Ary Barroso (1903-1964) encontrou no esporte e na música a base para a sua plena realização artística. Inovou como locutor esportivo e compositor. Foi um intransigente divulgador dos nossos ritmos, e na batida do Samba criou obras memoráveis.

Suas primeiras composições foram feitas para revistas musicais, seu trampolim para a fama.

Estabeleceu parcerias musicais com grandes compositores de sua época, entre os quais os mais assíduos foram Luiz Peixoto, Lamartine Babo e Alcir Pires Vermelho.


Vocês estão com saudades de ouvir Ary Barroso falando, cantando e tocando seu piano? Se positivo, acessem os vídeos abaixo, e... matem as saudades do talentoso Ary Barroso.




“Trapo de Gente”

Aconteceu
Justamente o que mais eu temia
Apesar do trabalho
Que me deu sua educação
Fui buscá-la, na triste miséria
De um barracão
Para as noites boêmias
De Copacabana
Este mundo de sonhos
E desilusão
Mas, incapaz de entender
Este prisma da vida
Procurou disfarçar na bebida
A mais torpe e cruel traição
Saia comigo
Bebia comigo
Depois
Se entregava a um amigo
Trapo de gente
Sem alma e sem coração



 

“Camisa Amarela”

Encontrei o meu pedaço na Avenida de camisa amarela
Cantando a Florisbela, oi
A Florisbela
Convideio-o a voltar pra casa em minha companhia
Exibiu-me um sorriso de ironia
E desapareceu no turbilhão da Galeria
Não estava nada bom
O meu pedaço, na verdade, estava bem mamado
Bem chumbado, atravessado
Foi por aí cambaleando
Se acabando num cordão
Com o reco-reco na mão
Mais tarde, o encontrei num café
Zurrapa do Largo da Lapa
Folião de raça
Bebendo o quinto copo de cachaça

Voltou às sete horas da manhã
Mas só na quarta-feira
Cantando a Jardineira, oi
A Jardineira
Me pediu, ainda zonzo, um copo d'água com bicarbonato
O meu pedaço estava ruim de fato
Pois caiu na cama e não tirou nem o sapato
Roncou uma semana
Despertou mal-humorado
Quis brigar comigo
Que perigo!
Mas não ligo
O meu pedaço me domina, me fascina, ele é o tal
Por isso não levo a mal
Pegou a camisa
A camisa amarela
Botou fogo nela
Gosto dele assim
Passada a brincadeira
Ele é pra mim
(Meu Senhor do Bonfim!)


 

“Nem Ela” / “Aquarela do Brasil”

Nem Ela
(Ary Barroso)

Neste carnaval
Não tive gosto pra brincar
Nem ela
Nem ela
Não fui à cidade
Ver o meu cordão passar
Nem ela
Nem ela
Nos ensaios
Tudo caminhava muito bem
Eu, no tamborim
Ela, na voz como ninguém
Mas, naquela noite
Zé Mulambo me avisou
E Margarida
Nunca mais cantou
Posso permitir
Que a mulher seja fingida
Vício maldito, vício maldito
Porém, fazer da traição
Modo de vida
Não permito, não, não permito


Aquarela do Brasil
(Ary Barroso)

Brasil, meu Brasil Brasileiro,
Meu mulato inzoneiro,
Vou cantar-te nos meus versos:
O Brasil, samba que dá
Bamboleio, que faz gingar;
O Brasil do meu amor,
Terra de Nosso Senhor.
Brasil!... Brasil!... Prá mim!... Prá mim!...
Ô, abre a cortina do passado;
Tira a mãe preta do cerrado;
Bota o rei congo no congado.
Deixa cantar de novo o trovador
À merencória à luz da lua
Toda canção do meu amor.
Quero ver essa Dona caminhando
Pelos salões, arrastando
O seu vestido rendado.
Brasil!... Brasil! Prá mim ... Prá mim!...
Brasil, terra boa e gostosa
Da moreninha sestrosa
De olhar indiferente.
O Brasil, verde que dá
Para o mundo admirar.
O Brasil do meu amor,
Terra de Nosso Senhor.
Brasil!... Brasil! Prá mim ... Prá mim!...
Esse coqueiro que dá coco,
Onde eu amarro a minha rede
Nas noites claras de luar.
Ô! Estas fontes murmurantes
Onde eu mato a minha sede
E onde a lua vem brincar.
Ô! Esse Brasil lindo e trigueiro
É o meu Brasil Brasileiro,
Terra de samba e pandeiro.
Brasil!... Brasil!



 




**********
Fonte: CD Ary Barroso – 100 ANOS

Site YouTube/Canal: "luciano hortencio"

**********


Exibições: 316

Comentário de Simone-Rosa Tupinambá em 4 julho 2010 às 6:07
Obrigada, Laura.

Gosto muito dele, lembro de "Maria, o teu nome principia na palma da minha mão..." e do "Trolinho"
Comentário de Laura Macedo em 4 julho 2010 às 21:38
Grata Simone.
Comprei esse CD na época da Sarau do Rio, na Modern Sound. Que maravilha de loja! Se eu morasse no Rio com certeza iria a falência :))
Beijos.
Comentário de Helô em 5 julho 2010 às 21:49
Hummmm, acho que sei de onde saiu essa foto do Ary, Laurinha :))
A música "Rio de Janeiro" com o Trio Surdina é uma das coisas mais lindas que ouvi.
Uma figura o Ary! Seus casos, suas músicas, seu piano... são todos inesquecíveis.
Beijos.
Comentário de Laura Macedo em 6 julho 2010 às 1:17
Acertou na mosca, Helô :))
Não tenho "Rio de Janeiro" com o Trio Surdina. Fiquei babando :((
Adorei ver sua "fotinha" por aqui.
Beijos saudosos.
Comentário de Helô em 8 julho 2010 às 0:24
Laurinha
Imagina se eu ia deixar você perder essa preciosidades.
Beijos.

Comentário de Laura Macedo em 8 julho 2010 às 1:36


Uma maravilha, Helô.
Grata por mais este presente :))
Beijos.
Comentário de lucianohortencio em 7 novembro 2012 às 20:26
Grande Ary Barroso! Grande Laura Macedo!
Abraço do luciano.
Comentário de lucianohortencio em 8 fevereiro 2015 às 12:12

Comentário de Laura Macedo em 8 fevereiro 2015 às 23:59

Amigo Luciano,

O vídeo ficou excelente!! O que não é nenhuma novidade rsrsrsrsrsrsrs

Grande abraço.

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço