O mundo está mudado... As coisas não são mais como antigamente... São óbvias constatações feitas por pessoas que não cultivam o hábito de usar a própria cabeça, a não ser para colocar um chapéu sobre a mesma.

A realidade deve ter vindo junto com o próprio mundo, ou talvez um pouco antes, por ocasião do divino planejamento, e o resultado não poderia ser diferente em virtude dos desdobramentos posteriores a criação.

De acordo com as “Escrituras Sagradas” Deus colocou nesse paraíso tamanho família apenas Adão, que já começou a reclamar pelo fato de se sentir solitário no meio de toda aquela fartura e a situação caminhava para um inevitável tédio.

Então Deus, que sabe tudo e é bondoso, resolveu colocar Eva como companheira de Adão e só aí a população terrestre já deu um salto de 100%, mesmo assim, nada que viesse a comprometer o bem estar dos terráqueos.

Foi quando apareceu a serpente e passou a colocar caramiolas na cabeça do casal, que os problemas começaram a surgir e não pararam nunca mais, mesmo com a trégua do dilúvio e, nessa brincadeira, de apenas um habitante, chegamos hoje a uma população de sete bilhões de pessoas disputando um lugar no Planeta.

Só na China existem mais de um bilhão e todo mundo trabalha para se virar com o pão de cada dia, independentemente de possuir uma carteira de trabalho assinada, um TRT que lhe garanta os direitos e até mesmo uma certidão de nascimento que lhe outorgue a condição de existir legalmente, no caso do segundo filho proibido.

No Brasil, que pertencia aos índios e mudou de mãos sem pagamento e escritura, o ambientalista passa na porta da minha casa, enquanto se dirige à sua e, de cima do seu pedestal, me considera um lixo pelo fato de ter praticado essa apropriação indébita. Disciplinado que sou, espero deitado na rede, que os verdes devolvam seus espaços terrenos aos verdadeiros donos, para que me anime a imitá-los.

O perfeito vai ao supermercado, adquire um orgânico e faz de conta que não sabe que aquele produto precisou de um espaço físico para crescer, mesmo que tenha sido dentro de uma estufa, alimentado com algum nutriente retirado da natureza e me condena porque fiz a feira na CEASA, por sinal o maior roçado que conheci nessa vida.

No conforto do seu banheiro o ecologista aciona a descarga do sanitário, se dirige para uma prolongada ducha quente, com direito a ensaiar uma cantiga qualquer, e quando passa por aquele canal que cheira mal acha que a culpa é só minha.

Alguns avanços da ciência têm permitido um maior conhecimento do nosso vizinho Planeta Marte e cientistas já arriscam dizer que lá um dia existiu água e outras coisas que temos por aqui e, não será nenhuma surpresa, se chegarem à conclusão que aquele torrão foi destruído pelos ambientalistas marcianos que sobraram e depois se multiplicaram.

Exibições: 66

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço