O salário do servidor público e a ideologia oculta

TeoFranco

Um país que remunera mal seus servidores esta condenando a população mais pobre, aquela que mais usa os serviços do Estado, a ser tratada como cidadã de segunda classe. Nenhum analista sério pode esperar que um professor se dedique a ensinar seus alunos com salários miseráveis. O debate sobre os salários dos servidores públicos tem grande utilidade para se conhecer a visão de mundo de cada um.

Tempos atrás, criou-se um estigma sobre os funcionários públicos. Por este motivo até a nomenclatura foi mudada paraservidores públicos, numa tentativa de aliviar essa campanha negativa. A verdade é que existe uma ideologia oculta por trás, uma visão de mundo enganosa. Agora, como vivemos na era do marketing, ou de um tipo de mundo da fantasia, outra tática que os marqueteiros de plantão (estes sim com altíssimos contratos) inventaram, foi a tal meritocracia. Onde os eficientes gestores impõem metas ou objetivos a serem atingidos por sua ‘animada equipe’ de subalternos. Dizem que foram os neoliberais que trouxeram esse famigerado conceito. Algo que é utilizado na iniciativa privada como um chicote ou uma guilhotina de demissão, foi pescado pela maioria dos políticos que ganharam um novo fôlego com um discurso sedutor para explorar nos palanques de seus comícios.

Resolveram mostrar a eficiência da gestão do seu governo, implantando na atividade pública um sistema, que já é manco na iniciativa privada, para fazer um pagamento de bônus salarial. Matando dois coelhos com uma cajadada só, não reajusta os salários na sua parte fixa, mas oferece uma perspectiva de um bônus, no entanto não o incorpora no holerite do servidor para a, agora mais, longínqua aposentadoria. Ora, num atendimento de Pronto Socorro serão medidas quantas injeções são aplicadas por plantão? E no Corpo de Bombeiros quanto tempo levou para apagar um incêndio? E na polícia, quantos meliantes presos naquele mês?

No filme Tropa de Elite I, um comandante manda retirar o cadáver da jurisdição para não ‘estragar’ a estatística de homicídios do mês. O que ocorre é que os servidores sempre vão encontrar um meio de driblar as regras ou mecanismos estúpidos, uma vez que não são sequer ouvidos para opinar sobre o funcionamento do fluxograma do seu departamento. Os iluminados dos gabinetes climatizados fazem isso por eles.

O brasileiro vive com R$ 15 por dia, numa família com quatro pessoas tendo em vista que o salário médio no Brasil é de R$ 1,8 mil. Será que é merecido? Será a razão é porque não vêm cumprindo bem as metas? Sem falar que um terço das empresas brasileiras se recusa até a cumprir a legislação trabalhista e opera na ilegalidade. Os seus empregados não tem nem carteira de trabalho porque “não merecem”? A verdade é que existe uma ideologia oculta por trás, uma visão de mundo enganosa.

Enquanto isso, grupos de empresários se unem para prestar graciosos serviços ao Estado de norte ao sul do Brasil, difundindo conceitos ‘modernos’ de gestão aos mais diversos órgãos de governos de todos os partidos, sem exceção. Por sua vez, as entidades de classe tentam mostrar o outro lado, a essência do papel do serviço público, e a dedicação e capacidade daquele que enfrentou um disputado concurso: O digníssimo Servidor Público.

(*) Auditor fiscal da Receita-SP e o editor responsável do Blog do AFR.com

Exibições: 158

Comentário de Ariston Álvares Cardoso em 30 agosto 2011 às 22:44
Olha aí uma boa matéria para se discutir direitos do servidor público que se transformou em escravo do poder e permitiu que suas próprias entidades representativas como os Sindicatos,  Associações e Federações, os algemasse e amordaçasse e o pior ainda, exigindo-lhe pagamento como são as contribuições feitas em consignações. Os mandatários sindicais de hoje são acolhidos pelo Governo de forma carinhosa e financeiramente compensativa para não permitirem que seus representados gritem suas dores pela desgraça sofrida do Governo que não paga o que deve, inclusive salários roubados que acumulam na Justiça Federal nos Estados, quando nem os idosos com mais de 70 anos como eu, já no fim da vida, com resíduos salariais a receber na Justiça Federal, morrendo por falta de medicamentos sem dinheiro para comprar, inclusive sem amparo do eleitoreiro Estatuto do Idoso, uma semvergonhice sem igual, uma imoralidade constitucional, uma desmoralização para um Governo que se diz democrata.E os Sindicatos deitam e rolam no Sistema de corrupção reinante no país. Em que regime político mesmo vivemos no Brasil?
Comentário de Ariston Álvares Cardoso em 30 agosto 2011 às 22:50

Teo Franco,

 

             Vamos acordar os interessados neste assunto e agitar esta página, nem que para isso seja necessário publicar algo relacionado ao assunto, todos os dias.

Comentário de Ariston Álvares Cardoso em 1 setembro 2011 às 13:13
O governo Lula foi vitorioso porque contou com o apoio maciço da classe de funcionários públicos, principalmente os federais que já estava ha mais de 10 anos com seus salários defasados e acreditando nas promessas do Lula, abraçou a campanha petista com seriedade e fez do opérário o nosso presidente e a classe continuou apoiando o presidente, mesmo diante de sua traição à classe no que diz respeito ao salário e o governo procurou imediatamente trabalhar  as bases sindicais no sentido de tansformá-la em defensora dessa traição e conseguiu de forma espetacular que não se sabe como, só que os laranjas governamentais sindicais se silenciaram de forma nunca antes vista, extinguindo as manifestações públicas da classe por direitos constitucionais e o que está por trás disso tudo sinceramente não sei, só sei que aqui em Goiás, o SINTFESP/GO/TO, funciona se projetando com o seu meio de publicidade próprio através de seus bem fabricados encartes e revistas, parelhado condignamente mas não facilita ao seu associado conhecer e acompanhar os processos de seu interesse como hoje mesmo fui ao Sindicato solicitar informação sobre um determinado direito e a resposta que tive foi a de que somente a funcionária do Departamento Jurídico poderia informar sobre o assunto, como que, se essa funcionária morresse a qualquer instante, sofresse um acidente ou qualquer coisa assim que a impedisse de comparecer ao trabalho o associado ficaria sem atendimento.  Tempos atrás, comentava-se reservadamente na Entidade um rombo que um advogado do Sindicato (já  falecido) teria dado em valor considerável, porém nada foi informado aos seus associados como que o dinheiro  não fosse produto de nossas contribuições e se isso realmente aconteceu e eu acredito que sim diante das fontes informantes, como o Sindicato prestou contas de sua gestão da época, certamente fabricando dados, provando com isso que a Dirtetoria sindical não cumpre seus deveres perante seus representados de quem sobrevive e o silencio sobre o assunto se mantém até hoje e durante todos esses anos e mesmo após a instituição do Estatudo do Idoso, o Sindicato não move uma palha para exigir o ampara do Estatuto nos processos de nosso interesse, muitos colegas morrem de vilhos sem receber o que tem direito. Dirigentes sindicais no Brasil atual, se transformaram  em pelegos do Governo e invertem o papel quando em vez de proteger e defender seus associados, perseguem por determinação do Governo, assim, espero que a nossa presidenta Dilma tenha consciencia dessa miséria construida pelo Lula em quem votei todas as vezes e que foi bom para o Pais e o pior presidente nos últimos 40 anos para a classe de funcionários públicos que hoje tem seus representantes ligados ao Sistema de corrupção governamental por interesses outros imorais, em prejuizo de toda uma classe.
Comentário de Ariston Álvares Cardoso em 2 setembro 2011 às 13:30

À cada dia e à cada particularidade que se prende ao assunto, nota-se o desinteresse do cidadão brasileiro em resolver seus graves problemas de vida, sem falar que a preocupação com o país é coisa do passado muito distante e é devido a isso que o crime organizado institucionalizado no Governo brasileiro cresce na medida  que as vítimas vão se entregando como é o caso do combate à corrupção, cujo único blog da Internet brasileira "Protógenes contra a corrupção" que nasceu com fim especial de combater a corrupção, está desativado não se sabe porque motivo e nem se vai ser reativado depois de uma anunciada revisão. Retornando ao assunto principal deste post é bom lembrar que nenhum político brasileiro até hoje se interessou pelo cumprimento da Lei que eles aprovaram "Estatudo do Idoso" que concede prioridade para os falsos contemplados que estão morrendo sem receber saldo salariais na Justiça Federal dos Estados. Sobre este assunto, pode-se dizer que as Entidades representativas que são pagas para representar os interesses dos seus associados, fazem o contrário silenciando a classe para atender ao Governo e não se sabe o que vai por trás disso tudo, pois no passado as reinvidicações eram feitas através de pressão, sem a qual o Governo não cede. O povo brasileiro virou objeto dos políticos e só vai a luta quando os políticos querem reivindicar algo para a classe governante e a classe trabalhadora anda tão mansa com as tantas bolsas que recebe e que mais faz a felicidade do Governo do que a de quem recebe o presente, que o Governo a qualquer momento vai institiir a bolsa cangalha.

Comentário de Teo Franco em 3 setembro 2011 às 2:36
Prezado Ariston, prá piorar veja o artigo sobre a verba dos magistrados: Justiça lenta? Nem sempre… já os enterros…
Comentário de Ariston Álvares Cardoso em 4 setembro 2011 às 14:38

Como um país pode ter esperança no seu futuro com um Judiciário como o que possui o nosso Brasil?

Comentário de Ariston Álvares Cardoso em 10 setembro 2011 às 13:36
O Judiciário brasileiro inverte totalmente o seu papel ao permitir enriquecimento ílícito aos funcionários da Camara dos deputados, pobre Brasil. 
Comentário de Ariston Álvares Cardoso em 21 setembro 2011 às 20:09
O súdito servidor público no Brasil, demagogicamente considerado amparado pela Constituição com relação à sua condição de funcionário, quando comete um crime é punido na forma da Lei e muitas vezes demitido a bem do serviço público, já um Juiz de direito ao cometer o mesmo crime, é presenteado com uma rica aposentadoria como aconteceu no Estado do Pará quando uma Juiza de direito mandou para a cela de bandidos, uma adolescente para ser estuprada pelos monstros. Viva o CNJ que premiou a irresponsável Juiza, aposentando-a sem tempo de serviço, sem idade e sem invalidez.

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço