro muçulmano´ na Casa Branca e o que sentimos agora? Insegurança. É caça caindo em residência, no mar, helicópteros invadindo o espaço aéreo do Capitólio, violência e morte. E a política externa? Deixou o Iraque vulnerável e fez acordo espúrio com os talibãs". 

Aparecida: A instabilidade política no Iraque chegará ao Afeganistão? As tropas estadunidenses deixarão o país da Ásia Central em 2016?

Bytes: O que sabemos é que os drones voltaram hoje à ação no Paquistão, apesar dos apelos das autoridades paquistanesas de que os aviões não tripulados dos Estados Unidos atingem a população civil.

Aparecida: E como pensa o governo dos Estados Unidos?

Bytes: Deu no jornal “O Globo” de 9 de junho de 1964, cuja manchete foi “Cassado o mandato de Juscelino Kubitscheck”: “Ás 19h20min de ontem, o Secretário de Imprensa da Presidência da República, Sr. José aos Vanberto, anunciou aos jornalistas haver o presidente Castelo Branco assinado o decreto que cassava o mandato do senador e suspendia por dez anos os direitos políticos do ex-presidente Juscelino Kubitscheck de Oliveira. O decreto foi assinado pelo marechal Castelo Branco no Palácio do Alvorado. O presidente da República, em seguida, pelo telefone, autorizou seu secretário de Imprensa a divulgar oficialmente o ato”. E mais: “Manifestações pró e contra Kubitscheck. Numerosos populares reuniram-se, na noite de ontem, na Avenida Vieira Souto, em frente à casa do Sr.  Kubitscheck, para aplaudi-lo, enquanto do outro lado, um grupo vaiava o ex-Senador, surgindo o conflito. Soldados da PM fizeram um cordão de isolamento para conter o público que reuniu centenas de pessoas. A manifestação popular, iniciada de tarde, atingiu maior vigor de noite, quando perto de mil manifestantes gritavam: ´JK`, ´Ele voltará´ e ´Juscelino, campeão de democracia´. Próceres políticos, parlamentares, amigos e correligionários, mantiveram-se em vigília, durante a madrugada, solidarizando-se com o ex-Senador”. E mais: “Do editorial ´Uma lição para o futuro´. O povo, que é por natureza pacífico e acreditava haver no processo político democrático solução para a crise brasileira, e as Forças Armadas, que sempre comungaram dos sentimentos populares e cuja devoção à legalidade era notória, só chegaram à Revolução após se convencerem de que a manutenção do Sr. João Goulart no Govêrno nos levaria ao caos e ao comunismo. Enquanto foi possível acreditar que o presidente deposto teria sensibilidade para com os anseios da população e se afastaria dos agitadores e vermelhos, não lhe faltaram estímulos, pois ninguém desejava a alteração da ordem constitucional, ninguém, era, em princípio, favorável a uma Revolução, cujas conseqüências seriam impossível de prever”.

Aparecida: Deu no jornal “O Globo” de 9 de junho de 2014, 50 anos depois: “Copa 2014. Militares já operam com a força máxima no Rio. Ao todo, 15 mil homens protegem estradas, aeroportos, hotéis e centros de treinamento. A 3 dias do torneio, esquema de segurança começará a ser sentido no trânsito hoje, quando a seleção da Inglaterra sair de São Conrado para treinar na Urca; em Brasília, Forças Armadas reuniram 3.500 soldados em ensaio geral”. E mais: “Caso Stuart Angel. Militante foi preso no Cisa, revela coronel. A Comissão Estadual da Verdade, o coronel Lúcio Valle Barroso, admitiu pela primeira vez o envolvimento do Centro de Informações de Segurança da Aeronáutica no caso. E disse que a captura teria ocorrido em operação conjunta de órgãos de repressão”. E mais: “Privilégio petrolífero. Alívio tributário para a Petrobras. Carga de impostos da estatal recuou em um ponto percentual de 2006 e 2013, aponta estudo de economista do Ibre-FGV. No período, a carga dos demais contribuintes subiu 3,6 pontos”

Bytes: O colunista Joaquim Ferreira dos Santos escreveu o texto “O país da ´falta tática”: “Meu caro Paulo Cezar Caju, seja bem-vindo ao time. Folgo te ver, craque do balão de couro, no árduo ofício de bater uma bolinha de palavras com os leitores do GLOBO, esses adoráveis boleiros do papel, da tela do computador ou de qualquer mídia que tenham inventado nas últimas 24 horas. Não temos preconceito de plataforma, meu bom Nariz de Ferro. Queremos jogo e textos, letras e passes, desde que tudo isso venha com estilo — e você, seja na vida real ou na sua profissão de mágico, você sabe bem como se mata no peito com estilo e se conjuga esta palavrinha de poucos sujeitos. (...) Viva o mundo novo, viva a camiseta que não pesa com o suor e até mesmo viva essa cafonérrima chuteira de cano alto, alegria dos jogadores que ainda não podem usar o salto alto. O que importa, e é o que me faz enviar de público essas mal traçadas linhas, o que importa mesmo é a derrota do gênio humano envolvido nesse espetáculo. Acho que tem Vale do Silício demais e Pau Grande de menos, meu caro Caju. Muito Steve Jobs e pouco Ademir da Guia — se é que me faço claro nessa mistura de informática e 4-2-4”.

Aparecida: O que você achou do editorial de O GLOBO “Uma lição para o futuro” escrito há “meio século?”

Bytes: Parece ter sido escrito hoje. Mas a pergunta continua a mesma: quem convenceu a opinião pública de que o presidente constitucional levaria o Brasil ao caos e ao comunismo. O que podemos responder hoje é que todas as acusações feitas pela direita em relação à esquerda, como censura à liberdade de expressão e retaliação aos adversários políticos, foram praticadas pela própria direita. Para os capitalistas, meia palavra basta.

Aparecida: Por falar em adversários políticos, o que você achou da polêmica em relação à decisão do presidente do STF de não acatar o pedido do advogado de colocar em pauta a reivindicação de um réu? A OAB divulgou nota dizendo que a ditadura militar não chegou a tal regime de exceção. Já o seu Carlos disse, exaltado: “O advogado do Genoíno não foi expulso, mas convidado a se retirar. O episódio deixou bem claro que `O Globo´ havia antecipado: o Joaquim Barbosa só deixou o cargo porque sofria ameaças dessa raça que dá corda a essa gente que quer libertar o guerrilheiro para impor uma ditadura do proletariado junto com a Venezuela sob apoio logístico de Cuba”. O que você acha?

Bytes: O que podemos afirmar é que no tempo da ditadura militar qualquer manifestação contrária ao que se devia pensar sobre o fato passava a ser perseguida pelos agentes da repressão. A OAB sabe o que nós estamos falando. Assim como afirmamos que o advogado não teria direito à defesa junto aos meios de comunicação ao afirmar que não estava bêbado, nem ameaçou o magistrado de morte. Mas como já reafirmamos em nosso conteúdo, a dialética socialista será muito mais violenta por causa da compressão tempo-espaço. Haverá o “desejo” de rasgar a “carne” do oponente até sair a última gota de “sangue”. Cabe apenas esperar a vitória do capitalismo, a “riqueza das nações”.

Aparecida: O que você achou de outro texto e de outro Joaquim, o Ferreira dos Santos?

Bytes: Muito inteligente e muito bem escrito. E nos faz refletir. Assim como o futebol arte do Brasil perdeu espaço de criatividade para a técnica europeia, deixando o temor sobre nossa superioridade tática, o País pode perder competitividade porque quer abandonar a sobrevivência original pela civilização europeia, não atingindo o seu gol. E ficará rodando atrás do próprio rabo com qualquer comandante. Até mesmo o todo poderoso Joaquim Barbosa. Para os capitalistas, meia palavra basta.

Aparecida: Ah, entendi! Está escrita na “Boa Notícia”: “Então chegaram a Jesus os fariseus e os saduceus e, para o por à prova, pediram-lhe que lhes mostrasse algum sinal do céu. Mas ele respondeu, e disse-lhes: Ao cair da tarde, dizeis: Haverá bom tempo, porque o céu está rubro. E pela manhã: Hoje haverá tempestade, porque o céu está de um vermelho sombrio. Hipócritas! Sabeis discernir a face do céu, e não podeis discernir os sinais dos tempos? Uma geração má e adúltera pede um sinal, e nenhum sinal lhe será dado, senão o do profeta Jonas. E, os deixando, retirou-se”.

Tico: No dia de hoje o ministro de Relações Exteriores da Rússia, Sergey Lavrov, disse que os rebeldes separatistas pró-Rússia no leste da Ucrânia estão prontos para um cessar-fogo, mas que Kiev tem de iniciar o processo. Segundo agências de notícias russas, Lavrov declarou que Moscou vai apresentar uma resolução à Organização das Nações Unidas sobre a crise ucraniana, mas que a Rússia não está buscando autorização para enviar tropas de paz. Os rebeldes ucranianos sugeriam que a Rússia enviasse tropas de paz, mas Moscou afirma que isso só pode ser feito com autorização da ONU. Lavrov disse que "sabemos que os rebeldes no sudoeste estão prontos para baixar suas armas, mas o primeiro passo deve ser tomado pelas autoridades de Kiev". Segundo ele, a proposta de resolução à ONU vai se concentrar na exigência de cumprimento total dos itens do projeto chamado de "mapa do caminho" para a resolução do conflito, que foi desenvolvido pela Organização para a Segurança e Cooperação na Europa. Ontem, o presidente russo Vladimir Putin acusou a Ucrânia de colocar as negociações sobre o gás natural num "beco sem saída", rejeitando uma oferta de corte de preços feita em meio a uma disputa que ameaça o abastecimento para o resto da Europa. Putin disse que a Rússia tinha oferecido um desconto de 100 dólares por 1.000 metros cúbicos com a remoção de um imposto de exportação. Isso colocaria o preço em linha com o pago por outros consumidores europeus. Durante posse no último sábado, o presidente da Ucrânia Petro Poroshenko garantiu que deseja a paz. "Eu não quero guerra. Não quero vingança", disse aos jornalistas após o juramento. Ele prometeu, no entanto, responder a qualquer um que desafie a integridade territorial da Ucrânia com poderio militar. Aludindo a um versículo bíblico, ele afirmou que "Quem vem com a espada cairá à espada". Segundo o novo presidente, o país vai construir seus próprios meios para trazer a paz à nação. “Ninguém poderá nos proteger, se não protegermos a nós mesmos”, declarou. Poroshenko afirmou que o país continuará a sua luta para reaver a região da Crimeia anexada pela Rússia após consulta popular no enclave russo. Enquanto a paz não vem, milhares de pessoas estão fugindo da Ucrânia em direção à Rússia para fugir da guerra civil. Hoje Serguei Ivanov, chefe de Gabinete da Presidência Russa, declarou à agência Itar-Tass que o seu país vai exigir das autoridades ucranianas a criação de chamados “corredores humanitários”. Ele se declarou surpreso com a receptividade dos russos à chegada dos refugiados. “As pessoas conservam a atitude calorosa e amistosa em relação ao povo ucraniano. A julgar por tudo isso, o código genético único acaba por fazer-se sentir o mesmo”, declarou Ivanov.

Teco: No dia de hoje a Rússia declarou independência da União Soviética. A proclamação foi quando o Congresso dos Deputados do Povo da República Socialista Federativa Soviética Russa, 14 dias após a eleição de Boris Yeltin para liderar o Soviete Supremo russo. Os delegados do Congresso votaram quase por unanimidade a favor da inclusão da questão na agenda do dia. Mas o texto final do documento foi motivo de muitos debates. Por isso, sua elaboração se arrastou por um mês e apenas no dia 12 de junho acabou aprovado. Em 1991, as primeiras eleições para presidente da Rússia, vencidas por Yeltin, foram marcadas para a mesma data da proclamação de independência. Assim também como o referendo que decidiu pelo retorno do nome de São Petersburgo à terra dos czares ao invés de Petrogrado dos tempos soviéticos. Decreto de Yeltsin determinou ainda que o 12 de junho deveria ser proclamado como o “Dia da Independência”. O feriado nacional continuou até hoje, mas foi renomeado pelo próprio Yeltsin para “Dia da Rússia”, em 1998, porque o presidente temia que as repúblicas que fazem parte do país, como a Chechênia, aproveitassem a data para também proclamar a independência. A saída da Rússia do bloco socialista soviético ocorreu há 24 anos.

Bytes: No dia de hoje o presidente soviético Mikhail Gorbachev acabou com a censura à imprensa e aos meios de comunicação no país dentro da abertura política iniciada no fim dos anos 80. A medida trouxe de volta antigos críticos da União Soviética que estavam exilados e muitos presos políticos foram libertados. A decisão contrariou os defensores do regime que passaram a criticar pelos jornais a abertura defendida por Gorbachev. No cinema a liberdade foi muito mais sentida. Após a instituição da União Soviética, os roteiros tinham que passar pelo “Comissariado Estatal para o Repertório”. A partir de 1929, o órgão passou a censurar e modificar o conteúdo dos filmes a fim de planificar o discurso. Os roteiristas foram obrigados a submeter as sinopses ao departamento político criado, na maioria dos estúdios soviéticos. Estes departamentos continham membros do “Comissariado Regional do Partido” e do Komsomol, que representavam a juventude comunista. Uma vez aprovado, o enredo final era submetido a outra bateria de avaliações de censores que, eram chamados de editores e consultores. O cineasta não podia modificar qualquer roteiro pré-estabelecido pelo “Comissariado”. O fim da censura à imprensa e aos meios de comunicação na União Soviética ocorreu há 24 anos.

Aparecida: E como pensa o governo dos Estados Unidos ?

Bytes: Deu no jornal “O Globo” de 6 de junho de 1964, cuja manchete foi “Castelo Branco afirma que ainda há muito a fazer para que não voltem a mentira e a corrupção”: “Ao receber o título de Cidade de Pernambuco, na Assembleia Legislativa dêsse Estado, o Presidente da República acentuou que a imensa tarefa que cabe à Revolução há, sem dúvida, de se afirmar pela destruição de privilégios de tôda a sorte que embaraçam o verdadeiro progresso social do País. A partir do seu retorno do Nordeste é esperada a nova lista de cassações. Embora não conheça ao certo o paradeiro do ex-presidente Juscelino Kubitschek , ele está no Rio há dois dias, aguardando a divulgação do ato de cassação de seu mandato e de suspensão dos seus direitos políticos, do que não mais duvida. Segundo informação do general Ernesto Geisel, chefe da Casa Militar, a lista de cassações seria dada a público terça-feira próxima, mas há quem acredite numa possível antecipação”. E mais: “Atingiram 31kg, às 23h de ontem, as doações em ouro da campanha Ouro para o Bem do Brasil. A população da Guanabara vem atendendo aos apelos da campanha, comparecendo ao pôsto arrecadador instalado no Cine Odeon, na Cinelândia. Também de realce é o movimento em cheques ou dinheiro, que já atingem o total de Cr$ 24 milhões”. E mais: “Apesar de ser um dos mais novos programas da Rádio Globo, ´A cidade contra o crime´ figura entre os líderes de audiência em seu horário. Apresentando uma resenha dos principais fatos policiais, colabora com as autoridades. Produzido por Nelson Batinga e supervisionado por Moisés Weltman, tem como seu assessor o famoso detetive Perpétuo de Freitas”.

Aparecida: Deu no jornal “O Globo” de 6 de junho de 2014, 50 anos depois: “Copa 2014. Greve para São Paulo e governo e Fifa apelam ao povo. Metroviários deixam 4 milhões sem transporte; Rio também teve nó no trânsito. ´Queremos ter orgulho do nosso país´, pede Cardozo, ministro da Justiça; Blatter se diz otimista, mas afirma que entidade precisa ´do suporte do povo brasileiro´; paralisação será mantida hoje em São Paulo”. E mais: “Desânimo generalizado. BC aposta no pessimismo para conter a inflação. Na ata da reunião em que decidiu parar de subir os juros, o BC afirma que o desânimo dos brasileiros ajudará no combate à inflação. Analistas criticaram a estratégia de contar que o pessimismo para segurar os preços. Enquanto isso, Europa adota taxa de juros negativa. Para estimular a economia e evitar a deflação, o BC europeu adotou taxa de juros negativa no crédito a bancos”. E mais: “Sob pressão, projeto que cercearia OEA é rejeitado. Proposta de fundo único para captação de recursos da CIDH é excluída. A forte repercussão negativa do endosso pelas principais países da União das Nações Sul-Americanas à proposta do Equador para reformar a Comissão Interamericana de Direitos Humanos fez o grupo majoritário rever ontem sua posição, isolar a diplomacia equatoriana e garantir os atuais mecanismos do financiamento do órgão que monitora abusos e violações nas Américas”.

Bytes: O jornalista Luiz Garcia escreveu o artigo intitulado “Crime sem castigo”: “Como deveria ser sabido por todos os cidadãos — e principalmente pelos encarregados de cuidar da paz e da segurança de todos nós — aqueles que cometem crimes precisam ser punidos como manda o Código Penal. Quanto pior o delito, mais sério deve ser o castigo. Para isso servem as penitenciárias. É com surpresa, portanto, que descobrimos, graças a uma denúncia do secretário estadual de Segurança, José Mariano Beltrame, que uma lei de três anos atrás tornou suave, além do que seria lógico, a punição dos cidadãos condenados a penas de até quatro anos de cadeia. Se a pena não é muito severa, é óbvio que o delito não foi de extrema gravidade. Mas nem por isso justifica-se que ela não seja cumprida do começo ao fim. A lição dada aos culpados tem dupla consequência: vale como castigo e como exemplo”.

Aparecida: Qual é a relação entre crime e castigo?

Bytes: Em seu livro existencialista, o escritor russo Fiódor Dostoiévsk escreveu “Crime e castigo”, a história sobre um jovem estudante de direito que comete um assassinato para quebrar as regras da sociedade em prol do avanço humano. A vítima é um agiota. A prisão de um inocente acelera a trama. Um clássico da literatura russa.

Aparecida: Por falar em Rússia, Moscou chegará a um acordo com Kiev em relação ao gás que vai para a Europa?

Bytes: O que podemos afirmar é que o gás está dividindo as autoridades. Na Bulgária, o primeiro-ministro Plamen Oresharsky disse que a construção do Gasoduto do Sul em seu território foi suspensa até que a Comunidade Europeia, órgão executivo da União Europeia, da qual faz parte, decida sobre a execução da obra. É que uma cláusula de adesão a UE diz que licitações no bloco econômico têm que passar pelo crivo de Bruxelas. O comentário de Oresharsky foi conversa mantida com parlamentares estadunidenses. Em declaração à agência de notícias russa a RIA Novosti, o ministro da Economia búlgaro criticou a paralisação das obras. "Se repararmos nesta situação do ponto de vista estratégico e sem emoção, vamos verificar que o projeto Gasoduto do Sul não pode ser cancelado. É igualmente importante tanto para a Europa quanto para a Bulgária", afirmou o ministro Dragomir Stoinev, em visita à China. Na Sérvia, a ordem de Bruxelas também causou constrangimentos. O primeiro-ministro do país, Aleksandar Vucic, afirmou que, mesmo tendo aderido à União Europeia, não irá suspender trabalhos. "Essas decisões só podem ser tomadas pelo governo, mas o governo não manteve uma reunião. Tudo se realiza como planejado, e se houver quaisquer alterações, o governo irá tomar uma decisão, e vocês serão notificados", comentou Vucic após declarações da vice-primeira-ministra sérvia, Zorana Mihajlovic, sobre a suspensão dos trabalhos.

Aparecida: Qual será a posição final da União Europeia?

Bytes: O que sabemos é que está difícil a escolha do novo presidente da Comissão Europeia para substituir o português Durão Barroso. Em lados opostos estão Inglaterra e Alemanha. Após dois dias de encontro na residência de verão do primeiro-ministro sueco Fredrik Reinfeldt, não se chegou a consenso. Merkel apoia a candidatura de Jean-Claude Juncker, enquanto Cameron se opõe a essa candidatura. O primeiro-ministro britânico alegou que se Juncker for o presidente, aumenta a probabilidade do Reino Unido sair da União Europeia. A chanceler alemã discordou, acrescentando que as ameaças não têm lugar numa discussão.

Aparecida: Por falar em Cameron, o governo britânico pôs cinco escolas sob regime especial de vigilância após um relatório oficial concluir que estabelecimentos de ensino da cidade de Birmingham foram tomadas por uma "cultura do medo e intimidação". Uma investigação denominada “Cavalo de Troia” mostrou que uma suposta conspiração montada para promover o fundamentalismo muçulmano, a partir da infiltração de elementos que pregam valores islâmicos radicais. Entre as descobertas da equipe de supervisores estão evidências de que meninos e meninas estavam sendo separados para as aulas de educação religiosa e desenvolvimento pessoal. Num dos colégios funcionários da instituição incentivavam as moças a evitarem falar com os rapazes e as convenciam a não participarem de atividades extracurriculares e visitas. Em outro caso, as aulas de música foram suspensas contra a vontade dos alunos. O medo de alguns professores de retaliações levou pelo menos um deles a marcar encontros no estacionamento de supermercados para conversar com os supervisores do governo. O documento oficial afirma, ainda, que alguns professores e diretores acabaram forçados a abandonar o seu trabalho ou foram simplesmente marginalizados, dada a influência dos chamados membros dos conselhos de ensino. Descobriu-se, ainda, que numa escola usavam-se as verbas do estabelecimento para financiar uma viagem anual de alunos muçulmanos à Arábia Saudita. O que você acha?

Bytes: O que podemos afirmar é que o chefe da diplomacia russa, Serguei Lavrov, teve encontro com o colega saudita Saud Al Faisal, para discutir a questão síria. "Foi dada atenção especial ao problema da solução política e diplomática para a crise na Síria e outros conflitos na região. Ao considerar o estado e as perspectivas das relações bilaterais russo-sauditas foi sublinhada a disposição das partes para sua ativação, incluindo o comércio, a cooperação econômica e energética, onde existe um potencial considerável para o desenvolvimento", afirma a nota após encontro bilateral. Para os capitalistas, meia palavra basta.

Aparecida: Por falar em Rússia, o presidente Vladimir Putin teve encontro com o colega estadunidense Barack Obama, além de conversas com o novo líder ucraniano intermediado pela chanceler alemã Angela Merkel durante as festividades pelo desembarque das tropas aliadas na Normandia que libertou a França do jugo nazista (acima). A Guerra Fria não será chegará a um bom termo?

Bytes: O Kremlin distribuiu nota falando sobre o encontro de Putin com Obama. "Apesar de não ter sido realizada uma reunião separada, os dois líderes tiveram a oportunidade de trocar pontos de vista sobre a situação na Ucrânia, bem como sobre a crise no Leste do país. Putin e Obama se pronunciaram a favor da redução rápida da violência e das hostilidades", disse Dmitri Peskov, porta voz do governo russo. Mas os atos sugerem mais a reflexão sobre as declarações do papa. "Chegar à paz pede coragem, muito mais do que guerra. Pede coragem para dizer sim para encontrar e não ao conflito; sim para o diálogo e não à violência; sim para as negociações e não para as hostilidades; sim para o respeito pelos acordos e não aos atos de provocação; sim à sinceridade e não à duplicidade. Tudo isso exige coragem, força e tenacidade", disse Francisco no encontro com os líderes de Israel e Palestina.

Aparecida: Por falar em paz, o presidente francês, François Hollande, saudou os laços entre a França e a Grã-Bretanha durante jantar com a rainha Elizabeth II. "A paz, assim como o progresso, são nossas exigências em comum. A França e o Reino Unido têm a mesma confiança no futuro", afirmou o socialista, nas comemorações do “Dia D”. "Franceses e britânicos são como irmãos gêmeos, fascinados por sua semelhança, ferozmente apegados às suas diferenças, mas visceralmente unidos quando o essencial está em jogo", acrescentou. Sem perder o bom humor, a rainha inglesa, que alternou frases em inglês e francês, comentou que a união entre Inglaterra e França são ligadas "por esta mistura única de amizade, rivalidade e, também, admiração". O que você acha?

Bytes: A aliança militar entre os dois países é considerada “segura” entre os estrategistas. Londres e Paris já planejam comemorar este ano com grande festa um século da Primeira Guerra Mundial quando saíram vencedores redesenhando o mapa da Europa com a derrota do Império Austro-Húngaro e também no Médio Oriente com a queda militar do Império Otomano. Os frutos da Última Guerra Feudal. Para os capitalistas, meia palavra basta.

Aparecida: Por falar em guerra, os exercícios militares estão a todo vapor próximo da Rússia. Enquanto as tropas russas se movimentam em Kaliningrado, região mais ocidental do país, manobras similares da Otan estão ocorrendo na Europa Oriental e nos países bálticos. Os dirigentes da Aliança transferiram forças adicionais para países que fazem fronteira com a Ucrânia. Para a Polônia foi enviado um contingente de 100 militares franceses. Caças franceses Rafale se juntaram à Otan no espaço aéreo dos países bálticos. Pelos céus da Polônia e da Romênia transita um avião da Força Aérea francesa. Por sua vez, caças MiG-29 poloneses e Eurofighter Typhoon da Força Aérea britânica foram transferidos para a Lituânia. A Dinamarca enviou seus caças F-16 para a Estônia. O que você acha? É a Terceira Guerra Mundial?

Bytes: O que podemos afirmar é que virou sensação o livro do estrategista Robert Gates, que chefiou o Pentágono entre duas administrações: a do republicano George W. Bush e a do democrata Barack Obama. No livro “O dever”, ele escreveu que a política de expansão impetuosa da Otan para o leste após o colapso da União Soviética foi um erro, assim como muitas decisões dos Estados Unidos naquele tempo eram “provocações irresponsáveis”. Para Gates, a inclusão na Aliança dos antigos satélites soviéticos, como os países bálticos, Hungria, Polônia, República Tcheca, Eslováquia, se transformou numa política irresponsável, do mesmo modo que a atração da Ucrânia e da Geórgia para esse processo. E pergunta: Estarão os europeus, para não falar dos norte-americanos, dispostos a enviar seus filhos e filhas para defender a Geórgia ou a Ucrânia?” Ele mesmo responde que: “Dificilmente”. Segundo o ex-chefe da Defesa estadunidense, que a expansão da OTAN não é uma estratégia militar minuciosamente elaborada, mas aventureirismo político que compromete os objetivos da aliança e ignora irresponsavelmente aquilo que os russos acreditam ser seus interesses nacionais vitais.

Aparecida: O ex-chefe do Pentágono pode ser incluído como “agente de Moscou?”

Bytes: O que podemos afirmar é que tem muita gente lendo a sua “profecia”. Para os capitalistas, meia palavra basta.

Aparecida: Ah, entendi! Está escrito no Velho Testamento, a “Torá judaica”, sobre o profeta Jonas nos seus 3 chamados: “E veio a palavra do Senhor, segunda vez a Jonas, dizendo: Levanta-te, e vai à grande cidade de Nínive, e prega contra ela a mensagem que eu te digo. E levantou-se Jonas, e foi a Nínive, segundo a palavra do Senhor. Ora, Nínive era uma cidade muito grande, de três dias de caminho. E começou Jonas a entrar pela cidade caminho de um dia, e pregava, dizendo: Ainda quarenta dias, e Nínive será subvertida. E os homens de Nínive creram em Deus; e proclamaram um jejum, e vestiram-se de saco, desde o maior até ao menor. Esta palavra chegou também ao rei de Nínive; e ele levantou-se do seu trono, e tirou de si as suas vestes, e cobriu-se de saco, e sentou-se sobre a cinza. E fez uma proclamação que se divulgou em Nínive, pelo decreto do rei e dos seus grandes, dizendo: Nem homens, nem animais, nem bois, nem ovelhas provem coisa alguma, nem se lhes dê alimentos, nem bebam água. Mas os homens e os animais sejam cobertos de sacos, e clamem fortemente a Deus, e convertam-se, cada um do seu mau caminho, e da violência que há nas suas mãos. Quem sabe se se voltará Deus, e se arrependerá, e se apartará do furor da sua ira, de sorte que não pereçamos? E Deus viu as obras deles, como se converteram do seu mau caminho; e Deus se arrependeu do mal que tinha anunciado lhes faria, e não o fez”.

Tico: No dia de hoje terminou a Guerra do Chaco entre Bolívia e Paraguai. O conflito entre os dois países mais pobres da América do Sul foi motivado por uma disputa territorial da região do Chaco Boreal, após anúncio de descoberta de petróleo no sopé dos Andes. Alguns historiadores afirmam que La Paz e Assunção foram apenas marionetes de uma disputa entre as petrolíferas Shell e Standard Oil, denúncia nunca aceita por outros cientistas. O exército boliviano era liderado pelo marechal alemão Hans Kundt, que tentou organizar táticas prussianas de guerra, mas sem ter obtido sucesso. O resultado é que a Bolívia, com mais homens mas em inferioridade bélica, foi derrotada pelo Paraguai que usava equipamentos militares mais modernos. Em 21 de julho de 1938, os dois países aceitaram o acordo de paz realizado em Buenos Aires. O Paraguai ficou com 3/4 do Chaco Boreal e a Bolívia ficou com 1/4, acabando com três anos de guerra, e levando os dois países a novas dificuldades econômicas devido à guerra e à descoberta de que os supostos poços de petróleo não existiam. A Guerra do Chaco terminou há 79 anos.

Teco: No dia de hoje a comandante Joana D´Arc conseguiu a rendição dos ingleses na Batalha de Jargeau. A líder das tropas francesas conclamou a rendição dos soldados inimigos, proposta que foi recusada. Ela, então, ordenou um poderoso ataque de artilharia que resultou no avanço dos seus militares e na tomada de uma das torres. Ao perceber o fracasso da missão, o comandante inglês, Duque de Suffolk, iniciou a rendição, especialmente com o comandante La Hire, o que desagradou a Joana por considerar uma violação flagrante dos protocolos de guerra. Decidida a vencer a batalha, ela Joana mandou colocar as escadas de assalto, a fim de que exército francês subisse as muralhas de Jargeau. Já em cima da muralha, se produziu uma grande matança de ingleses, que sofreram enormes perdas devido a grande inferioridade numérica em que se encontravam. O comandante inglês sobreviveu e foi feito prisioneiro por Joana D'Arc. Há 585 anos.

Bytes: No dia de hoje Portugal e Espanha entraram para a Comunidade Econômica Europeia. Com os dois países ibéricos, o projeto europeu nascido no Tratado de Roma, de 1958, ganhou mais força para desembarcar no Tratado de Maastricht, em 1992, quando foi criada a União Europeia. Há 29 anos.

Aparecida: No dia de hoje nasceu, há 90 anos, o presidente George Bush. Filiado ao Partido Republicano, tendo sido embaixador, diretor da CIA e vice-presidente por dois mandatos de Ronald Reagan, ele foi eleito presidente após o sucesso do plano econômico do seu antecessor. Após se graduar na Universidade de Yale, Bush mudou7-se com a sua família para o Texas onde se tornou milionário aos 40 ao entrar para a indústria do petróleo. Como político, ele elegeu seus dois filhos a governos estaduais: George W. Bush no Texas e Jeb Bush na Flórida. Como presidente dos Estados Unidos recebeu as glórias porque em sua administração foi implodida a inimiga União Soviética, mas ficou mais conhecido por causa da Guerra do Golfo quando reuniu aliados árabes contra o presidente iraquiano Saddam Hussein, inclusive a Síria. Críticos não entenderam até hoje porque ele não tirou do poder Saddam se a coalizão de Washington havia ganhado a guerra. Há informações de que Bush teria ouvido a opinião do então secretário da Defesa, D*** Cheney, que alegou que a saída de deixaria os Estados Unidos "metidos no pântano dentro do Iraque". Mais tarde, o próprio Cheney teria uma atuação determinante para que o filho de Bush, George, invadisse armas para destruir “armas de destruição e massa” nunca encontradas após o atentado terrorista às Torres Gêmeas em Nova York. Bush pai também viu a sua imagem de “gentleman” corroída após ter concedido perdão a dois correligionários envolvidos no escândalo Irã-Contras, entre eles o ex-embaixador dos Estados Unidos em Honduras e atual embaixador dos Estados Unidos no Iraque, John Negroponte. No plano econômico, o seu governo foi considerado um fracasso porque durante o seu mandato os Estados Unidos caíram novamente numa recessão. A crise econômica levou à vitória do democrata Bill Clinton nas eleições de 1994.

Bytes: No dia de hoje morreu, há 10 anos, Sandro Barbosa do Nascimento, sobrevivente da Chacina da Candelária. Sete após ter sobrevivido à matança de policiais contra meninos de rua que viviam nas imediações da Igreja da Candelária, no Rio de Janeiro, durante o governo de Leonel Brizola, ele viria a sequestrar o ônibus da linha 174, fato que passou a ser televisionado ao vivo com grande repercussão inclusive no exterior. Sandro entrou no ônibus após várias horas cheirando cocaína comprada com dinheiro de um roubo, no qual conseguiu um revólver 38, que não teria sido aceito pelos traficantes na troca por droga. Ao sentar no ônibus, um passageiro percebeu que ele levava uma arma em sua cintura e fez um sinal para uma viatura da Polícia Militar que estava passando pelo local. Acuado, fez onze reféns dentro do ônibus. O resultado foi que Sandro assassinou a refém com 3 tiros nas costas, após a polícia atirar em sua direção e erroneamente também atingir a sequestrada Geise Firmo Gonçalves, então grávida de dois meses. O sequestrador foi imobilizado e conduzido a uma viatura da polícia enquanto uma multidão tentava linchá-lo. Dentro do veículo policial acabou sendo morto por policias através da asfixia. Após alegações de que a morte de Sandro foi acidental, os policiais responsáveis pela operação foram levados a julgamento por assassinato e foram declarados inocentes. Uma investigação concluiu que Geisa levou quatro tiros: O primeiro efetuado pelo policial Marcelo Oliveira dos Santos, e os outros três disparados por Sandro Barbosa do Nascimento. A sua história foi retratada no documentário “Ônibus 174”, de José Padilha; e no filme “Última Parada 174”, de Bruno Barreto.

Aparecida: No dia de hoje nascia, há 85 anos, a jovem Anne Frank. Judia alemã, ela relatou num diário os horrores do nazismo. A sua família se mudou para Amsterdã, na Holanda, após os nazistas terem conquistado a vitória na cidade de Frankfurt. O seu pai, o comerciante Otto Frank, já pressentia a perseguição aos judeus que viria a acontecer após a Noite dos Cristais quando muitos estabelecidos judaicos foram destruídos. A segurança na Holanda foi revertida após a invasão de Hitler quando os nazistas holandeses aplaudiram o desfile das tropas de ocupação. Não duraria muito tempo para que a perseguição aos judeus ocorresse também nos Países Baixos. Durante muito tempo a família conseguiu se esconder num porão, mas foi denunciada por um delator em 1944. O grupo foi, então, levado para campos de concentração. Anne Frank e sua irmã Margot foram transferidas para Bergen-Belsen, na Alemanha, onde morreram de tifo em março de 1945 devido às precárias condições de higiene nos campos. Único sobrevivente, Otto Frank retornou a Amsterdã depois da guerra e teve acesso ao diário da filha. Seus esforços levaram à publicação do material em 1947. O diário, que foi dado a Anne em seu aniversário de 13 anos, narra sua vida de 12 de junho de 1942 até 1 de agosto de 1944. É, atualmente, um dos livros mais traduzidos em todo o mundo. Ele serviu de base para o trabalho de vários cineastas, como foi o caso de Robert Dornhelm, que produziu o filme “Anne Frank, a história toda”.

Bytes: Ontem eu fui assistir ao filme “O lobo atrás da porta”, de Fernando Coimbra. A história gira em torno de um sequestro de uma menina na porta da escola. Um delegado começa a investigar o caso considerado nebuloso. O filme não é de suspense tradicional. Quem estiver interessado em descobrir a pessoa responsável pelo crime vai se decepcionar. Não vai demorar muito para ela ser revelada. O que vai ser desenhado é o seu perfil psicológico. Os diálogos são muito bem elaborados e o desempenho de todo o elenco é estupendo. O destaque é para a atriz Leandra Leal que constrói com maestria a sua personagem. Vale a pena ser visto.

Aparecida: Qual foi a cena que você mais gostou?

Bytes: A força dramática imposta por Coimbra é de grande intensidade. A que escolhi tem mais valor simbólico do que por sua força dramática. É quando o delegado arranca a confissão lembrando que a tortura tem valor relativo junto à opinião pública. Eu me lembrei dos relatos sobre depoimentos de muitas pessoas dizendo que mais meninos de rua deveriam ter morrido na Chacina da Candelária e quando fecharam os olhos para o extermínio do Sandro em troca do sentimento de segurança que dominou após as cenas de terrorismo no Jardim Botânico.

Aparecida: Eu me lembro do seu Carlos aplaudindo os militares quando matavam um guerrilheiro nos anos de chumbo. Ele dizia que os “inimigos da pátria” deveriam morrer porque influenciavam camponeses e operários com ideias subversivas, alheias à nossa tradição cristã.

Bytes: A relatividade é proporcional ao “medo do desconhecido”.  Washington não questionou o fato de Saddam Hussein ter sido enforcado, prática normal no período medieval. Antes de morrer, disse o líder iraquiano: “Paciência, em Deus procuramos conforto e ajuda contra os tiranos. Ofereço minha alma em sacrifício, e Deus Todo Poderoso a levará para onde estão os mártires, pois Deus Glorificado quis mais uma vez que eu estivesse no coração da jihad. Ou que seja feita a Sua vontade, Ele, o Clemente, o Misericordioso. Dele somos e a Ele retornaremos. Não odeiem o ser humano, mas repudiem o mal. (...) Saibam perdoar, pois Deus é clemente e perdoa mesmo sendo superior. Ele nos quer ideal exemplo do amor, do perdão e da fraterna convivência entre si. Que a lei seja seu embasamento e que sejam justos, pois as nações e os povos só crescem com justiça e não com rancores e ilegalidades. Os que se apoiam nos poderosos ocupantes para se sentirem mais fortes que os demais são banais e vis. Só há um Deus e Maomé é seu profeta”.

Aparecida: Por que o Bush pai não tirou Saddam do poder logo após o anúncio da vitória da coalização liderada por Washington?

Bytes: Segundo alguns analistas, a estratégia era desgastar Saddam junto à população. A Guerra do Golfo, chamada pelo mandatário iraquiano de “A mãe de todas as guerras”, teve início após Saddam ter invadido o Kwait. Ele consultou a diplomacia estadunidense, que não se opôs a invasão dizendo que era matéria da política do Médio Oriente. Saddam queria ter o controle sobre o preço do petróleo já que a maior produção do Kwait fazia oscilar o preço do petróleo, reduzindo a fonte de recursos para o Iraque pagar as suas dívidas. Com a invasão, os Estados Unidos conseguiram aprovar na ONU uma retaliação a Bagdá com o apoio da Liga Árabe sob a acusação de que Saddam desestabilizava o Médio Oriente. Durante a Guerra do Golfo, Iraque resolver atacar Israel com mísseis Scud com carga convencional que caiu sobre as cidades israelenses de Tel Aviv e Haifa. O Estado hebreu recebeu proteção dos Estados Unidos, assim como a Arábia Saudita, vizinha do Kwait. Apesar da implantação de defesa antimíssil norte-americano, isso não impediu que 46 mísseis Scud caíssem em território saudita, principalmente na capital, Riad . Até hoje, a eficácia dos mísseis Patriot durante a Guerra do Golfo gera debates entre os estrategistas. Vencida a guerra, o Iraque passou por sanções econômicas que pioraram a situação do país que já foi modelo na área de educação, atraindo a atenção do mundo árabe. Aviões estadunidenses e britânicos passaram a destruir a agricultura do país para levar a população contra Saddam. Ele, no entanto, não caiu. Com acusação de possuir armas de destruição em massa após o atentado terrorista do 11 de Setembro, Bush filho declarou a guerra contra o Iraque se Saddam não saísse do poder. Durante entrevista à rede estadunidense CBS, no programa “Six Minutes”, Saddam disse que desejava um debate, ao vivo e sem cortes, com o presidente Bush para que cada um pudesse apresentar o seu “ponto de vista”. No programa, ele negou que o Iraque estivesse dominado pela rede terrorista Al Qaeda.  Sem resultado, Bush invadiu Bagdá.

Aparecida: Por falar na Guerra do Iraque, a ex-secretária de Estado Hillary Clinton, hoje eleita para a Casa Branca, escreveu, em recente livro, que foi um erro ter votado pela invasão do Iraque quando era senadora por Nova York. “Eu pensei que eu tinha agido de boa fé e tomei a melhor decisão que pude com as informações que eu tinha. E eu não estava sozinha no erro. Mas ainda considero que foi erro. Puro e simples”, escreveu. O arrependimento veio após receber cartas das famílias dos soldados vítimas da batalha. “Enquanto a guerra se arrastava, a cada carta que enviei para famílias em Nova York que haviam perdido um filho ou filha, pai ou mãe, o meu erro tornava-se mais doloroso”, comentou no livro. Numa entrevista em 2006, Hillary disse que se soubesse “o que sabemos agora”, ela teria votado de maneira diferente. Poucos meses depois, a ex-secretária de Estado declarou que se fosse presidente em 2002, não teria começado a guerra no Iraque. É o chamado “distanciamento histórico”, já sem o hiato do “espaço-tempo”, para o entendimento do “pântano”.

Aparecida: Por falar em Hillary, ela elogiou a Dilma chamando a presidente brasileira de “líder formidável” e também o processo democrático na América do Sul, à exceção da Venezuela. Segundo a ex-secretária de Estado, a Dilma soube ouvir a população "em vez de desprezar ou bater e prender manifestantes", como acontece em outros países, referindo-se ao regime de Caracas. O que você acha? É diplomacia estadunidense?

Bytes: Não vamos esperar muito de avanços porque o império é  império em todos os tempos. Quanto ao relacionamento com o Brasil, Washington sempre acha que as autoridades brasileiras eleitas democraticamente são contra os Estados Unidos. Mas o futuro é promissor, assim como a imagem da Hillary deve ser estampada na imprensa com espanto. Desculpe a cacofonia. Para os capitalistas, meia palavra basta.

Aparecida: Qual foi o maior legado que Bush filho deixou para o Iraque?

Bytes: No governo Bush filho, o general Colin Powell saiu sem apresentar provas das armas de destruição em massa. Foi substituído pela Condoleeza Rice, ex-executiva da Chevron, que deu autonomia aos curdos. Tudo em nome da “Pax americana” promovida pelos Estados Unidos.

Aparecida: E como pensa o governo dos Estados Unidos?

 Bytes: Deu no jornal “O Globo” de 10 de junho de 1964 cuja manchete foi “Desliga-se o PSD da maioria no Congresso”: “Em reunião que findou aos primeiros minutos de hoje, as bancadas do PSD no Congresso aprovaram nota oficial em que reiteraram sua solidariedade ao Sr. Juscelino Kubitscheck  - que teve seu mandato de senador e seus direitos políticos cassados – e informaram que se afastam de bloco majoritário, adotando posição que afirmam ser de independência”. E mais: “Na carta que o general Arthur Costa e Silva, ministro da Guerra, escreveu ao governador licenciado do estado de Guanabara, Sr. Carlos Lacerda, anualmente cumprindo temporada na Europa, o militar afirma que a sucessão presidencial terá seu processo assegurado, ou seja, haverá eleição em 1965. Na missiva, o ministro anuncia que o Sr. Juscelino Kubitscheck iria ter os seus direitos políticos cassados, pois era o único candidato à sucessão presidencial inimigo da Revolução Democrática de 31 de março próximo”. E mais: “O marechal Estêvão Taurino de Resende, presidente da Comissão Geral de Investigações, pediu aos jornalistas, durante entrevista coletiva no dia de ontem, que não o vissem como ´o carrasco da revolução´, pois o que bem feito é cumprir o seu dever ´como bom brasileiro e bom soldado”.

Aparecida: Deu no jornal “O Globo” de 10 de junho de 2014, 50 anos depois: “Copa 2014. Metroviário suspende greve por 2 dias após demissões. Sem teto desistem de atos contra a Copa depois de Dilma atender a reivindicações. Desde quinta-feira, paralisação prejudicou 4 milhões de pessoas diariamente em São Paulo”. E mais: “Passivo tributário. Petrobras vê risco de US$ 30 bilhões. Em relatório enviado ao órgão regulador do mercado financeiro americano, a Petrobras admite que pode ter perda de até US$ 30, 4 bilhões se for derrotada em processos sobre o pagamento de impostos. Na lista, estão multas aplicadas pela Receita Federal, que somam US$ 20,4 bilhões”. E mais: “Dia de índio e praia. No dia do aniversário do atacante Klose, a seleção alemã recebeu na Bahia a visita dos índios pataxós, que dançaram com os jogadores. No Rio, os holandeses voltaram à Praia de Ipanema, onde os astros Kuyt e Robben jogaram até altinho, frescobol e caíram na água”.

Bytes: O colunista José Casado escreveu o artigo “Lucros na África”:  “Numa tarde de quarta-feira de um ano atrás, 22 de maio, Dilma Rousseff pediu e o Senado concedeu, sem debate, perdão sobre 79% da dívida que o Congo-Brazzaville mantinha pendente com o Brasil há quatro décadas. O débito somava US$ 353 milhões. O governo brasileiro renunciou a US$ 278 milhões. Aceitou receber US$ 68,8 milhões — em até 20 parcelas trimestrais até 2019 —, do país que é o quarto maior produtor de petróleo da África. O perdão de Dilma foi o desfecho de uma operação iniciada em 2005 no Ministério da Fazenda, sob o comando de Antonio Palocci. O objetivo era abrir caminho para empreitadas privadas brasileiras no Congo-Brazzaville. Cravado no coração africano, tem o tamanho de Goiás. É referência no mapa de produção de petróleo e se destaca na rota dos diamantes “de sangue” — sem origem —, moeda corrente no submundo de armas e do narcotráfico”.

Aparecida: A Copa do Mundo foi programa de índio? A dona Irene ligou para o meu celular e disse: “Não sabia que o espetáculo de abertura fosse tão bonito. Simples, original e muito belo. Quando que eles treinaram que a gente não viu nada?”

Bytes: Eles fizeram treinamento e se dedicaram. Ela não viu nada porque a “imprensa velha” preferiu mostrar uns gatos pingados fechando avenidas em São Paulo com os repórteres em respiração ofegante.

Aparecida: Por que o trabalho científico do neurocientista Miguel Nicolelis não foi mostrado ao mundo? Só houve uma passagem rápida de câmera.

Bytes: Alegaram que estragaria o gramado, justificativa que não serviu para a festa da abertura. Antes, foi proibido o uso de camiseta da Finep que patrocinou o estudo em que um paraplégico poderia coordenar os movimentos pela própria mente. Mas enxergar é uma questão de ótica. Eu estava assistindo à festa da abertura pelo SporTV, mas quando pararam a transmissão para mostrar, pasmem, a chegada do time da Croácia, eu mudei para a BAND. Mas eu ainda espero ansiosa a TV Digital onde não será “imposto”. Viva o capitalismo!

Aparecida: Por falar em capitalismo, o que você achou da Dilma não ter aberto a Copa como tradição do chefe de Estado? Foi medo das vaias como estampará os jornais? Bytes: Como herdeira de Getúlio dirá: “Mais uma vez, as forças e os interesses contra o povo coordenaram-se e novamente se desencadeiam sobre mim. Não me acusam, insultam; não me combatem, caluniam, e não me dão o direito de defesa. Precisam sufocar a minha voz e impedir a minha ação, para que eu não continue a defender, como sempre defendi, o povo e principalmente os humildes”.

Aparecida: Por falar em povo, o Corpo de Bombeiros do Rio disse que o Alzirão só funcionaria com médicos e ambulância. Não há usucapião?

Bytes: Quando nós éramos brasileiros, a expressão popular era reverenciada. A rede Al Jazeera queria mostrar os torcedores da rua famosa ao mundo árabe.  Mas o impasse foi criado. Deve ser o padrão Fifa.

Aparecida: Por falar em padrão Fifa, os argentinos tiveram que deixar o acampamento na praia por ser patrimônio público. Os integrantes da Jornada Mundial da Juventude tiveram autorização para montar acampamento na praia?

Bytes: Não sabemos, apenas que o papa Francisco teve como vitrine a Jornada Mundial da Juventude Rio 2012 como expressão ao mundo do seu apostolado. Assim como vimos várias expressões mundiais, como as pinturas de rua sobre o campeonato no Brasil em Calcutá, na Índia, mesmo o time indiano não estando na Copa. As imagens e torcidas de Neymar, inclusive com estrangeiros usando camisa da Seleção Brasileira. Em Melbourne, na Austrália, um balão inflado com a imagem do Cristo Redentor passeando pela cidade. No Rio, o Cristo foi iluminado com as cores verde e amarela na madrugada de hoje (acima). O rio segue o seu rumo.

Aparecida: Por falar em rumo, o seu Carlos disse ontem, exaltado, sobre o engarrafamento que enfrentou no domingo retrasado na saída de Teresópolis por causa de um esquema da Seleção Brasileira: “O País está parado, enquanto os homens de ação ficam parados no trânsito porque os jogadores têm que ter proteção do Exército para não serem agredidos pela política econômica deste governo que já acabou. É o fim do mundo!” O que você acha?

Bytes: E tudo foi acrescentado depois da manchete de “O Globo” dizendo que a Dilma não oferece segurança aos jogadores como prometeu, após professores em greve terem batido na lataria do ônibus onde estavam jornalistas estrangeiros e não os atletas. Bom foi o tempo da Jornada Mundial da Juventude Rio 2013 quando o papa Francisco ficou preso no trânsito, tranquilo, recebendo o afago do povo carioca. A nossa tradição.

Aparecida: Por falar no papa, o que você achou da mensagem de Francisco para a Copa?

Bytes: Faltou alma. Prefiro quando o bispo de Roma fala pelo coração.

Aparecida: Por falar no bispo de Roma, o vaticanista Marco Politi disse que os "lobos" ameaçam a revolução pacífica que o papa Francisco quer promover na Igreja Católica. "Está em curso uma batalha muito séria entre o projeto reformista de Francisco e seus vários opositores. É uma oposição silenciosa, mas que se manifesta de forma muito agressiva em certos portais da Internet" - explicou Politi após lançar seu novo livro: "Francisco entre os lobos". Na entrevista à AFP, ele disse que, como o santo dos pobres que inspirou seu nome de pontífice, o papa argentino quer transformar os lobos em cordeiros e espera vencer as resistências através do exemplo, do diálogo, da humildade e dos gestos emblemáticos. "Há muita resistência passiva, inércia. Não fazem nada, apenas esperam", disse Politi. "Os lobos são os adversários na cúria, fora da cúria, o mundo econômico. Existe uma espécie de aliança transversal", acrescentou. Segundo ele, Francisco está mexendo com grandes interesses econômicos e a ameaça de um atentado contra ele é muito séria. Entre as reformas promovidas pelo bispo de Roma está a transparência no Instituto de Obras para a Religião, também conhecido como Banco do Vaticano, acusado por décadas de lavagem de dinheiro. O que você acha?

Bytes:  A opinião pública vai desejar cada vez mais saber quem é o “lobo atrás da porta”. Por isso as vendas do livro “Protocolos dos Sábios de Sião” vêm aumentando.  É uma obra feita sob medida para os adeptos da Teoria da Conspiração, apesar  de técnicos terem afirmado sua falsificação. Nele há uma conspiração dos sionistas para dominar o mundo. Ambas as edições contêm 24 “protocolos” sobre  reuniões clandestinas de representantes judaicos que discutiam a estratégia para a dominação. Segundo o texto, no final o mundo  deverá ficar nas mãos de um “rei de Israel”, descendente de Davi, nomeado por três “sábios”. O rei iria governar a humanidade de forma autocrática e em caso de morte, ou de doença grave, os “sábios” transfeririam o poder ao seu eleito subsequente. Os dez primeiros “protocolos” descrevem o programa de destruição dos Estados cristãos. Segundo os planos dos conspiradores, os métodos mais eficazes para desmoronar a sociedade são: a propaganda das liberdades democráticas e dos direitos humanos, o suborno da imprensa, a imposição do culto ao dinheiro, a instalação de monopólios, com a instigação de guerras econômicas, e o estímulo das atividades secretas da maçonaria. A corrida armamentista também está na deliberação. Uma leitura que agradou parte da sociedade às portas da Última Guerra Feudal. E também aos promotores nazistas do Holocausto. Motivo de preocupação para os pacifistas como o bispo de Roma. Para os capitalistas, meia palavra basta.

Aparecida: Ah, entendi! Escreveu o apóstolo Pedro, crucificado em Roma, a “cabeça do mundo”, de cabeça para baixo: “Deixando, pois, toda a malícia, e todo o engano, e fingimentos, e invejas, e todas as murmurações, desejai afetuosamente, como meninos novamente nascidos, o leite racional, não falsificado, para que por ele vades crescendo, se é que já provastes que o Senhor é benigno. E, chegando-vos para ele, pedra viva, reprovada, na verdade, pelos homens, mas para com Deus eleita e preciosa, Vós também, como pedras vivas, sois edificados casa espiritual e sacerdócio santo, para oferecer sacrifícios espirituais agradáveis a Deus por Jesus Cristo. Por isso também na Escritura se contém. Eis que ponho em Sião a pedra principal da esquina, eleita e preciosa; e quem nela crer não será confundido. E assim para vós, os que credes, é preciosa, mas, para os rebeldes, a pedra que os edificadores reprovaram, essa foi a principal da esquina. E uma pedra de tropeço e rocha de escândalo, para aqueles que tropeçam na palavra, sendo desobedientes; para o que também foram destinados. Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz. Vós, que em outro tempo não éreis povo, mas agora sois povo de Deus; que não tínham alcançado misericórdia, mas agora alcançastes misericórdia”.

À COPA DAS COPAS

Rio de Janeiro, 12 de junho de 2014

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Exibições: 383

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço